Almeida Revista e Corrigida (ARC)
92

O salmista louva a Deus por amor da sua obra, justiça e graça

Salmo e cântico para o sábado

921BOM é louvar ao Senhor, e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo; 2Para de manhã anunciar a tua benignidade, e todas as noites, a tua fidelidade: 3Sobre um instrumento de dez cordas e sobre o saltério: sobre a harpa com som solene. 4Pois tu, Senhor, me alegraste com os teus feitos: exultarei nas obras das tuas mãos. 5Quão grandes são, Senhor, as tuas obras! mui profundos são os teus pensamentos. 6O homem brutal nada sabe, e o louco não entende isto. 7Brotam os ímpios como a erva, e florescem todos os que praticam a iniquidade, mas para serem destruídos para sempre. 8Mas tu, Senhor, és o Altíssimo para sempre. 9Pois eis que os teus inimigos, Senhor, eis que os teus inimigos perecerão; serão dispersos todos os que praticam a iniquidade. 10Mas tu exaltarás o meu poder, como o do unicórnio: serei ungido com óleo fresco. 11Os meus olhos verão cumprido o meu desejo sobre os meus inimigos, e os meus ouvidos dele se certificarão quanto aos malfeitores que se levantam contra mim. 12O justo florescerá como a palmeira; crescerá como o cedro no Líbano. 13Os que estão plantados na casa do Senhor florescerão nos átrios do nosso Deus. 14Na velhice ainda darão frutos: serão viçosos e florescentes; 15Para anunciarem que o Senhor é reto: ele é a minha rocha, e nele não injustiça.

93

O poder e a majestade do reino de Deus

931O Senhor reina; está vestido de majestade: o Senhor se revestiu e cingiu de fortaleza: o mundo também está firmado, e não poderá vacilar. 2O teu trono está firme desde então: tu és desde a eternidade. 3Os rios levantam, ó Deus, os rios levantam o seu ruído, os rios levantam as suas ondas. 4Mas o Senhor, nas alturas, é mais poderoso do que o ruído das grandes águas e do que as grandes ondas do mar. 5Mui fiéis são os teus testemunhos: a santidade convém à tua casa, Senhor, para sempre.

94

Apelo à justiça de Deus contra os malfeitores

941

94:1
Dt 32:35
Ó Senhor, Deus, a quem a vingança pertence, ó Deus, a quem a vingança pertence, mostra-te resplandecente. 2Exalta-te, tu, que és juiz da terra: dá o pago aos soberbos. 3Até quando os ímpios, Senhor, até quando os ímpios saltarão de prazer, 4Até quando proferirão e dirão coisas duras, e se gloriarão todos os que praticam a iniquidade? 5Reduzem a pedaços o teu povo, e afligem a tua herança. 6Matam a viúva e o estrangeiro, e ao órfão tiram a vida. 7E dizem: O Senhor não o verá; nem para isso atentará o Deus de Jacob. 8Atendei, ó brutais de entre o povo; e vós, loucos, quando sereis sábios? 9Aquele que fez o ouvido, não ouvirá? e o que formou o olho, não verá? 10Aquele que argui as gentes, não castigará? e o que dá ao homem o conhecimento, não saberá? 11O Senhor conhece os pensamentos do homem, que são vaidade. 12Bem-aventurado é o homem a quem tu repreendes, ó Senhor, e a quem ensinas a tua lei; 13Para lhe dares descanso dos dias maus, até que se abra a cova para o ímpio. 14Pois o Senhor não rejeitará o seu povo, nem desamparará a sua herança. 15Mas o juízo voltará a ser justiça, e hão de segui-lo todos os retos de coração. 16Quem será por mim contra os malfeitores? quem se porá ao meu lado contra os que praticam a iniquidade? 17Se o Senhor não fora em meu auxílio, já a minha alma habitaria no lugar do silêncio. 18Quando eu disse: O meu pé vacila, a tua benignidade, Senhor, me susteve. 19Multiplicando-se dentro de mim os meus cuidados, as tuas consolações recrearam a minha alma. 20
94:20
Am 6:3
Is 10
Podia, acaso, associar-se contigo o trono de iniquidade, que forja o mal, tendo por pretexto uma lei? 21Acorrem em tropel contra a vida do justo, e condenam o sangue inocente. 22Mas o Senhor foi o meu alto retiro; e o meu Deus a rocha em que me refugiei. 23E fará recair sobre eles a sua própria iniquidade; e os destruirá na sua própria malícia: o Senhor, nosso Deus, os destruirá.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitamos a privacidade dos seus dados.[ocultar mensagem]