a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
15

Preparativos para o transporte da arca

151David construiu para si casa na cidade de David e preparou um lugar para lá levantar uma tenda, que abrigasse a arca da aliança. 2E deu a seguinte ordem: «Só os levitas devem transportar a arca do Senhor, pois foi a eles que o Senhor escolheu para transportarem a arca e para estarem sempre ao seu serviço.» 3Mandou reunir todo o povo de Israel em Jerusalém, a fim de colocar a arca no lugar que lhe tinha destinado. 4Reuniu aí os descendentes de Aarão e os grupos de levitas, cada um com o seu chefe. 5Dentre estes últimos, compareceu Uriel com cento e vinte descendentes de Queat. 6Dos descendentes de Merari, foi Assaías com duzentos e vinte levitas. 7Dos descendentes de Gerson compareceu Joel com cento e trinta. 8Dos descendentes de Eliçafan, Chemaías com duzentos. 9Dos descendentes de Hebron esteve presente Eliel com oitenta. 10Dos descendentes de Uziel foi Aminadab com cento e doze.

11David chamou os sacerdotes Sadoc e Abiatar e os levitas Uriel, Assaías, Joel, Chemaías, Eliel e Aminadab 12e disse-lhes: «Vocês são os chefes das famílias levíticas; façam a cerimónia da purificação, com todas as vossas famílias, pois vão levar a arca da aliança do Senhor, Deus de Israel, para o lugar que lhe preparei. 13Foi por não estarem presentes da outra vez que o Senhor, nosso Deus, nos castigou. De facto, não o tínhamos consultado como era nossa obrigação15,13 Referência ao episódio relatado em 13,9–11.

14Os sacerdotes e levitas celebraram a cerimónia da purificação, para poderem transportar a arca da aliança do Senhor, Deus de Israel. 15Os levitas transportaram-na com varas que colocaram aos ombros, conforme as instruções que tinha dado Moisés, por ordem do Senhor. 16David disse ainda aos chefes dos levitas que escolhessem de entre os membros da tribo alguns para cantarem em voz alta e para tocarem liras, harpas e címbalos, em sinal de grande alegria. 17Os levitas escolheram então Heman, filho de Joel, Assaf, filho de Berequias e Etan, filho de Cuchaías, da família de Merari. 18Escolheram para estarem com eles às suas ordens os seguintes porteiros: Zacarias, Jaziel, Chemiramot, Jeiel, Uni, Eliab, Benaías, Masseias, Matatias, Elifeleu, Miqueneias, Obed-Edom e Jeiel. 19Os cantores Heman, Assaf e Etan tocavam címbalos de bronze. 20Zacarias, Aziel, Chemiramot, Jeiel, Uni, Eliab, Masseias e Benaías tocavam liras de sons agudos. 21Matatias, Elifeleu, Miqueneias, Obed-Edom, Jeiel e Azazias tocavam harpas de sons graves para acompanhar o canto. 22Cananias, chefe dos levitas encarregados de transportar a arca da aliança era quem dirigia, pois era entendido nisso. 23Berequias e Elcaná eram os porteiros encarregados da arca. 24Os sacerdotes Chebanias, Josafat, Nataniel, Amassai, Zacarias, Benaías e Eliézer tocavam cornetins, diante da arca. Obed-Edom e Jeías também eram porteiros encarregados da arca.

Chegada da arca a Jerusalém

(2 Samuel 6,12–19)

25David, os anciãos de Israel e os chefes militares foram com alegria retirar a arca da casa de Obed-Edom. 26E, por Deus ter protegido os levitas que transportavam a arca, foram oferecidos em sacrifício sete touros e sete carneiros. 27David estava vestido com um manto de linho fino e estavam vestidos da mesma forma todos os levitas que transportavam a arca, os cantores e Cananias, que os dirigia. Além disso, David levava também ao peito a insígnia de oráculo, feita de linho. 28Todo o povo de Israel acompanhava a arca da aliança do Senhor entre gritos de alegria e ao som de trombetas, de cornetins, de címbalos, de liras e de harpas.

29Quando a arca da aliança do Senhor entrou na cidade de David, Mical, filha de Saul chegou à janela e viu o rei David a dançar cheio de alegria. Isso provocou-lhe um profundo desprezo por ele.

16

A arca é colocada na tenda

161Colocaram a arca da aliança na tenda que David tinha levantado para esse fim e ofereceram a Deus holocaustos e sacrifícios de comunhão. 2Quando David terminou a oferta desses sacrifícios, abençoou o povo, em nome do Senhor, 3e fez distribuir a todos os israelitas, a homens e mulheres, um pão, uma torta de tâmaras e outra de passas.

4David escolheu depois alguns levitas para prestarem serviço diante da arca do Senhor. Deviam invocar o Senhor, Deus de Israel, dar-lhe graças e louvores. 5Assaf era o chefe e, a seguir a ele, estavam Zacarias, Jaziel, Chemiramot, Jeiel, Matatias, Eliab, Benaías. Obed-Edom e Jeiel tocavam liras e harpas, enquanto Assaf tocava címbalos. 6Os dois sacerdotes Benaías e Jaziel tocavam continuamente cornetins diante da arca da aliança.

Cântico de David

(Salmos 105,1–15; 96,1–13; 106,1.47–48)

7Foi naquele dia que David encarregou pela primeira vez Assaf e os seus colegas de entoarem louvores ao Senhor:

8«Louvem o Senhor, invoquem o seu nome,

divulguem entre os povos os prodígios que ele fez.

9Cantem hinos em sua honra;

anunciem as maravilhas, que ele fez.

10Sintam-se orgulhosos do Senhor, cujo nome é santo;

alegrem-se todos os que o procuram!

11Recorram ao Senhor e ao seu poder;

procurem o Senhor continuamente.

12Lembrem-se das suas obras maravilhosas

e dos prodigiosos decretos que ele pronunciou.

13Vocês são os descendentes do servo de Deus, Israel,

os descendentes de Jacob, seu escolhido.

14Ele é o Senhor, nosso Deus;

e governa sobre toda a terra.

15Lembrem-se sempre da sua aliança,

da promessa que ele jurou manter por mil gerações.

16Foi a aliança que ele fez com Abraão,

o juramento que fez a Isaac;

17e confirmou tudo isso a Jacob,

como aliança eterna em favor de Israel,

18quando disse: “hei de dar-te a terra de Canaã,

para ser a vossa herança familiar.”

19Quando eram ainda muito poucos

e estrangeiros na terra de Canaã;

20quando vagueavam de terra em terra

e andavam de nação em nação,

21Deus não permitiu que ninguém os maltratasse.

Por causa deles repreendeu reis, dizendo:

22“Não toquem nos meus servos escolhidos,

não maltratem os meus mensageiros.”

23Que a terra inteira cante ao Senhor

proclamem dia após dia a sua salvação.

24Anunciem a sua glória aos outros povos

e a todas as nações as suas maravilhas.

25O Senhor é grande e digno de louvor,

mais temível que todos os deuses.

26Esses deuses não valem nada;

foi o Senhor quem criou os céus.

27Na sua presença há esplendor e majestade;

no seu santuário há força e alegria.

28Que todos os povos da terra louvem o Senhor

e proclamem a sua glória e o seu poder.

29Deem ao Senhor a honra que lhe é devida

vão à sua presença apresentar-lhe ofertas.

Inclinem-se diante do Senhor, que é santo,

que se manifesta cheio de glória!

30Que a terra inteira trema diante dele:

Deus firmou o mundo, para que não se mova.

31Alegrem-se os céus e a terra.

Que se diga entre os povos: “O Senhor é rei!”

32Exulte de alegria o mar e tudo o que ele contém;

alegrem-se os campos com tudo o que neles existe.

33Cantem de alegria as árvores do bosque,

na presença do Senhor que se aproxima

e vem para governar a terra!

34Deem graças ao Senhor, porque ele é bom,

porque é eterno o seu amor.

35Salva-nos, ó Deus, nosso salvador,

junta-nos, que andamos perdidos entre as nações;

para te louvarmos, ó Deus santo,

e sentirmos felicidade em te louvar.

36Louvado seja o Senhor, Deus de Israel,

louvado seja ele por todo o sempre.»

E todo o povo respondeu: «Assim seja!» E louvou o Senhor.

37David ordenou em seguida a Assaf e aos seus colegas levitas que ficassem junto da arca da aliança, no lugar onde tinha sido colocada, para a servirem continuamente, segundo a ordem estabelecida para cada dia. 38Encarregou também Obed-Edom, filho de Jedutun e de Hossa, de servirem como porteiros. 39Confiou ao sacerdote Sadoc e aos seus colegas o encargo de servirem no santuário do Senhor, que se encontrava em Guibeon. 40Todas as manhãs e todas as tardes eles deveriam oferecer ao Senhor holocaustos, de acordo com o que está escrito na lei que o Senhor tinha dado a Israel. 41Também ficou com eles Heman e Jedutun e os restantes que foram escolhidos e indicados pelos seus nomes para cantarem ao Senhor: «É eterno o seu amor.» 42Tocavam cornetins, címbalos e outros instrumentos que acompanhavam os cânticos ao Senhor. Os filhos de Jedutun eram porteiros.

43Depois voltaram todos para as suas casas e David foi também para sua casa, para abençoar a sua família.

17

Uma promessa de Deus

(2 Samuel 7,1–17)

171Quando David estava já instalado no seu palácio, disse, um dia, ao profeta Natan: «Eu estou a viver numa casa feita de cedro, enquanto a arca da aliança do Senhor está numa tenda!» 2Natan comentou: «Faz o que o teu coração te diz, porque Deus está contigo.»

3Mas na noite seguinte, o Senhor dirigiu-se a Natan para lhe dar esta ordem: 4«Vai ter com o meu servo David e, em meu nome, avisa-o do seguinte: “Não serás tu que me construirás um templo para eu habitar. 5Desde o dia em que tirei Israel do Egito até ao presente, nunca habitei num templo, mas unicamente em tendas que se mudam de um lugar para outro. 6Nessas deslocações com o povo de Israel, nunca pedi a nenhum daqueles a quem eu mandei governar o meu povo para me construir um templo de madeira de cedro.” 7Por isso, dirás ao meu servo David o seguinte: O Senhor do Universo declara: “Quando tu eras apenas um pastor de ovelhas, fui eu que te tirei de trás dos rebanhos, para fazer de ti chefe de Israel, meu povo. 8Amparei-te por onde quer que andaste, destruí os teus inimigos diante de ti e tornei-te famoso como os homens importantes deste mundo. 9Preparei um lugar para Israel, meu povo, onde ficará instalado sem ter receio de ser oprimido. Nenhuma nação malfeitora lhe irá fazer mal, como aconteceu outrora, 10quando eu confiei a juízes o encargo de governarem Israel, meu povo. Eu destruirei todos os teus inimigos. Eu, o Senhor, declaro-te que hei de dar-te uma dinastia17,10 O texto hebraico dos v. 4–11 joga com o duplo significado da palavra “casa”, tal como 2 Sm 7,5–16., 11e quando no fim da tua vida fores juntar-te aos teus antepassados, farei com que um dos teus filhos te suceda como rei e farei com que seja firme o seu reinado. 12Esse é que me há de construir um templo e eu farei com que a sua dinastia continue para sempre. 13Eu serei para ele um pai e ele será para mim um filho. Não lhe retirarei o meu apoio como fiz ao teu antecessor. 14Hei de mantê-lo como rei à frente do meu templo e do meu povo para sempre. A sua dinastia será firme para sempre.”»

15Natan contou a David tudo aquilo que Deus lhe tinha manifestado naquela visão.

Oração de ação de graças

(2 Samuel 7,18–29)

16O rei David entrou então na tenda e apresentou-se diante do Senhor para lhe dizer: «Quem sou eu, Senhor, Deus, e quem é a minha família, para eu chegar aonde cheguei? 17E, como se isto fosse pouco, ainda me fazes promessas com tanta antecipação a respeito do futuro da minha família. Tratas-me como se eu fosse um homem importante. 18Que poderei eu dizer mais, Senhor, da grande honra com que estás a tratar-me, se tu me conheces tão bem? 19Senhor, fizeste todas estas coisas e trataste-me com amor, para manifestares a tua grandeza. 20Ó Senhor, não há ninguém como tu, nem existe outro Deus além de ti, conforme sempre temos ouvido. 21Também não há nenhum outro povo como Israel, uma nação única na terra. Foste tu que libertaste Israel da opressão dos egípcios e expulsaste nações diante do teu povo. Tornaste-te famoso com as coisas maravilhosas e impressionantes que realizaste em seu favor. 22Fizeste de Israel o teu povo para sempre e tu ficaste a ser o seu Deus. 23Agora, pois, Senhor, confirma para sempre o que disseste a respeito de mim e dos meus descendentes e cumpre o que prometeste. 24Que tudo isso se realize e tu serás louvado para sempre. Há de dizer-se: “O Senhor, Deus todo-poderoso, é o Deus de Israel. E manifesta-se realmente como tal.” E assim a minha dinastia estará firme para sempre diante de ti. 25Ó meu Deus, revelaste-me que vais manter a realeza nas mãos dos meus descendentes. É por isso que eu aqui estou diante de ti a fazer esta oração. 26Ó Senhor, verdadeiramente tu és Deus e fazes-me esta maravilhosa promessa. 27Peço-te que abençoes os meus descendentes. Que eles tenham sempre a tua proteção. Já que lhes deste a tua bênção, será bendita para sempre.»