a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
27

Organização militar

271Apresenta-se aqui uma lista de israelitas que estavam ao serviço do rei no que diz respeito às divisões militares em que deviam servir por turnos mensais durante o ano. Eram chefes de famílias, comandantes de regimentos e de companhias e seus oficiais. Cada divisão era formada por vinte e quatro mil homens. 2A lista dos chefes militares para cada mês era a seguinte:

Primeiro mês: Jassobam, filho de Zabediel 3da família de Peres. Este comandava todos os chefes das tropas que prestavam serviço nesse mês.

4Segundo mês: Dodai, de Aoa, ajudado por Miclot.

5Terceiro mês: Benaías, filho do grande sacerdote Joiadá. 6Benaías era o chefe do grupo dos trinta. O seu filho Amizabad sucedeu-lhe como chefe do grupo.

7Quarto mês: Assael, irmão de Joab. Sucedeu-lhe o filho Zebadias.

8Quinto mês: Chamut da família de Jízera.

9Sexto mês: Ira, filho de Iqués, de Técoa.

10Sétimo mês: Heles de Palon, dos descendentes de Efraim.

11Oitavo mês: Sibecai, de Hucha, que era da família de Zera.

12Nono mês: Abiézer, de Anatot, da tribo de Benjamim.

13Décimo mês: Marai de Netofa, da família de Zera.

14Décimo primeiro mês: Benaías, de Piraton, da tribo de Efraim.

15Décimo segundo mês: Heldai, de Netofa, da família de Oteniel.

Chefes das tribos

16Foram estes os chefes das tribos de Israel:

Tribo de Rúben: Eliézer, filho de Zicri.

Tribo de Simeão: Chefatias, filho de Macá.

17Tribo de Levi: Hassabias, filho de Quemuel.

Dos descendentes de Aarão: Sadoc.

18Tribo de Judá: Eliú, um dos parentes de David.

Tribo de Issacar: Omeri, filho de Micael.

19Tribo de Zabulão: Jismaías, filho de Obadias.

Tribo de Neftali: Jerimot, filho de Azeriel.

20Tribo de Efraim: Oseias, filho de Azazias.

Metade ocidental da tribo de Manassés: Joel, filho de Pedaías.

21Metade oriental da tribo de Manassés, instalada em Guilead: Jido, filho de Zacarias.

Tribo de Benjamim: Jassiel, filho de Abner.

22Tribo de Dan: Azarel, filho de Jeroam.

Foram estes os chefes das tribos de Israel.

23David não fez o recenseamento daqueles que tinham menos de vinte anos, porque o Senhor tinha prometido multiplicar os israelitas como as estrelas do céu. 24De facto Joab, filho de Seruia, ainda começou a fazer tal recenseamento mas não o concluiu, porque Deus irritou-se contra Israel, por causa disso. Por tal razão, o número deles não aparece no livro das Crónicas do rei David27,24 Este livro desapareceu e não é conhecido..

Administração dos bens reais

25Azemavet, filho de Adiel, estava encarregado dos tesouros do rei. Jónatas, filho de Uzias, era o encarregado dos armazéns que havia nos campos, nas cidades, nas aldeias e nas terras fortificadas.

26Ezri, filho de Quelub, era o responsável pelos trabalhadores que cultivavam os campos.

27Simei, de Ramá, tinha a responsabilidade das vinhas. Zabedi, de Chefam, era o responsável pelo vinho armazenado nas adegas.

28A Baal-Hanan, de Guéder, foram confiadas as oliveiras e os sicómoros da região de Chefela. Joás era o encarregado das provisões de azeite.

29Sitrai, de Saron, era o responsável pelos bois que pastavam em Saron. Chafat, filho de Adlai, responsabilizava-se pelos bois que pastavam nas planícies. 30Obil, o ismaelita, era responsável pelos camelos. Jedias, de Meronot, era o responsável pelos burros.

31Jaziz, descendente de Agar, era o responsável pelas ovelhas. Eram estes os administradores dos bens do rei David.

32Jónatas, tio de David, homem instruído e prudente, exercia a função de conselheiro e de escriba. Jeiel, filho de Hacmoni, era o encarregado da educação dos filhos do rei.

33Aitofel era conselheiro do rei e Huchai, de Erec, era o confidente do rei. 34A Aitofel sucedeu Joiadá, filho de Benaías, e Abiatar.

O chefe do exército de David era Joab.

28

David designa o sucessor

281David reuniu em Jerusalém todos os chefes de Israel: os chefes das tribos, os chefes das divisões militares ao serviço do rei, os comandantes dos regimentos e de companhias, os administradores de todos os bens e gados que pertenciam ao rei e aos seus filhos, as personalidades mais importantes e os militares mais destacados.

2Então o rei David pôs-se de pé e falou assim: «Escutem-me, meus irmãos e meu povo. Eu tinha a intenção de construir um templo para lá colocar a arca da aliança do Senhor, que fosse o lugar onde estivesse o trono do nosso Deus. Preparei mesmo as coisas para esse fim. 3Mas Deus disse-me: “Não serás tu que me irás construir um templo, porque fizeste muitas guerras e fizeste correr muito sangue.” 4Apesar disso, o Senhor, Deus de Israel, escolheu-me entre toda a minha família, para me fazer rei para sempre em Israel. Escolheu a tribo de Judá para governar o seu povo. Da tribo de Judá, escolheu a minha família e, de entre os meus irmãos, escolheu-me a mim, para ser rei sobre todo o Israel. 5De entre todos os meus filhos, e o Senhor deu-me muitos, escolheu o meu filho Salomão para se sentar no trono real sobre Israel, em nome do Senhor.

6Disse-me o Senhor: “O teu filho Salomão é que me há de construir um templo para eu habitar nos seus átrios, porque eu o escolhi como meu filho e eu serei para ele como pai. 7Tornarei o seu reino firme para sempre, se ele continuar a cumprir os meus mandamentos e as minhas ordens, como tem feito até ao presente.” 8Agora pois, na presença de todos os israelitas, povo do Senhor, e na presença do nosso Deus, que nos ouve, comprometam-se a observar e a conhecer todos os mandamentos do Senhor, nosso Deus, e assim continuarão a possuir este bom país e poderão deixá-lo aos vossos descendentes como herança para sempre. 9E tu Salomão, meu filho, não renegues o Deus de teu pai e serve-o com todo o teu coração e a tua alma, porque o Senhor vai até ao fundo do coração e distingue as intenções e pensamentos. Se o procurares, ele deixa-se encontrar por ti. Mas se o abandonares, ele rejeita-te para sempre. 10Portanto, tem bem presente que o Senhor te escolheu, para lhe construires o templo que será o seu santuário. Coragem e mãos à obra!»

David confia a Salomão os planos do templo

11David entregou a Salomão o projeto do átrio do templo, da parte das salas do tesouro, das salas do andar de cima, dos compartimentos interiores e do lugar santíssimo. 12Confiou-lhe também o plano de tudo o que tinha em mente quanto a corredores do templo e das salas anexas, bem como das salas destinadas a guardar os tesouros e as coisas sagradas.

13Deu-lhe também a lista dos turnos de sacerdotes e de levitas e respetiva ordem de serviço e ainda a lista dos objetos para o culto no templo. 14Deu-lhe mesmo instruções quanto ao peso de ouro e de prata que deveriam ter os utensílios que iriam ser usados no culto, 15e mesmo quanto aos castiçais e lâmpadas, tanto de ouro como de prata, conforme o seu uso. 16Indicou que peso deviam ter as mesas de ouro destinadas à oferta de pães consagrados e as mesas de prata. 17Fez o mesmo quanto aos garfos, às bacias e jarras de ouro puro, quanto aos copos de ouro e de prata e sua utilização. 18Indicou-lhe a quantidade de ouro puro para o altar do incenso e para o carro que tem os querubins de ouro com as asas estendidas a cobrirem a arca da aliança do Senhor.

19David informou que tudo isso estava contido num documento escrito, conforme as instruções que tinha recebido do Senhor, onde se explicava a maneira de realizar todo o plano.

20Depois disse ainda ao seu filho Salomão: «Ânimo e coragem! Mãos à obra! Não desanimes nem tenhas medo, porque o Senhor, meu Deus, há de ajudar-te; ele não te abandonará nem te irá desamparar, enquanto não acabares o trabalho do templo do Senhor. 21Aí tens os sacerdotes e os levitas já organizados por turnos, para o serviço do Senhor. Poderás contar além disso com voluntários competentes para fazer qualquer espécie de trabalho e tens também às tuas ordens os chefes e todo o povo.»

29

Ofertas para a construção do templo

291O rei David disse em seguida a toda a assembleia: «O meu filho Salomão é o único a quem Deus escolheu, mas ele é ainda jovem e sem experiência. O trabalho que tem a fazer é importante, pois não se trata de um palácio para um homem mas de um templo para o Senhor Deus. 2Eu esforcei-me por preparar as coisas para o templo: ouro, prata, bronze, ferro, madeira para tudo o que seja necessário. Consegui pedras de cornalina, pedras preciosas de diversas cores, pedras para mosaicos e de mármore em quantidade. 3Para além de tudo isso que preparei, vou ainda oferecer ao templo do Deus que tanto amo o ouro e a prata da minha fortuna pessoal. 4Ofereço cem toneladas de ouro finíssimo e perto de duas toneladas de boa prata para revestir as paredes do templo 5e para todos os objetos de ouro ou de prata que os artífices tenham de fazer. E agora quem é que está disposto a oferecer também com generosidade os seus donativos ao Senhor?»

6Então os chefes de famílias, os chefes das tribos de Israel, os diversos chefes militares e os administradores das propriedades reais fizeram as suas ofertas voluntárias. 7Ofereceram para as obras do templo cerca de cento e sessenta toneladas de ouro e dez mil peças de ouro, mais de trezentas toneladas de prata, cerca de seiscentas toneladas de bronze e mais de três mil toneladas de ferro.

8Os que tinham pedras preciosas também as ofereceram para o tesouro do templo, que estava ao cuidado de Jeiel, descendente de Gerson. 9Estas pessoas ofereceram generosamente estes donativos para o Senhor e fizeram-no com alegria. O rei David ficou muito contente com tudo isto.

Oração de David

10Então David fez esta oração de louvor ao Senhor, diante de toda a assembleia:

«Louvado sejas para sempre, Senhor, Deus do nosso pai Israel. 11Tu tens grandeza, poder, glória, honra e majestade! Tudo o que há no céu e na terra te pertencem. Tu és o Senhor de tudo o que existe. Tu és o soberano que está acima de todas as coisas. 12É de ti que vêm as riquezas e o poder. És tu que tudo governas e tendo a força e o poder podes dar aos outros força e grandeza. 13Por isso, ó Senhor, nosso Deus, nós te louvamos e celebramos a tua majestade. 14Quem sou eu e quem é o meu povo, para te podermos oferecer todas estas coisas? Pois é de ti que tudo vem e nada te poderíamos oferecer, se não nos viesse das tuas mãos.

15Diante de ti, Senhor, nós somos como estrangeiros, exilados, tal como os nossos antepassados. Os nossos dias sobre a terra passam como uma sombra, sem esperança. 16Ó Senhor, nosso Deus, toda esta riqueza que preparámos para construir o teu templo vem das tuas mãos e a ti pertence. 17Eu sei que tu examinas as consciências e que aprecias a sinceridade. Ora é com toda a sinceridade que eu te ofereço espontaneamente tudo isto e é com alegria que eu vejo agora o teu povo aqui reunido a apresentar-te voluntariamente as suas ofertas.

18Ó Senhor, Deus de nossos antepassados Abraão, Isaac e Israel, conserva sempre no coração desta gente estas disposições e sentimentos e encaminha sempre o teu povo para ti. 19Dá ao meu filho Salomão um coração íntegro, para observar os teus mandamentos, os teus preceitos e as tuas leis. Que ele cumpra tudo isso e que possa construir o templo para o qual eu fiz todos estes preparativos.»

20David disse ainda a toda a assembleia: «Louvem o Senhor, vosso Deus.» E todos louvaram o Senhor, Deus dos seus antepassados, inclinando-se em honra do Senhor e do rei.

Salomão consagrado rei

21No dia seguinte, ofereceram ao Senhor sacrifícios e holocaustos. Ofereceram-lhe mil bezerros, mil carneiros e mil cordeiros, com as respetivas ofertas de vinho. Foram sacrifícios em abundância por todo o povo de Israel. 22Naquele dia, comeram e beberam com grande alegria diante do Senhor. E, pela segunda vez, proclamaram Salomão, filho de David, como rei29,22 Esta expressão evoca 23,1, onde se diz que Salomão foi designado como sucessor de seu pai.. Consagraram-no como seu chefe e consagraram Sadoc como sumo sacerdote. 23Desta forma, Salomão sucedeu a David, seu pai, no trono que o Senhor tinha estabelecido. Teve um reinado feliz e todo o povo de Israel lhe obedeceu. 24Todos os chefes e soldados e mesmo os outros filhos do rei David prometeram lealdade ao rei Salomão. 25O Senhor engrandeceu Salomão aos olhos de todo o povo de Israel. Concedeu ao seu reinado um prestígio muito maior que o de qualquer outro rei, que tivesse reinado anteriormente em Israel.

Morte de David

(1 Reis 2,10–12)

26David, filho de Jessé, foi rei de todo o povo de Israel. 27Reinou durante quarenta anos, sete em Hebron e trinta e três em Jerusalém. 28Faleceu após uma velhice feliz, cheio de riquezas e de glória e sucedeu-lhe seu filho Salomão.

29A história do rei David, desde o princípio até ao fim, está escrita nas Crónicas de Samuel, o vidente, nas Crónicas do profeta Natan e nas Crónicas do profeta Gad. 30Aí se conta o que foi o seu reinado, o seu poder e mesmo os acontecimentos que dizem respeito a ele pessoalmente, ao povo de Israel e aos outros países.