a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
2

Últimas instruções de David a Salomão

21Sentindo David que se aproximava o dia da sua morte, deu ao seu filho Salomão estas instruções: 2«Vou seguir o caminho de todos os mortais. Sê corajoso e porta-te como um homem. 3Respeita as ordens do Senhor, teu Deus, fazendo a sua vontade e cumprindo as suas leis, mandamentos, decretos e preceitos, segundo o que está escrito na Lei de Moisés. Assim tudo o que fizeres e tudo o que empreenderes será bem sucedido. 4Deste modo, o Senhor cumprirá a promessa2,4 Ver 2 Sm 7,12–16. que me fez, dizendo-me que, se os meus filhos seguissem a sua vontade e se conduzissem com lealdade para com ele, com todo o seu coração e toda a sua alma, nunca faltaria na minha descendência quem ocupasse o trono de Israel. 5Bem sabes o que me fez Joab, filho de Seruia, como ele assassinou os dois generais do exército de Israel, Abner, filho de Ner, e Amassá, filho de Jéter. Joab matou-os em tempo de paz, para vingar o sangue derramado na guerra, tornando-se responsável por esse crime. 6Portanto, procede com inteligência e não o deixes ter uma morte tranquila.

7Quanto aos filhos de Barzilai, de Guilead, trata-os com bondade e convida-os para a tua mesa, pois eles protegeram-me quando eu fugia de teu irmão Absalão. 8Há também Simei, filho de Guera, da cidade de Baurim, em Benjamim. Foi ele que me lançou uma terrível maldição, no dia em que me retirava para Manaim. Mas como veio ao meu encontro, ao passar o rio Jordão, jurei-lhe pelo Senhor que não o mataria. 9Tu, porém, não lhe perdoes. És inteligente e saberás como proceder com ele. Faz com que ele morra de morte violenta.»

Morte de David

10David morreu e foi sepultado junto dos seus antepassados, na cidade de David. 11Foi rei de Israel durante quarenta anos, dos quais, sete em Hebron e trinta e três em Jerusalém. 12Salomão sucedeu no trono a David, seu pai, e o seu reinado foi muito estável2,12 Salomão começou a reinar cerca do ano 970 a.C..

Morte de Adonias

13Adonias, filho de David e de Haguite, foi visitar Betsabé, mãe de Salomão, e ela perguntou-lhe: «Vens como amigo?» Ele respondeu: «Sim, 14tenho uma coisa para te dizer!» «Então diz», respondeu ela. 15E Adonias acrescentou: «Tu sabes que o reino me pertencia e que todo o povo de Israel esperava que eu fosse o rei. Porém o direito de reinar foi dado ao meu irmão, porque o Senhor decidiu que fosse para ele. 16Agora só te quero pedir um favor. Não mo recuses.» «Fala!», respondeu ela. 17Ele então disse: «Rogo-te que peças ao rei Salomão, que nada te recusará, que me dê por esposa Abisag, a sunamita.» 18«Está bem. Eu falarei por ti ao rei.» — Disse Betsabé.

19Betsabé foi falar com o rei Salomão a respeito de Adonias. O rei levantou-se para receber a sua mãe e inclinou-se respeitosamente diante dela. Depois sentou-se no trono, ordenou que trouxessem uma cadeira para a sua mãe e pediu-lhe que se sentasse à sua direita; 20ela disse-lhe então: «Quero pedir-te um pequeno favor. Rogo-te que não mo negues.» Ele respondeu: «Pede-me o que quiseres, minha mãe! Nada te recusarei.» 21Disse então Betsabé: «Peço-te que Abisag, a sunamita, seja dada por esposa a teu irmão Adonias.»

22Então Salomão disse à sua mãe: «Por que pedes Abisag para Adonias? Só falta que me peças que lhe entregue o reino, porque é o meu irmão mais velho e porque tem a seu favor o sacerdote Abiatar e Joab, filho de Seruia.»

23Dito isto, o rei Salomão jurou pelo Senhor: «Que Deus me castigue com dureza, se eu não fizer Adonias pagar com a sua vida este pedido que fez! 24Pelo Senhor, que me colocou e confirmou no trono de David, meu pai, e que deu a realeza à minha família, como tinha prometido, juro que Adonias morrerá hoje mesmo!» 25O rei Salomão deu ordem a Benaías, filho de Joiadá, para o ir matar e ele foi e matou Adonias.

Destituição de Abiatar

26Salomão disse também ao sacerdote Abiatar: «Vai para as terras que tens em Anatot2,26 Anatot. Localidade situada a 4 km a noroeste de Jerusalém.! Merecias a morte, mas não te matarei agora, porque transportaste a arca do Senhor Deus, diante de David, meu pai, e sofreste as mesmas aflições que ele.» 27Salomão destituiu Abiatar das suas funções sacerdotais, cumprindo-se assim aquilo que o Senhor dissera em Silo, contra a família do sumo sacerdote Eli.

Morte de Joab

28Logo que Joab ouviu o que tinha acontecido a Adonias e a Abiatar, fugiu para o santuário do Senhor e agarrou-se aos cantos do altar. Ele de facto tinha apoiado Adonias, embora não tivesse apoiado Absalão. 29Mas alguém informou o rei Salomão de que Joab tinha fugido para o santuário do Senhor e se tinha refugiado junto do altar. Então Salomão enviou Benaías, filho de Joiadá, para que o matasse. 30Benaías foi ao santuário e disse a Joab: «O rei ordena que saias daí.» Joab respondeu: «Não saio, quero morrer aqui.»

Benaías foi ter com o rei e contou-lhe o que Joab tinha dito. 31Salomão respondeu: «Faz como ele disse. Mata-o e sepulta-o, e assim afastarás de mim e dos descendentes de meu pai a culpa dos crimes cometidos por Joab contra gente inocente. 32Que o Senhor dê a Joab a morte que ele mesmo merecia, porque, sem conhecimento de meu pai, matou à espada dois homens mais honrados e melhores do que ele: Abner, filho de Ner, general do exército de Israel, e Amassá, filho de Jéter, general do exército de Judá. 33A culpa dessas mortes recairá sobre Joab e sobre a sua descendência, para sempre. Porém a David, à sua descendência e aos seus sucessores o Senhor dará paz, para sempre.»

34Então Benaías voltou ao santuário e matou Joab. Sepultaram-no na sua propriedade, num descampado.

35O rei substituiu Joab por Benaías, no comando do exército, e Abiatar por Sadoc, como sacerdote do santuário.

Morte de Simei

36O rei mandou chamar Simei e disse-lhe: «Faz para ti uma casa em Jerusalém e fica a viver nela. Não podes sair de lá para nenhuma parte, 37porque, no dia em que saíres e atravessares o ribeiro de Cédron, serás morto. E a culpa será só tua.» 38Simei respondeu ao rei: «Estou de acordo. Farei como Vossa Majestade, meu Senhor, me ordenou.» E assim, Simei viveu bastante tempo em Jerusalém.

39Mas passados três anos, dois escravos seus fugiram e foram viver com Aquis, filho de Macá, que era rei de Gat2,39 Gat. Cidade habitada por filisteus, a cerca de 50 km a sudoeste de Jerusalém.. Quando disseram a Simei que os seus dois escravos estavam em Gat, 40ele montou no seu jumento e foi ter com Aquis a Gat, em busca dos seus escravos, que levou de volta para Jerusalém.

41Quando disseram a Salomão que Simei tinha ido a Gat, 42mandou-o chamar e disse-lhe: «Não te fiz jurar em nome do Senhor e não te avisei de que, no dia em que saísses para qualquer parte, serias morto? E não me respondeste dizendo: “Estou de acordo com o que ouvi”? 43Por que não cumpriste então o juramento que fizeste ao Senhor nem obedeceste ao que te ordenei? 44Sabes perfeitamente o mal que fizeste a David, meu pai; por isso, o Senhor fará recair sobre ti o mal que fizeste. 45Porém eu, o rei Salomão, serei abençoado e o trono de David ficará estabelecido para sempre, diante do Senhor

46Depois o rei deu ordens a Benaías, filho de Joiadá, e ele foi matar Simei. E assim se confirmou o reino nas mãos de Salomão.

3

Salomão casa-se com uma filha do faraó

31Salomão aliou-se ao faraó, rei do Egito, casando-se com uma das suas filhas. Levou-a para a cidade de David, enquanto terminava a construção do seu palácio, do templo do Senhor e da muralha em volta de Jerusalém.

2Nesse tempo, o povo oferecia sacrifícios em muitos lugares altos, porque ainda não tinha sido construído um templo para adorar o Senhor.

Salomão pede a Deus sabedoria

3Salomão amava o Senhor, cumprindo as leis estabelecidas por David, seu pai. No entanto, continuava a oferecer sacrifícios e a queimar incenso em vários lugares altos.

4Um dia o rei Salomão foi a Guibeon3,4 Guibeon. Localidade situada a 10 km a noroeste de Jerusalém., para ali oferecer um sacrifício, porque era lá o mais importante dos lugares altos. Salomão ia oferecer naquele lugar uns mil sacrifícios. 5Nessa noite, em Guibeon, apareceu-lhe o Senhor em sonhos e disse-lhe: «Pede-me o que quiseres! Que queres que te dê?» 6Salomão respondeu: «Tu foste muito bom para com o teu servo David, meu pai, porque ele se conduziu diante de ti com lealdade, justiça e retidão de coração. Trataste-o com tanta bondade e lhe concedeste que um filho seu lhe sucedesse no seu trono, como agora aconteceu. 7Tu, Senhor, meu Deus, fizeste com que este teu servo se tornasse rei em lugar de David, meu pai, embora eu seja ainda um jovem inexperiente. 8Porém estou rodeado pelo povo que tu escolheste, um povo tão numeroso que não se pode contar nem calcular. 9Dá-me, por isso, um coração sábio, capaz de governar o teu povo com justiça, sabendo distinguir entre o bem e o mal. Doutro modo, como poderia eu governar este teu povo tão numeroso?»

10Este pedido de Salomão agradou ao Senhor. 11E Deus disse-lhe: «Dado que me fizeste esse pedido, solicitando não uma vida longa, ou riquezas, ou a morte dos teus inimigos, mas sim inteligência para saberes ouvir e governar, 12vou conceder-te o que me pediste; vou conceder-te sabedoria e inteligência como ninguém teve antes de ti, nem terá depois de ti. 13Concedo-te, além disso, aquilo que não me pediste: tantas riquezas e esplendor, durante toda a tua vida, como nenhum outro rei teve antes. 14E, se fizeres a minha vontade, cumprindo as minhas leis e os meus mandamentos, como fez David, teu pai, conceder-te-ei também uma vida longa.»

15Quando Salomão acordou e viu que Deus lhe tinha falado em sonhos, voltou para Jerusalém, apresentou-se diante da arca da aliança do Senhor, ofereceu holocaustos e sacrifícios de reconciliação e ofereceu um banquete para toda a sua corte.

Sabedoria de Salomão

16Um dia duas prostitutas foram ter com Salomão. Apresentaram-se diante dele 17e uma delas disse: «Por favor, Majestade! Esta mulher e eu vivemos na mesma casa e eu dei à luz um filho, estando ela comigo em casa. 18Três dias depois, também ela deu à luz um filho. Nós vivemos as duas sozinhas naquela casa, não há lá mais ninguém além de nós. 19Mas durante a noite, morreu o filho desta mulher, porque ela se deitou para cima dele enquanto dormiam. 20Então ela levantou-se a meio da noite e, enquanto eu dormia, tirou do meu lado o meu filho e deitou-o na sua cama; depois colocou o seu filho, que estava morto, ao meu lado. 21De manhã, quando me levantei para dar o peito ao meu filho, vi que estava morto; olhei bem para ele à luz do dia e vi logo que aquele não era o filho que eu tinha dado à luz.»

22A outra mulher replicou então: «É mentira! O que está vivo é o meu filho; o teu é o que morreu.» Mas a primeira respondeu: «Não! O teu filho é o que morreu e o que está vivo é o meu.» E assim discutiam na presença do rei.

23Salomão tomou a palavra e declarou: «Uma diz: “A criança que está viva é o meu filho; o teu filho é que está morto!” A outra responde: “Não, o teu filho é que está morto e o meu é o que está vivo!”» 24Em seguida, o rei ordenou: «Tragam-me cá uma espada!» Quando lhe levaram a espada, 25o rei disse: «Cortem em dois o menino vivo e deem metade a cada uma!»

26A mãe do menino vivo, profundamente angustiada por causa do seu filho, suplicou ao rei: «Majestade, rogo-te que lhe dês o menino vivo! Não o mates!» Mas a outra disse: «Nem para mim nem para ti. Cortem-no em dois!»

27Então o rei declarou: «Entreguem àquela mulher o menino vivo. Não o matem, porque ela é a sua verdadeira mãe.»

28Esta sentença de Salomão tornou-se conhecida de todo o povo de Israel, que sentiu, por isso, muito respeito pelo rei, vendo que Deus lhe tinha dado sabedoria para administrar justiça.

4

Governo de Salomão

41Salomão foi rei de todo o povo de Israel. 2Estes são os nomes dos seus altos funcionários: Azarias, filho do sacerdote Sadoc; 3Elioref e Aías, filhos de Chichá, secretários; Josafat, filho de Ailud, porta-voz do rei; 4Benaías, filho de Joiadá, comandante do exército; Sadoc e Abiatar, sacerdotes; 5Azarias, filho de Natan, superintendente das guarnições; o sacerdote Zabud, filho de Natan, conselheiro privado do rei; 6Aisar, prefeito do palácio; Adoniram, filho de Abda, responsável pelos trabalhos obrigatórios.

7Salomão tinha doze intendentes em Israel, que tinham a obrigação de prover o necessário para o rei e a sua família. Cada um deles deveria prover os mantimentos, durante um mês por ano. 8Estes são os seus nomes4,8 Na realidade os v. 8–11 e 13 não dão os nomes dos intendentes, mas sim dos seus pais, o que significa que se tratava de funções hereditárias. Ben-Hur significa filho de Hur, Ben-Déquer significa filho de Déquer, Ben-Héssed, significa filho de Héssed, Ben-Abinadab significa filho de Abinadab, Ben-Guéber significa filho de Guéber.: Ben-Hur, na região montanhosa de Efraim; 9Ben-Déquer nas cidades de Macas, Salabim, Bet-Chemes, Elon e Bet-Hanan; 10Ben-Héssed, nas cidades de Arubot e Socó e em todo o território de Héfer; 11Ben-Abinadab, que era casado com Tafat, filha de Salomão, em toda a região de Dor; 12Baaná, filho de Ailud, nas cidades de Tanac e Meguido e em toda a região perto de Bet-Chan e de Sartan, a sul da cidade de Jezrael, desde Bet-Chan até Abel-Meolá, para lá da cidade de Jocnoam; 13Ben-Guéber, na cidade de Ramot, em Guilead, e nas aldeias de Guilead, pertencentes a Jair, descendente de Manassés, e na região de Argob, em Basã, ao todo sessenta cidades grandes e com muralhas fortificadas e portões de bronze; 14Ainadab, filho de Ido, no distrito de Manaim; 15Aimás, que era casado com Bassemat, outra filha de Salomão, no território de Neftali; 16Baaná, filho de Huchai, na região de Asser e na cidade de Alot; 17Josafat, filho de Parua, no território de Issacar; 18Simei, filho de Elá, no território de Benjamim; 19Guéber, filho de Uri, na região de Guilead, que tinha sido governada por Seon, rei dos amorreus e por Og, rei de Basã. Além destes doze, havia um intendente-geral sobre todo o país de Judá4,19 Ou: havia um só intendente em toda a terra (de Judá)..

Prosperidade de Salomão

20A população de Judá e de Israel era tão numerosa como a areia das praias do mar; tinham comida e bebida em abundância e viviam felizes.