a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
17

Reinado de Josafat

171Sucedeu-lhe o seu filho Josafat, que fortificou as suas posições contra Israel. 2Colocou tropas em todas as cidades fortificadas de Judá e guarnições militares em todo o território e nas cidades da região de Efraim conquistadas pelo pai. 3O Senhor ajudou Josafat, pois ele teve um comportamento semelhante ao que teve David no princípio. Não prestou culto às imagens do deus Baal, 4mas ao Deus de seu pai. Cumpriu os mandamentos e não seguiu o exemplo da gente do reino do Norte. 5Por isso, o Senhor fortaleceu o seu poder real. Todo o povo de Judá lhe oferecia presentes, de tal maneira que teve grande riqueza e prestígio. 6Cumpriu com todo o brio a vontade do Senhor e afastou do território de Judá os santuários pagãos e os símbolos da deusa Achera.

7Durante o terceiro ano do seu reinado, enviou os seus funcionários Ben-Hail, Obadias, Zacarias, Nataniel e Miqueias para ensinarem nas cidades de Judá. 8Foram com eles também os levitas Chemaías, Natanias, Zebadias, Assael, Chemiramot, Jónatas, Adonias, Tobias, Tob-Adonias e os sacerdotes Elisama e Jorão. 9Levaram o livro da lei do Senhor e percorreram todas as cidades de Judá, ensinando o povo.

Grandeza de Josafat

10Todos os reinos vizinhos de Judá sentiam tal respeito pelo Senhor que não se atreveram a combater contra Josafat. 11Alguns filisteus foram levar presentes a Josafat e foram-lhe fazer entrega do seu tributo em prata e os árabes levaram-lhe sete mil e setecentos carneiros e outros tantos bodes.

12Josafat foi-se tornando cada vez mais poderoso. Construiu em Judá algumas fortalezas e cidades para armazém. 13Tinha grandes empreendimentos nas cidades de Judá e teve ao serviço em Jerusalém muitos soldados, 14que estavam agrupados por clãs. Da tribo de Judá era Adná que estava à frente de trezentos mil guerreiros; 15depois, era o comandante Joanan com duzentos e oitenta mil soldados 16e Amazias filho de Zicri, que se tinha consagrado voluntariamente ao serviço do Senhor, com duzentos mil guerreiros. 17Da tribo de Benjamim encontrava-se Eliadá, um valente guerreiro, à frente de duzentos mil homens equipados com arcos e escudos; 18a seu lado, estava Jozabad, à frente de cento e oitenta mil homens, preparados para a guerra. 19Eram estes os soldados que estavam ao serviço do rei, sem contar aqueles que o rei tinha estabelecido nas cidades fortificadas de todo o território de Judá.

18

Aliança com Acab, rei de Israel

(1 Reis 22,1–40)

181Josafat teve grande riqueza e prestígio e casou com uma filha de Acab, rei de Israel. 2Alguns anos mais tarde, foi à Samaria, a casa de Acab. Este mandou matar muitas ovelhas e bois para o receber a ele e a quantos o acompanhavam. Depois Acab disse a Josafat se queria ir com ele atacar a cidade de Ramot em Guilead. 3Falou-lhe deste modo: «Queres ir comigo atacar Ramot de Guilead?» Ao que Josafat respondeu: «Tanto eu como o meu povo estamos contigo, prontos para ir para a guerra.» 4Entretanto Josafat disse ao rei de Israel: «Peço-te que procures primeiro saber qual é a vontade do Senhor

5O rei de Israel reuniu então os seus profetas, em número de quatrocentos, e perguntou-lhes: «Devemos atacar Ramot de Guilead ou não?» E eles responderam: «Vai, porque Deus colocará a cidade nas tuas mãos.» 6Apesar disso, Josafat perguntou: «Não há por aqui um profeta do Senhor a quem possamos consultar?» 7O rei de Israel respondeu a Josafat: «Há mais um por meio de quem se pode consultar o Senhor. É Miqueias, filho de Jímela, mas eu não gosto dele, porque nunca me anuncia coisas boas; só desgraças.» Josafat replicou a Acab: «Não fales dessa maneira!»

8O rei de Israel chamou então um funcionário do palácio e disse-lhe para ir rapidamente chamar Miqueias de Jímela. 9O rei de Israel e o rei de Judá, Josafat, estavam sentados cada um no seu trono, revestidos das suas insígnias reais, na esplanada, em frente da porta da Samaria, enquanto os profetas proclamavam a sua mensagem à frente deles. 10Sedecias, filho de Canaana, tinha feito uns chifres de ferro e proclamava: «É isto que diz o Senhor: “Com estes chifres atacarás os arameus até os destruíres.”» 11E todos os outros profetas anunciavam o mesmo, dizendo ao rei: «Ataca Ramot de Guilead que hás de vencer, pois o Senhor vai entregar-te a cidade.»

O profeta Miqueias anuncia a derrota

12Aquele homem que tinha ido chamar Miqueias deu-lhe a seguinte informação: «Todos os profetas sem exceção anunciam a vitória ao rei. Vê lá se as tuas palavras são como as deles. Anuncia-lhe também tu a vitória.» 13Mas Miqueias respondeu: «Juro-te, pelo Senhor, que só anunciarei aquilo que o meu Deus me mandar.»

14Apresentou-se ao rei e este perguntou-lhe: «Miqueias, devemos ir atacar Ramot de Guilead ou não?» E Miqueias respondeu: «Vai e vencerás; o Senhor entregará a cidade nas tuas mãos.» 15Mas o rei replicou: «Quantas vezes te hei de pedir para me jurares que só me dizes a verdade, em nome do Senhor16Então Miqueias exclamou:

«Vejo todo o povo de Israel

disperso pelos montes,

como um rebanho sem pastor

E o Senhor disse:

«Eles não têm chefe.

Que voltem tranquilamente,

cada um para sua casa.»

17O rei de Israel disse então a Josafat:

«Eu não te disse que este homem nunca me anuncia coisas boas, mas apenas desgraças?» 18Miqueias retorquiu: «Escuta o que diz o Senhor: “Eu vi o Senhor, sentado no seu trono, tendo de pé à sua direita e à sua esquerda a multidão dos seus servidores celestes.” 19Então o Senhor perguntou: “Há alguém que queira ir enganar Acab, rei de Israel, para ele atacar Ramot de Guilead e encontrar lá a sua ruína?” Uns diziam uma coisa, outros diziam outra. 20Então um espírito apresentou-se diante do Senhor e disse: “Eu irei enganá-lo.” O Senhor perguntou-lhe como é que iria fazer 21e ele respondeu que iria inspirar mentiras em todos os profetas do rei. O Senhor replicou: “É boa ideia! Vai e faz isso mesmo.” 22“Ora bem — comentou Miqueias — o Senhor deixou que um espírito mau inspirasse a mentira aos teus profetas e já decidiu a tua desgraça.”»

23Então Sedecias, filho de Canaana aproximou-se de Miqueias, deu-lhe uma bofetada e disse-lhe: «Por onde é que saiu de mim o Espírito do Senhor, para te falar?» 24Miqueias deu-lhe esta resposta: «hás de saber isso no dia em que andares à procura de um lugar em casa para te esconderes.»

25O rei de Israel deu então esta ordem aos seus servidores: «Prendam Miqueias e levem-no a Amon, governador da cidade e ao príncipe Joás. 26Digam-lhe que eu mando meter na cadeia este indivíduo. Alimentem-no apenas com um pouco de pão e de água, sem mais nada, até que eu volte são e salvo da guerra.» 27Miqueias comentou: «Se tu voltares são e salvo, é porque o Senhor não falou por meu intermédio. Que todos os povos ouçam isto!»

O rei Acab é morto no combate

28Acab, rei de Israel e Josafat, rei de Judá, foram, pois, atacar Ramot de Guilead. 29O rei de Israel disse a Josafat: «Vou-me disfarçar para entrar no combate, mas tu vai com traje real.» E assim fez. Disfarçou-se antes de entrar em combate. 30Ora, o rei da Síria tinha dado ordens aos chefes dos seus carros de combate para não atacarem nem soldados nem oficiais, mas apenas o rei de Israel. 31Os encarregados dos carros ao verem Josafat pensaram que era o rei de Israel e cercaram-no, para o atacarem. Mas Josafat gritou a pedir ajuda e o Senhor ajudou-o, afastando dele os inimigos. 32Quando os encarregados dos carros se deram conta de que não era ele o rei de Israel, deixaram de o perseguir. 33Mas um soldado arameu atirou o arco e, sem querer, atingiu o rei de Israel entre as junturas da couraça. O rei disse então ao condutor do seu carro: «Volta a rédea e leva-me para fora do combate, porque estou muito ferido.»

34Naquele dia o combate foi muito violento. O rei de Israel teve de ficar de pé até à tarde no seu carro, a fazer frente aos arameus, e ao pôr do sol, morreu.

19

Josafat institui juízes em Judá

191Quanto a Josafat, rei de Judá, regressou são e salvo ao seu palácio, em Jerusalém. 2No entanto, Jeú, filho do profeta Hanani saiu-lhe ao encontro e disse-lhe: «Por que é que tu foste ajudar um homem mau? Achas que se pode ser amigo dos que odeiam o Senhor? Por causa disso, o Senhor está irado contigo. 3Todavia há ainda algumas coisas boas a teu favor, pois destruíste os símbolos da deusa Achera, que havia no país, e procuraste servir a Deus com sinceridade.»

4Josafat residiu em Jerusalém e voltou a percorrer o país, desde Bercheba até às montanhas de Efraim, para fazer com que os israelitas se voltassem para o Senhor, Deus dos seus antepassados. 5Foi estabelecendo juízes em cada uma das cidades fortificadas de Judá 6e foi-lhes dizendo: «Reparem bem no que fazem, pois não é em nome dos homens que administram a justiça, mas em nome do Senhor, que estará convosco nos vossos julgamentos. 7Tenham respeito pelo Senhor e tenham cuidado com o que fazem, porque o Senhor não tolera injustiças nem faz distinção entre as pessoas, nem se deixa influenciar com presentes.»

8Josafat também estabeleceu em Jerusalém alguns levitas, sacerdotes e chefes dos clãs de Israel, para julgarem em questões religiosas e resolverem conflitos entre os habitantes da cidade. Por isso, habitavam em Jerusalém. 9Deu-lhes as seguintes instruções: «Procedam sempre com temor do Senhor, com honestidade e retidão. 10Sempre que os vossos compatriotas, vindos das cidades em que habitam, vos apresentarem uma questão, seja referente a assassínios, seja referente à lei, mandamentos, ordens ou preceitos, devem esclarecê-los, para não se tornarem culpados diante do Senhor e para que ele não fique irado convosco e contra os vossos compatriotas. Façam isso, para não serem culpados. 11O vosso chefe para as questões religiosas será o sacerdote Amarias e, para as questões civis, o vosso chefe será Zebadias, filho de Ismael, chefe da tribo de Judá. Os levitas ficarão a ajudar-vos como administradores. Sejam corajosos no desempenho das vossas funções e que o Senhor esteja com os que fazem o bem.»