a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
21

Reinado de Jorão

(2 Reis 8,16–24)

211Quando Josafat morreu, sepultaram-no na cidade de David, seu antepassado, e sucedeu-lhe no trono o seu filho Jorão.

2Jorão tinha seis irmãos, filhos de Josafat: Azarias, Jeiel, Zacarias, Azariau, Micael e Chefatias. 3O pai tinha-lhes dado grande quantidade de prata, ouro, objetos de valor, e tinha-lhes entregado cidades fortificadas em Judá. Mas foi a Jorão que ele entregou o reino, por ser o mais velho.

4Logo que este se sentiu seguro no governo do país, passou a fio de espada todos os seus irmãos e também alguns chefes de Israel. 5Jorão tinha trinta e dois anos quando subiu ao trono e reinou oito anos em Jerusalém. 6Seguiu os exemplos dos reis de Israel, tal como tinha feito a família de Acab, pois ele tinha casado com uma filha de Acab. O seu procedimento desagradou ao Senhor. 7Todavia o Senhor não quis acabar com a descendência de David, por causa da aliança que tinha feito com o rei, pois lhes tinha prometido, a ele e aos seus descendentes, que manteria para sempre acesa a sua lâmpada.

8Durante o reinado de Jorão, Edom revoltou-se contra o domínio de Judá e proclamou um rei. 9Jorão pôs-se a caminho com os seus oficiais e com todos os seus carros de combate e, durante a noite, derrotaram os edomeus que os tinham cercado. 10Apesar disso, os edomeus tornaram-se independentes de Judá e assim continuam até ao presente. Na mesma época, também a cidade de Libna se tornou independente, porque Jorão abandonou o Senhor, Deus de seus pais. 11Chegou mesmo a construir santuários pagãos nas montanhas de Judá e levou os habitantes de Jerusalém e de Judá a serem infiéis ao Senhor.

12Em certa altura, Jorão recebeu uma carta do profeta Elias, onde lhe dizia: «O Senhor, Deus do teu antepassado David, declara: “Tu não tens seguido o exemplo do teu pai, Josafat, nem o de teu avô Asa, reis de Judá. 13Pelo contrário, tens seguido o exemplo dos reis de Israel. Fizeste mesmo com que os habitantes de Jerusalém e de Judá adorassem os falsos deuses, como fez a família de Acab. Além disso, assassinaste os teus irmãos, filhos do teu próprio pai, que eram melhores do que tu. 14Por isso, o Senhor vai fazer cair uma praga sobre o teu povo, os teus filhos, as tuas mulheres e sobre todos os teus bens. 15Tu próprio serás castigado com grandes doenças, até ao ponto de saírem para fora do teu corpo, dia após dia, os teus intestinos.”»

16O Senhor fez com que os filisteus e os árabes vizinhos dos etíopes se levantassem enfurecidos contra Jorão. 17Foram atacar Judá, invadindo o país e apoderaram-se de todos os bens que encontraram no palácio do rei. Levaram mesmo os seus filhos e as suas mulheres. Só deixaram Joacaz, o filho mais novo. 18Depois de tudo isto, o Senhor castigou-o com uma doença incurável nos intestinos. 19Passado tempo, cerca de dois anos depois, a violência do mal fez com que lhe saíssem os intestinos e ele morreu com dores horríveis. O povo não fez em sua honra a grande fogueira que tinha feito em honra dos seus antepassados. 20Jorão tinha subido ao trono aos trinta e dois anos de idade e reinou em Jerusalém oito anos. Partiu sem deixar saudades. Ninguém chorou por ele ter morrido. Foi sepultado na cidade de David, mas não ficou nos túmulos reais.

22

Reinado de Acazias

(2 Reis 8,25–29)

221Os habitantes de Jerusalém proclamaram rei, Acazias22,1 Acazias é o mesmo rei que em 21,17 aparece com o nome de Joacaz. As duas formas do nome têm o mesmo significado: “o Senhor segura”. Numa, a referência ao nome de Deus encontra-se no fim da palavra; na outra, no princípio., que era o filho mais novo de Jorão, já que os filhos mais velhos tinham sido mortos pelos bandos de salteadores que tinham invadido o acampamento militar judeu, juntamente com os árabes. Desta forma, subiu ao trono Acazias, filho de Jorão, rei de Judá. 2Tinha vinte e dois anos e reinou um ano em Jerusalém. A mãe dele chamava-se Atália e era descendente de Omeri. 3Também o rei Acazias seguiu os exemplos da família de Acab, pois a mãe aconselhava-o a fazer o mal. 4As suas ações desagradaram ao Senhor, tal como aconteceu com os descendentes de Acab. De facto, eles, após a morte do pai, foram os seus conselheiros, para sua destruição. 5Por seguir esses conselhos, ele foi com Jorão, filho de Acab e rei de Israel atacar Hazael, rei da Síria em Ramot de Guilead. Os arameus feriram Jorão 6que regressou a Jezrael, para se curar dos ferimentos que tinha sofrido em Ramot de Guilead. Acazias foi então a Jezrael visitar Jorão que estava doente.

7Deus serviu-se dessa visita a Jorão para provocar a ruína de Acazias. Apenas chegado, Acazias foi com Jorão ao encontro de Jeú, filho de Nimechi. Ora Jeú tinha sido consagrado rei pelo Senhor, para acabar com a família de Acab. 8Quando Jeú estava a fazer justiça contra a família de Acab, encontrou os chefes de Judá e os sobrinhos de Acazias, que estavam ao serviço do rei e matou-os. 9Em seguida, mandou buscar Acazias, que se tinha escondido na Samaria. Prenderam-no e levaram-no a Jeú que o mandou matar. Mas deram-lhe sepultura, porque se lembraram que ele era filho de Josafat, que seguiu o Senhor de todo o coração. Da família de Acazias, não ficou ninguém que pudesse suceder-lhe como rei.

Atália usurpa o trono

(2 Reis 11,1–20)

10Quando Atália, mãe de Acazias teve conhecimento da morte do filho resolveu eliminar toda a descendência real de Judá. 11Mas Josseba, filha do rei, raptou Joás, filho de Acazias, quando estavam a assassinar os outros filhos do rei. Ela escondeu-o juntamente com a ama, num quarto, de tal forma que Atália não o conseguiu matar. Josseba era filha do rei Jorão, irmã de Acazias e era esposa do sacerdote Joiadá. 12Joás ficou escondido com os seus protetores no templo de Deus, durante seis anos, enquanto durou o reinado de Atália.

23

Joás é consagrado rei

231No sétimo ano, o sacerdote Joiadá, afirmando o seu poder, mandou chamar os seguintes chefes militares: Azarias, filho de Jeroam, Ismael, filho de Joanan, Azarias, filho de Obed, Masseias, filho de Adaías, e Elisafat, filho de Zicri, para fazer com eles um acordo. 2Eles iriam percorrer o reino de Judá e iriam convocar os levitas e os chefes dos clãs de Israel em todas as cidades, para se juntarem em Jerusalém. 3Todos estes se reuniram de facto no templo de Deus e fizeram um acordo com o rei. Joiadá disse-lhes: «Aqui está o filho do rei. É ele que deve ser rei. 4Façam pois o seguinte: Uma terça parte de vocês, sacerdotes e levitas que fazem o serviço do sábado, ficará de guarda às portas do templo. 5Outra terça parte vigiará o palácio real e os restantes vigiarão a porta da “Fundação”. O povo ocupará o átrio do templo. 6Que ninguém entre no templo, a não ser os sacerdotes e levitas que estiverem de serviço. Só eles podem entrar por serem pessoas consagradas. O resto do povo cumprirá a ordem do Senhor. 7Os levitas, de armas na mão, deverão cercar o rei e acompanhá-lo para onde quer que ele vá e todo aquele que tentar entrar no templo morrerá.»

8Os levitas e a gente de Judá fizeram tudo aquilo que Joiadá mandou. Cada um reuniu os seus homens, tanto os que começavam o seu serviço ao sábado como os que terminavam nesse dia, pois Joiadá não tinha dispensado nenhum grupo. 9Joiadá entregou aos chefes das unidades militares as lanças e os escudos de diversas espécies que tinham pertencido ao rei David e que estavam guardados no templo de Deus. 10Em seguida colocou os seus homens com armas na mão para proteger o rei, desde o ângulo sul até ao ângulo norte do templo e em frente do altar. 11Depois fizeram avançar o filho do rei. Puseram-lhe as insígnias reais e entregaram-lhe o documento da aliança. Então Joiadá e os seus filhos consagraram-no rei, derramando-lhe sobre a cabeça o óleo da consagração. E todos começaram a gritar: «Viva o rei.»

12Quando Atália ouviu o barulho do povo que corria a aclamar o rei, foi para o templo para o meio da multidão. 13Viu o rei de pé, junto da coluna do templo, à entrada. Ao lado dele estavam os chefes e os tocadores de cornetim. Toda a gente mostrava grande alegria. Enquanto os músicos tocavam trombeta, os cantores, com os instrumentos musicais dirigiam hinos de louvor. Então Atália rasgou o vestido em sinal de protesto e gritou: «Traição! Traição!»

14No entanto, o sacerdote Joiadá não quis que a matassem no templo. Por tal razão, chamou os chefes militares, para lhes dizer: «Levem-na para fora presa entre fileiras militares e matem qualquer pessoa que a siga.» 15Então eles agarraram-na e levaram-na; e, quando chegou à porta dos cavalos do palácio real, mataram-na.

Reforma de Joiadá

16Joiadá fez um acordo com o povo e com o rei, comprometendo-se a comportarem-se como povo do Senhor. 17O povo dirigiu-se logo para o templo de Baal e destruiu-o. Destruíram os altares, quebraram as imagens e assassinaram Matan, sacerdote de Baal, diante dos altares. 18Depois Joiadá entregou a guarda do templo do Senhor à responsabilidade dos sacerdotes levitas. David tinha-os já repartido em grupos, para oferecerem holocaustos ao Senhor segundo o que está estabelecido na Lei de Moisés, acompanhados com os cânticos de alegria deixados por David. 19Estabeleceu também porteiros junto das portas do templo, para que não pudesse entrar ninguém que estivesse ritualmente impuro. 20E acompanhou o rei desde o templo até ao palácio, entrando pela porta superior, levando consigo os chefes militares, as pessoas mais importantes e os dirigentes com todo o povo. Instalaram o rei no seu trono real 21e todo o povo manifestou grande alegria. A cidade ficou em sossego depois de Atália ter sido morta.