a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
3

A construção do templo

(1 Reis 6,1–38)

31Salomão começou a construir o templo do Senhor em Jerusalém, no monte Moriá, no lugar que seu pai David tinha preparado para esse efeito, na eira do jebuseu Ornan, por ter aparecido lá o Senhor a David. 2Começou a construção no dia dois do segundo mês, no quarto ano do seu reinado. 3Os alicerces para a construção do templo tinham as seguintes medidas: trinta metros de comprimento por dez de largura. 4O pórtico tinha a mesma largura do edifício, ou seja dez metros, e a altura era de sessenta metros3,4 Em 1 Rs 6,2 fala-se de 15 metros de altura.. Salomão revestiu todo o interior de ouro puro. 5O edifício principal foi revestido de madeira de cipreste, coberta de ouro puro nos sítios onde tinham sido representadas as palmeiras e as pequenas correntes. 6Foi decorado também com pedras preciosas. Com o ouro que vinha de Parvaim, 7decorou-se o interior do edifício: as vigas, os umbrais, as paredes e as portas. E foi também com esse ouro que se gravaram os querubins sobre as paredes.

8Construiu-se também a sala do lugar santíssimo, que tinha dez metros de largura, tal como o edifício, e dez metros de comprimento. Gastaram-se cerca de vinte toneladas de ouro fino para revestir o interior. 9Até os pregos eram de ouro e pesavam cerca de quinhentos gramas. As salas do andar superior também foram revestidas de ouro.

10Foram esculpidos dois querubins de metal fundido, recobertos de ouro e foram colocados no lugar santíssimo. 11As asas estendidas dos querubins mediam dez metros. As duas asas de um tinham cerca de dois metros e meio de comprimento. Uma tocava na parede da sala e outra na asa do outro querubim. 12As asas do segundo tinham o mesmo comprimento das do primeiro e da mesma maneira tocavam na parede da sala e no outro querubim. 13Estes querubins estavam de pé, ao lado um do outro, voltados para a entrada. 14Fez-se também uma cortina de linho fino, com cores de violeta, púrpura e avermelhada, bordada com querubins.

15O rei mandou fazer duas colunas com cerca de dezassete metros e mandou-as colocar diante do templo. Cada uma tinha um capitel de dois metros e meio de altura. 16Fez também pequenas correntes como as do santuário e decorações que representavam cem romãs suspensas das correntes. 17Colocou as colunas na fachada do templo, uma à direita e outra à esquerda. À coluna da direita chamou Jaquin e à da esquerda chamou Booz.

4

Mobiliário do templo

(1 Reis 7,23–51)

41O rei Salomão mandou fazer um altar de bronze que media dez metros de comprimento por dez metros de largura e tinha cinco metros de altura. 2Fez também uma grande bacia de bronze para água. Era redonda e tinha cinco metros de diâmetro. Media dois metros e meio de profundidade e quinze metros de circunferência. 3Abaixo do bordo dessa bacia, em toda a volta, havia duas filas de decorações representando touros, dez por cada meio metro, formando uma só peça com a bacia. 4A bacia estava assente sobre doze touros de bronze. Três deles estavam voltados para norte, três para ocidente, três para sul e três para oriente. As patas traseiras ficavam do lado de dentro, debaixo da bacia. 5A parede tinha oito centímetros de espessura e o seu bordo era como o de uma taça em forma de flor-de-lis. Levava cerca de cento e vinte mil litros.

6Fez também dez bacias de bronze e colocou cinco à direita e cinco à esquerda. Era nelas que se lavava tudo o que se utilizava nos holocaustos. A água da bacia grande era para os sacerdotes se lavarem.

7Fez, além disso, dez candelabros de ouro, de acordo com o modelo estabelecido e colocou-os no templo, cinco à direita e cinco à esquerda. 8Fez igualmente dez mesas que colocou no templo, cinco à direita e cinco à esquerda e fez também cem bacias de aspersão em ouro. 9Construiu um átrio para os sacerdotes e ainda o átrio principal, com portas revestidas de bronze. 10A grande bacia foi colocada ao lado direito do templo, no ângulo sudeste.

11Huram fabricou os grandes cinzeiros, as pás e as bacias de aspersão, concluindo assim os trabalhos que o rei Salomão lhe tinha mandado fazer para o templo de Deus. 12Foram estes os seus trabalhos: duas colunas com os dois capitéis redondos no cimo dessas colunas e uma espécie de duas grinaldas que cobriam os capitéis, 13quatrocentas romãs presas a essas duas grinaldas, dispostas em duas filas. Essas grinaldas cobriam os capitéis redondos sobre as colunas. 14Fez também os suportes e as bacias assentes sobre eles, 15a grande bacia para água com os doze touros que a sustentavam, 16os cinzeiros, as pás e as forquilhas. Todos estes objetos que Huram-Abi fez para o templo do Senhor, por ordem de Salomão, eram de bronze polido. 17O rei mandou-os fundir em moldes de terra na planície do Jordão entre Sucot e Sereda. 18Salomão mandou fazer estes objetos em grande quantidade, sem se preocupar em saber qual a quantidade de bronze que ia gastar.

19Salomão mandou também fazer todos os outros utensílios necessários para o templo de Deus e ainda o altar de ouro e as mesas em que se colocavam os pães que se ofereciam a Deus; 20os candelabros de ouro puro, com as suas lâmpadas que deviam estar acesas diante do lugar santíssimo, como estava determinado; 21as figuras de flores, as lâmpadas e os espevitadores, igualmente de ouro puro; 22os canivetes, as bacias de aspersão, as conchas e os turíbulos também de ouro fino; as portas interiores do templo, tanto as do lugar santíssimo como as do edifício principal.

5

A arca da aliança é levada para o templo

(1 Reis 8,1–11)

51Quando se concluiu a construção do templo do Senhor, Salomão mandou levar para lá todas as coisas que seu pai David tinha dedicado ao Senhor, prata, ouro e todos os objetos. Tudo foi colocado no depósito dos tesouros do templo.

2Salomão convocou para Jerusalém os anciãos de Israel, os chefes das tribos e os representantes dos clãs israelitas, a fim de transportarem a arca da aliança do Senhor da cidade de David, que é Sião, para o templo. 3E assim todos os israelitas se reuniram com o rei, por ocasião da festa do sétimo mês5,3 Provavelmente a festa das Tendas. Ver 1 Rs 8,2.. 4Depois de chegarem todos os anciãos de Israel, os levitas levaram a arca, 5enquanto os sacerdotes levitas transportavam a tenda do encontro e todos os objetos sagrados que lá se encontravam. 6O rei Salomão e todos os israelitas que se tinham juntado a ele, diante da arca, ofereceram tantos sacrifícios de ovelhas e de bois que nem se podiam contar.

7Depois os sacerdotes levaram a arca da aliança para o lugar que lhe estava destinado no santuário do templo, no lugar santíssimo, debaixo das asas dos querubins. 8De facto, os querubins tinham as asas estendidas por cima do lugar da arca e cobriam tanto a arca como os varais. 9Estes varais eram muito compridos, de tal maneira que se podiam ver as suas extremidades diante do santuário, embora não pudessem ser vistos. Assim ficaram até ao dia de hoje. 10Na arca, ficaram somente as duas placas de pedra que Moisés tinha dado. Tinha-as recebido no monte Horeb quando o Senhor concluiu a aliança com os israelitas, depois de saírem do Egito.

11Os sacerdotes tinham sido todos purificados, sem se atender à ordem dos turnos por que estavam repartidos. Ao saírem do santuário, 12os levitas músicos Assaf, Heman e Jedutun, assim como os seus filhos e os outros membros das suas famílias estavam colocados a leste do altar. Revestidos de linho fino, estavam com os seus címbalos, as liras e as harpas. Acompanhavam-nos cento e vinte sacerdotes tocando cornetins. 13Todos unidos, tocadores de cornetim e outros músicos, começaram a louvar e a dar graças ao Senhor. Faziam soar cornetins, címbalos e outros instrumentos, enquanto se cantava: «Deem graças ao Senhor, porque ele é bom; porque é eterno o seu amor.» E, naquele momento, uma nuvem encheu o templo do Senhor. 14Por causa da nuvem, os sacerdotes não puderam continuar o seu serviço de culto, pois a luz da presença do Senhor enchia o seu templo.