a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
6

Destruição de Israel

61Ai daqueles que vivem tranquilos em Sião, e seguros na Samaria! Pensam que são os eleitos das nações e todo o povo de Israel vem ter com eles. 2Mas vão à cidade de Calné e vejam bem. Depois vão à grande cidade de Hamat e desçam ainda à cidade de Gat6,2 Calné e Hamat. Cidades arameias conquistadas pelos assírios em 738 a.C. Gat. Uma das cinco principais cidades da Filisteia que passaram ao protetorado assírio em 734 a.C. dos filisteus. Porventura são melhores que estas nações? Ou a terra deles é maior do que a vossa? 3Querem afastar o dia da desgraça mas afinal, são vocês mesmos que apressam o reino da violência. 4Deitam-se em leitos de marfim, estendem-se em sofás luxuosos e a comer a carne dos cordeiros e das vitelas do estábulo. 5Tocam canções, acompanhados à harpa e inventam instrumentos musicais à maneira de David. 6Bebem vinho em taças de cristal e usam perfumes caríssimos, e não se afligem com a desgraça de Israel. 7Por isso, vão ser os primeiros a irem para o exílio, e acabam-se as comezainas em sofás de luxo.

8O Senhor, Deus todo-poderoso jura solenemente pela sua vida:

«Detesto a arrogância do povo de Israel, desprezo os seus palácios e vou entregar a sua capital e todo o seu recheio aos seus inimigos. 9Se ficarem dez pessoas numa família, hão de morrer. 10Um parente e o encarregado da sepultura vão retirar os cadáveres da casa e dirá o que está fora para aquele que está lá dentro:

“Há ainda aí mais algum?”

Ele responderá: “Não!”

Então o parente dirá: “Silêncio!”

Pois não é altura para pronunciar o nome do Senhor

11De facto o Senhor vai ordenar a destruição completa das casas grandes e pequenas. 12Porventura os cavalos galopam entre as rochas? Ou pode-se lavrar o mar com bois? Mas transformaram a justiça em veneno e o que é direito em maldade. 13Gabam-se por terem conquistado a cidade de Lodabar e dizem ainda: «Não foi pelas nossas forças que nós conquistámos Carnaim6,13 Lodabar e Carnaim. Cidades da Transjordânia?

14Povo de Israel, vou mandar contra vocês uma nação estrangeira que vos há de conquistar, desde o desfiladeiro de Hamat, até ao vale de Arabá6,14 Desfiladeiro de Hamat. Limite setentrional tradicional do reino de Israel. Ver Js 13,5. Vale de Arabá. Limite meridional do reino de Israel, a este do Jordão, junto ao mar Morto.

Palavra do Senhor, Deus todo-poderoso:

7

A visão dos gafanhotos

71O Senhor Deus mostrou-me a seguinte visão.

Era ele que formava uma nuvem de gafanhotos, no tempo em que a forragem começa a crescer, precisamente depois da forragem reservada ao rei. 2Vi que os gafanhotos devoravam toda a erva da terra. Então exclamei: «Senhor Deus, tem misericórdia do teu povo! Como pode ele resistir se é tão frágil?» 3Então o Senhor mudou de ideia e disse: «O que tu vês não acontecerá.»

A visão do fogo

4O Senhor Deus mostrou-me depois outra visão.

Vi que o Senhor se preparava para castigar o seu povo com o fogo, e este ia devorar o país inteiro e o grande oceano. 5Então eu disse: «Senhor Deus, para! Como pode o teu povo resistir se é tão frágil?» 6Então o Senhor mudou de ideia e disse: «O que tu vês também não vai acontecer.»

A visão do fio de prumo

7O Senhor mostrou-me depois outra visão.

Vi o Senhor de pé em cima dum muro, a segurar na mão um fio de prumo. 8O Senhor disse-me: «O que é que tu vês, Amós?» Respondi: «Um fio de prumo.» O Senhor disse: «Vou testar o meu povo de Israel com o fio de prumo e nunca mais lhe perdoarei. 9Os lugares de culto dos descendentes de Isaac vão ser devastados e os lugares sagrados de Israel vão ser derrubados. E vou levantar a espada contra a dinastia do rei Jeroboão.»

Amós e o sacerdote Amazias

10Amazias, o sacerdote de Betel, mandou dizer ao rei Jeroboão de Israel: «Amós conspira contra ti entre o teu povo. A nação não pode mais tolerar o que ele diz. 11É isto o que ele diz: “Jeroboão vai morrer à espada e o povo de Israel vai ser exilado para longe da sua terra.”»

12Então Amazias disse a Amós: «Vidente! Vai-te embora! Vai para a terra de Judá. Faz lá as tuas pregações, e ganha lá o teu pão! 13Deixa-te de profecias aqui, em Betel, porque este é o santuário do rei e o templo nacional.»

14Amós respondeu: «Eu não sou profeta nem pertenço a nenhum grupo de profetas. Eu guardava vacas, e tratava de figueiras7,14 Literalmente: sicómoros. O sicómoro só se dá em zonas baixas, especialmente no vale do Jordão, e o seu fruto servia para alimentar os animais.. 15Mas o Senhor pegou em mim, tirou-me daquele trabalho com os animais e deu-me a seguinte ordem: “Vai profetizar ao meu povo de Israel.”»

16Ouve, pois, agora o que diz o Senhor: «Tu pedes-me para não profetizar contra Israel e não fazer mais ameaças contra os descendentes de Isaac. 17Pois bem, é o Senhor quem agora te responde: “A tua mulher vai ser desonrada pelas ruas como uma prostituta e os teus filhos e filhas vão ser mortos à espada. A tua terra vai ser dividida e repartida, e tu próprio vais morrer numa nação pagã. E o povo de Israel vai ser exilado para longe da sua terra.”»

8

A visão dos frutos maduros

81O Senhor Deus mostrou-me outra visão.

Vi um cesto de frutos maduros. 2O Senhor perguntou-me: «Amós, que é que tu vês?» E eu respondi: «Um cesto de frutos maduros em fim de estação.» Ele então disse-me: «O meu povo de Israel chegou ao fim8,2 No hebraico há um jogo entre palavras de pronúncia semelhante: frutos de fim de estação qayits e fim qeyts.. Não lhe posso perdoar por mais tempo.» 3«Naquele dia» — diz o Senhor — «os cânticos no palácio vão transformar-se em gritos de luto. Vai haver cadáveres por toda a parte. O silêncio vai ser total.»

Condenação de Israel

4Ouçam bem o que lhes digo, àqueles que calcam aos pés o pobre e arruínam as pessoas humildes desta terra. 5Vocês dizem: «Queremos que passem depressa as festas da Lua Nova, para sermos abastecidos de cereais, e que passe depressa o sábado, para podermos vender mais trigo, aumentando os preços, diminuindo as medidas, e para burlar com balanças enganadoras. 6Compraremos os mais desfavorecidos por pouco dinheiro, e os pobres por um par de sandálias. E até o refugo do trigo venderemos.»

7O Senhor jurou contra o orgulho dos filhos de Jacob: «Nunca mais esquecerei as suas más ações. 8Vou fazer com que a terra trema, e todos os seus habitantes hão de chorar. Toda a terra se agita. É como o rio Nilo que se enche e se esvazia. 9Palavra do Senhor! Aproxima-se o tempo em que o Sol se há de pôr ao meio-dia e em que a terra se há de cobrir de trevas em pleno dia. 10Vou mudar as vossas festas em luto e os vossos cânticos de júbilo em lamentações. Vou fazer com que se vistam de roupas grosseiras8,10 Vestimenta de luto e penitência. e obrigar-vos a rapar o cabelo8,10 Sobre estes sinais de luto, ver Jr 48,37.. Porei a vossa terra de luto por um filho único e o seu amanhã será dia de amargura.

11Palavra do Senhor!

Está a chegar o tempo de eu espalhar a fome pela terra. Não será fome de pão, nem sede de água, mas fome e sede de ouvir a palavra do Senhor. 12De norte a sul, de oriente a ocidente, todos andarão errantes à procura da palavra do Senhor mas sem a encontrar. 13Naquele dia, até os moços robustos e as jovens formosas hão de desmaiar por causa da sede. 14Os que fazem juramento em nome dos ídolos da Samaria, dizendo: “Em nome do deus de Dan”, ou “em nome do deus de Bercheba8,14 Dan. Santuário do norte do país, instalado por Jeroboão I. Ver 1 Rs 12,29–30.”, hão de ser abatidos, e nunca mais se podem levantar.»