a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
23

231«Ninguém pode casar com a esposa do seu pai, porque estaria assim a desonrar o seu próprio pai23,1 Ver 27,20; Lv 18,8; 20,11. Em algumas traduções, 23,1 é numerado como 22,30 e, assim, 23,2–26 ficam numerados como 23,1–25.

Gente excluída da comunidade

2«Os que forem castrados ou mutilados sexualmente não poderão tomar parte na assembleia do Senhor.

3Também não devem ser admitidos na assembleia do Senhor os filhos bastardos23,3 A palavra hebraica traduzida por bastardos é de significado incerto. Mas deve haver nela uma alusão a Lv 18,6–20; 20,10–21. Depois do exílio aplica-se também ao casamento de um judeu com uma estrangeira. Ver Zc 9,6; comparar com Ne 13,1–2.23–28. e seus descendentes, ainda que seja depois de dez gerações.

4Os descendentes de Amon e de Moab também nunca devem ser admitidos na assembleia do Senhor23,4 Ver Gn 19,37–38., nem depois de dez gerações, 5porque não saíram ao vosso encontro a oferecer pão e água, quando por lá passaram, depois de terem saído do Egito. Pelo contrário, mandaram chamar Balaão, filho de Beor, de Petor, na Mesopotâmia e contrataram-no para vos amaldiçoar. 6O Senhor, vosso Deus, é que não quis aceitar o pedido de Balaão e mudou aquela maldição em bênção. Tal é o amor que o Senhor, vosso Deus, tem por vós23,6 Sobre os v. 5–6, ver Nm 22—24.. 7Durante toda a vida e para sempre nunca lhes dês sossego nem contribuas para o seu bem-estar.

8Não rejeites os descendentes de Edom porque são teus parentes23,8 Ver 2,4 e ainda Gn 36,1.. Também não rejeites os egípcios, pois foste emigrante no seu país. 9Os descendentes desses povos podem ser admitidos na assembleia do Senhor, a partir da terceira geração.»

Normas de pureza em caso de guerra

10«Quando estiverem em guerra contra os vossos inimigos, evitem qualquer ação má. 11Se um qualquer dos teus homens de guerra estiver impuro por uma polução noturna, deve sair para fora do acampamento e não voltar a entrar nele, durante todo o dia. 12Ao cair da tarde deve purificar-se com água e ao pôr do sol já pode entrar no acampamento.

13Deves reservar um sítio fora do acampamento para lá fazeres as tuas necessidades. 14Cada soldado terá no seu equipamento um pau e, quando tiver que ir fora do acampamento, faz um buraco com ele e, depois, tapa os excrementos. 15Com efeito, o Senhor, vosso Deus, vai convosco para o acampamento para vos ajudar e entregar nas vossas mãos os inimigos. Por isso, o vosso acampamento deve ser um lugar santo, para que Deus não encontre nele nada de vergonhoso. Se isso acontecesse, ele abandonava-vos.»

Hospitalidade para com os escravos

16«Se um escravo dum estrangeiro fugir de casa do seu dono e se refugiar em tua casa, não o leves de novo para casa do dono. 17Deixa-o viver sossegado no meio do teu povo, na cidade que ele tiver escolhido e não o explores.»

Proibição da prostituição religiosa

18«Que nenhum israelita, homem ou mulher, pratique cultos que incluam a prostituição23,18 Os cultos de fertilidade praticados em alguns santuários de Canaã incluíam rituais sexuais. O produto desses rituais era considerado sagrado. Ver Lv 19,29; Jr 2,20 e nota.. 19Não permitas que se paguem promessas no templo do Senhor, teu Deus, com salário recebido por atos de prostituição. Tais práticas são coisa abominável para o Senhor, teu Deus.

20Quando emprestares dinheiro, comida ou outra coisa a um teu compatriota, não lhe exijas juros por isso. 21Aos estrangeiros podes exigir juros, mas a um teu compatriota, não. Desta maneira, o Senhor, teu Deus, há de abençoar-te em todos os teus trabalhos, na terra, de que vais tomar posse23,21 Sobre os v. 20–21, ver Dt 15,7–11; Ex 22,24; Lv 25,36–37..

22Se fizeres uma promessa ao Senhor, teu Deus, não demores em cumpri-la, porque ele há de pedir-te contas disso e serias apanhado em falta23,22 Ver Nm 30,3; Mt 5,33.. 23Se não fizeres promessas já não serás considerado faltoso. 24Deves ser fiel a cumprir a palavra que deste e fazer a oferta que prometeste ao Senhor, teu Deus.

25Podes entrar na vinha do teu vizinho e comer enquanto tiveres apetite, mas não deves apanhar para levar contigo. 26Podes entrar na seara do teu vizinho e apanhar espigas com a mão23,26 Comparar com Mt 12,1; Mc 2,23; Lc 6,1., mas não deves meter a foice na sua seara.»

24

Leis sobre o divórcio

241«Se um homem escolhe uma mulher e casa com ela, mas depois deixa de gostar dela, porque encontrou nela qualquer coisa que ele reprova, deve dar-lhe um documento de divórcio24,1 Ver Mateus 5,31; 19,7; Mc 10,4. e mandá-la embora de sua casa. 2E ela, depois de se ter ido embora de casa do primeiro marido, pode casar-se com outro.

3Se o segundo marido também deixar de gostar dela e lhe der o divórcio, mandando-a embora de sua casa, ou se este que casou com ela em segundo lugar vier a morrer, 4o seu primeiro marido, que a mandou embora, não pode voltar a casar-se com ela. Para ele, ela deve ser considerada impura. O contrário seria uma coisa abominável. Não deves profanar com semelhantes coisas a terra que o Senhor, teu Deus, te vai dar em propriedade24,4 Ver 1,25 e nota.

Normas humanitárias

5«Se um homem tiver casado há pouco tempo, não deve ser obrigado a ir para o exército ou a prestar qualquer outro serviço. Deve ficar livre durante um ano em sua casa e fazer feliz a mulher com quem casou24,5 Ver 20,7..

6Não retires a ninguém o moinho de mão ou a pedra de fazer farinha, porque lhe tiras a própria vida.

7Se for encontrado alguém que tenha raptado um israelita, seu compatriota, para enriquecer à custa dele, vendendo-o como escravo, deves condenar à morte o raptor. Assim acabarás com aquele escândalo no teu povo24,7 Ver Ex 21,16..

8Em caso de lepra, guardem escrupulosamente todas as instruções que vos deram os sacerdotes e levitas e ponham-nas em prática com todo o rigor24,8 Sobre a lepra, ver Lv 13—14, sobre os sacerdotes levitas, ver Dt 17,9 e nota.. 9Recordem-se do que o Senhor, vosso Deus, fez com Míriam, quando vinham do Egito24,9 Ver números 12,10..

10Se emprestares qualquer coisa a um teu compatriota, não entres em sua casa para lhe arrancar o penhor. 11Espera à porta; e o homem a quem fizeste o empréstimo virá cá fora entregar-te o penhor. 12E, se se tratar de uma pessoa pobre, não fiques com o seu penhor nem uma noite. 13Ao pôr do sol vai-lhe restituir o penhor. Dessa forma, ele terá alguma coisa para se cobrir e para poder dormir e por isso te abençoará. E a tua atitude será do agrado do Senhor, teu Deus24,13 Sobre os v. 10–13, ver Ex 22,25–26..

14Não deves explorar o assalariado, pobre e necessitado que existe no teu país ou na tua cidade, seja ele israelita ou emigrante estrangeiro. 15Paga-lhe o salário no dia devido; não deixes passar nem uma noite, porque ele é pobre e a sua vida depende disso. Senão, ele queixa-se ao Senhor e tu serás declarado culpado24,15 Sobre os v. 14–15, ver Lv 19,13..

16Não condenes à morte os pais por culpa dos filhos, nem os filhos por culpa dos pais. Cada um deve ser condenado apenas pelos seus crimes.

17Não defraudes os direitos dos estrangeiros nem dos órfãos24,17 Ou: dos estrangeiros órfãos., nem exijas à viúva, como penhor, roupas de que ela precisa. 18Lembra-te de que foste escravo no Egito e que o Senhor, teu Deus, te libertou de lá. Por isso te faço estas recomendações24,18 Sobre os v. 17–18, ver Dt 27,19; Ex 23,9; Lv 19,33–34..

19Quando andares no teu campo a fazer colheita e te tiveres esquecido de um feixe não voltes atrás para o ir buscar. Deixa-o para o estrangeiro, para o órfão e para a viúva. E assim o Senhor, teu Deus, há de abençoar-te em todos os teus empreendimentos.

20Quando apanhares a tua azeitona não voltes atrás para aproveitar a que ficou. Deixa-a para o estrangeiro, para o órfão e para a viúva.

21Quando fizeres a vindima da tua vinha não voltes atrás rebuscar o que ficou. Deixa-o para o estrangeiro, para o órfão e para a viúva24,21 Sobre os v. 19–21, ver Lv 19,9–10; 23,22..

22Lembra-te que também foste escravo no Egito. Por isso te faço estas recomendações.»

25

Moderação nos castigos

251«Quando duas pessoas tiverem uma questão entre si e a apresentarem ao tribunal, façam o julgamento e deem razão a quem tem razão e as culpas a quem as tiver. 2E, se o culpado merecer ser açoitado, o juiz deve-o mandar deitar no chão para ser açoitado na sua presença com o número de açoites que o caso exigir. 3Mas nunca lhe devem dar mais de quarenta açoites25,3 Para não correr o risco de se ultrapassarem os quarenta açoites, era costume parar aos trinta e nove. Ver 2 Co 11,24.. Não devem ultrapassar esse número, para que isso não constitua uma humilhação pública demasiado grande para o teu compatriota.

4Não ponhas açaimo ao boi que faz a debulha do trigo25,4 Para o impedir de comer, enquanto trabalha. Ver 1 Co 9,9; 1 Tm 5,18.

Lei do levirato

5«Se dois irmãos viverem juntos e um deles morrer sem deixar filhos, a viúva não tem de sair de casa para se casar com um homem fora da família. O seu cunhado deve casar com ela e, ao fazer dela sua esposa, cumprirá as suas obrigações de cunhado. 6E o primeiro filho que ela tiver receberá o nome do irmão que morreu, para que o seu nome não se acabe em Israel25,6 Sobre os v. 5–6, ver Mt 22,24; Mc 12,19; Lc 20,28..

7Mas se esse homem não quiser casar com a cunhada, ela deve ir ao tribunal e dizer aos anciãos: o meu cunhado recusa-se a fazer com que o nome do seu irmão continue a existir em Israel, pois não quer cumprir para comigo as obrigações de cunhado. 8Então os anciãos da sua cidade devem chamá-lo à sua presença e falar com ele. Se ele continuar na sua e disser: “Não quero casar com ela!”, 9nesse caso, a cunhada aproxima-se dele e, na presença dos anciãos, tira-lhe uma sandália do pé25,9 Aqui significa um castigo para a recusa em dar descendência ao irmão falecido. Em Rt 4,7 o contexto é um pouco diferente., cospe-lhe na cara e responde: “Isto é o que se faz a um homem que se recusa a dar família ao seu irmão.” 10E dali em diante, a família dele será chamada a “família do pé descalço”.»

Outras leis

11«Se dois homens estiverem à bulha um com o outro e chegar a mulher de um deles e, para tirar o marido das mãos daquele que lhe está a bater, meter a mão e agarrar o outro pelas partes genitais, 12devem mandar-lhe cortar a mão, sem piedade25,12 É o único caso em que no Antigo Testamento se prevê uma mutilação corporal como pena por um delito..

13Não deves trazer no saco dois pesos, um maior e outro mais pequeno. 14Em tua casa não deves ter duas medidas, uma maior e outra mais pequena. 15Deves usar sempre pesos exatos e justos, medidas exatas e justas. Assim terás uma vida longa, na terra que o Senhor, teu Deus, te vai dar. 16Pois o Senhor tem horror a quem faz essas coisas, a quem pratica injustiças25,16 Sobre os v. 13–16, ver Lv 19,35–36.

Contra os descendentes de Amalec

17«Lembrem-se do que vos fizeram os descendentes de Amalec, quando vinham do Egito e se encontraram com eles. 18Saíram-vos ao caminho e, sem temor de Deus, atacaram pela retaguarda os que estavam mais fracos, aproveitando a altura em que vocês estavam cansados e esgotados. 19Mas agora o Senhor, vosso Deus, vai fazer com que fiquem livres de todos os inimigos que vos cercam, no país que vos vai dar em propriedade. Façam por isso desaparecer da terra até mesmo a recordação dos amalecitas. Não se esqueçam do que vos digo25,19 Sobre os v. 17–19, ver Ex 17,8–14; 1 Sm 15,2–9.