a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
7

Contra o culto dos falsos deuses

71«O Senhor, teu Deus, vai-te conduzir à terra para onde te diriges, a fim de tomares posse dela. Ele vai expulsar muitos povos: os hititas, os guirgaseus, os amorreus, os cananeus, os perizeus, os heveus e os jebuseus7,1 Ver At 13,19.. São sete povos maiores e mais fortes do que tu. 2O Senhor, teu Deus, vai colocá-los nas tuas mãos. Vais derrotá-los e destruí-los completamente7,2 Ver 2,34 e nota.. Não faças aliança com eles nem tenhas pena deles. 3Não faças casamentos com eles, nem tu, nem os teus filhos nem as tuas filhas. 4Pois, dessa forma, os teus filhos deixariam de me seguir e prestariam culto a outros deuses. O Senhor ficaria indignado contra vós e depressa vos faria desaparecer. 5O que devem fazer é destruir os seus altares, quebrar os seus monumentos religiosos7,5 Ver Ex 23,28., arrancar os seus postes sagrados7,5 Os postes sagrados estavam ligados ao culto da deusa Achera, divindade cananeia da fecundidade. e queimar as imagens dos falsos deuses7,5 Ver 12,3.. 6Tu és um povo consagrado ao Senhor, teu Deus. O Senhor, teu Deus, escolheu-te para seres o seu povo particular7,6 Ver Ex 19,5–6., dentre todos os povos que existem no mundo.»

Povo consagrado ao Senhor

7«O Senhor interessou-se por vós e escolheu-vos, não por serem um povo maior do que os outros, pois, de facto, são um povo bem pequeno no meio dos demais. 8Mas foi por amor, e para ser fiel ao juramento que fez aos vossos antepassados7,8 Ver Gn 13,14; 46,7. que o Senhor vos libertou com enorme poder, e vos arrancou da terra da escravidão, das mãos do faraó, rei do Egito.

9Fica sabendo que só o Senhor, teu Deus, é verdadeiramente Deus. Ele é fiel à sua aliança e trata com bondade, durante mil gerações, aqueles que o amam e guardam os seus mandamentos. 10Mas castiga individualmente os que não o amam, fazendo-os perecer, e não demora em dar o castigo a cada um daqueles7,10 Sobre os v. 9–10, ver Dt 5,9–10; Ex 20,5–6; 34,6–7; Nm 14,18.. 11Por isso, deves pôr em prática os mandamentos, leis e preceitos que eu hoje te dou.»

Frutos da obediência

12«Se escutares estes decretos e os puseres em prática, o Senhor, teu Deus, manterá a sua aliança e continuará a tratar-te com bondade, como prometeu aos teus antepassados. 13Há de mostrar-te o seu amor, abençoando-te e fazendo aumentar o número dos teus filhos e os produtos da tua terra: o teu trigo, o teu vinho, o teu azeite, as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas, na terra que ele prometeu que te haveria de dar, por juramento feito aos teus antepassados7,13 Ver Dt 1,7.10 e notas, e ainda Gn 4,27; Ex 1,7; 32,13..

14Serás mais abençoado do que todos os outros povos: não terás ninguém estéril, nem homem, nem mulher, nem animais. 15O Senhor afastará de vós todas as doenças, aquelas terríveis pragas do Egito, que bem conheceram. Ele não as fará cair sobre vós, mas sim sobre os vossos inimigos. 16Mas tens que destruir todos os povos, que o Senhor, teu Deus, te vai entregar. Não tenhas pena deles, nem prestes culto aos seus deuses, porque isso é uma armadilha para ti7,16 Sobre os v. 12–16, ver 11,13–17..

17Podes estar a pensar contigo mesmo que eles são muito mais fortes do que tu e que não tens força para os desalojar. 18Não tenhas medo deles. Lembra-te do que o Senhor, teu Deus, fez ao faraó e a todo o Egito: 19as grandes provações que tu próprio presenciaste, os sinais e prodígios, o poder imenso e a força com que te fez sair de lá. O Senhor, teu Deus, voltará a fazer o mesmo para com todos os povos, de quem tu agora tens medo. 20Provocará entre eles um terror tão grande7,20 Ver Ex 23,28. que fará desaparecer até mesmo algum que tenha escapado. 21Não tenhas medo deles, porque o Senhor, teu Deus, está contigo e ele é um Deus poderoso e que se faz temer.

22Pouco a pouco o Senhor, teu Deus, expulsará esses povos da tua frente. Não podes acabar com eles muito depressa para não atrair os animais ferozes, com perigo para ti mesmo. 23O próprio Senhor, teu Deus, os colocará à tua disposição, enchendo-os de terror até desaparecerem completamente. 24Ele colocará os seus reis nas tuas mãos e tu farás com que eles nunca mais sejam recordados neste mundo. Ninguém te conseguirá oferecer resistência e vais destruí-los a todos.

25Queima as imagens dos seus deuses, mas não cobices a prata e o ouro que os reveste. Se te apropriares disso, será uma armadilha para ti porque o Senhor, teu Deus, tem horror a essas coisas. 26Não leves essas imagens abomináveis para casa, pois ficarias condenado à mesma destruição a que estão condenadas tais coisas. Deves ter desprezo e horror por tudo isso, porque são coisas condenadas à destruição7,26 Ver 2,34 e nota.

8

Nem só de pão vive o homem

81«Ponham em prática os mandamentos que hoje vos dou. Assim poderão viver e crescer e poderão chegar a tomar posse da terra, que o Senhor prometeu aos vossos antepassados8,1 Ver 7,13 e nota..

2Lembra-te da longa caminhada de quarenta anos que o Senhor te obrigou a fazer pelo deserto. Foi para te fazer passar privações e te pôr à prova, para conhecer bem o teu interior e saber se ias cumprir os seus mandamentos ou não. 3Depois de te fazer passar privações e fome, alimentou-te com o maná, que nem tu nem os teus antepassados conheciam. Foi para te mostrar que não é só de pão que o homem vive, mas que pode viver de tudo o que Deus lhe proporcionar com uma palavra sua8,3 Ou, mais de acordo com a interpretação tradicional: Nem só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. Cf. Mt 4,4; Lc 4,4. Ver ainda Ex 16,15.. 4Nestes quarenta anos, as tuas roupas ainda não envelheceram nem os teus pés ficaram inchados. 5É para que fiques bem consciente de que o Senhor, teu Deus, cuida de ti como um pai cuida do seu filho.

6Por isso, cumpre os mandamentos do Senhor, teu Deus, e segue os seus caminhos com todo o respeito por ele. 7O Senhor, teu Deus, vai-te conduzir para uma terra maravilhosa, onde há rios, fontes e nascentes que brotam nas planícies e nas montanhas. 8É terra de trigo e cevada, de vinha, de figueiras e de romãzeiras, terra de muito azeite e de mel. 9É uma terra onde podes comer à vontade, pois lá não haverá falta de comida. É uma terra onde podes arrancar ferro das suas rochas e cobre das suas montanhas. 10Ali comerás até ficares satisfeito e agradecerás ao Senhor, teu Deus, pela terra maravilhosa que te deu.»

Não se esquecer de Deus

11«Tem cuidado! Não te esqueças do Senhor, teu Deus, e não deixes de cumprir os seus mandamentos, decretos e leis, que eu hoje te dou. 12Não aconteça que, depois de teres comido até ficares satisfeito, de teres construído casas e as teres habitado, 13de veres aumentados os teus gados e rebanhos, a tua prata e o ouro e o que te pertence, 14não aconteça que, depois de tudo isso, o teu coração se envaideça e te esqueças do Senhor, teu Deus. Não aconteça que te esqueças do Senhor, que te fez sair do Egito, da terra da escravidão, 15e que te conduziu através do deserto, imenso e terrível, cheio de serpentes venenosas8,15 Ver Nm 21,6 e nota. e escorpiões, deserto árido e sem água. Foi aí que fez brotar água de uma pedra dura 16e vos alimentou com o maná, que os vossos antepassados não conheciam. Fez-vos passar privações e pôs-vos à prova, mas tudo isto afinal era só para vos dar prosperidade no futuro8,16 Ver Ex 16,31. Sobre os v. 11–16, ver Os 13,5–6..

17E não digas: “Eu é que consegui fazer esta enorme riqueza, com a minha força, com as minhas próprias mãos.” 18Lembra-te do Senhor, teu Deus, porque ele é que te dá a força, para ires criando riqueza. É assim que ele continua ainda hoje a manter de pé a aliança que fez com os vossos antepassados.

19Mas se algum dia te esqueceres do Senhor, teu Deus, para ir atrás de outros deuses e lhes prestares culto e os adorares, garanto-te que serás de certeza destruído, 20tal como os povos que o Senhor vai fazer desaparecer da vossa frente. E tudo isto acontecerá por não terem ouvido a voz do Senhor, vosso Deus.»

9

O mérito é do Senhor

91«Escuta, Israel! Vais agora atravessar o Jordão, para ires tomar posse do território de povos maiores e mais fortes do que tu e de grandes cidades com muralhas até ao céu. 2Também os descendentes do gigante Anac eram gente de elevada estatura. Tu conhece-los até por aquele dito que, de certo, já ouviste: “Quem pode resistir aos descendentes do gigante Anac9,2 Ver Nm 13,22.?” 3Mas agora tens a certeza de que é o Senhor que vai à tua frente, como um fogo devorador que os destrói e os deita por terra diante de ti. Irás tomar posse do seu território e depressa os farás desaparecer, como o Senhor te disse.

4Quando o Senhor, teu Deus, os tiver expulsado diante de ti, não te ponhas a pensar que foi pelos teus méritos que o Senhor te trouxe para tomares posse desta terra, porque foi por causa da maldade destes povos que o Senhor os desalojou. 5Não foi pelos teus méritos, nem pela tua retidão que chegaste a tomar posse do território deles. Foi sim por causa da maldade desses povos que o Senhor, teu Deus, os deserdou e também para cumprir a promessa que fizera aos teus antepassados, Abraão, Isaac e Jacob. 6Fica portanto a saber que não é por teu mérito que o Senhor, teu Deus, te vai dar essa terra maravilhosa, para tomares posse dela, pois tu és um povo rebelde.»

Revolta contra o Senhor

7«Não te esqueças de que, no deserto, desgostaste o Senhor, teu Deus. Desde que saíste do Egito até agora, tens sido sempre rebelde contra o Senhor. 8No monte Horeb9,8 Ver Ex 3,1., de tal modo o provocaste, que o Senhor se irritou convosco e esteve disposto a destruir-vos. 9Quando eu subi à montanha, para ir buscar as placas de pedra, onde estava escrita a aliança que o Senhor fez convosco, fiquei na montanha quarenta dias e quarenta noites, sem comer nem beber9,9 Ver Ex 24,18.. 10O Senhor deu-me então as duas placas de pedra escritas por ele próprio. Nelas estavam escritos exatamente os mandamentos que o Senhor vos deu, na montanha, falando do meio do fogo, no dia em que lá estavam reunidos. 11Pois, no fim dos quarenta dias e quarenta noites, o Senhor deu-me as duas placas de pedra, as placas da aliança 12e disse-me nessa altura: “Anda, desce depressa, porque o teu povo, aquele que tu tiraste do Egito, está corrompido; depressa se desviaram do caminho, que eu lhes tracei e fizeram um ídolo de metal fundido”. 13E o Senhor continuou: “Vejo que este povo é mesmo rebelde! 14Deixa-me destruí-lo e eliminá-lo do mundo até desaparecer por completo a recordação do seu nome. Depois farei nascer de ti uma nação mais poderosa e mais numerosa do que eles.”

15Quando desci da montanha, ela estava a arder em chamas e eu trazia as duas placas da aliança, uma em cada mão. 16Vi então que tinham pecado contra o Senhor, vosso Deus, construindo um bezerro de metal fundido9,16 Ver Ex 32,4.. Bem depressa se tinham desviado do caminho que o Senhor vos tinha traçado. 17Agarrei então nas duas placas e atirei com elas, com ambas as mãos, e quebrei-as diante de vós9,17 Ver Ex 32,19.. 18Fui de novo inclinar-me diante de Deus, e fiquei quarenta dias e quarenta noites, sem comer nem beber, a pedir perdão do grande pecado que tinham cometido. O que tinham feito era uma coisa que desagradava ao Senhor e que muito o ofendeu. 19Tinha medo que a ira e o furor do Senhor se voltassem contra vós e vos destruísse. Mas mais uma vez o Senhor atendeu o meu pedido. 20O Senhor estava muito irado contra Aarão e queria destruí-lo; de novo pedi por Aarão. 21Depois agarrei no bezerro que tinham fabricado e que era fruto do vosso pecado, e arremessei-o ao fogo, martelei-o e moí-o bem moído até que ficou todo em cinza e atirei com aquelas cinzas à torrente que descia da montanha.

22Em Tabera, em Massá e em Quiberot-Tavá9,22 Três localidades do deserto que lembram outras tantas rebeliões do povo de Israel contra o Senhor. Ver Ex 17,2–7; Nm 11,1–34., voltaram a provocar o Senhor. 23E quando, em Cadés Barneia9,23 Ver Dt 1,19–46; Nm 13,26., o Senhor vos mandou ir tomar posse da terra que vos tinha dado, revoltaram-se contra a ordem do Senhor, vosso Deus, e não acreditaram nele nem lhe obedeceram. 24Desde que vos conheço, tendes sido continuamente rebeldes para com o Senhor.

25Durante aqueles quarenta dias e quarenta noites estive a pedir por vós, porque o Senhor estava decidido a destruir-vos. 26E o meu pedido foi este: “Senhor, meu Deus, não destruas o teu povo, que é tua propriedade particular, povo que libertaste com a tua força e fizeste sair do Egito com o teu grande poder. 27Lembra-te dos teus servos Abraão, Isaac e Jacob. Não repares na dureza deste povo, nem na sua maldade e no seu pecado. 28Não aconteça que se vá dizer no Egito, donde nos tiraste: O Senhor não foi capaz de os conduzir até à terra que lhes tinha prometido9,28 Mais uma vez, Moisés recorda a Deus a promessa da terra. Ver Ex 32,1–14; Nm 11,11–15; 14,16.; ou então: Foi pelo mal que lhes queria que os fez sair daqui, para morrerem no deserto. 29Repara que se trata do teu povo e tua propriedade particular. São aqueles que tu libertaste com a tua grande força e o teu imenso poder.”»