a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
36

A bênção de Deus sobre Israel

361«Quanto a ti, homem, transmite a mensagem que eu, 2o Senhor Deus, tenho sobre os montes de Israel. Os inimigos afirmam que essas antigas montanhas lhes pertencem. 3Fala, pois, e anuncia que eu, o Senhor Deus, tenho para dizer o seguinte: “Quando as nações vizinhas se apoderaram das montanhas de Israel e as devastaram, não se fartaram de falar mal de ti, ó Israel. 4É esta agora a mensagem que eu, o Senhor Deus, tenho para vos transmitir, montes e colinas, rios e vales, lugares que ficaram destruídos e cidades desertas que foram devastadas e de quem as nações vizinhas escarneceram. 5Eu, o Senhor Deus, no auge da minha indignação, profiro ameaças contra o que resta das nações vizinhas e em especial contra Edom. Elas que se apoderaram da minha terra e pastagens, com tanta alegria e desprezo. 6Por isso, Ezequiel, transmite a minha mensagem ao país de Israel, anuncia aos montes, colinas, rios e vales, que eu, o Senhor Deus vou mostrar a minha indignação, por causa da maneira como esses países vos insultaram e humilharam. 7Eu, o Senhor Deus, vos garanto que essas nações que vos rodeiam vão, por sua vez, sofrer humilhações. 8Porém as árvores de Israel terão novas folhas verdes e darão fruto que será vosso, ó Israel, meu povo. E em breve voltareis para a vossa terra. 9Eu estou convosco, e farei com que as vossas terras sejam lavradas e semeadas de novo. 10Farei com que o vosso número aumente. Vão habitar nas cidades e reconstruir tudo o que ficou em ruínas. 11O povo e o gado aumentarão em número. Serão mais numerosos do que nunca, pois terão muitos filhos. Vou deixar que vivam como viviam no passado e farei a vossa prosperidade aumentar como nunca. Então ficareis a saber que eu sou o Senhor. 12Farei com que vocês, o meu povo de Israel, voltem de novo para a vossa terra, para lá viverem outra vez. Essa terra será vossa de novo e nunca mais deixareis que os vossos filhos morram de fome. 13É isto o que vos diz o Senhor Deus. É verdade que os inimigos desta terra dizem que ela devora as pessoas, e que mata. 14Mas daqui em diante, ordeno a esta terra que nunca mais devore as pessoas, nem lhes faça perder os seus filhos. Palavra do Senhor! 15O país nunca mais terá de ouvir o escárnio e os insultos das outras nações. E nunca mais deixará morrer os filhos do seu povo. Palavra do Senhor!”»

O Senhor vai reunir os israelitas

16O Senhor dirigiu-me a palavra e disse: 17«Homem, quando os israelitas habitavam no seu país e o profanaram com a sua maneira de viver e com os seus crimes, eu considerei tudo isso ritualmente impuro, como uma mulher durante a menstruação36,17 Sobre a impureza da mulher, ver Lv 15,19–22.. 18Deixei que sentissem todo o peso da minha indignação, por causa dos assassinatos que cometeram no país e por causa dos ídolos com que profanavam a terra. 19Condenei-os por tudo isso, e espalhei-os pelos outros países. 20Onde quer que fossem, só deixavam ficar mal o meu nome, porque os habitantes desses países comentavam: “Esta gente teve de sair da terra que lhe foi dada pelo seu próprio Deus!” 21Isso fez-me sofrer, por ver como os israelitas difamavam o meu bom nome por onde quer que fossem.

22Por isso, dirige-lhes a seguinte mensagem que eu, o Senhor Deus, tenho para eles: o que vou fazer agora não é por consideração por vocês, mas por causa do meu bom nome, que vocês difamaram em todos os países para onde foram. 23Quando mostrar a grandeza e a santidade do meu nome às nações, esse mesmo nome que vocês desonraram, então ficarão todos a saber que eu sou o Senhor, quando verificarem que eu realmente vos trato como um Deus santo. Palavra do Senhor! 24Hei de tirar-vos dessas nações e fazer-vos regressar à vossa terra. 25Farei com que, por meio de água limpa, fiquem ritualmente puros da imundície dos vossos ídolos, de tudo o que vos contaminou. 26Vou dar-vos um novo coração e um novo espírito. Em vez do vosso coração de pedra, vou dar-vos um obediente coração de carne. 27Vou pôr o meu espírito em vós e farei com que obedeçam fielmente às minhas leis e aos meus mandamentos que vos dei. 28Vivereis então no país que eu dei aos vossos antepassados. Vocês serão o meu povo e eu serei o vosso Deus. 29Vou limpar-vos de tudo o que vos deixou ritualmente impuros. 30Farei com que a vossa terra produza trigo com abundância, para que nunca mais voltem a ter fome. Farei com que as vossas árvores se carreguem de fruto e os vossos campos produzam como nunca antes, para que nunca mais a fome vos envergonhe diante das outras nações. 31Vocês hão de lembrar-se sempre dos maus caminhos e do mal que praticaram e terão vergonha de tudo isso, de todos os vossos pecados e práticas abomináveis. 32Ó Israel, quero que saibas que não faço nada disto por tua causa. Tem vergonha do que andas a fazer. Palavra do Senhor!

33Por isso, eu, o Senhor, vos declaro que quando vos limpar dos vossos pecados, vou deixar-vos viver de novo nas vossas cidades e reconstruí-las. 34Quem, ao passar, lamentava antes o estado dos vossos campos abandonados e incultos há de ver agora como voltam a ser cultivados. 35Toda a gente testemunhará como esta terra, que estava inculta, se transformou numa espécie de jardim do Éden36,35 Ver nota a 31,8. e como as cidades que foram derrubadas, devastadas e deixadas em ruínas, estão agora habitadas e fortificadas. 36Então as nações vizinhas que ainda restarem ficarão a saber que eu, o Senhor, posso reconstruir cidades em ruínas e tornar produtivos campos incultos. Eu, o Senhor, prometi que assim faria e hei de realizá-lo.

37Eu, o Senhor Deus, vos declaro que farei com que os israelitas me busquem de novo para os ajudar e farei com que sejam tão numerosos como um imenso rebanho. 38As cidades que presentemente estão em ruínas ficarão cheias de habitantes, do mesmo modo que outrora Jerusalém se enchia com os animais oferecidos em sacrifício, durante as festas. Então ficarão a saber que eu sou o Senhor

37

O vale dos ossos secos

371O poder do Senhor apoderou-se de mim e o seu espírito arrebatou-me e levou-me a um vale coberto de ossos. 2Levou-me à volta do vale, de maneira que pude ver que havia muitos ossos e que estavam muito secos. 3Então o Senhor perguntou-me: «Homem37,3 Ver nota a 2,1., podem estes ossos voltar à vida?»

Eu respondi: «Senhor Deus, só tu sabes responder a essa pergunta!» 4Ele acrescentou: «Fala aos ossos em meu nome e diz-lhes o seguinte: “Ossos secos escutem a palavra do Senhor! 5Eu, o Senhor Deus, vos declaro que vou reanimar-vos e dar-vos vida outra vez. 6Vou dar-vos nervos e músculos e cobrir-vos de pele. Vou reanimar-vos e dar-vos vida outra vez. Então ficareis a saber que eu sou o Senhor.”»

7Então transmiti-lhes a mensagem tal como a recebi. Enquanto falava, ouvi um grande barulho e os ossos começaram a juntar-se, cada um ao osso que lhe correspondia. 8Enquanto observava a cena, os ossos cobriram-se de nervos e músculos e depois de pele. Mas não tinham vida.

9Então o Senhor disse-me: «Homem transmite a minha mensagem ao sopro da vida e diz-lhe que o Senhor Deus lhe ordenou que venha de todas as direções e que entre nesses corpos mortos e os faça voltar à vida.»

10Assim transmiti a mensagem que me foi dada. O sopro da vida entrou naqueles corpos, que voltaram à vida e se levantaram. Eram em número suficiente para formar um exército enorme.

11Então o Senhor dirigiu-me a palavra e disse: «Homens, esses ossos representam o povo de Israel. Eles dizem que os seus ossos estão secos, sem esperança e que nada se pode fazer por eles. 12Diz ao meu povo de Israel que eu, o Senhor Deus, vou abrir as suas sepulturas e fazê-los sair delas para poderem regressar à terra de Israel. 13Quando eu abrir as sepulturas onde o meu povo se encontra encerrado e os fizer sair, ficarão a saber que eu sou o Senhor. 14Porei neles o meu sopro de vida e vou fazer com que tenham vida novamente, para que possam habitar no seu país. Então saberão que eu sou o Senhor e que tudo o que prometi fazer hei de realizar. Palavra do Senhor

O Senhor vai reunificar o seu povo

15O Senhor dirigiu-me novamente a palavra e disse-me: 16«Homem, pega num pau de madeira e escreve nele Reino de Judá37,16 Judá personifica o reino do Sul. Ver 1 Rs 12–13.; pega em seguida noutro pau e escreve nele Reino de Israel. 17Segura os dois paus um contra o outro, de maneira que pareçam um só. 18Quando o teu povo te perguntar o que isso quer dizer, 19anuncia-lhes que eu, o Senhor Deus, vou pegar no pau que representa Israel e juntá-lo ao que representa Judá. Dos dois farei um só pau, que segurarei na minha mão.

20Segura os dois paus na tua mão, de modo que o povo os veja. 21Diz-lhes em seguida que eu, o Senhor Deus, vou tirar o meu povo das nações para onde foram; vou reuni-los e trazê-los de volta para o seu país. 22Farei deles uma nação na sua terra, nas montanhas de Israel; serão governados por um só rei e nunca mais serão divididos em duas nações, nem em dois reinos. 23Não se contaminarão com ídolos ou práticas degradantes nem se sujarão com pecado. Vou libertá-los dos caminhos por onde se transviaram e me traíram. Farei com que fiquem ritualmente puros. Eles serão então o meu povo e eu serei o seu Deus. 24Um rei semelhante ao meu servo David será o seu rei, como único pastor de todos eles; e eles hão de obedecer às minhas leis com fidelidade. 25Habitarão na terra que dei ao meu servo Jacob, a terra onde viveram os seus antepassados. Ali viverão para sempre, com os seus filhos e os seus descendentes. Um rei semelhante ao meu servo David reinará sobre eles para sempre. 26Farei com eles uma aliança que lhes garantirá paz e segurança para sempre; farei crescer a sua população e colocarei o meu templo no seu país para sempre. 27Ali farei a minha morada e serei o seu Deus e eles serão o meu povo. 28Quando eu ali colocar o meu templo para ficar no meio deles para sempre, então as nações ficarão a saber que eu sou o Senhor, que faço de Israel um povo santo

38

Ameaças contra Gog

381O Senhor dirigiu-me a palavra e disse-me: 2«Homem38,2 Ver nota a 2,1., vira-te para Gog, o rei mais poderoso das nações de Mechec e Tubal, na terra de Magog. Fala contra ele 3e transmite-lhe que eu, o Senhor Deus, vou voltar-me contra ele. 4Vou pôr-lhe anzóis nos queixos, para o arrastar para longe, juntamente com as suas tropas. O seu exército, com cavalos e cavaleiros em magníficos uniformes, é de facto muito grande. Os seus soldados têm escudos e espadas. 5Mercenários da Pérsia, Etiópia e Put38,5 Ver 27,10 e nota. fazem parte dele e todos têm escudos e capacetes. 6Os soldados dos países de Gómer e Bet-Togarma38,6 Gómer e Bet-Togarma. Povos da Arménia., no extremo norte, estão com ele, além de homens de muitas outras nações. 7Diz-lhe que se prepare e que tenha todo o seu exército a postos, sob o seu comando. 8Bastante mais tarde vou dar-lhe ordem para que invada um país para onde o povo foi trazido de volta, de muitas nações, e onde tem vivido num receio de guerra; invadirá os montes de Israel, que estiveram abandonados e desertos durante tanto tempo, mas onde todos agora vivem em segurança, depois de terem sido retirados dentre os povos. 9Com o seu exército e os seus aliados, ele investirá como se fosse uma tempestade e cobrirá a terra como se fosse uma nuvem.

10Esta é a mensagem que eu, o Senhor Deus tenho para Gog! Quando vier esse tempo, farás planos malignos. 11Decidirás invadir um país indefeso, onde os habitantes vivem em paz e segurança, em cidades sem muralhas nem portas bem trancadas. 12Invadirás e roubarás o povo que vive nas cidades que antes estavam em ruínas. Esse povo foi reunido de todas as nações e possui agora gado e bens e vive no centro do mundo38,12 Comparar com 5,5.. 13Os negociantes de Társis e os habitantes de Sabá e Dedan38,13 Sabá. Ver 1 Rs 10,1; Sl 72,10. Dedan. Ver Ez 25,12–13 e nota. e das localidades vizinhas hão de perguntar-se: “Reuniste o teu exército e invadiste o país para o devastar e roubar? Pretendes apoderar-te da prata e do ouro, do gado e dos bens, para fugires com todos os despojos?”

14Por isso, Ezequiel, deves transmitir a Gog o que eu, o Senhor Deus, tenho para lhe dizer: “Agora, que o meu povo de Israel vive em segurança, tu te porás a caminho38,14 Ou: tu o aprenderás.. 15Virás do teu país do extremo norte, à frente dum exército composto por gente de todas as nações; virão a cavalo e formarão um exército poderoso. 16Atacarão o meu povo de Israel como se fossem uma tempestade que assola o país. Quando esse tempo vier, far-te-ei invadir a minha terra, ó Gog, para mostrar às nações que eu sou o Deus santo; e vou mostrar-lhes isso através do que vou fazer por teu intermédio. 17Era de ti que eu falava desde há muito tempo, sempre que tenho feito saber, por meio dos meus servos, os profetas de Israel, que em dias futuros traria alguém para atacar Israel.”»

Castigo de Gog

18«Mas no dia em que Gog invadir Israel, vou ficar irado. 19E, na minha indignação, declaro que nesse dia haverá um grande tremor de terra em Israel. 20Peixes e aves, animais grandes e pequenos, e todos os habitantes do mundo tremerão com medo de mim. As montanhas hão de cair, os rochedos hão de desfazer-se e os muros ficarão em ruínas38,20 Ou: tu o aprenderás.. 21Semearei o terror entre os de Gog, com calamidades de toda a espécie. Palavra do Senhor! Os seus soldados hão de virar-se uns contra os outros à espada. 22Vou castigá-lo com a doença e a morte. Grandes chuvadas e granizo, juntamente com fogo e enxofre, cairão sobre ele e sobre o seu exército, sobre as muitas nações suas aliadas. 23Dessa forma, mostrarei às nações que sou o Deus poderoso e santo. Então ficarão a saber que eu sou o Senhor