a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
2

Paulo é aceite pelos outros apóstolos

21Catorze anos mais tarde, voltei a Jerusalém. Fui com Barnabé e também levei Tito comigo. 2Fui lá porque Deus me tinha dado a conhecer que devia ir. Numa reunião particular com os responsáveis, expliquei-lhes o evangelho que eu anuncio aos não-judeus. Não queria que aquilo que tinha feito e continuo a fazer fosse inútil. 3Ora bem, Tito, que estava comigo e que não é judeu, não foi obrigado a receber a circuncisão, 4embora alguns que se faziam passar por irmãos e se tinham juntado a nós quisessem que ele se circuncidasse. Esses tinham lá entrado como espiões para verem a liberdade que nós temos em Jesus Cristo, a fim de nos fazerem novamente escravos da lei. 5Mas nem por um momento nos deixámos levar por eles, para que a verdade do evangelho pudesse chegar intacta até vós. 6Aqueles que eram reconhecidos como responsáveis não alteraram em nada a minha mensagem. Na verdade, a mim nem me importa o que eles eram, pois Deus não julga pelas aparências. 7Pelo contrário, eles reconheceram que Deus me tinha encarregado de anunciar o evangelho aos não-judeus, tal como tinha encarregado Pedro de anunciar o evangelho aos judeus. 8Tal como Deus atuou por meio de Pedro, em favor dos judeus, atuou por meu intermédio para os não-judeus. 9Tiago, Pedro e João, que eram os mais considerados, reconheceram que Deus me tinha confiado esta missão e deram-nos as mãos, a mim e a Barnabé, em sinal de acordo. E assim, concordámos em que nos dirigíssemos aos não-judeus, e eles aos judeus. 10Só nos recomendaram que nos lembrássemos dos pobres, coisa que eu sempre tenho procurado fazer.

Paulo chama a atenção a Pedro

11Mas quando Pedro foi a Antioquia, resisti-lhe frontalmente, porque merecia ser repreendido. 12Com efeito, antes de terem chegado certas pessoas do grupo de Tiago, ele comia com os não-judeus. Mas quando chegaram essas pessoas, ele afastava-se e já não comia com eles, porque tinha medo dos partidários da circuncisão. 13Outros crentes de origem judaica caíram na mesma hipocrisia de Pedro e até o próprio Barnabé se deixou levar por essa atitude hipócrita. 14Quando vi que não estavam a comportar-se como deviam em relação à verdade do evangelho, disse a Pedro, diante de todos: «Tu, que és judeu, tens vivido como os que não são judeus, sem seguir os costumes judaicos. Como é que então queres obrigar os não-judeus a seguir os costumes judaicos?»

Judeus e não-judeus salvos pela fé

15Nós somos judeus por nascimento e não somos pecadores como os não-judeus. 16Sabemos porém que uma pessoa não é justificada pelo cumprimento da lei mas por meio da fé em Jesus Cristo. Ora nós cremos em Jesus Cristo para sermos justificados pela fé e não por termos feito o que a lei manda. Pois ninguém será justificado perante Deus por cumprir a lei. 17Então se, procurando ser justificados pela nossa união com Cristo, somos considerados pecadores como esses tais, quer isso dizer que é Cristo promotor de pecado? De modo nenhum. 18Se volto a construir aquilo que tinha destruído, então mostro-me culpado.

19Morri no que respeita à lei. Foi a mesma lei que me fez morrer para eu viver para Deus. Estou crucificado com Cristo. 20Por isso, já não sou eu que vivo; é Cristo que vive em mim. E a minha vida presente vivo-a por meio da fé no Filho de Deus que me amou e deu a sua vida por mim. 21Não desprezo a graça de Deus, pois se alguém pudesse ser justificado pelo cumprimento da lei, então a morte de Cristo de nada serviria.

3

Abençoados por meio da fé

31Ó gálatas sem juízo! Quem foi que vos fascinou? Eu tinha-vos feito ver Jesus Cristo crucificado. 2Só quero que me digam isto: será que receberam o Espírito de Deus por terem cumprido a lei ou por terem respondido à boa nova com fé? 3Como podem ser tão faltos de juízo? Começaram pelo Espírito de Deus e querem agora terminar pelas vossas próprias forças? 4Não vos serviu de nada a experiência que tiveram? Talvez tenha valido alguma coisa. 5Será então que Deus vos concede o seu Espírito e realiza prodígios no meio de vós porque cumprem o que manda a lei ou porque aceitam a fé?

6É como aconteceu com Abraão que acreditou em Deus e por isso Deus o considerou justo3,6 Ver Gn 15,6; Rm 4,3. 7Pela mesma razão devem compreender que os que têm fé é que são os verdadeiros descendentes de Abraão. 8A Escritura tinha previsto que Deus havia de justificar os não-judeus por meio da fé. Foi assim que prometeu a Abraão: Por meio de ti todos os povos serão abençoados3,8 Referência a Gn 12,2–3. Tal como em At 3,25, afirma-se que a promessa feita a Abraão se cumpre pelo anúncio da boa nova do evangelho a toda a gente.. 9Abraão acreditou e foi abençoado; e assim todos aqueles que creem são abençoados com ele.

10Os que estão sujeitos à Lei de Moisés estão sujeitos à maldição, pois está escrito: Maldito aquele que não cumpre tudo o que está escrito no livro da lei! 11É evidente que, pela lei, ninguém será justificado perante Deus, pois a Escritura afirma: O justo viverá pela fé. 12Ora a lei não tem que ver com a fé, pois diz: Quem cumpre estas coisas viverá por elas3,12 Ver Lv. 18,5; Rm 10,5..

13Cristo libertou-nos da maldição da lei, tornando-se ele maldito por nossa causa. Com efeito, a Escritura diz: Maldito todo aquele que é pendurado num madeiro3,13 O homem pendurado no madeiro, isto é, na cruz, era objeto da maldição de Deus, segundo se depreende de Dt 21,23 e nota.. 14Aconteceu assim para que a bênção prometida por Deus a Abraão chegasse aos não-judeus por meio de Jesus Cristo, e para que recebêssemos pela fé o Espírito prometido por Deus.

A promessa de Deus e a lei

15Meus irmãos, apresento-vos um exemplo da vida corrente: quando alguém faz um testamento em forma legal, ninguém o pode anular nem acrescentar nada. 16Ora bem, Deus fez as suas promessas a Abraão e à sua descendência. A Escritura não diz «aos seus descendentes», como se se tratasse de muitas pessoas, mas à tua descendência3,16 Ver Gn 12,7; 13,15., indicando assim uma só pessoa, que é Cristo. 17O que eu quero dizer é isto: Deus fez um pacto que é válido. A lei, que veio quatrocentos e trinta anos mais tarde, não podia anular aquele pacto e deixar sem valor a promessa de Deus. 18Ora, se aquilo que Deus dá como herança dependesse da lei, não seria através da promessa. Mas foi pela promessa que Deus o concedeu a Abraão.

19Para que serve então a lei? A lei veio depois para mostrar aquilo que é contra a vontade de Deus. E só devia durar até que viesse aquela descendência, a quem a promessa se destinava. Essa lei foi dada pelos anjos e houve um homem que serviu de mediador3,19 Referência a uma antiga tradição já mencionada, em At 7,53, segundo a qual a revelação da lei de Deus a Moisés, no Sinai, tinha sido feita por intermédio dos anjos.. 20Mas não é preciso mediador, quando se trata de uma só pessoa; e Deus é um só.

Herdeiros do que Deus prometeu

21Quer isto dizer que a lei estará contra as promessas de Deus? De modo nenhum. Se tivesse sido dada uma lei capaz de comunicar a vida, então o homem seria justificado por meio dessa lei. 22Mas a Escritura declarou que todas as coisas estão sujeitas ao pecado, para que a promessa de Deus fosse dada aos crentes, pela fé em Jesus Cristo.

23Antes de chegar a fé, a lei mantinha-nos prisioneiros, à espera que a fé fosse dada a conhecer. 24Dessa maneira, a lei foi a nossa educadora, até que viesse Cristo, a fim de sermos justificados por meio da fé. 25Agora que veio o tempo da fé, já não estamos sujeitos à lei como nossa educadora.

26Pois pela fé que vos une a Jesus Cristo são todos filhos de Deus. 27Com efeito, todos os que foram batizados em Cristo revestiram-se das qualidades de Cristo. 28Não há diferença entre judeus e não-judeus, entre escravos e pessoas livres, entre homem e mulher3,28 Ver Gn 1,27.. Agora constituem um todo em união com Cristo Jesus. 29E se são de Cristo, então são descendência de Abraão e herdeiros de acordo com a promessa.

4

41Quero ainda dizer isto: enquanto o herdeiro é menor, não é diferente do escravo, apesar de ser dono de tudo. 2Tem de estar sujeito aos que cuidam dele e tratam das suas coisas, até ao tempo que o pai determinou4,2 Na cultura grega o pai é que determinava quando é que o filho atingia a maior idade.. 3Passa-se o mesmo connosco. Enquanto éramos menores, estávamos sujeitos às normas deste mundo4,3 Texto de difícil tradução. Parece que Paulo se refere a diversos poderes invisíveis que escravizam o homem antes de ser libertado pela fé em Jesus Cristo.. 4Mas quando chegou o tempo devido, Deus enviou o seu Filho que nasceu de uma mulher e esteve sujeito à lei judaica, 5a fim de libertar os que estavam sujeitos à lei, para nos tornar filhos de Deus.

6Para provar que já são filhos, Deus enviou o Espírito de seu Filho aos nossos corações, e esse Espírito chama: «Abba», que quer dizer «meu Pai». 7Assim, já não és escravo, mas filho. E, sendo filho, também és herdeiro pela vontade de Deus.

A preocupação de Paulo com os gálatas

8Devido ao vosso desconhecimento de Deus, dantes eram escravos de deuses que não eram realmente deuses. 9Mas agora que conhecem a Deus, ou melhor, que Deus já vos conhece, como é possível voltarem a ser escravos de coisas fracas e que não prestam para nada? 10Por que é que dão tanto valor religioso a certos dias, meses, estações e anos4,10 Alusão às festas judaicas ou a certos ritos pagãos relacionados com o culto dos astros.? 11Receio que o meu trabalho no vosso meio tenha sido inútil.

12Peço-vos, meus irmãos, que sejam como eu, pois também eu me tornei como vós. Não é que me tenham feito qualquer mal. 13Lembram-se que da primeira vez que vos anunciei o evangelho foi numa altura em que eu estava doente. 14E, apesar de o meu corpo doente vos ter causado dificuldades, não me desprezaram nem me rejeitaram. Pelo contrário, receberam-me como um anjo de Deus ou como o próprio Jesus Cristo. 15Onde está agora aquela vossa felicidade? Eu posso dar testemunho de que, se fosse possível, até eram capazes de tirar os olhos para mos dar. 16Porventura tornei-me agora vosso inimigo por vos dizer a verdade?

17O interesse que essa gente mostra a vosso respeito não é bem-intencionado. O que eles querem é separar-vos de mim para depois vos levarem a interessar-se por eles. 18É bom preocuparem-se sempre com o bem e não só quando estou aí presente. 19Meus filhos, eu sofro de novo as dores de parto por vossa causa até que Cristo esteja formado em vós. 20Bem desejaria estar agora aí para vos poder falar doutra maneira, porque estou muito preocupado convosco.

Filhos e herdeiros da promessa de Deus

21Se o vosso desejo é estarem sujeitos à lei, digam-me lá como é que nem conhecem o que a lei diz. 22Pois, conforme está escrito, Abraão teve dois filhos, um da escrava e outro da mulher que era livre. 23O filho da escrava veio ao mundo como qualquer criança, mas o filho da mulher livre veio ao mundo em virtude da promessa de Deus. 24Isto tem um significado mais profundo. As duas mulheres representam duas alianças de Deus: uma é a do Monte Sinai representada por Agar que gera filhos para a escravidão. 25Ora, Agar representa o Monte Sinai na Arábia e corresponde à atual cidade de Jerusalém, que é escrava com os seus filhos. 26Mas a Jerusalém celestial é livre e é a nossa mãe. 27Pois a Sagrada Escritura diz:

Alegra-te, mulher estéril, que nunca tiveste filhos,

grita de alegria tu que nunca sentiste dores de parto,

pois a mulher desprezada terá mais filhos que a mulher que tem marido4,27 Citação de Is 54,1..

28Meus irmãos, vocês são filhos por causa da promessa tal como Isaac. 29Mas como outrora, o filho que veio ao mundo como qualquer outro, perseguiu o que veio ao mundo segundo o Espírito de Deus, assim também agora acontece o mesmo. 30Mas que diz a Sagrada Escritura? Diz isto: Manda embora a escrava e o seu filho, porque o filho da escrava não pode herdar juntamente com o filho da mulher livre4,30 Ver Gn 21,10.. 31Por isso, meus irmãos, nós não somos filhos da escrava, mas da mulher livre.