a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
27

Jacob recebe a bênção devida a um filho mais velho

271Isaac estava já muito velho e praticamente não conseguia ver nada. Chamou então o seu filho mais velho, Esaú, que lhe respondeu: «Estou aqui, meu pai!» 2Então Isaac disse-lhe: «Eu já estou velho e não sei quanto tempo posso ainda viver. 3Portanto, peço-te que pegues nas tuas armas de caça, no arco e nas flechas, e que vás ao campo ver se me apanhas alguma peça de caça. 4Prepara-me um prato saboroso, como sabes que eu gosto, e traz-mo para eu comer e para depois te dar a minha bênção, antes de morrer.»

5Esaú saiu para o campo, a ver se apanhava caça para levar ao seu pai. Mas Rebeca tinha estado a ouvir aquilo que Isaac dissera a Esaú 6e foi contar ao seu filho Jacob: «Eu ouvi o teu pai a falar com o teu irmão, Esaú. Estava a dizer-lhe 7que fosse à caça e lhe preparasse um prato saboroso, para ele comer e para lhe dar a sua bênção em nome do Senhor, antes de morrer. 8Portanto, meu filho, ouve agora bem e faz aquilo que te vou dizer. 9Vai ao rebanho e traz-me de lá dois cabritos bons, que eu vou preparar com eles um prato saboroso como o teu pai gosta. 10Depois vais levá-lo ao teu pai para que ele coma e te dê a bênção a ti, antes de morrer.»

11Mas Jacob respondeu a Rebeca, sua mãe: «Repare que o meu irmão, Esaú, tem muito pelo no corpo e eu não. 12Se o meu pai me tocar, vai tratar-me como um mentiroso e dá-me uma maldição em vez de uma bênção.» 13Ela respondeu-lhe: «Se ele te amaldiçoar, essa maldição será para mim. Agora faz o que te digo; vai e traz-me os cabritos.»

14Jacob foi e trouxe o que a sua mãe lhe pedira e ela preparou um prato saboroso, tal como o pai gostava. 15Rebeca foi então buscar as melhores roupas de Esaú, seu filho mais velho, que estavam guardadas em casa, e vestiu-as a Jacob, seu filho mais novo. 16Com as peles dos cabritos cobriu as mãos e o pescoço de Jacob, que não tinham pelos, 17e entregou-lhe o prato e o pão que tinha preparado.

18Jacob foi ter com o seu pai e chamou: «Meu pai!» E Isaac respondeu-lhe: «Estou aqui. Qual dos meus filhos és tu?» 19Jacob respondeu-lhe: «Eu sou Esaú, o teu filho mais velho. Já fiz aquilo que me pediste. Anda, senta-te e come da caça que apanhei e dá-me depois a tua bênção.» 20Isaac replicou: «Ó meu filho, conseguiste apanhar caça muito depressa!» E Jacob respondeu: «Foi o Senhor, teu Deus, que assim o fez acontecer.»

21Isaac disse então a Jacob: «Aproxima-te, meu filho, para eu te tocar e ficar a saber se és realmente o meu filho Esaú ou não.» 22Jacob aproximou-se então de Isaac, seu pai. Ao tocar-lhe, o pai comentou: «A voz parece a de Jacob, mas as mãos são as de Esaú.» 23Isaac não chegou a reconhecê-lo, porque as mãos eram realmente cheias de pelo como as de Esaú e, por isso, deu-lhe a bênção. 24Mesmo assim, ainda perguntou: «És tu o meu filho Esaú?» E Jacob respondeu: «Sou, sim!» 25Isaac disse-lhe: «Traz-me cá então a caça, para eu comer e para depois te dar a bênção.» Ele levou-lha e Isaac comeu e deu-lhe também vinho a beber. 26O pai chamou-o mais uma vez e disse-lhe: «Aproxima-te, meu filho, e dá-me um beijo.» 27Jacob aproximou-se para lhe dar o beijo e Isaac sentiu o perfume das suas roupas e então deu-lhe a bênção27,27 Ver Hb 11,20., dizendo:

«Ó meu filho, tu cheiras bem

como um campo abençoado pelo Senhor.

28Que Deus te conceda a chuva do céu

e boas colheitas na terra,

com abundância de trigo e de vinho.

29Que muitos povos te sirvam

e se inclinem diante de ti com respeito.

Que tu possas mandar em todos os teus parentes,

e que os descendentes da tua mãe

se inclinem diante de ti com respeito.

Os que te amaldiçoarem serão amaldiçoados

e os que te abençoarem serão abençoados.»

30Depois de Isaac lhe ter dado a bênção, Jacob saiu de junto do seu pai e Esaú chegou da caça naquele preciso momento. 31Esaú foi também preparar um prato saboroso e levou-o ao seu pai e disse-lhe: «Ó pai, levanta-te e come da caça do teu filho para me dares a tua bênção.» 32Isaac perguntou-lhe: «Mas quem és tu?» Ele respondeu: «Sou Esaú, o teu filho mais velho.»

33Isaac ficou terrivelmente preocupado e disse: «Mas então quem é que veio antes trazer-me caça? Eu já a comi, antes de tu chegares, e já lhe dei a bênção. Portanto fica abençoado.»

34Ao ouvir do seu pai estas palavras, Esaú ficou muito amargurado; e chorando em altos gritos pediu ao seu pai: «Meu pai dá-me também uma bênção a mim.» 35O pai respondeu: «O teu irmão veio antes e, com astúcia, conseguiu levar a bênção que te era devida.» 36Esaú comentou: «Realmente foi bem posto o nome de Jacob. Já são duas vezes que ele me engana27,36 Ver 25,26 e nota sobre o significado dado ao nome de Jacob. Comparar com Os 12,4.. Primeiro, tirou-me os direitos de filho mais velho e agora ficou com a minha bênção.» E acrescentou: «Já não tens mais nenhuma bênção para mim?»

37Isaac respondeu a Esaú: «Já lhe dei o poder de mandar em ti e nos teus parentes, de modo que estejam ao seu serviço, e já lhe destinei o trigo e o vinho. Que é que eu posso agora fazer por ti, meu filho?» 38Esaú replicou: «Ó meu pai, será que tens só uma bênção para dar? Abençoa-me também a mim!» E ao dizer isto Esaú chorava em altos gritos27,38 Ver Hb 12,17.. 39Isaac respondeu-lhe:

«Tu viverás longe da terra fértil,

longe da chuva que cai do céu.

40Para viver terás de servir-te da tua espada

e ficarás sob o domínio do teu irmão.

Mas quando conseguires descer à planície,

hás de libertar-te do peso do seu jugo.»

Jacob tem de fugir de Esaú

41Esaú ficou com muito ódio a Jacob por causa da bênção que o seu pai lhe dera e pensava para consigo mesmo: «O meu pai já deve durar pouco tempo; depois de ele morrer, hei de matar o meu irmão, Jacob.»

42Rebeca veio a saber das intenções de Esaú, seu filho mais velho, e mandou chamar Jacob, seu filho mais novo, e disse-lhe: «Olha que o teu irmão Esaú quer vingar-se de ti e matar-te. 43Por isso, meu filho, ouve o que te vou dizer. Foge e vai para casa de meu irmão Labão, em Haran. 44Vive lá com ele durante alguns tempos, até se acalmar a fúria do teu irmão. 45Quando ele deixar de estar irritado contigo e tiver esquecido aquilo que lhe fizeste, então eu mando-te dizer para voltares, pois não quero ficar sem os meus dois filhos no mesmo dia.»

46Rebeca foi dizer a Isaac: «Estou cansada e desgostosa destas mulheres hititas. Se Jacob também se vier a casar com mulheres deste país, prefiro morrer.»

28

281Isaac mandou chamar Jacob, abençoou-o e deu-lhe a seguinte ordem: «Não deves casar com nenhuma mulher de Canaã. 2Vai à Mesopotâmia, à família de Betuel, teu avô, e escolhe uma das filhas do teu tio Labão para casar contigo. 3Que o Deus supremo te abençoe e te conceda descendência numerosa de modo que tu dês origem a muitas nações. 4E que a bênção prometida a Abraão seja para ti e para os teus descendentes, para que possas tomar posse da terra onde agora vives como estrangeiro e que Deus prometeu a Abraão28,4 Isaac transmite a Jacob a promessa que antes tinha sido feita a Abraão (12,2 e nota) e que ele mesmo tinha também recebido.

5Isaac despediu-se de Jacob e este foi para a Mesopotâmia, para casa de Labão, que era filho de Betuel, o arameu, e irmão de Rebeca, mãe de Jacob e de Esaú.

Esaú casa com uma ismaelita

6Esaú soube que o seu pai tinha abençoado o seu irmão e que o tinha enviado à Mesopotâmia para lá arranjar com quem casar e também ouviu dizer que o seu pai, ao abençoá-lo, o tinha avisado para não se casar com mulheres de Canaã. 7Soube também que Jacob tinha aceitado a proposta do pai e da mãe e tinha partido para a Mesopotâmia. 8E Esaú percebeu que o seu pai, Isaac, não gostava das mulheres de Canaã. 9Dirigiu-se à família de Ismael, filho de Abraão, e casou com Malat, irmã de Nebaiot e filha de Ismael, para além das mulheres que já tinha.

Deus apareceu a Jacob em Betel

10Jacob saiu de Bercheba e pôs-se a caminho de Haran. 11Ao cair da tarde, chegou a um lugar bom para passar a noite. Pegou numa das pedras que ali havia; pô-la a fazer de cabeceira e ali mesmo se deitou para dormir. 12E teve um sonho: via uma escada assente na terra e que chegava até ao céu e os mensageiros de Deus subiam e desciam por ela.

13O Senhor estava no cimo da escada e disse: «Eu sou o Senhor, Deus do teu antepassado Abraão e de Isaac. Vou dar-te, a ti e aos teus descendentes28,13 Sobre os v. 13–14, ver 12,2 e nota. Jacob será agora o portador das promessas., a terra em que estás deitado. 14Os teus descendentes hão de ser tão numerosos como o pó da terra e hão de estender-se para ocidente e para oriente, para norte e para sul e, através de ti e dos teus descendentes, todas as famílias do mundo serão abençoadas.

15Lembra-te que eu estou contigo, para te guardar por onde quer que andes e para te fazer regressar a esta terra. Não te hei de abandonar até cumprir tudo aquilo que te prometi.»

16Jacob acordou e exclamou: «Realmente, o Senhor está neste lugar e eu não sabia.» 17E, cheio de medo, acrescentou: «Este lugar é terrível! É nada menos que a casa de Deus e a porta do céu.»

18Logo de manhã, Jacob agarrou na pedra que lhe tinha servido de cabeceira para dormir e ergueu-a ao alto como monumento e derramou óleo sobre ela. 19Jacob deu àquele lugar o nome de Betel28,19 Betel significa “casa” ou “templo de Deus”.. Antes aquela localidade chamava-se Luz.

20Jacob fez ali a seguinte promessa: «Se Deus estiver comigo e me guardar no caminho que vou percorrer e me der o necessário para comer e para me vestir; 21se eu regressar são e salvo a casa do meu pai, o Senhor será o meu Deus 22e esta pedra, que hoje coloco como monumento, será um santuário de Deus e hei de oferecer-lhe sempre a décima parte28,22 Ver 14,20 e nota. de tudo aquilo que ele me der.»

29

Chegada de Jacob a Haran

291Jacob pôs-se de novo a caminho e continuou a viagem para as terras do Oriente. 2Um dia encontrou no campo um poço, perto do qual se encontravam juntos três rebanhos de ovelhas, pois era daquele poço que davam água a beber aos rebanhos. A pedra que tapava a boca do poço era enorme. 3Por isso, quando se juntavam lá todos os rebanhos, os pastores rolavam a pedra da boca do poço, davam de beber aos rebanhos e depois voltavam a colocar a pedra como antes.

4Jacob perguntou aos pastores: «Amigos, donde são?» E eles responderam: «Somos de Haran.»

5Jacob perguntou de novo: «Por acaso, conhecem Labão, descendente de Naor?» «Conhecemos, sim», responderam eles.

6Jacob perguntou ainda: «Ele está bem?» «Está, sim. Olha! A filha dele, Raquel vem aí com o rebanho», indicaram os pastores.

7Jacob disse: «Ainda é bastante cedo. Ainda não é tempo de recolher o rebanho. Deem-lhe de beber e levem-no outra vez a pastar.» 8Eles responderam: «Não podemos. Temos que esperar que se juntem todos os rebanhos, para que os pastores tirem a pedra de cima do poço e possamos dar de beber ao rebanho.»

9Enquanto estava a falar com eles, chegou Raquel com as ovelhas do seu pai, pois ela era pastora. 10Ao ver Raquel, filha do seu tio Labão, com o rebanho de seu tio, Jacob aproximou-se e retirou a pedra de cima do poço e deu água ao rebanho do seu tio Labão. 11Depois saudou Raquel com um beijo e não pôde conter as lágrimas. 12Jacob anunciou a Raquel que ele era parente do pai dela, pois era filho de Rebeca. E ela foi a correr levar a notícia ao pai.

13Labão, ao ouvir falar do seu sobrinho, Jacob, correu ao encontro dele, abraçou-o, beijou-o e conduziu-o para sua casa. Jacob contou-lhe então tudo o que tinha acontecido. 14E Labão exclamou: «Realmente tu és da minha própria família.»

E Jacob ficou em casa dele.

Casamento de Jacob

Jacob já estava há um mês em casa de Labão, 15quando este lhe disse: «É certo que tu és meu parente. Mas até agora tens trabalhado para mim de graça. Diz-me que salário queres.»

16Labão tinha duas filhas, a mais velha chamava-se Lia e a mais nova, Raquel. 17Lia tinha uns olhos muito ternos. Mas Raquel era bonita e elegante. 18Jacob gostava muito de Raquel e por isso respondeu: «Aceito trabalhar para ti, durante sete anos, para casar com Raquel, a tua filha mais nova.» 19Labão respondeu: «Está bem. É melhor casá-la contigo do que casá-la com outro qualquer. Podes continuar em minha casa.» 20Para obter Raquel, Jacob trabalhou durante sete anos e, pelo amor que lhe tinha, aqueles sete anos pareceram-lhe apenas alguns dias.

21Depois disse a Labão: «Dá-me a minha mulher, para eu casar com ela, pois já acabou o tempo combinado.»

22Labão convidou toda a gente do lugar e ofereceu um banquete. 23Mas à noite, em vez de Raquel, Labão levou Lia para o quarto dos noivos e foi com ela que Jacob dormiu. 24Labão deu à sua filha Lia a escrava Zilpa, para ficar ao serviço dela.

25Pela manhã, quando Jacob se deu conta de que era Lia foi reclamar a Labão: «Que é que me fizeste? Por amor de Raquel andei a trabalhar para ti. Por que é que me enganaste?»

26Labão respondeu: «Cá na nossa terra não é costume casar a filha mais nova antes da mais velha. 27Mas depois dos sete dias de lua de mel, podemos dar-te também a outra em casamento, desde que te comprometas a trabalhar para mim outros sete anos mais.»

28Jacob assim fez. Passaram os sete dias da lua de mel e Labão deu-lhe também a sua filha Raquel como esposa. 29A Raquel, Labão deu Bilá, sua escrava, para ficar ao serviço dela. 30Jacob dormiu também com Raquel e esta era a sua preferida. E durante mais sete anos Jacob ficou ao serviço de Labão.

Os filhos de Jacob e de Lia

31O Senhor viu que Lia era menos amada do que Raquel e fez com que Lia pudesse ter filhos e Raquel não.

32Lia ficou grávida e deu à luz um filho e deu-lhe o nome de Rúben29,32 O nome Rúben tem em hebraico um som semelhante ao da expressão “Olhem um filho!”.. Porque, dizia ela: «O Senhor olhou para a minha angústia e daqui em diante talvez o meu marido passe a gostar mais de mim.» 33Voltou a ficar grávida e a dar à luz um filho a quem chamou Simeão29,33 Simeão é um nome derivado do verbo hebraico que significa “ouvir”., porque, dizia ela: «O Senhor ouviu dizer que eu não era amada e deu-me outro filho.» 34Mais uma vez ficou grávida e deu à luz um filho e deu-lhe o nome de Levi29,34 O nome Levi assemelha-se ao verbo hebraico que significa “unir-se”, “ligar”., pois — dizia ela: «Desta vez o meu marido ficará mais afeiçoado a mim, pois já lhe dei três filhos.» 35Voltou ainda a engravidar e ao dar à luz o filho exclamou: «Desta vez poderei louvar o Senhor.» Por isso, deu ao filho o nome de Judá29,35 Em hebraico, o nome Judá tem certa semelhança com a palavra usada para exprimir a ideia de “louvar”.. E depois não voltou a ter filhos.