a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
29

Chegada de Jacob a Haran

291Jacob pôs-se de novo a caminho e continuou a viagem para as terras do Oriente. 2Um dia encontrou no campo um poço, perto do qual se encontravam juntos três rebanhos de ovelhas, pois era daquele poço que davam água a beber aos rebanhos. A pedra que tapava a boca do poço era enorme. 3Por isso, quando se juntavam lá todos os rebanhos, os pastores rolavam a pedra da boca do poço, davam de beber aos rebanhos e depois voltavam a colocar a pedra como antes.

4Jacob perguntou aos pastores: «Amigos, donde são?» E eles responderam: «Somos de Haran.»

5Jacob perguntou de novo: «Por acaso, conhecem Labão, descendente de Naor?» «Conhecemos, sim», responderam eles.

6Jacob perguntou ainda: «Ele está bem?» «Está, sim. Olha! A filha dele, Raquel vem aí com o rebanho», indicaram os pastores.

7Jacob disse: «Ainda é bastante cedo. Ainda não é tempo de recolher o rebanho. Deem-lhe de beber e levem-no outra vez a pastar.» 8Eles responderam: «Não podemos. Temos que esperar que se juntem todos os rebanhos, para que os pastores tirem a pedra de cima do poço e possamos dar de beber ao rebanho.»

9Enquanto estava a falar com eles, chegou Raquel com as ovelhas do seu pai, pois ela era pastora. 10Ao ver Raquel, filha do seu tio Labão, com o rebanho de seu tio, Jacob aproximou-se e retirou a pedra de cima do poço e deu água ao rebanho do seu tio Labão. 11Depois saudou Raquel com um beijo e não pôde conter as lágrimas. 12Jacob anunciou a Raquel que ele era parente do pai dela, pois era filho de Rebeca. E ela foi a correr levar a notícia ao pai.

13Labão, ao ouvir falar do seu sobrinho, Jacob, correu ao encontro dele, abraçou-o, beijou-o e conduziu-o para sua casa. Jacob contou-lhe então tudo o que tinha acontecido. 14E Labão exclamou: «Realmente tu és da minha própria família.»

E Jacob ficou em casa dele.

Casamento de Jacob

Jacob já estava há um mês em casa de Labão, 15quando este lhe disse: «É certo que tu és meu parente. Mas até agora tens trabalhado para mim de graça. Diz-me que salário queres.»

16Labão tinha duas filhas, a mais velha chamava-se Lia e a mais nova, Raquel. 17Lia tinha uns olhos muito ternos. Mas Raquel era bonita e elegante. 18Jacob gostava muito de Raquel e por isso respondeu: «Aceito trabalhar para ti, durante sete anos, para casar com Raquel, a tua filha mais nova.» 19Labão respondeu: «Está bem. É melhor casá-la contigo do que casá-la com outro qualquer. Podes continuar em minha casa.» 20Para obter Raquel, Jacob trabalhou durante sete anos e, pelo amor que lhe tinha, aqueles sete anos pareceram-lhe apenas alguns dias.

21Depois disse a Labão: «Dá-me a minha mulher, para eu casar com ela, pois já acabou o tempo combinado.»

22Labão convidou toda a gente do lugar e ofereceu um banquete. 23Mas à noite, em vez de Raquel, Labão levou Lia para o quarto dos noivos e foi com ela que Jacob dormiu. 24Labão deu à sua filha Lia a escrava Zilpa, para ficar ao serviço dela.

25Pela manhã, quando Jacob se deu conta de que era Lia foi reclamar a Labão: «Que é que me fizeste? Por amor de Raquel andei a trabalhar para ti. Por que é que me enganaste?»

26Labão respondeu: «Cá na nossa terra não é costume casar a filha mais nova antes da mais velha. 27Mas depois dos sete dias de lua de mel, podemos dar-te também a outra em casamento, desde que te comprometas a trabalhar para mim outros sete anos mais.»

28Jacob assim fez. Passaram os sete dias da lua de mel e Labão deu-lhe também a sua filha Raquel como esposa. 29A Raquel, Labão deu Bilá, sua escrava, para ficar ao serviço dela. 30Jacob dormiu também com Raquel e esta era a sua preferida. E durante mais sete anos Jacob ficou ao serviço de Labão.

Os filhos de Jacob e de Lia

31O Senhor viu que Lia era menos amada do que Raquel e fez com que Lia pudesse ter filhos e Raquel não.

32Lia ficou grávida e deu à luz um filho e deu-lhe o nome de Rúben29,32 O nome Rúben tem em hebraico um som semelhante ao da expressão “Olhem um filho!”.. Porque, dizia ela: «O Senhor olhou para a minha angústia e daqui em diante talvez o meu marido passe a gostar mais de mim.» 33Voltou a ficar grávida e a dar à luz um filho a quem chamou Simeão29,33 Simeão é um nome derivado do verbo hebraico que significa “ouvir”., porque, dizia ela: «O Senhor ouviu dizer que eu não era amada e deu-me outro filho.» 34Mais uma vez ficou grávida e deu à luz um filho e deu-lhe o nome de Levi29,34 O nome Levi assemelha-se ao verbo hebraico que significa “unir-se”, “ligar”., pois — dizia ela: «Desta vez o meu marido ficará mais afeiçoado a mim, pois já lhe dei três filhos.» 35Voltou ainda a engravidar e ao dar à luz o filho exclamou: «Desta vez poderei louvar o Senhor.» Por isso, deu ao filho o nome de Judá29,35 Em hebraico, o nome Judá tem certa semelhança com a palavra usada para exprimir a ideia de “louvar”.. E depois não voltou a ter filhos.

30

Os filhos de Jacob e das duas escravas

301Quando Raquel viu que não conseguia ter filhos de Jacob, começou a sentir ciúmes da irmã e disse ao marido: «Dá-me filhos, senão morro de desgosto.» 2Jacob ficou bastante aborrecido com Raquel e exclamou: «Será que eu sou Deus? Ele é que fez com que tu não pudesses ter filhos.»

3Raquel disse-lhe então: «Dou-te a minha escrava Bilá como esposa. Os filhos que ela tiver de ti há de dá-los à luz no meu regaço e assim serão também meus filhos30,3 Uma mulher, por meio de uma escrava, podia dar ao marido filhos que legalmente seriam dela. Ver 16,2 e nota.4E assim, Raquel deu-lhe a sua serva como esposa. Jacob dormiu com ela 5e Bilá ficou grávida e deu à luz um filho. 6Exclamou então Raquel: «Deus fez-me justiça; ouviu o meu pedido e concedeu-me um filho.» Por isso, deu ao filho o nome de Dan30,6 O nome Dan é semelhante ao verbo hebraico traduzido por “fazer justiça”..

7Bilá, escrava de Raquel, ficou de novo grávida e deu à luz outro filho de Jacob. 8E Raquel exclamou: «Deus pôs-me em concorrência com a minha irmã, mas consegui vencer.» E deu ao filho o nome de Neftali30,8 O nome Neftali é semelhante à palavra hebraica traduzida por “concorrência”..

9Lia viu que já não voltava a ter mais filhos e deu a sua escrava Zilpa a Jacob, como esposa. 10Zilpa, escrava de Lia, deu à luz um filho de Jacob 11e Lia exclamou: «Que sorte!» Por isso, lhe deu o nome de Gad30,11 O nome Gad é tradicionalmente interpretado como ligado à palavra hebraica que significa “sorte”..

12Zilpa, escrava de Lia, voltou a dar à luz um outro filho de Jacob 13e Lia exclamou: «Que felicidade! As outras mulheres vão dar-me os parabéns!» E deu ao menino o nome de Asser30,13 O nome Asser é semelhante à palavra hebraica que significa “felicidade”..

Lia e Raquel dão outros filhos a Jacob

14Na altura da ceifa do trigo, Rúben saiu pelos campos e encontrou uns frutos chamados mandrágoras e levou-as a Lia, sua mãe. Raquel pediu a Lia: «Dá-me, por favor, das mandrágoras que o teu filho trouxe30,14 Na antiguidade acreditava-se que as madrágoras resolviam problemas de esterilidade.15Mas Lia respondeu: «Já achas pouco teres-me tirado o meu marido e ainda me queres tirar também as mandrágoras que o meu filho trouxe?» Raquel respondeu: «Pronto. Em troca dessas mandrágoras, podes dormir tu com ele esta noite.»

16Quando Jacob, à tardinha, regressava do campo, Lia saiu ao seu encontro e disse-lhe: «Hoje vens dormir comigo, porque já dei as mandrágoras que trouxe o meu filho, em troca disso.» E Jacob dormiu com ela aquela noite.

17Deus ouviu os pedidos de Lia e ela ficou de novo grávida e deu a Jacob o seu quinto filho. 18Lia exclamou: «Foi Deus que me recompensou por eu ter dado a minha serva como esposa ao meu marido.» E deu ao menino o nome de Issacar30,18 O nome Issacar é semelhante à palavra hebraica que significa “recompensar”..

19Depois disso, Lia voltou a engravidar e deu a Jacob um filho pela sexta vez, 20e disse: «Deus ofereceu-me um magnífico presente. Agora o meu marido vai ter mais consideração por mim, porque já lhe dei seis filhos.» Por isso, deu ao menino o nome de Zabulão30,20 O nome hebraico Zabulão lembra os verbos que significam “oferecer” e “estimar”..

21Por fim, deu ainda à luz uma filha, a quem chamou Dina.

22Entretanto Deus lembrou-se de Raquel, atendeu os seus pedidos e deu-lhe a possibilidade de ter filhos. 23Assim ela ficou grávida e deu à luz um filho e exclamou: «Deus fez com que eu não voltasse a passar pela vergonha de não ter filhos.» 24E continuou: «Quem dera que o Senhor me desse mais outro filho!» Por isso, deu àquele menino o nome de José30,24 O nome hebraico José é semelhante ao verbo que significa “dar mais”, “acrescentar”..

Desentendimentos entre Jacob e Labão

25Depois de Raquel ter dado à luz José, Jacob disse a Labão: «Deixa-me ir para a terra onde nasci. 26Deixa-me levar as minhas esposas e filhos. Por elas tenho trabalhado ao teu serviço e sabes muito bem há quanto tempo eu estou a trabalhar para ti.»

27Labão respondeu-lhe: «Ouve-me, por favor! Eu soube pelos adivinhos que, por causa de ti, o Senhor me tem abençoado. 28Diz-me então que salário pretendes, que eu to pagarei.» 29Jacob respondeu: «Sabes muito bem quanto trabalhei para ti e como cuidei dos teus rebanhos. 30Antes de eu chegar, eram pouco numerosos e depois cresceram imenso e o Senhor abençoou-te com o meu trabalho. Mas quando é que eu vou começar a trabalhar também para a minha própria família?»

31Labão perguntou; «Quanto queres que te dê?» E Jacob respondeu: «Não tens que me pagar nada. Estou disposto a continuar a cuidar dos teus rebanhos, se concordares com uma coisa que te vou propor: 32hoje passarei revista ao rebanho e porei de parte todos os animais malhados e com manchas, todos os cordeiros negros e cabritos malhados e com manchas30,32 Não é muito claro o estratagema seguido por Jacob para aumentar os seus rebanhos. Mas o seu objetivo é claro: ser mais esperto que o sogro que muitas vezes mudou o seu salário. Ver 31,7.41.. Será isso a minha paga. 33E assim será fácil demonstrar a minha honestidade, no futuro, quando quiseres ver quanto é que eu ganhei. Todos os cabritos do meu rebanho que não forem malhados e manchados e os cordeiros que não forem negros é sinal que são roubados.»

34Labão respondeu: «Está bem. Pode ser assim mesmo.» 35Mas nesse mesmo dia, Labão retirou do rebanho todos os bodes com listras e manchas e todos os cabritos malhados e com manchas e todos os cordeiros negros e entregou-os ao cuidado dos seus filhos. 36Mandou que este rebanho fosse afastado para longe de Jacob, à distância de três dias de caminho. E Jacob continuou a pastorear o resto dos rebanhos de Labão.

37Mas Jacob arranjou varas verdes de choupo, de amendoeira e de plátano e fez nelas listras, retirando parte da casca e fazendo aparecer a parte branca do interior das varas. 38Espetou aquelas varas, assim preparadas, diante das ovelhas junto dos ribeiros e dos bebedouros onde o gado ia beber. Quando iam beber é que os machos as cobriam. 39E quando os machos as cobriam assim diante daquelas varas, as crias nasciam com listras e malhadas ou com manchas.

40Jacob separou esses animais e juntou-os com outros que eram malhados ou pretos nos rebanhos de Labão. E assim foi criando rebanhos próprios e que ele não misturava com os de Labão. 41Quando chegava a altura da cobrição dos animais mais fortes, Jacob voltava a colocar as varas à vista deles, junto dos ribeiros para que a cobrição se fizesse diante das varas listradas. 42Mas não colocava as varas diante dos animais mais fracos, de modo que os mais fracos ficavam para Labão e os mais fortes para Jacob.

43E assim Jacob foi enriquecendo cada vez mais e chegou a ter muitos rebanhos, servas, escravos, camelos e burros.

31

Jacob foge de casa de Labão

311Jacob ouviu dizer que os filhos de Labão andavam a criticá-lo e diziam: «Jacob roubou aquilo que era do nosso pai, pois com aquilo que era do nosso pai é que ele conseguiu esta enorme riqueza.» 2Jacob começou também a notar que Labão já não olhava para ele como dantes.

3Nessa altura, o Senhor disse a Jacob: «Volta para a terra dos teus antepassados, para a terra onde nasceste, que eu estarei contigo.» 4Então Jacob mandou chamar Raquel e Lia para irem ter com ele ao campo, junto dos seus rebanhos, 5e disse-lhes: «Tenho dado conta de que o vosso pai já não olha para mim da mesma maneira como o fazia dantes; mas o Deus do meu pai sempre esteve comigo. 6E bem sabem que procurei servir o vosso pai o melhor que me foi possível. 7Apesar disso, ele enganava-me e dez vezes mudou o meu salário, só que Deus não permitiu que ele me prejudicasse. 8Se ele me dizia: “Os animais malhados ficam para ti como salário”, então só nasciam crias malhadas; se ele mudava e dizia: “Agora as listradas é que são o teu salário”, então só nasciam crias listradas. 9E foi assim que Deus tirou os rebanhos ao vosso pai e mos deu a mim.

10Um dia, no tempo da cobrição, tive um sonho em que vi que todos os machos que cobriam as fêmeas eram listrados, malhados e riscados. 11Então um anjo do Senhor chamou por mim: “Jacob!” Eu respondi: “Estou aqui!” 12Ele disse-me: “Repara que todos os machos que cobrem as fêmeas são listrados, malhados e riscados. É assim, porque eu vi tudo aquilo que Labão tem feito contra ti. 13Eu sou o Deus de Betel ao qual tu consagraste um monumento e fizeste uma promessa31,13 Ver 28,10–22.. Por isso, levanta-te e sai desta terra. Volta para a terra onde nasceste.”»

14Raquel e Lia responderam-lhe: «Temos por acaso alguma herança a receber ainda da casa do nosso pai? 15Para ele já somos como estranhas. Vendeu-nos e já gastou o dinheiro que recebeu por nós. 16Mas na realidade, toda a riqueza que Deus tirou ao nosso pai pertence-nos a nós e aos nossos filhos. Por isso, deves pôr em prática tudo aquilo que Deus te comunicou.»

17Jacob preparou as coisas, mandou que as suas mulheres e filhos montassem nos camelos e partiu. 18Conduzindo todos os seus rebanhos, tudo aquilo que ele tinha conseguido adquirir no tempo que estivera na Mesopotâmia, dirigiu-se para Canaã, para junto do seu pai Isaac. 19Enquanto Labão tinha ido para outro lado tosquiar as ovelhas, Raquel roubou-lhe as imagens dos ídolos domésticos31,19 Estatuetas de divindades protetoras da família.. 20E Jacob conseguiu assim enganar Labão, o arameu, fugindo de casa dele sem lhe ter dito nada.

Deus protege Jacob contra Labão

21Jacob fugiu então com tudo aquilo que lhe pertencia. Atravessou o rio Eufrates e dirigiu-se para as montanhas de Guilead. 22Três dias mais tarde, foram dizer a Labão que Jacob tinha fugido. 23Acompanhado pelos seus parentes, Labão foi em perseguição de Jacob e, depois de sete dias de marcha, conseguiu alcançá-lo já nas montanhas de Guilead. 24Mas o Senhor apareceu a Labão, o arameu, em sonhos durante a noite, e ameaçou-o deste modo: «Livra-te de dizer a Jacob seja o que for, bem ou mal.» 25Labão tinha alcançado Jacob; este assentou a sua tenda na montanha e Labão com os seus familiares ficou também na montanha de Guilead.

26Labão perguntou então a Jacob: «Que fizeste tu? Enganaste-me e fugiste com as minhas filhas, como se fossem prisioneiras. 27Por que é que me enganaste e não me disseste que querias ir embora? Se mo tivesses dito, eu teria celebrado a tua despedida com alegria e cânticos, com música de tambores e harpas. 28Nem sequer me deixaste beijar as minhas filhas e netos. Fazendo isto, agiste como um insensato. 29Eu bem podia tratar-vos com toda a dureza. Mas o Deus dos vossos pais disse-me ontem à noite: “Livra-te de dizer a Jacob seja o que for, bem ou mal!” 30Se realmente tu querias ir embora, por estares com saudades da casa do teu pai, por que é que roubaste os meus ídolos domésticos?»

31Jacob respondeu a Labão da seguinte maneira: «Eu tive medo de te avisar, pois podias querer tirar-me as tuas filhas. 32Mas no que respeita aos teus ídolos, se alguém aqui os tiver que seja morto. Aqui à frente de todos os meus, podes procurar o que te pertence e leva-o contigo.» Mas Jacob ainda não sabia que tinha sido Raquel quem os tinha roubado.

33Labão entrou na tenda de Jacob, na de Lia e na das suas duas servas e nada encontrou. E tendo saído da tenda de Lia foi à tenda de Raquel. 34Raquel tinha-se apoderado dos ídolos domésticos, escondeu-os debaixo da sela do camelo e sentou-se em cima deles. Labão remexeu toda a tenda de Raquel sem encontrar nada. 35Depois disse ao seu pai: «Ó pai, não leve a mal, mas eu não me posso levantar porque estou no período menstrual.» E assim Labão andou à procura das imagens dos seus deuses, mas nada encontrou.

36Jacob ficou aborrecido com a questão e protestou junto de Labão com estas palavras: «Qual foi então a minha culpa e o meu crime para vires assim em minha perseguição? 37Remexeste todas as minhas bagagens. Se por acaso encontraste alguma coisa, que te pertença, apresenta-a aqui diante dos teus parentes e dos meus, para que eles sirvam de árbitro entre nós os dois. 38Estive vinte anos ao teu serviço e nunca as tuas ovelhas ou as tuas cabras abortaram, nem comi um só dos carneiros do teu rebanho. 39Nunca te fui apresentar um animal morto pelas feras. Era eu quem suportava o prejuízo e tu pedias-me contas de todos os animais roubados, de dia ou de noite31,39 O pastor que conseguia trazer ao dono o resto de uma cabeça de gado morta pelas feras não era obrigado a pagar o prejuízo. Jacob fazia, portanto, mais do que a sua obrigação. Cf. Ex 22,12; Am 3,12.. 40De dia morria de calor e de noite morria de frio; nem sequer conseguia dormir. 41Isto foi durante vinte anos em que trabalhei para ti. Durante catorze anos trabalhei para poder casar com as tuas duas filhas e seis anos trabalhei recebendo como salário animais dos teus rebanhos. Mas tu mudaste-me o salário dez vezes.

42Se não fosse o Deus do meu avô, Abraão, o Deus terrível31,42 É certamente um título de Deus, ainda que seja difícil saber o sentido exato que esse título encerrava. do meu pai, Isaac, estar a meu favor, tu mandavas-me hoje embora sem nada. Mas Deus viu a minha tristeza e o esforço do meu trabalho e por isso é que ele te repreendeu ontem à noite.»

Tratado entre Jacob e Labão

43Labão respondeu então a Jacob: «As filhas são minhas, os netos são meus, os rebanhos são meus; tudo o que aqui vês pertence-me. Mas que é que eu posso fazer agora com as minhas filhas ou com os filhos que elas já deram à luz? 44Por isso, façamos ambos um pacto para servir de testemunho entre mim e ti.»

45Jacob pegou numa pedra e colocou-a ao alto para servir de monumento. 46Depois Jacob disse aos seus parentes: «Juntem mais pedras», e eles assim fizeram. Juntaram um monte de pedras e comeram junto daquele monte de pedras. 47Deram àquele lugar um nome que na língua de Labão era Jegar-Saduta e na língua de Jacob era Galed31,47 Galed significa “monte do testemunho” e Jegar-Saduta seria um equivalente do mesmo em aramaico.. 48O próprio Labão explicou o sentido do nome que tinham dado àquele lugar e disse: «Este monte de pedras serve hoje de testemunha entre mim e ti.» 49Chamou-lhe também Mispá31,49 Mispá. Nome frequente de localidade, sugere também a ideia de “torre de vigia”, fazendo um jogo de sentidos interessante no contexto., querendo com aquele nome significar o seguinte: «Que o Senhor esteja vigilante com relação a nós ambos, mesmo quando já não pudermos ver-nos um ao outro. 50Se maltratares as minhas filhas ou se as desprezares para casar com outras mulheres, ainda que ninguém esteja presente, fica a saber que Deus será testemunha entre mim e ti.»

51Labão disse ainda a Jacob: «Aqui está este monte de pedras e o monumento que coloquei entre mim e ti. 52Um e outro são testemunhas, de modo que eu não ultrapasse este monte de pedras para o teu lado, para te prejudicar, e que também tu não ultrapasses para cá deste monte de pedras e deste monumento para me prejudicares. 53Que o Deus de Abraão e o Deus de Naor31,53 Naor. Antepassado de Labão (24,24.29) e irmão de Abraão (11,26). Os deuses de ambas as partes são tomados como testemunhas., o Deus de cada uma das suas famílias, seja o árbitro entre nós31,53 O texto hebraico acrescenta: o Deus do seu pai. Seguindo alguns manuscritos hebraicos e a antiga versão grega, não o incluímos em texto.

Jacob jurou pelo Deus terrível de Isaac31,53 Ver 31,42 e nota., seu pai. 54Ofereceu um sacrifício na montanha e convidou os seus parentes para o banquete. Todos comeram e passaram a noite ali mesmo, na montanha.