a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
41

Vocação de Ciro

411Prestem atenção, povos das ilhas41,1 Ver 40,15 e nota.;

povos das nações, encham-se de coragem!

Aproximem-se de mim, e falem então;

vamos comparecer juntos em tribunal.

2Quem fez aparecer no Oriente aquele homem41,2 Referência indireta ao rei Ciro, famoso pelas suas vitórias contra todos os poderes militares do tempo, sobretudo a Babilónia, que conquistou em 539 a.C. Em 538 a.C. Ciro libertou os judeus do cativeiro.

e o apresenta vitorioso a cada passo?

Quem lhe submete as nações e lhe entrega os reis?

A sua espada os reduz a pó,

as flechas do seu arco os dispersam como palha.

3Persegue-os e avança seguro,

sem pisar o caminho com os seus pés.

4Quem é o autor destas coisas?

É aquele que anuncia o futuro de antemão.

Sou eu mesmo, o Senhor,

aquele que está no princípio e no fim de tudo.

5Vejam e estremeçam, ó povos das ilhas,

aproximem-se e tremam, povos dos confins da terra.

6Os homens ajudam-se uns aos outros

e dizem ao companheiro do lado: «Coragem!»

7O cinzelador encoraja o ourives,

o que trabalha com o martelo encoraja o da bigorna.

Vendo a soldadura dizem: «Bom trabalho!»

Depois fixam o ídolo com rebites para não cair41,7 Os v. 6–7 retomam o tema de 40,19–20..

Não tenhas medo

8Ouve, Israel, meu servo,

povo de Jacob, meu escolhido,

descendência de Abraão, o meu amigo41,8 Israel meu servo. Ver Is 43,10; 44,1.21; 45,4; 48,20; Jr 30,10; Sl 136,22; Lc 1,54. Descendência de Abraão. Ver Is 51,2; Hb 2,16; cf. Mat 3,9 e textos paralelos..

9Eu fui buscar-te aos confins da terra,

chamei-te, quando estavas no fim do mundo.

Eu disse-te: «Tu é que és o meu servo;

foi a ti que eu escolhi e nunca te rejeitarei.»

10Não tenhas medo, porque estou contigo;

não te aflijas, porque sou o teu Deus.

Eu torno-te forte, ajudo-te,

protejo-te com a minha mão direita vitoriosa.

11Todos os que se enfurecem contra ti

serão confundidos e cobertos de vergonha;

serão reduzidos a nada e destruídos

todos os teus adversários.

12Procurarás em vão o rasto dos que lutam contra ti;

serão reduzidos a nada os que te combatem.

13Porque eu, o Senhor, sou o teu Deus,

seguro-te pela mão e digo-te:

«Não tenhas medo, eu mesmo te ajudarei!»

14Não tenhas medo, verme de Jacob,

pobre gente de Israel.

Eu mesmo serei a tua ajuda.

Palavra do Senhor!

O teu protetor é o Santo de Israel.

15Vou fazer de ti uma grade aguçada,

nova e armada de dentes;

hás de trilhar os montes e triturá-los,

hás de fazer com que as colinas sejam como a palha.

16Tu os joeirarás, o vento há de levá-los

e o vendaval os espalhará.

Tu exultarás, então, no Senhor

e te gloriarás no Santo de Israel.

O deserto mudado em oásis

17Os pobres e os indigentes buscam água,

mas não a encontram;

a sua língua está ressequida pela sede.

Mas eu, o Senhor, vou responder-lhes;

eu, o Deus de Israel, não os abandonarei.

18Farei brotar rios nos morros pelados,

e fontes nas planícies;

transformarei o deserto numa lagoa

e a terra árida em oásis.

19Plantarei no deserto cedros e acácias,

murtas e oliveiras.

Porei ciprestes nas regiões sem água,

ao lado do olmeiro e do buxo.

20Desta maneira, todos hão de ver e reconhecer,

todos irão considerar e compreender

que foi o Senhor que fez isto, com o seu poder,

que o Santo de Israel o criou.

Desafio aos falsos deuses

21Apresentem a vossa queixa, diz o Senhor,

mostrem as vossas provas, diz o rei de Jacob.

22Aproximem-se e anunciem-nos o que vai acontecer.

Vejamos o que tinham anunciado

das coisas que já aconteceram!

Anunciem-nos o que há de vir,

para sabermos o que vai acontecer.

23Digam-nos o que vai acontecer no futuro

e saberemos então que sois verdadeiramente deuses.

Façam qualquer coisa de bom ou de mal

e todos seremos testemunhas do que virmos.

24Mas valem menos que nada,

e tudo quanto fazem nada vale.

Quem vos escolhe é um ser abominável.

25Mas eu fiz que alguém surgisse, no Norte,

e eis que ele aí vem.

No Oriente, onde o Sol se levanta,

já pronunciam o seu nome.

Pisa os governantes como se pisa o barro,

faz como o oleiro, quando amassa a argila41,25 Alusão ao rei Ciro. Já pronunciaram o meu nome. O texto hebraico tem: ele invoca o meu nome. O manuscrito encontrado em Qumran diz: chamei-o pelo nome..

26Quem anunciou este acontecimento de antemão

para o podermos conhecer?

Quem o predisse para concluirmos que tinha razão?

Certamente nenhum de vós o anunciou ou contou;

ninguém ouviu os vossos oráculos.

27Fui eu, o primeiro que o anunciei a Sião

e enviei a Jerusalém um pregoeiro com a boa notícia.

28Procurei mas não vi ninguém;

entre os deuses não vi ninguém capaz de aconselhar,

capaz de responder a quem os consultar.

29Todos juntos não valem nada.

O que eles fazem vale menos que nada.

Os seus ídolos são pura ilusão e vazio.

42

O servo do Senhor: primeiro poema

421Eis o meu servo, que eu seguro pela mão,

aquele que eu decidi escolher.

Coloquei nele o meu espírito,

para que leve às nações o que é direito.

2Ele não grita, não levanta a voz,

nem se farão ouvir nas ruas os seus discursos.

3Não quebra a cana curvada,

não apaga a mecha que ainda fumega.

Mas há de promover o direito entre as nações.

4Não vacila nem se deixará abater,

até estabelecer na terra o direito

e as leis que os povos das ilhas esperam dele42,4 Ver Mat 3,17 e textos paralelos; 12,18–21; 17,5 e paralelos..

5Assim fala o Senhor Deus,

que criou os céus e os estendeu,

que consolidou a terra com a sua vegetação,

que deu a vida às populações que a habitam,

e anima os que nela se movem:

6«Eu, o Senhor, chamei-te e levo-te pela mão,

para seres instrumento de justiça;

formei-te para garante da minha aliança com o povo42,6 A antiga tradução grega diz: com todos os povos. Ver Is 49,8; Lc 2,32; At 13,47; 26,23.,

para seres luz das nações,

7para dares aos cegos a luz dos olhos,

para tirares da cadeia os prisioneiros,

e da masmorra os que habitam nas trevas.»

8Eu sou o Senhor; este é o meu nome42,8 Ver Ex 3,14..

A ninguém cedo a minha glória,

nem aos ídolos o louvor que me é devido.

9Os primeiros acontecimentos já se realizaram,

anuncio agora outros novos,

e comunico-os a vós antes que apareçam.

Hino

10Cantem ao Senhor um cântico novo,

louvem-no desde os confins da terra,

vós que percorreis o mar e tudo o que o enche,

vós que habitais nas ilhas longínquas.

11Entoem cânticos nas cidades do deserto,

nos acampamentos dos que habitam em Quedar42,11 Quedar. Tribo situada no deserto da Arábia; ver 21,16. Petra. Cidade situada no deserto edomeu.;

exultem os habitantes de Petra,

e soltem gritos de alegria do cimo das suas montanhas.

12Cantem a glória do Senhor,

anunciem o seu louvor, nas ilhas distantes.

13O Senhor avança como um herói,

como um guerreiro, enche-se de coragem!

Lança um grito de guerra muito forte,

enfrentando com valentia os seus inimigos.

O projeto do Senhor

14Desde há muito que guardo silêncio,

que estou calado e aguento.

Mas agora vou gritar como uma mulher a dar à luz,

que grita e se sente sufocada e oprimida.

15Vou devastar montes e colinas,

secar toda a sua verdura,

converter os rios em terra firme

e secar as lagoas.

16Vou levar os cegos por um caminho que não conhecem.

Vou guiá-los por carreiros que ignoram.

Mudarei diante deles as trevas em luz

e os obstáculos em estrada plana.

É este o projeto que vou realizar por eles

e de modo algum os abandonarei.

17Fiquem para trás cobertos de vergonha,

os que põem a confiança nos ídolos

e que dizem a imagens de metal:

«Vós sois os nossos deuses!»

A cegueira do povo

18Ouçam, ó surdos!

Ó cegos, olhem e vejam!

19Quem é cego, senão o meu servo?

E quem é surdo como o mensageiro que eu envio?

Quem é cego como o que eu restabeleci,

tão cego como o servo do Senhor?

20Ele viu muitas coisas, mas sem as entender,

ouviu de ouvidos abertos, mas sem nada compreender.

21O Senhor foi benevolente, por fidelidade ao seu plano,

mostrou como a sua lei é grande e magnífica.

22Eis este povo saqueado e despojado!

Todos os valentes foram feitos prisioneiros

e encerrados em masmorras.

Eram saqueados, sem que ninguém os libertasse;

eram despojados e ninguém dizia: «Restitui!»

23Quem de vós prestará atenção a estas coisas?

Quem está atento para compreender o futuro?

24Quem entregou Jacob aos saqueadores

e Israel aos que o despojaram?

Não foi o Senhor contra quem pecámos?

É que não quisemos seguir os seus caminhos

nem obedecer à sua lei!

25O Senhor derramou sobre Israel

o furor da sua ira e a violência da guerra;

rodeou-o de chamas, mas ele não compreendeu,

incendiou-o, mas ele não o levou a sério.

43

Resgate do povo

431E agora, assim declara o Senhor,

aquele que te criou, ó Jacob,

aquele que te formou, ó Israel:

«Não tenhas medo, porque eu resgatei-te,

chamei-te para me servires: e tu pertences-me.

2Mesmo que atravesses os mares, estarei contigo;

os rios profundos não te hão de afogar.

Quando caminhares pelo fogo, não te queimarás,

as chamas não te hão de atingir.

3Porque eu, o Senhor, sou o teu Deus;

eu, o Santo de Israel, sou o teu salvador.

Dou o Egito para pagar a tua libertação,

Cuche e Sabá43,3 Sabá. Região situada provavelmente a norte do atual Sudão. Ver 45,14. em troca de ti.

4Já que tens muito valor para mim,

que te estimo e te amo,

entrego homens em teu lugar

e povos em vez da tua pessoa.

5Não tenhas medo, que eu estou contigo.

Trarei os teus filhos desde o Oriente

e congregarei os que te pertencem desde o Ocidente.

6Digo ao Norte: “Devolve-os!”

e ao Sul: “Não os retenhas!”

Tragam-me os meus filhos lá de longe

e as minhas filhas dos confins da terra.

7São todos quantos têm o meu nome,

que eu criei, formei e fiz,

para manifestarem a minha glória.»

Vós sois minhas testemunhas

8«Façam comparecer este povo,

que tem olhos, mas não vê,

tem ouvidos, mas não ouve.

9Juntem-se todas as nações,

e reúnam-se os povos.

Qual dos seus deuses anunciou estas coisas

e nos predisse o que aconteceu?

Que apresentem testemunhas para se justificarem,

e, ouvindo-as, se possa dizer: “É verdade!”

10Vós é que sois as minhas testemunhas.

Palavra do Senhor!

Vós é que sois o meu servo, aquele que eu escolhi,

para saber, acreditar

e compreender quem sou eu.

Antes de mim, não houve nenhum deus,

e depois de mim também não haverá.

11Eu, e só eu, é que sou o Senhor.

Fora de mim, não há ninguém que salve!

12Sou eu que ofereço a salvação, a anuncio e proclamo,

e não é nenhum deus estrangeiro que esteja no meio de vós.

Eu sou Deus e vós sois testemunhas disso!

Palavra do Senhor!

13Eu sou esse Deus desde sempre,

por isso, ninguém me poderá resistir;

aquilo que eu faço ninguém o poderá desfazer.»

Salvação

14Assim declara o Senhor,

aquele que vos liberta, o Santo de Israel:

«Por vossa causa envio uma expedição à Babilónia,

para arrancar todos os ferrolhos das prisões.

Os gritos de alegria dos babilónios

vão transformar-se em lamentações.

15Eu sou o Senhor, o vosso Santo,

o criador de Israel, vosso Rei.»

Um novo caminho no deserto

16O Senhor, que outrora abriu um caminho no mar,

uma estrada nas águas impetuosas;

17que pôs em marcha carros e cavalos,

os exércitos com as suas tropas mais valentes,

que os fez cair para nunca mais se levantarem,

e extinguir-se como um pavio que se apaga,

18é ele que agora vos declara:

«Não recordem mais os acontecimentos de outrora,

nem pensem mais no passado.

19É que eu vou realizar algo de novo,

que já está a aparecer.

Será que não o notais?

Vou abrir um caminho no deserto

e rios na terra árida.

20Animais selvagens, chacais e avestruzes vão louvar-me

porque fiz brotar água no deserto

e rios em terra árida,

para dar de beber ao povo que escolhi.

21E este povo que eu formei

há de narrar as minhas glórias.»

Processo de Deus contra Israel

22«Ó povo de Jacob, não era a mim que invocavas,

não era por mim que te esforçavas, Israel.

23Não era por mim que sacrificavas cordeiros,

não era a mim que honravas com os teus sacrifícios.

Também não exigi de ti ofertas,

nem te fatiguei, pedindo-te incenso.

24Não era por mim que compravas a canela,

nem me saciavas com a gordura dos teus sacrifícios.

Tu é que fizeste de mim um escravo com os teus pecados,

cansaste-me com os teus crimes.

25Da minha parte, eu esquecia as tuas revoltas,

sem me lembrar mais dos teus pecados.

26Diz-me o que tens contra mim e discutamos

conta-me tudo para ver se tens razão.

27Já o teu primeiro antepassado43,27 Alusão a Jacob. Ver Gn 25,26; 27,36; Os 12,4. pecou

e os teus chefes revoltaram-se contra mim.

28Por isso, profanei os responsáveis do templo,

entreguei Jacob à destruição,

e Israel aos insultos.»