a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
28

Jeremias e o falso profeta Hananias

281Naquele mesmo ano, no quinto mês do quarto ano28,1 Em julho/agosto de 594 a.C. do reinado de Sedecias, Hananias, filho de Azur, profeta da cidade de Guibeon, falou-me no templo. E, diante dos sacerdotes e do povo, disse-me 2que o Senhor todo-poderoso, o Deus de Israel, lhe falara assim: «Eis que quebrei o domínio do rei da Babilónia. 3Dentro de dois anos, trarei de volta a este lugar todos os tesouros do templo, que o rei Nabucodonosor levou para a Babilónia. 4Igualmente trarei de volta o rei de Judá, Jeconias28,4 Jeconias. Ver nota a 22,24., filho de Joaquim, juntamente com o povo de Judá, que foi exilado para a Babilónia. Certamente enfraquecerei o domínio do rei da Babilónia. Palavra do Senhor

5Então na presença dos sacerdotes e de todo o povo que estava no templo, o profeta Jeremias dirigiu-se ao profeta Hananias: 6«Sim! Espero que o Senhor assim faça! Espero que ele faça com que a tua profecia se cumpra e traga de volta da Babilónia todos os tesouros do templo e o povo que foi levado prisioneiro. 7Mas ouve o que eu te vou dizer, a ti e a todo o povo! 8Os profetas, que existiram antes de mim e de ti, anunciaram desde sempre que a guerra, a fome e a peste sobreviriam a muitas nações e a reinos poderosos. 9Mas um profeta que anuncia a paz, só pode ser reconhecido como vindo do Senhor, se as suas palavras se cumprirem.»

10Seguidamente, Hananias tirou o jugo do pescoço de Jeremias, partiu-o em bocados, 11e disse, na presença do povo: «O Senhor afirmou que é assim que ele quebrará o domínio que o rei Nabucodonosor pôs sobre o pescoço das nações; assim o fará daqui a dois anos.» Após estas palavras de Hananias, Jeremias retirou-se.

12Algum tempo depois de Hananias ter quebrado o jugo que Jeremias levava ao pescoço, o Senhor disse a Jeremias 13que fosse junto de Hananias e falasse assim: «O Senhor avisa-te que podes quebrar um jugo de madeira, mas ele será substituído por um jugo de ferro.

14O Senhor todo-poderoso, o Deus de Israel, revelou que porá um jugo de ferro sobre todas estas nações, as quais servirão ao rei Nabucodonosor da Babilónia. E fará com que até os animais selvagens pertençam a Nabucodonosor.»

15Então Jeremias referiu estas palavras a Hananias e acrescentou: «Ouve, Hananias; o Senhor não te enviou, e tu estás a fazer com que este povo acredite em mentiras. 16Por isso, o próprio Senhor afirmou que vai desembaraçar-se de ti. Antes do fim do ano, morrerás, porque levaste o povo a revoltar-se contra o Senhor

17E Hananias morreu no sétimo mês28,17 setembro/outubro daquele ano.

29

Carta de Jeremias aos exilados

291Jeremias escreveu de Jerusalém uma carta dirigida aos anciãos, aos sacerdotes e profetas e ao povo que Nabucodonosor tinha levado prisioneiros de Jerusalém para Babilónia. 2Escreveu-a depois de o rei Jeconias29,2 Ver nota a 22,24., sua mãe, os oficiais do palácio, os governantes de Judá e de Jerusalém, os artesãos e serralheiros terem sido levados para o exílio. 3Entregou a carta a Elassá, filho de Chafan, e a Guemarias, filho de Hilquias, que o rei Sedecias de Judá enviou ao rei Nabucodonosor da Babilónia. Eis o conteúdo da carta: 4«O Senhor todo-poderoso, o Deus de Israel, diz a todos aqueles que ele permitiu que fossem levados prisioneiros de Jerusalém para a Babilónia:

5“Construam casas para nelas habitarem; plantem hortas e comam do seu fruto. 6Casem-se e tenham filhos. E que os vossos filhos e filhas se casem, tenham filhos eles também. Devem aumentar de número e não diminuir, nessa terra. 7Trabalhem pelo bem das cidades para onde vos levaram cativos. Peçam ao Senhor por elas, porque se essas cidades prosperarem, a prosperidade será vossa também.

8Em nome do Senhor, todo-poderoso, Deus de Israel, vos aviso! Não se deixem enganar pelos profetas que vivem no vosso meio e por outros que pretendem prever o futuro. Não deem ouvidos aos que pretendem explicar os vossos sonhos29,8 Ver 27,9.. 9Dizem que falam em meu nome, mas é mentira. Eu não os enviei. Palavra do Senhor!”

10Diz ainda o Senhor: “Quando passarem setenta anos29,10 Ver 25,11 e nota. na Babilónia, irei em vossa ajuda e cumprirei a minha promessa de vos trazer de volta à vossa terra. 11Pois eu sei os planos que tenho para vós. São planos de prosperidade e não de desgraça, planos que se concretizarão num futuro de esperança. 12Se me invocarem e me prestarem culto eu atenderei os vossos pedidos. 13Buscar-me-ão e me acharão quando me buscarem de todo o vosso coração29,13 Comparar com Dt 4,29., se me procurarem de todo o vosso coração. 14Na verdade hão de encontrar-me, e hei de dar-vos de novo a vossa terra. Hei de reunir-vos de todos os países e lugares por onde vos espalhei e hei de trazer-vos de regresso à terra donde saíram para o exílio. Palavra do Senhor!” 15Isto é por andarem a dizer que o Senhor vos deu profetas na Babilónia.

16Acerca do rei que ocupa o trono de David29,16 Alusão ao rei Sedecias. e reina sobre os habitantes desta cidade, que são vossos familiares e não foram levados convosco para o exílio, 17o Senhor, todo-poderoso, diz o seguinte: “Vou mandar guerra, fome e peste contra eles, de modo que ficarão desfeitos como figos podres. 18Com a guerra, fome e peste, hei de persegui-los e todas as nações do mundo se encherão de medo ao olharem para eles. Por onde quer que os espalhe serão objeto de maldição, espanto, escárnio e vergonha. 19Isto acontecerá, porque não obedeceram à mensagem que repetidas vezes lhes enviei, pelos meus servos, os profetas. Sempre se recusaram a dar-lhes ouvidos29,19 Ver 7,25 e nota.. Palavra do Senhor!”

20Escutem, a palavra do Senhor, habitantes de Jerusalém exilados na Babilónia!

21Assim diz o Senhor todo-poderoso, o Deus de Israel, acerca de Acab, filho de Colaías, e acerca de Sedecias, filho de Masseias, que vos profetizam falsamente em meu nome. Vou entregá-los a Nabucodonosor, rei da Babilónia, e ele os matará na vossa frente. 22Quando o povo que foi levado prisioneiro de Jerusalém para a Babilónia quiser amaldiçoar alguém, dirá: “Que o Senhor te faça como a Sedecias e Acab, a quem o rei da Babilónia queimou vivos!” 23Este será o seu fim, porque são culpados de terríveis pecados: cometeram adultério e mentiram, pretendendo falar em meu nome, sem eu lhes ter dado ordem para isso. Mas eu mesmo fui testemunha de tudo isso. Palavra do Senhor

A carta de Chemaías

24Diz a Chemaías, o neelamita: 25«Esta é a mensagem que o Senhor todo-poderoso tem para ti! Enviaste cartas em teu nome aos habitantes de Jerusalém e a Sofonias, filho do sacerdote Masseias, e a todos os sacerdotes, dizendo a Sofonias: 26“O Senhor nomeou-te sacerdote em lugar de Joiadá, e agora és o responsável do templo, para que cada louco que pretende ser um profeta, seja preso com uma coleira de ferro à volta do pescoço. 27Por que não fizeste isso com Jeremias de Anatot, que se apresentou como profeta junto do povo? 28Ele deve ser impedido de falar, porque disse aos prisioneiros da Babilónia que continuarão prisioneiros por muito tempo, pelo que devem construir casas, para nelas habitarem, plantar hortas e comer do seu fruto.”»

29Depois de Sofonias ter lido a carta a Jeremias, 30o Senhor ordenou-lhe 31que enviasse a todos os que estavam exilados na Babilónia, a seguinte mensagem: «Eu, o Senhor, castigarei Chemaías e os seus filhos. Eu não o enviei e ele apresentou-se como se fosse um profeta, fazendo-vos acreditar em mentiras. 32Por isso, vou castigar Chemaías e os seus descendentes, nenhum deles viverá para ser testemunha das bênçãos que vou dar ao meu povo, porque incitou o meu povo a revoltar-se contra mim. Palavra do Senhor

30

Promessa de restauração nacional

301O Senhor dirigiu a Jeremias as seguintes ordens: 2«Sou eu, o Senhor, Deus de Israel, que te falo. Escreve num rolo tudo o que eu te falei, 3porque há de vir o tempo em que restabelecerei o meu povo, Israel e Judá30,3 Ver nota a 3,6. O reino de Israel fora conquistado pelos assírios, cerca de um século antes da época de Jeremias. Ver 2 Rs 17,1–6. O reino de Judá seria conquistado pelos babilónios pouco antes do fim do ministério de Jeremias. Ver Jr 39,1–10; 52.. Hei de trazê-los para a terra que dei aos seus antepassados e tomarão posse dela novamente. Palavra do Senhor

4Esta é a mensagem que o Senhor dirige ao povo de Israel e Judá:

5«Ouvi um grito de terror,

um grito de medo e não de paz.

6Procurem investigar para ver

se um homem pode dar à luz uma criança.

Por que vejo então cada homem

com as mãos no estômago,

como se fosse uma mulher com dores de parto?

Por que estão todos tão pálidos?

7Eis que vem um dia terrível;

nenhum outro se lhe pode comparar,

tempo de angústia para o povo de Israel!

Mas ele sairá da provação são e salvo!»

8Diz o Senhor todo-poderoso: «Quando esse dia vier, quebrarei o jugo que têm à volta do pescoço e arrancarei as correntes, para que não sejam mais escravos de estrangeiros. 9Hão de servir-me a mim, o Senhor seu Deus, e a um descendente de David, que lhes darei como rei.

10Povo meu30,10 Ver 46,27–28., não tenhas receio;

povo de Israel, não te atemorizes.

Palavra do Senhor!

Livrar-te-ei dessa terra distante,

livrarei os teus filhos do exílio,

voltarás a viver em paz e segurança

e ninguém te meterá mais medo.

11Eu estou contigo e irei em teu socorro.

Destruirei todas as nações

por onde te espalhei,

mas não te destruirei a ti.

Porém não podia deixar de te castigar,

mas fi-lo com equidade.

Palavra do Senhor

12O Senhor diz ao seu povo:

«As vossas feridas são incuráveis;

os vossos males não têm remédio.

13Não há ninguém que cuide de vós,

não há remédio para as vossas feridas,

nem há esperança de restabelecimento.

14Todos os teus amantes se esqueceram de ti,

já não querem saber de ti.

Ataquei-te como se fosse teu inimigo;

o vosso castigo foi severo,

por causa dos muitos pecados,

pois a vossa maldade é grande.

15Por que te queixas das tuas feridas,

da tua dor que não tem cura?

Se vos castiguei assim,

foi por causa dos muitos pecados,

porque a vossa maldade é grande.

16Porém agora aqueles que vos devoram

vão ser devorados,

e todos os vossos inimigos

serão levados prisioneiros.

Os que vos oprimiam serão oprimidos

e os que vos sujeitaram à pilhagem

sofrerão a pilhagem também.

17Restabelecer-vos-ei de novo;

curarei as vossas feridas,

apesar dos vossos inimigos dizerem:

Sião caiu em desgraça;

ninguém quer saber dela.”

Palavra do Senhor

18Diz o Senhor:

«Reconduzirei o meu povo à sua terra

e terei misericórdia das suas famílias30,18 Ver 30,3.;

Jerusalém será reconstruída sobre as ruínas

e o seu palácio, convenientemente restaurado.

19Os que lá vivem cantarão louvores;

gritarão de alegria.

Farei com que cresçam

e se tornem um povo numeroso,

deixarão de ser desprezados

porque os vou encher de honras.

20Restaurarei o antigo poder da nação

e firmá-la-ei de novo, na minha presença,

e castigarei todos os que a oprimirem.

21Da própria nação será o seu chefe

e do meio do povo virá quem o governe.

Deixarei que eles se aproximem de mim,

pois mais ninguém se atreve

a aproximar-se de mim por própria iniciativa.

Palavra do Senhor!

22Vocês serão o meu povo,

e eu serei o vosso Deus.»

23A ira do Senhor é uma tempestade,

um vendaval que cai em redemoinho sobre os maus.

24Não passará até cumprir

tudo o que o Senhor decidiu.

Um dia os maus entenderão

o significado destas palavras.