a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
35

Jeremias e os recabitas

351Quando Joaquim, filho de Josias, era rei de Judá35,1 Ver 22,13 e nota., o Senhor disse a Jeremias:

2«Vai ter com os membros da família dos recabitas35,2 Ver 2 Rs 10,15–16; 1 Cr 2,55. e fala com eles. Leva-os a uma das salas contíguas ao templo e dá-lhes vinho a beber.»

3Então eu chamei os membros da família dos recabitas, com Jazanias, filho de um outro Jeremias, que era filho de Habacinias e os seus irmãos e filhos, 4e levei-os ao templo. Introduzi-os na sala dos discípulos do servo de Deus, Hanan, filho de Jigdalias. Esta sala ficava por cima da de Masseias, filho de Salum, encarregado de guardar a entrada do templo e ficava contígua às salas de outros oficiais. 5Em seguida, diante dos recabitas pus copos e jarros cheios de vinho e disse-lhes: «Bebam vinho!»

6Porém eles responderam: «Nós não bebemos vinho. O nosso antepassado Jonadab, filho de Recab, disse-nos que nem nós, nem os nossos filhos devíamos beber vinho. 7Acrescentou que não construíssemos casas, não fizéssemos sementeiras e não plantássemos vinhas nem as comprássemos. Ordenou-nos que vivêssemos sempre em tendas, para que pudéssemos permanecer nesta terra, onde habitamos como estrangeiros.

8Nós obedecemos a tudo o que Jonadab nos ordenou. Por isso, nunca bebemos vinho, nem as nossas mulheres, nem os nossos filhos e filhas. 9Também não edificamos casas para nossa habitação; não possuímos vinhas, nem campos, nem sementeiras. 10Mas vivemos em tendas e obedecemos estritamente a tudo o que o nosso antepassado Jonadab nos ordenou. 11No entanto, quando o rei Nabucodonosor invadiu o país, decidimos vir para Jerusalém, a fim de escapar ao exército de babilónios e arameus. É por isso que aqui estamos.»

12Então o Senhor todo-poderoso, o Deus de Israel, falou a Jeremias 13e ordenou-lhe que fosse dizer da sua parte ao povo de Judá e de Jerusalém: «Por que é que se recusam a dar-me ouvidos e a obedecer às minhas instruções? Palavra do Senhor! 14Os descendentes de Jonadab obedeceram à sua ordem de não beberem vinho e ainda agora o não bebem. Porém eu tenho-vos avisado sem cessar, e vocês não me quiseram obedecer. 15Repetidamente vos enviei os meus servos, os profetas35,15 Ver 7,25 e nota., que insistiram convosco para mudarem de procedimento e fazerem o que é reto. Preveniram-vos para que não prestassem culto nem servissem a outros deuses, de modo que pudessem continuar a habitar nesta terra que vos dei e aos vossos antepassados. Mas vocês não me quiseram dar ouvidos e não me obedeceram. 16Os descendentes de Jonadab obedeceram à ordem do seu antepassado, mas vocês não me obedeceram.

17Por isso, agora, eu, o Senhor todo-poderoso, o Deus de Israel, farei cair sobre os habitantes de Judá e de Jerusalém a destruição que prometi trazer. Assim farei porque não quiseram ouvir o que vos disse, nem responderam quando vos chamei.»

18Seguidamente Jeremias comunicou aos membros da família dos recabitas o que o Senhor, o Deus de Israel, dissera: «Por terem obedecido à ordem que o vosso antepassado Jonadab vos deu; por terem seguido as suas instruções e cumprido tudo o que ele vos ordenou, 19eu, o Senhor todo-poderoso, Deus de Israel, vos prometo que haverá sempre alguém da descendência de Jonadab, filho de Recab, que terá o privilégio de estar no meu santuário

36

Baruc lê o rolo no templo

361No quarto ano do reinado de Joaquim36,1 Ver 22,13; 25,1 e respetivas notas., filho de Josias, rei de Judá, o Senhor deu a seguinte ordem a Jeremias: 2«Pega num pergaminho e escreve nele tudo o que te disse acerca de Judá e de Israel e das outras nações. Escreve tudo quanto te revelei, desde que comecei a falar-te, desde o tempo em que Josias era rei, até hoje. 3Talvez, quando os habitantes de Judá ouvirem acerca da desgraça que estou a planear trazer contra eles, se arrependam dos seus maus atos. Então perdoar-lhes-ei a sua maldade e os seus pecados

4Jeremias chamou então Baruc, filho de Néria, e ditou-lhe tudo o que o Senhor lhe comunicara. E Baruc escreveu tudo num pergaminho.

5Seguidamente, deu-lhe as seguintes instruções: «Já não tenho autorização de ir ao templo. 6Quero, porém, que tu vás na próxima vez em que o povo jejuar. Deves ler este rolo em voz alta, diante do povo que lá estiver, diante de todo o povo de Judá, para que ouçam tudo o que o Senhor me comunicou e que eu te ditei. 7Talvez eles peçam perdão ao Senhor e se arrependam dos seus maus caminhos, porque o Senhor ameaçou castigar este povo com a sua ira e fúria.»

8Assim Baruc leu no templo as palavras do Senhor escritas no rolo, tal como lhe ordenara o profeta Jeremias. 9No nono mês36,9 Corresponde ao mês de novembro ou dezembro. do quinto ano em que Joaquim era rei de Judá, todo o povo de Jerusalém e todos os que vieram das cidades de Judá foram convocados para uma cerimónia de jejum, no templo do Senhor. 10Nessa altura, Baruc leu, diante de todo o povo, o rolo, com tudo o que eu ditara. Foi no templo, na sala de Guemarias, filho de Chafan, o escriba. Esta sala ficava situada no átrio superior, junto à entrada da Porta Nova do templo.

O rolo é lido diante dos oficiais

11Miqueias, filho de Guemarias e neto de Chafan, ouviu Baruc ler o rolo com tudo o que o Senhor dissera. 12E dirigiu-se, em seguida, para o palácio real, para a sala do escriba, onde os oficiais se encontravam reunidos em sessão. Elisama, o escriba, Delaías, filho de Chemaías, Elnatan, filho de Acbor, Guemarias, filho de Chafan, Sedecias, filho de Hananias e todos os restantes oficiais se encontravam ali. 13E Miqueias comunicou-lhes o que ouvira Baruc ler ao povo.

14Então os oficiais enviaram Jeudi, filho de Netanias, neto de Chelemias, e bisneto de Cuchi, para ir dizer a Baruc que lhes levasse o rolo que acabara de ler diante do povo. E Baruc assim fez. 15Então disseram-lhe: «Senta-te aí e lê-nos esse rolo!» E Baruc leu-o de novo, diante de todos. 16Ao ouvirem tudo aquilo, voltaram-se uns para os outros alarmados e disseram a Baruc: «Temos de comunicar isto ao rei.»

17E perguntaram-lhe ainda: «Diz-nos como é que escreveste isto tudo! Foi Jeremias quem to ditou?»

18Baruc respondeu: «Jeremias ditou-me todas estas palavras e eu escrevi-as com tinta neste rolo.» 19Então replicaram-lhe: «Tu e Jeremias têm de se ir embora e esconder-se. Que ninguém saiba onde vocês estão!»

O rei deita fogo ao rolo

20Os oficiais colocaram o rolo na sala de Elisama, o escriba, e dirigiram-se ao palácio do rei, onde lhe relataram o sucedido.

21Então o rei mandou Jeudi ir buscar o rolo. Jeudi retirou-o da sala de Elisama e leu-o ao rei e a todos os oficiais que estavam presentes junto dele. 22Era inverno, e o rei estava sentado nos seus aposentos de inverno, diante da lareira acesa. 23Quando Jeudi tinha lido três ou quatro colunas, o rei cortou-as com uma pequena faca e atirou-as para a lareira. E assim continuou a fazer até que todo o rolo foi queimado. 24Porém nem o rei nem os seus oficiais, que ouviram tudo isto, tiveram medo nem mostraram sinais de arrependimento. 25E, embora Elnatan, Delaías e Guemarias pedissem ao rei que não queimasse o rolo, ele não quis saber. 26Pelo contrário, ordenou ao príncipe Jeramel36,26 Ou: ao oficial de polícia. Ver Jr 38,6; 1 Rs 22,26–27; 2 Cr 28,7., a Seraías, filho de Azeriel e a Chelemias, filho de Abdiel, que prendessem o profeta Jeremias e o seu secretário Baruc. Porém o Senhor, entretanto, tinha-os escondido.

Jeremias escreve outro rolo

27Depois de o rei Joaquim ter queimado o rolo com as mensagens que Jeremias ditara a Baruc, o Senhor disse a Jeremias: 28«Toma outro pergaminho e escreve nele tudo o que escreveste no primeiro, naquele que Joaquim queimou. 29E diz também a Joaquim, rei de Judá: “Tu queimaste o rolo e perguntaste por que é que Jeremias escreveu que o rei da Babilónia viria e destruiria esta terra e mataria os seus habitantes e animais. 30Por isso, eu, o Senhor, declaro que nenhum dos descendentes do rei Joaquim reinará no trono de David. O seu cadáver será lançado fora e ficará exposto ao sol, de dia, e à geada, de noite. 31Hei de castigá-lo, bem como aos seus descendentes e aos seus oficiais, por causa dos seus pecados. Nem ele nem os habitantes de Jerusalém e de Judá quiseram saber dos meus avisos. Por isso, farei cair sobre eles a desgraça com que os ameacei.”»

32Seguidamente, Jeremias pegou noutro rolo e entregou-o ao seu secretário Baruc, que escreveu tudo quanto ele lhe ditou. Escreveu tudo o que continha o primeiro rolo, que Joaquim tinha queimado e acrescentou ainda muitas outras mensagens semelhantes.

37

Sedecias faz um pedido a Jeremias

371O rei Nabucodonosor da Babilónia colocou Sedecias, filho de Josias, no trono de Judá, em vez de Jeconias37,1 Ver 22,24 e nota., filho de Joaquim. 2Porém nem Sedecias, nem os seus oficiais, nem o povo obedeceram à mensagem que o Senhor transmitira ao profeta Jeremias.

3O rei Sedecias enviou Jeucal, filho de Chelemias, e o sacerdote Sofonias, filho de Masseias, para irem pedir a Jeremias que intercedesse ao Senhor em favor deles.

4Jeremias ainda não tinha sido metido na prisão e ainda se podia movimentar em liberdade, entre o povo. 5O exército da Babilónia continuava a cercar Jerusalém. Porém quando ouviram que o exército egípcio tinha atravessado a fronteira, levantaram o cerco e bateram em retirada.

6Então o Senhor, o Deus de Israel, disse a Jeremias 7que assim falasse aos enviados de Sedecias: «Digam ao rei de Judá, que vos mandou para me consultarem, que o exército egípcio vem a caminho, para te prestar socorro, mas vai voltar para trás. 8Em seguida, os babilónios virão de novo atacar a cidade, para a conquistar e a destruir pelo fogo. 9Eu, o Senhor, previno-te! Não te deixes enganar, pensando que os babilónios não voltarão, porque vão voltar. 10Mesmo que derrotes o exército babilónio, de maneira que só fiquem os feridos, por terra, nas tendas, esses ainda se levantarão e deitarão fogo à cidade inteira.»

Jeremias é preso e posto na cadeia

11O exército da Babilónia retirou-se de Jerusalém, por causa do exército egípcio, que se aproximava. 12Jeremias ia a sair de Jerusalém em direção ao território de Benjamim, a fim de tomar posse da parte que lhe cabia da propriedade de família37,12 Ver Is 34,17; Sl 16,5–6; Mq 2,5.. 13Mal tinha chegado à porta de Benjamim37,13 Porta localizada no norte de Jerusalém., o oficial encarregado dos soldados da guarda àquela porta, um homem chamado Jerias, filho de Chelemias, e neto de Hananias, prendeu o profeta Jeremias e disse-lhe: «Tu estás a desertar para o lado dos babilónios!» 14Pelo que respondi: «Não é verdade! Não estou a desertar!»

Mas Jerias não acreditou; prendeu-o e conduziu-o aos oficiais. 15Estes ficaram furiosos contra Jeremias e mandaram-no açoitar e guardaram-no preso em casa de Jónatas, escriba da corte, cuja casa fora transformada em prisão. 16Puseram Jeremias numa cela subterrânea e mantiveram-no ali por muito tempo.

17Mais tarde, o rei Sedecias mandou buscar Jeremias, e no palácio, perguntou-lhe confidencialmente: «Tens alguma mensagem do Senhor?» Jeremias respondeu: «Tenho sim! Tu serás entregue ao rei da Babilónia.» 18E acrescentou: «Que crime cometi eu contra ti, contra os teus oficiais, ou contra este povo, para me meteres na cadeia? 19Onde estão agora os teus profetas, que te disseram que o rei da Babilónia não te atacaria, nem ao teu país?

20Por isso, ó rei, peço-te que me ouças e faças o que te vou dizer. Peço-te que não me mandes de volta para a cadeia, na casa de Jónatas. Se o fizeres, vou morrer ali.»

21Então o rei Sedecias mandou que Jeremias fosse transferido para o pátio do palácio da guarda e mandou que, cada dia, lhe mandassem um pão da padaria, até se acabar o pão em toda a cidade. E assim ficou Jeremias preso no pátio da guarda.