a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
10

Para quê ter nascido?

101«Estou farto desta minha vida!

Vou dar largas ao meu queixume,

vou mostrar a amargura que me vai na alma.

2Peço a Deus: Não me condenes;

diz-me o que tens contra mim!

3Parece-te bem oprimires-me e desprezares-me,

quando foste tu que me criaste

e enquanto deixas que os maus realizem os seus planos?

4Será que a tua maneira de ver as coisas

é igual à de qualquer homem?

5Será que não tens mais experiência,

mais anos de vida do que qualquer mortal?

6Por que é que tentas encontrar em mim

qualquer culpa ou pecado?

7Sabes bem que não sou culpado

e, mesmo assim, ninguém me livra da tua mão.

8Tu me criaste e modelaste com as tuas mãos;

e agora voltas-te para me destruir?

9Lembra-te que me formaste com o barro!

Vais transformar-me de novo em pó?

10Tu fizeste o meu corpo,

como quem coalha leite, para fazer queijo10,10 Imagem destinada a expressar o progressivo desenvolvimento do feto no ventre materno..

11Teceste-me de ossos e músculos

e cobriste-me de carne e de pele.

12Deste-me a vida e trataste-me com amor

e os teus cuidados têm-me conservado em vida.

13Mas agora sei que no fundo do teu coração

tinhas uma ideia escondida.

14Se eu pecasse, havias de pedir-me contas

e não passavas sem castigar a minha culpa.

15Se fosse culpado, ai de mim!

Mas se eu fosse inocente,

também não poderia levantar a cabeça,

sempre humilhado e coberto de aflição.

16Se levantasse a cabeça, agarravas-me como um leão

e voltavas a fazer prodígios contra mim.

17Intensificavas o teu furor contra mim

e ficavas ainda mais irado comigo,

tratando-me cada vez com mais dureza.

18Então por que me fizeste nascer?

Podia ter morrido, sem ninguém me chegar a ver.

19Seria como se eu não tivesse existido;

do ventre seria levado ao sepulcro.

20Os meus dias são breves!

Que Deus se afaste e me deixe,

para eu poder sorrir um pouco,

21antes de ter de me ir embora,

sem esperança de voltar,

para a terra da sombra e das trevas,

22terra negra e sombria,

de trevas e confusão,

onde até a luz é escuridão.»

11
(Sofar)

Confiança em Deus

111Sofar de Naamá11,1 Ver nota a 2,11. disse, em resposta:

2«Será que tanto palavreado vai ficar sem resposta?

Será o muito falar que dá razão a alguém?

3Os teus discursos podem fazer calar um homem,

podes fazer pouco dos outros, sem que ninguém te envergonhe;

4podes dizer: “O que eu digo é a verdade;

estou sem culpa diante de ti11,4 Ou: podes dizer: “O que eu digo é a verdade! Mas tu é que te consideras sem defeito.”.”

5Oxalá fosse Deus a dirigir-te a palavra,

para pronunciar a sua sentença contra ti.

6Ele te revelaria os segredos da sabedoria,

demasiado profunda para ser compreendida.

E fica a saber que Deus te pede contas da tua iniquidade.

7Serás capaz de compreender o mistério de Deus

e todo o seu imenso poder?

8É mais alto que o céu e mais profundo que o abismo.

Que poderás fazer para o compreender?

9É mais extenso do que a terra

e mais largo do que o mar!

10Se ele prende alguém e o leva a julgamento,

quem lhe poderá resistir?

11Ele sabe quem são os falsos e vê onde está o mal,

sem precisar de grandes esforços.

12Os insensatos hão de ganhar entendimento,

quando um burro selvagem nascer domesticado11,12 Ou: quando um burro selvagem se transformar em homem..

13Mas se te voltares para Deus de coração sincero

e estenderes para ele as mãos em oração,

14se afastares de ti o mal que tiveres cometido

e não deixares que a injustiça se aloje em tua casa,

15então poderás levantar a cabeça sem vergonha,

estarás firme e sem medo.

16Poderás esquecer-te do mal,

só te lembrando dele como águas passadas.

17A tua vida brilhará mais que o Sol do meio-dia

e a escuridão da noite será manhã radiosa.

18Confiante, sentirás que há motivos para ter esperança

e, olhando em volta, vais dormir descansado.

19Nada irá perturbar o teu sono

e muita gente te há de prestar homenagem.

20Os maus ficarão esgotados,

à procura de refúgio sem o encontrarem,

e a sua única esperança é morrer.»

12
(Job)

Deus parece um tirano implacável

121Job respondeu:

2«Realmente, vocês sentem-se importantes

e pensam que, quando morrerem, se acaba a sabedoria!

3Mas eu também tenho inteligência

e não sou menos do que vocês.

Quem é que não sabe tudo isso?

4Estou sujeito ao riso dos amigos!

Chama-se por Deus para que responda

e escarnecem de quem é justo e reto!

5Para os orgulhosos e satisfeitos,

o homem que escorrega é uma coisa desprezível.

6As casas dos ladrões têm prosperidade

e os que provocam a Deus vivem seguros,

pensando que têm Deus na mão12,6 O texto hebraico dos v. 4–6 é de difícil compreensão, motivando traduções divergentes. Talvez haja alusão a práticas mágicas..

7Mas pergunta aos animais que eles te informarão,

todas as aves to darão a conhecer.

8Vai falar com a terra que ela te informará,

os peixes do mar contar-te-ão como é.

9Desta maneira, quem é que não sabe

que tudo o que acontece é obra do Senhor?

10Pois na sua mão está a vida de todos os seres vivos

e o espírito que anima todos os seres humanos12,10 Ou: Da sua mão vem a vida de todos os seres, o sopro da vida é um dom de Deus..

11O ouvido sabe distinguir as palavras,

como o paladar distingue o sabor que lhe agrada.

12A velhice dá sabedoria,

uma vida longa produz inteligência.

13Por isso, ele tem a sabedoria e o poder,

compreende e percebe tudo.

14O que ele destrói não volta a ser construído;

quem ele agarra já não tem escapatória.

15Se ele não deixa cair a chuva, é a seca;

se faz chover demais, as cheias devastam a terra.

16Ele tem poder para triunfar;

a ele pertencem o burlão e a vítima,

17Ele despoja os grandes e manda-os embora

e põe os governantes a ridículo;

18desaperta o cinturão real aos reis12,18 Parece um símbolo da dignidade real, de que os reis são, assim, despojados.

e deixa-os nus diante de todos;

19despoja os sacerdotes e manda-os embora

e derruba os que estavam instalados;

20faz perder a palavra aos presumidos

e tira a sensatez aos velhos;

21põe a ridículo os grandes

e deixa os poderosos sem defesa.

22Põe à vista o que está escondido nas profundezas

e traz à luz do dia o que estava na escuridão.

23Engrandece os povos e depois destrói-os,

fá-los crescer e manda-os para o exílio.

24Tira o entendimento aos chefes do povo

e faz com que percam para sempre o caminho.

25Fá-los andar perdidos, sem encontrarem a luz,

às apalpadelas na escuridão, como se fossem bêbedos.»