a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
1

Jonas tenta fugir de Deus

11Um dia o Senhor deu a Jonas, filho de Amitai, a seguinte ordem: 2«Anda! Vai à Nínive, a grande cidade1,2 Nínive. Capital do império assírio. e avisa os seus habitantes de que eu tenho conhecimento do mal que têm feito.»

3Mas Jonas decidiu fugir para longe de Deus, indo para Társis1,3 Társis. Porto do Mediterrâneo, considerado muito distante. Uma hipótese provável é identificá-lo com Tartessos, no sudeste da Península Ibérica.. Dirigiu-se a Jafa1,3 Jafa. Servia de porto marítimo a Jerusalém. Hoje é um bairro antigo de Tel-Avive., onde encontrou um barco que ia para Társis. Pagou a passagem e entrou no barco para seguir com os seus tripulantes para Társis, fugindo do Senhor.

4Porém o Senhor fez com que um vento forte soprasse sobre o mar e levantou-se uma enorme tempestade, de tal modo que o barco parecia que ia despedaçar-se. 5Cheios de medo, os marinheiros pediam ajuda cada um ao seu deus e atiraram ao mar a carga que levavam no barco, para assim o aliviarem.

Jonas, esse, tinha descido ao porão do navio para se deitar e dormia profundamente. 6O capitão do navio foi ter com ele e perguntou-lhe: «Que fazes aqui? Estás aí a dormir? Levanta-te e pede ajuda ao teu Deus. Talvez ele se queira interessar por nós e não nos deixe morrer.»

7Entretanto os marinheiros diziam uns para os outros: «Vamos tirar à sorte, para sabermos quem é culpado desta desgraça que caiu sobre nós.» Tiraram à sorte e esta caiu sobre Jonas. 8Disseram-lhe então: «Diz-nos de quem nos vem este mal! O que fazes aqui? De onde és tu? Qual é a tua terra e o teu povo?»

9Jonas respondeu-lhes: «Eu sou um hebreu e adoro o Senhor, o Deus do céu, que fez o mar e a terra firme.» 10E contou-lhes o que lhe acontecera. Eles ficaram cheios de medo, ao saberem que Jonas ia a fugir de Deus e perguntaram-lhe: «Que fizeste? 11Que vamos agora fazer de ti, para o mar se acalmar e acabar a tempestade, que nos ameaça cada vez mais?»

12Jonas respondeu-lhes: «Peguem em mim e atirem-me ao mar que ele ficará calmo. Eu sei que é por minha causa que esta grande tempestade veio contra vocês.»

13Os marinheiros remavam com toda a força, para voltarem para terra, mas não conseguiam nada, porque a tempestade era cada vez mais forte contra eles. 14Pediram então ajuda ao Senhor, clamando: «Ó Senhor, que nós não tenhamos de morrer por causa deste homem! Nem faças recair sobre nós o sangue inocente, pois tudo aconteceu como quiseste.»

15Depois agarraram em Jonas e atiraram-no ao mar, e a fúria do mar acalmou. 16Os marinheiros ficaram muito impressionados com o poder do Senhor, ofereceram-lhe um sacrifício e fizeram promessas em sua honra.

2

Oração de Jonas

21O Senhor mandou um peixe enorme que engoliu Jonas e ficou dentro do peixe três dias e três noites2,1 Ver Mt 12,40.. 2De dentro do peixe, Jonas dirigiu ao Senhor, seu Deus, 3a seguinte oração:

«Quando eu estava na angústia, invoquei-te, Senhor,

e tu respondeste-me;

do fundo do abismo, gritei por ti

e ouviste o meu pedido.

4Atiraste comigo para as profundezas do mar

e a corrente envolveu-me;

as tuas ondas e as tuas vagas

passaram por cima de mim.

5Pensei que me tivesses expulsado

para longe da tua presença.

Como poderia voltar a ver

o teu santo templo2,5 Ou: Contudo tornarei a ver o teu santo templo?

6As águas cobrem-me até à garganta,

o abismo engoliu-me,

as algas enrolaram-se-me à cabeça.

7Desci até aos alicerces das montanhas

e os ferrolhos da morte fecharam-se

atrás de mim para sempre2,7 Alusão ao mundo dos mortos. Ver v. 3..

Mas tu, Senhor, fizeste-me sair vivo do sepulcro.

8Quando eu estava a desfalecer,

lembrei-me de ti, Senhor,

apresentei-te a minha oração,

que chegou ao teu santo templo.

9Aqueles que adoram ídolos sem valor

quebram a fidelidade para contigo.

10Mas eu, com hinos de gratidão,

hei de oferecer-te um sacrifício

e cumprirei as minhas promessas.

Só tu, Senhor, podes livrar-nos do perigo!»

11E o Senhor fez com que o peixe fosse vomitar Jonas em terreno firme.

3

Arrependimento dos habitantes de Nínive

31O Senhor deu novamente a Jonas a mesma ordem: 2«Anda! Vai agora a Nínive, a grande cidade, e anuncia aos seus habitantes aquilo que eu te disse.»

3E Jonas foi então para Nínive, como o Senhor lhe tinha ordenado. Ora, Nínive era uma cidade muito grande, que levava três dias a atravessar a pé. 4Entrando na cidade, Jonas foi caminhando por ela, durante um dia, e ia dizendo em voz alta: «Dentro de quarenta dias, Nínive vai ser destruída!»

5Os habitantes de Nínive, grandes e pequenos, todos acreditaram em Deus3,5 Ver Mt 12,41; Lc 11,30.32., proclamaram um jejum e vestiram-se de saco em sinal de penitência3,5 Sobre o uso de tecidos ásperos como expressão de luto ou penitência, ver 2 Rs 6,30; Gn 37,34; Is 15,3.. 6Quando a notícia chegou ao rei de Nínive, também ele desceu do seu trono e tirou o manto real. Vestiu-se igualmente de saco, e sentou-se na cinza3,6 Ver Ez 27,30.. 7Depois mandou proclamar por toda a cidade, em seu nome e em nome dos seus ministros: «Ninguém deve comer nem beber nada e ninguém deve dar de comer ou beber aos seus gados, vacas ou ovelhas. 8Vistam-se todos de saco, em sinal de penitência, tanto animais como homens; invoquem a Deus com fervor e deixe cada um o seu mau comportamento e os crimes que têm cometido. 9Talvez assim Deus queira renunciar às suas intenções e se acalme o seu furor, para não termos de morrer.»

10Deus viu que eles tinham deixado realmente o seu mau comportamento e decidiu não os castigar, como antes tinha declarado que havia de fazer.