a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
2

Sábios do Oriente adoram o Messias

21Jesus nasceu em Belém, na região da Judeia, no tempo do rei Herodes. Depois do seu nascimento, chegaram uns sábios do Oriente a Jerusalém 2e perguntaram: «Onde está o rei dos judeus que acaba de nascer? É que nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo.»

3Quando ouviu isto, o rei Herodes ficou muito perturbado e com ele a população de Jerusalém. 4Mandou reunir todos os chefes dos sacerdotes mais os doutores da lei e perguntou-lhes onde haveria de nascer o Messias. 5Responderam: «Em Belém da Judeia, conforme o que o profeta escreveu: 6Tu, Belém, terra de Judá, não és de modo nenhum a menor entre as terras principais da Judeia, porque de ti é que há de vir um chefe que será opastor do meu povo de Israel2,6 Citação de Mq 5,1.

7Então Herodes chamou à parte os sábios e perguntou-lhes quando é que exatamente a estrela lhes tinha aparecido. 8Depois mandou-os a Belém com esta recomendação: «Vão, informem-se cuidadosamente acerca do menino e, quando o encontrarem, venham-me dizer para eu ir também adorá-lo.»

9Depois de ouvirem o rei, os sábios partiram. Nisto, repararam que a estrela que tinham observado a oriente ia adiante deles, até que parou por cima do lugar onde se encontrava o menino. 10Ao verem a estrela, sentiram uma alegria enorme. 11Quando entraram na casa, viram o menino com Maria, sua mãe, e inclinaram-se para o adorar. Depois abriram os cofres e fizeram-lhe as suas ofertas de ouro, incenso e mirra. 12Então Deus avisou-os por meio dum sonho, para não voltarem a encontrar-se com Herodes. E eles partiram para a sua terra por outro caminho.

Fuga para o Egito

13Depois de se terem ido embora, um anjo do Senhor apareceu a José, num sonho, e disse-lhe: «Levanta-te, toma o menino mais a sua mãe e foge com eles para o Egito. Deixa-te lá estar até que eu te diga, porque Herodes vai procurar a criança para a matar.» 14José levantou-se, tomou o menino com a sua mãe e pôs-se a caminho, de noite, para o Egito. 15Ficou lá até à morte de Herodes. Assim se cumpriu o que o Senhor tinha dito pelo profeta: Chamei do Egito o meu filho2,15 Citação de Os 11,1..

Massacre das criancinhas

16Quando Herodes percebeu que os sábios o tinham enganado, ficou furioso e mandou matar, em Belém e nos arredores, todos os meninos de dois anos para baixo, conforme o tempo que ele tinha apurado pelas palavras dos sábios. 17Foi assim que se cumpriu o que o profeta Jeremias tinha dito:

18Em Ramá se ouviu um grito,

choro amargo, imensa dor.

É Raquel a chorar os filhos;

e não quer ser consolada,

porque eles já não existem2,18 Citação de Jeremias 31,15..

Regresso do Egito

19Depois da morte de Herodes, um anjo do Senhor apareceu em sonhos a José, no Egito, 20e disse-lhe: «Levanta-te, toma o menino e sua mãe e volta para a terra de Israel, porque já morreram aqueles que procuravam tirar a vida ao menino.» 21José levantou-se, tomou o menino com a sua mãe e voltou para a terra de Israel. 22Mas, quando soube que Arquelau2,22 Arquelau reinou aproximadamente de 4 a.C. a 6 d.C. reinava na Judeia em lugar de seu pai Herodes, teve medo de ir para lá. Tendo recebido novas instruções de Deus por meio dum sonho partiu para a região da Galileia. 23Ali fixou residência numa terra chamada Nazaré. Foi assim que se cumpriu aquilo que foi dito pelos profetas: Ele há de chamar-se Nazareno2,23 O título Nazareno, alusivo a Nazaré, foi dado a Jesus (Mt 21,11) e aos primeiros cristãos (At 24,5). Não se sabe a que texto do Antigo Testamento fará alusão este versículo..

3

Pregação de João Batista

(Marcos 1,1–8; Lucas 3,1–18; João 1,19–28)

31Naquele tempo apareceu João Batista no deserto da Judeia a pregar assim: 2«Arrependam-se, porque o reino dos céus está próximo.» 3Foi a respeito dele que o profeta Isaías falou, quando disse: Alguém grita no deserto: preparem o caminho do Senhor e tornem direitas as suas estradas3,3 Citação de Is 40,3 segundo a antiga tradução grega..

4João usava uma vestimenta de pelo de camelo, apertada com uma cintura de couro, e alimentava-se de gafanhotos e de mel apanhado no campo. 5Os habitantes de Jerusalém e de toda a região da Judeia, assim como do vale do Jordão, iam ter com ele. 6Confessavam os seus pecados e ele batizava-os no rio Jordão.

7Quando João viu que muitos fariseus e saduceus iam ter com ele para serem batizados, disse-lhes: «Raça de víboras! Quem vos disse que podiam escapar do castigo que se aproxima? 8Mostrem pelo fruto das vossas ações que estão verdadeiramente arrependidos. 9E não andem por aí a dizer: “Abraão é nosso pai!” Pois eu garanto-vos que Deus até destas pedras pode suscitar filhos de Abraão. 10O machado já está prestes a cortar as árvores pela raiz. Toda a árvore que não der bons frutos será abatida e lançada no fogo. 11Eu batizo-vos em água como sinal de arrependimento. Mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu; não mereço sequer a honra de lhe levar as sandálias! Ele há de batizar-vos no Espírito Santo e no fogo. 12Tem nas mãos a pá e vai separar, na sua eira, o trigo da palha. Guardará o trigo no celeiro e queimará a palha numa fogueira que não se apaga.»

Batismo de Jesus

(Marcos 1,9–11; Lucas 3,21–22)

13Nessa altura Jesus deslocou-se da Galileia ao rio Jordão para ser batizado por João Batista. 14Este, porém, negava-se a isso exclamando: «Sou eu quem tem necessidade de ser batizado por ti e tu é que vens ter comigo?» 15Mas Jesus respondeu: «Deixa lá. É bom cumprirmos deste modo toda a vontade de Deus.» E João concordou em batizá-lo.

16Assim que foi batizado, Jesus saiu da água. Nesse momento, abriram-se os céus e viu o Espírito de Deus a descer do céu por cima de si, como uma pomba. 17E uma voz do céu dizia: «Este é o meu Filho querido. Tenho nele a maior satisfação3,17 Comparar com Sl 2,7; Is 42,1.

4

Jesus é tentado

(Marcos 1,12–13; Lucas 4,1–13)

41Em seguida, Jesus, conduzido pelo Espírito Santo, retirou-se para o deserto a fim de ser ali tentado pelo Diabo. 2Depois de passar quarenta dias e quarenta noites sem comer, Jesus teve fome. 3O tentador aproximou-se dele e disse: «Se és filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães.» 4Jesus respondeu: «A Sagrada Escritura diz: Não se vive só de pão, mas também de toda a palavra que vem de Deus4,4 Ver Dt 8,3.

5Então o Diabo levou-o à cidade santa, colocou-o no ponto mais alto do templo, 6e disse-lhe: «Se és o filho de Deus, atira-te daqui abaixo, porque diz a Escritura: Deus dará ordens aos seus anjos a teu respeito: eles hão de segurar-te nas mãos para evitar que magoes os pés contra as pedras4,6 Ver Sl 91,11–12.

7«Mas a Escritura diz também: Não tentarás o Senhor teu Deus4,7 Ver Dt 6,16.», respondeu Jesus.

8O Diabo levou-o ainda a um monte muito alto, mostrou-lhe dali todos os países do mundo com as suas grandezas 9e disse: «Tudo isto te darei se de joelhos me adorares.» 10Jesus respondeu: «Vai-te, Satanás! A Escritura diz: Adorarás o Senhor teu Deus e só a ele prestarás culto4,10 Ver Dt 6,13.

11O Diabo então deixou-o e aproximaram-se alguns anjos que começaram a servi-lo.

Jesus inicia a sua atividade na Galileia

(Marcos 1,14–15; Lucas 4,14–15)

12Quando Jesus soube que João Batista tinha sido preso, retirou-se para a Galileia. 13Deixou Nazaré para ir viver em Cafarnaum, uma cidade à beira do lago nos limites de Zabulão e Neftali4,13 Zabulão e Neftali. Tribos do norte de Israel.. 14Aconteceu assim para que se cumprissem estas palavras de Isaías:

15Terras de Zabulão e de Neftali,

da beira-mar e de além do Jordão,

Galileia dos pagãos!

16O povo mergulhado na escuridão

viu uma grande luz!

Luz que brilhou

para os que estavam na região escura da morte4,16 Citação de Is 8,3—9,1..

17Daí em diante Jesus começou a pregar: «Arrependam-se, porque o reino dos céus está a chegar.»

Primeiros companheiros de Jesus

(Marcos 1,16–20; Lucas 5,1–11)

18Caminhava Jesus junto ao lago da Galileia quando viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e André, que andavam a lançar as redes no lago pois eram pescadores. 19Jesus disse-lhes: «Venham comigo e eu vos farei pescadores de homens.» 20Ambos largaram imediatamente as redes e foram com ele. 21Um pouco mais adiante, Jesus viu outros dois irmãos, Tiago e João, filhos de Zebedeu, que estavam no barco com o pai, a consertar as redes, e chamou-os. 22Eles, deixando logo o barco e o pai, seguiram Jesus.

Jesus percorre a Galileia

(Lucas 6,17–19)

23Jesus andava por toda a Galileia, ensinava nas sinagogas, pregava a boa nova do reino e curava o povo de todas as doenças e sofrimentos. 24Ouvia-se falar dele por toda a Síria. Traziam-lhe os que sofriam de várias doenças e males, os que tinham espíritos maus, os epiléticos e os paralíticos. E Jesus curava-os a todos. 25Acompanhava-o uma enorme multidão que vinha da Galileia, das Dez Cidades, de Jerusalém, da Judeia e de além do Jordão.