a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
1

11Livro da visão profética de Naum, natural de Elcós, mensagem a respeito da cidade de Nínive1,1 Nínive. Capital e símbolo do império assírio..

O Senhor vinga-se dos inimigos

2O Senhor é um Deus que não tolera infidelidade1,2 Literalmente: Deus é ciumento.

e castiga com muita dureza e muita indignação,

tira vingança dos seus inimigos

e castiga aqueles que se lhe opõem.

3O Senhor é paciente,

mas o seu poder é imenso

e não deixa de castigar o culpado.

Ele faz caminho no furacão e na tempestade,

as nuvens são como o pó que os seus pés levantam.

4Ameaça o mar e ele seca

e faz secar todos os rios.

Faz murchar as pastagens de Basã

e da montanha do Carmelo,

bem como as flores do Líbano.

5Diante dele, tremem as montanhas

e derretem-se as colinas.

Ao vê-lo, estremece a terra e todos os que nela habitam.

6Quem poderá suportar a sua indignação?

Quem poderá resistir ao furor da sua ira?

A ira do Senhor alastra como um incêndio,

capaz de fazer quebrar os próprios rochedos.

7O Senhor é bom,

é refúgio no momento da tribulação.

Protege os que nele confiam,

8mas destruirá os seus inimigos com a inundação devastadora,

e as trevas perseguem os seus adversários1,8 Ou: Com a inundação devastadora destruirá o seu lugar, e perseguirá os seus adversários mesmo nas trevas..

9Que estão vocês a planear contra o Senhor1,9 Ou: Que imaginam vocês contra o Senhor??

Ele vai provocar uma enorme destruição!

Ninguém se lhe opõe duas vezes.

10Mesmo embriagados de raiva,

os seus inimigos serão queimados

como espinhos em molhos

e como palha bem seca devorados pelo fogo.

11De ti, cidade de Nínive,

saiu alguém com intenções perversas

que procura o mal contra o Senhor.

12Mas o Senhor diz ao seu povo:

«Ainda que os assírios sejam fortes e numerosos,

serão destruídos e desaparecerão completamente.

Eu fiz-te sofrer mas não voltarei mais a fazê-lo.

13Agora vou libertar-te do jugo inimigo

e quebrar as cadeias que te prendem.»

14E quanto a ti, cidade de Nínive,

o Senhor declara o seguinte:

«Não terás descendentes que continuem o teu nome.

Destruirei os teus ídolos de madeira e de metal

e vou preparar-te a sepultura, porque és desprezível.»

2

Alegria em Jerusalém

21Povo de Judá, já vem sobre os montes

aquele que anuncia a paz!

Celebra as tuas festas, cumpre as tuas promessas,

porque os inimigos não voltarão a invadir o teu território.

Foram totalmente destruídos.

2A força inimiga avança. Reforça as tuas defesas2,2 Em algumas versões, o cap. 2 começa aqui e o versículo anterior pertence ao capítulo 1.!

Vigia os caminhos e arma-te de coragem;

retoma todas as tuas forças.

3O Senhor vai restaurar a antiga glória dos descendentes de Jacob,

do povo de Israel, que os inimigos saquearam

e deixaram como uma videira sem os seus ramos.

Assalto e destruição de Nínive

4Os guerreiros inimigos vestem-se de púrpura

e os seus escudos são vermelhos.

Quando se lançam ao ataque,

os carros brilham como fogo e as lanças agitam-se.

5Os carros avançam impetuosamente

correndo pelas ruas e pelas praças.

O seu aspeto é como de tochas acesas

e são velozes como relâmpagos.

6Chama os seus oficiais

e eles correm precipitadamente para as muralhas,

o abrigo móvel está preparado.

7As portas do lado do rio2,7 Ou: As comportas dos rios. são arrombadas

e o palácio real é arrasado.

8Levam consigo a estátua da deusa2,8 Trata-se da deusa assíria Ishtar.

e as mulheres que cuidavam dela gemem como pombas

e batem no peito com tristeza.

9Os habitantes de Nínive são como água

que se escapa dum tanque arrombado.

Grita-se: «Parem! Parem!»,

mas ninguém volta para trás.

10Roubem a prata, roubem o ouro!

As riquezas de Nínive não têm fim.

A cidade está repleta de objetos preciosos.

11Roubo, pilhagem, devastação!

Derrete-se o coração.

Tremem as pernas, acabam-se as forças

e os rostos ficam pálidos!

12Que resta do covil dos leões,

do abrigo onde tinham os seus filhotes?

Ali se sentiam seguros os leões com as suas crias

e ninguém os ia incomodar.

13O leão matava e despedaçava a sua presa

para as leoas e para os filhos

e enchia as suas tocas com a carne das vítimas.

14O Senhor todo-poderoso afirma:

«Sou eu que vou intervir contra ti.

Vou reduzir a cinzas os teus carros de guerra.

Os teus filhos guerreiros2,14 Literalmente: leõezinhos. serão passados à espada

e acabarei com as rapinas que espalhas pela terra.

Não mais se ouvirá a voz dos teus mensageiros.»