a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
26

261O Senhor falou a Moisés e ao sacerdote Eleazar, filho de Aarão: 2«Façam o recenseamento de toda a comunidade dos israelitas, com mais de vinte anos de idade e aptos para o exército, registando-os por clãs26,2 Todos os homens recenseados no cap. 1 tinham já morrido; ver 26,64–65.

3Moisés e o sacerdote Eleazar dirigiram-se aos israelitas, nas planícies de Moab, junto ao Jordão, em frente de Jericó, dizendo-lhes 4que tinham de ser recenseados todos os israelitas com mais de vinte anos de idade, tal como o Senhor tinha ordenado a Moisés.

Esta é a lista dos israelitas que saíram do Egito, segundo as suas tribos. 5As famílias descendentes da tribo de Rúben, o filho mais velho de Jacob, eram as de Henoc, Palu, 6Hesron e Carmi; 7o total de recenseados das famílias de Rúben foi de quarenta e três mil setecentos e trinta homens. 8De Palu nasceu Eliab 9e de Eliab, Nemuel, Datan e Abiram. Datan e Abiram foram aqueles conselheiros da comunidade que se revoltaram contra Moisés e Aarão, quando o grupo de Coré se revoltou contra o Senhor. 10A terra abriu-se e engoliu-os a eles e a Coré. E morreram todos os do grupo, porque o fogo devorou outros duzentos e cinquenta homens. E isto serviu de aviso. 11Mas os filhos de Coré não morreram.

12As famílias descendentes da tribo de Simeão eram as de Nemuel, Jamin, Jaquin, 13Zera e Saul. 14O total de recenseados da tribo de Simeão foi de vinte e dois mil e duzentos homens.

15As famílias descendentes da tribo de Gad eram as de Safon, Hagui, Chuni, 16Ozni, Eri, 17Arod, Areli. 18O total de recenseados da tribo de Gad foi de quarenta mil e quinhentos homens.

19Dos filhos de Judá tinham morrido Er e Onan, ainda na terra de Canaã. 20Deste modo, as famílias descendentes da tribo de Judá eram as de Chela, Peres e Zera. 21As famílias descendentes de Peres eram as de Hesron e Hamul. 22O total dos recenseados da tribo de Judá foi de setenta e seis mil e quinhentos homens.

23As famílias descendentes da tribo de Issacar eram as de Tola, Puva, 24Jassub e Chimeron. 25O total dos recenseados da tribo de Issacar foi de sessenta e quatro mil e trezentos homens.

26As famílias descendentes da tribo de Zabulão eram as de Séred, Elon e Jaliel. 27O total dos recenseados da tribo de Zabulão foi de sessenta mil e quinhentos homens.

28As famílias descendentes de José constituíam as famílias de Manassés e Efraim. 29As famílias descendentes da tribo de Manassés eram a de Maquir, a do seu filho Guilead 30e as dos filhos deste último: Iézer, Helec, 31Asriel, Sequém, 32Chemidá, Héfer. 33Selofad, que era filho de Héfer, não tinha filhos; só teve filhas e estas eram Mala, Noa, Hogla, Milca e Tirça. 34O total dos recenseados da tribo de Manassés foi de cinquenta e dois mil e setecentos homens. 35As famílias descendentes da tribo de Efraim eram as de Chutela, Béquer e Taan. 36Os descendentes de Chutela eram os da família de Eran. 37O total dos recenseados da tribo de Efraim foi de trinta e dois mil e quinhentos. As famílias destas duas tribos compreendiam todos os descendentes de José.

38As famílias dos descendentes da tribo de Benjamim eram as de Bela, Asbel, Airam, 39Chefufam e Hufam. 40As famílias descendentes de Bela eram as de Arde e Naaman. 41O total dos recenseados da tribo de Benjamim foi de quarenta e cinco mil e seiscentos homens.

42As famílias dos descendentes da tribo de Dan eram as do clã de Chuam. 43O total dos recenseados do clã de Chuam foi de sessenta e quatro mil e quatrocentos homens.

44As famílias dos descendentes da tribo de Asser eram as de Jímena, Jisvi e Beria. 45As famílias descendentes de Beria eram as de Héber e Malquiel. 46Asser tinha uma filha chamada Sera. 47O total dos recenseados da tribo de Asser foi de cinquenta e três mil e quatrocentos homens.

48As famílias dos descendentes da tribo de Neftali eram as de Jaciel, Guni, 49Jécer e Chilém. 50O total dos recenseados da tribo de Neftali foi de quarenta e cinco mil e quatrocentos homens.

51O total de israelitas recenseados foi de seiscentos e um mil setecentos e trinta homens.

Normas para a repartição da terra

52O Senhor disse a Moisés: 53«Entre estas pessoas é que deve ser repartida a terra, conforme o número de homens recenseados. 54Aos grupos maiores deves dar uma parte maior e aos mais pequenos, uma parte mais pequena; cada um deve receber conforme o número dos recenseados. 55Mas a distribuição das terras deve ser tirada à sorte; e conforme o número das pessoas de cada tribo assim receberão a herança. 56A distribuição deve ser feita por tiragem à sorte tanto no grupo dos numerosos como no dos menos numerosos26,56 Sobre os v. 52–56, ver Nm 33,54; 34,13; Js 14,1–2.

Segundo recenseamento dos levitas

57As famílias dos descendentes da tribo de Levi contadas no recenseamento foram as de Gerson, Queat e Merari. 58As famílias de Libni, Hebron, Mali, Muchi e Corá eram também famílias levitas26,58 Ver Ex 6,17–29.24..

Queat foi o pai de Ameram. 59Ameram casou com uma filha de Levi, que se chamava Jocbed e tinha nascido quando Levi estava no Egito. Ameram e Jocbed foram os pais de Aarão, Moisés e Míriam, sua irmã. 60Os filhos de Aarão foram Nadab, Abiú, Eleazar e Itamar26,60 Ver Nm 3,2; Ex 6,23.. 61Nadab e Abiú morreram, quando apresentavam diante do Senhor uma oferta de incenso que não estava conforme com as normas26,61 Ver Nm 3,4; Lv 10,1–7..

62O total dos recenseados descendentes de Levi, com mais de um mês de idade, foi de vinte e três mil homens. Eles não tinham sido incluídos no recenseamento dos outros israelitas, porque também não eram contemplados na distribuição das terras.

Conclusão do recenseamento

63Este foi o resultado do recenseamento dos israelitas feito por Moisés e pelo sacerdote Eleazar nas planícies de Moab, junto do Jordão, em frente de Jericó.

64Entre estes recenseados não se encontrava nenhum daqueles que faziam parte do recenseamento feito por Moisés e pelo sacerdote Aarão, no deserto do Sinai26,64 Ver Cap. 1 e 3.. 65O Senhor tinha-lhes anunciado que iam morrer no deserto. Por isso, já não restava nenhum deles, exceto Caleb, filho de Jefuné, e Josué26,65 Ver 14,24–38., filho de Nun.

27

A herança das mulheres

271Na tribo de Manassés, havia cinco irmãs, Mala, Noa, Hogla, Milca e Tirça, que eram filhas de Selofad e descendentes de José por Manassés, Maquir, Guilead e Héfer. 2Um dia apresentaram-se diante de Moisés e do sacerdote Eleazar, dos chefes e de toda a comunidade, à entrada da tenda do encontro e disseram: 3«O nosso pai morreu no deserto, mas não pertencia ao grupo daqueles que, juntamente com Coré, se revoltaram contra o Senhor. O nosso pai morreu por pecados que ele cometeu e não deixou filhos herdeiros. 4Por que é que o nome do nosso pai haveria de desaparecer da família, por causa de não ter tido filhos? Dá-nos o direito de tomarmos parte na herança, tal como os irmãos do nosso pai.»

5Moisés foi apresentar a causa delas diante do Senhor 6e o Senhor disse a Moisés: 7«As filhas de Selofad têm razão. Deves dar-lhes o direito de terem parte na herança, tal como os irmãos de seu pai e fazer com que elas recebam as heranças do seu pai27,7 Ver 36,2.. 8Além disso, diz aos israelitas que, no caso de um homem morrer sem deixar filhos, a sua herança passa para as filhas. 9Se também não tiver filhas, a herança deve passar para os irmãos. 10Se também não tiver irmãos, a herança passa aos irmãos do seu pai. 11Se o seu pai também não tiver irmãos, a herança passa para o seu parente mais próximo. É esse que ficará com a herança. Esta é a lei válida para os israelitas, tal como o Senhor ordenou a Moisés.»

Josué escolhido para suceder a Moisés

12O Senhor disse a Moisés: «Sobe ali ao monte Abarim27,12 O monte Abarim pertence à cadeia montanhosa que domina a margem leste do Jordão e do mar Morto., para veres a terra que eu vou dar aos israelitas. 13E, depois de a teres visto, irás tu também juntar-te aos teus antepassados que morreram, como o teu irmão Aarão já foi. 14Pois revoltaram-se contra as minhas ordens no deserto de Sin, quando o povo protestava, pedindo água, e recusaram-se a reconhecer a minha santidade. Foi o que aconteceu na nascente de Meriba27,14 Ver Nm 20,1–13. E ainda Dt 3,23–27; 32,48–52., em Cadés, no deserto de Sin.»

15Moisés disse ao Senhor: 16«Ó Senhor, tu és o Deus que dá vida a todos os seres vivos; nomeia um chefe para este povo, 17um chefe que esteja à sua frente para onde quer que vá, de modo que o teu povo não ande como um rebanho que não tem pastor27,17 Ver 1 Rs 22,17; Ez 34,5; Mt 9,36; Mc 6,34.

18O Senhor respondeu a Moisés: «Chama Josué, filho de Nun, que é um homem de muitas qualidades. Põe as tuas mãos sobre a sua cabeça 19e leva-o à presença do sacerdote Eleazar e de toda a comunidade. Diante deles, dá-lhe instruções 20e entrega-lhe parte das responsabilidades que tens, de modo que todo o povo seja testemunha disso27,20 Ou: para que todo o povo lhe obedeça.. 21Estando ele assim diante do sacerdote Eleazar, este deve consultar o Senhor por meio dos dados sagrados27,21 Trata-se do Urim. Ver Ex 28,30 e nota.. Tanto Josué como o povo de Israel devem, em qualquer circunstância, seguir as suas ordens27,21 Ou: E Josué é que deve dar ordens aos israelitas, em tudo o que tiverem de fazer.

22Moisés fez como o Senhor lhe tinha mandado. Chamou Josué e foi apresentá-lo diante do sacerdote Eleazar e de toda a comunidade; 23colocou as mãos sobre a cabeça de Josué e deu-lhe instruções, tal como o Senhor tinha mandado.

28

As ofertas diárias

281O Senhor disse a Moisés: 2«Ordena aos israelitas e recomenda-lhes que não deixem de me apresentar no tempo fixado as ofertas de pão e as que devem ser queimadas como oferta do meu agrado.

3Diz-lhes também que estas são as ofertas que devem queimar em honra do Senhor: diariamente, dois cordeiros de um ano, sem defeito. É um holocausto a oferecer diariamente. 4Um dos cordeiros deve ser oferecido pela manhã e o outro ao cair da noite. 5A correspondente oferta de cereais deve ser de dois quilos da melhor farinha amassada em um litro de azeite puro. 6É este o holocausto diário, como se fazia no monte Sinai, holocausto do agrado do Senhor e oferta que era queimada em sua honra.

7A correspondente oferta de vinho a acompanhar o cordeiro da manhã será de um litro. E esta oferta de vinho deve derramar-se no santuário, em honra do Senhor.

8O segundo cordeiro deve ser oferecido ao cair da noite, com a mesma oferta de cereais e de vinho indicada para o cordeiro da manhã, como oferta a ser queimada em honra do Senhor e que é do seu agrado.»

Ofertas do sábado

9«Aos sábados, devem oferecer dois cordeiros de um ano, sem defeito, e quatro quilos da melhor farinha amassada com azeite, como oferta de cereais, com a correspondente oferta de vinho. 10Este é um holocausto próprio de cada sábado, que deve ser acrescentado ao holocausto diário com a sua oferta de vinho.»

Ofertas mensais

11«No primeiro dia de cada mês, devem oferecer em holocausto ao Senhor dois touros, um carneiro e sete cordeiros de um ano, todos sem defeito. 12Por cada touro devem oferecer seis quilos da melhor farinha amassada com azeite; por cada carneiro, quatro quilos de farinha amassada com azeite 13e por cada cordeiro, dois quilos de farinha amassada com azeite. É um holocausto agradável ao Senhor, uma oferta a ser queimada em sua honra.

14A oferta correspondente de vinho deve ser de dois litros por cada touro, litro e meio por cada carneiro e um litro por cada cordeiro.

Este é o holocausto próprio do primeiro dia do mês, para todos os meses do ano. 15E além do holocausto diário, devem ainda oferecer ao Senhor um bode como sacrifício pelo pecado, acrescentando-lhe a correspondente oferta de vinho.»

Ofertas da Páscoa

16«No dia catorze do primeiro mês28,16 Ver Ex 12,1–13., celebra-se a Páscoa em honra do Senhor 17e no dia quinze do mesmo mês é o primeiro dia de festa. Durante sete dias devem comer pão sem fermento. 18No primeiro dia, devem reunir-se para adorar o Senhor e não devem fazer nenhuma espécie de trabalho. 19E devem apresentar, como oferta para ser queimada em holocausto ao Senhor, dois touros, um carneiro e sete cordeiros de um ano, sem defeito. 20Como oferta de cereais correspondente a eles, devem apresentar seis quilos de farinha por cada touro, quatro pelo carneiro 21e dois quilos por cada um dos sete cordeiros. 22Devem oferecer também um bode como sacrifício para obter o perdão dos pecados. 23Estas ofertas devem ser apresentadas, além dos holocaustos da manhã, que fazem parte do holocausto diário. 24E assim devem fazer em cada um dos sete dias da festa, apresentando alimentos e ofertas para serem queimados em honra do Senhor, e que serão do seu agrado, além dos holocaustos diários; devem acrescentar ainda a correspondente oferta de vinho. 25No sétimo dia, devem fazer uma assembleia de oração em honra do Senhor e não devem fazer nenhuma espécie de trabalho28,25 Sobre os v. 17–25, ver Ex 12,14–20.

Ofertas do Pentecostes

26«No dia da festa dos primeiros frutos, quando fizerem a nova oferta ao Senhor, isto é, na festa do Pentecostes28,26 A festa do Pentecostes chama-se também festa da Ceifa. Ver Ex 23,16; 34,22; Lv 23,15–21; Dt 16,9–12., devem também reunir-se para adorar o Senhor e não devem fazer nenhuma espécie de trabalho. 27E devem oferecer, em holocausto agradável ao Senhor, dois touros, um carneiro e sete cordeiros de um ano. 28A correspondente oferta de cereais é de seis quilos de farinha amassada com azeite, por cada touro, quatro quilos pelo carneiro 29e dois quilos por cada um dos sete cordeiros. 30Devem também oferecer um bode como sacrifício pelos vossos pecados. 31E devem fazer isto, para além do holocausto diário com a sua correspondente oferta de cereais e de vinho. Os animais em questão têm de ser sem defeito.»