a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
12

121Aquele que quer aprender gosta que o corrijam;

o que detesta a repreensão fica ignorante.

2O Senhor aprova o homem de bem,

mas condena o de más intenções.

3O mal não é base firme para ninguém;

mas nada fará cair o homem justo.

4A mulher virtuosa faz do marido um rei;

mas a indigna é uma doença que lhe corrói os ossos.

5Os pensamentos dos justos são retos,

os planos dos perversos são enganosos.

6As palavras dos perversos são ciladas mortais,

mas a palavra dos justos livra-os da morte.

7Os perversos cairão e deixarão de existir,

mas a família dos justos permanecerá firme.

8Pela sua prudência, o homem será louvado;

o insensato será desprezado.

9Mais vale ser humilde e ter quem o sirva

do que ser arrogante e não ter que comer.

10O justo cuida até das necessidades do seu gado,

mas o malfeitor só respira crueldade.

11Quem cultiva a sua terra tem pão em abundância;

quem persegue futilidades é um insensato.

12A cobiça é uma armadilha para os maus,

mas os justos ganham raízes firmes.

13O perverso cai na armadilha das suas palavras;

o justo consegue livrar-se das dificuldades.

14Cada um recolhe o fruto daquilo que diz

e recebe a recompensa daquilo que faz.

15O insensato pensa que tudo o que faz está certo,

mas o sábio ouve os conselhos.

16O insensato mostra logo a sua ira;

o homem prudente encobre a ofensa.

17Quem é pela verdade proclama a justiça;

a testemunha desonesta está ao serviço da mentira.

18As palavras do charlatão são espadas que ferem;

as palavras do homem sábio trazem remédio.

19Uma afirmação verdadeira vale para sempre;

as mentiras só duram um instante.

20Nos planos dos maus só há falsidade,

mas, nos dos homens de paz, há alegria.

21Nenhum mal acontece aos homens honestos;

os perversos ficarão cobertos de ruína.

22O Senhor detesta os mentirosos;

mas os que vivem com sinceridade são do seu agrado.

23O homem sensato não faz alarde do seu saber;

os tolos exibem a sua estupidez.

24O homem diligente dominará;

o preguiçoso será dominado.

25A preocupação deprime o coração do homem,

mas uma boa palavra dá-lhe alegria.

26O justo serve de guia ao seu próximo;

os perversos erram sempre no seu caminho.

27O preguiçoso não consegue caça para assar;

o diligente apodera-se da riqueza do monte!

28A vida encontra-se onde se pratica a justiça.

Seguindo este caminho não se encontra a morte.

13

131O filho sábio ouve as advertências do pai;

o arrogante não aceita qualquer reprimenda.

2O homem de bem colhe os frutos daquilo que diz;

os malfeitores vivem da violência.

3O que cuida das suas palavras guarda-se a si mesmo;

o que solta a língua expõe-se à ruína.

4O preguiçoso cobiça, mas nada consegue;

o diligente obtém o que deseja.

5O honesto detesta a mentira;

o perverso é motivo de desonra e vergonha.

6A retidão protege o honesto;

a maldade destrói o pecador.

7Há quem não tenha nada e finja que é rico

e quem passe por pobre, tendo uma grande fortuna.

8Ao rico pode-se exigir resgate pela sua vida;

o pobre não corre o risco de ser ameaçado.

9A luz dos justos brilha alegremente;

a lâmpada dos maus apagar-se-á.

10O orgulho só provoca querelas;

a sabedoria está com aqueles que pedem conselho.

11A riqueza adquirida à pressa diminui;

a que se junta pouco a pouco pode tornar-se grande.

12A esperança adiada aflige o coração;

o desejo satisfeito é uma fonte de vida.

13Aquele que despreza uma ordem há de arrepender-se,

mas quem a respeita será recompensado.

14O ensinamento do sábio é uma fonte de vida,

que nos livra das ciladas da morte.

15O bom senso provoca o respeito;

a atitude dos traidores produz artimanhas13,15 Ou: os traidores caminham para a ruína..

16O homem prudente atua com inteligência;

o estúpido faz gala da sua tolice.

17Um mau mensageiro cai na desgraça;

um enviado fiel restabelece a situação.

18Pobreza e desonra, para quem despreza a correção;

o que a aceita terá grandes honras.

19O desejo cumprido é motivo de alegria;

por isso, os insensatos detestam renunciar ao mal.

20Anda com os sábios e serás sábio;

quem anda com os maus tornar-se-á mau.

21A desgraça persegue os pecadores;

a felicidade é a recompensa dos justos.

22A herança do homem de bem fica para os herdeiros;

a fortuna do pecador irá para os justos.

23O campo do pobre dá alimento abundante,

mas será perdido, se não houver justiça.

24Quem se recusa a bater no seu filho não o ama;

se o ama, não hesita em castigá-lo.

25O justo come até ficar satisfeito;

o ventre dos maus fica com fome.

14

141A mulher sábia constrói o seu lar;

a insensata destrói-o com as suas próprias mãos.

2O homem que vive com retidão respeita o Senhor;

quem se afasta dos caminhos de Deus despreza-o.

3Da boca do insensato surge o orgulho;

as palavras dos sábios são a sua proteção.

4Quando não há bois, falta o trigo no celeiro;

as colheitas aumentam com a força do boi.

5A testemunha verdadeira não mente;

a testemunha falsa profere mentiras.

6O insolente procura a sabedoria e não a encontra;

ao homem prudente é fácil encontrá-la.

7Afasta-te da companhia do insensato,

pois não ouvirás dele palavras sábias.

8Com sabedoria o homem refletido descobre o seu caminho;

a estupidez engana os insensatos.

9Os insensatos troçam dos próprios erros;

entre os homens leais reina a bondade14,9 Ou: Os insensatos sentem-se livres de pecar; só os homens retos sentem a benevolência..

10Cada um conhece as suas próprias amarguras;

o estranho não compartilha das alegrias dos outros.

11A habitação dos perversos está destruída;

a dos homens honrados prosperará.

12Há caminhos que ao homem parecem retos,

mas que, no fim, conduzem à morte.

13Mesmo a sorrir, o coração pode estar triste;

no final, a alegria acaba em pranto.

14O insensato sofrerá as consequências dos seus erros;

o homem de bem terá alegria nos seus atos.

15O ingénuo acredita em tudo o que se diz;

o prudente reflete antes de dar um passo.

16O sábio receia o mal e desvia-se dele;

o insensato vai para a frente e julga-se seguro.

17Quem é impaciente comete loucuras;

o homem de más intenções será detestado.

18Os ingénuos são herdeiros da estupidez;

os prudentes aumentam o seu saber.

19Os maus submeter-se-ão perante os bons;

os perversos suplicarão à porta dos justos.

20O pobre é detestado até pelos seus companheiros;

o rico tem muitos amigos.

21Aquele que despreza os outros comete pecado;

feliz o homem que é bom para os pobres.

22Os que buscam fazer o mal erram o caminho;

amor e lealdade é para os que fazem o bem.

23Em todo o trabalho há proveito;

o muito falar só conduz à pobreza.

24A coroa dos sábios é a sua riqueza;

o trono dos insensatos é a sua estupidez.

25Uma testemunha fiel pode salvar vidas;

as testemunhas falsas causam desilusão.

26Respeitar o Senhor é viver com toda a segurança,

porque ele protege os seus filhos.

27Respeitar o Senhor é fonte de vida,

que permite evitar ciladas mortais.

28Um povo numeroso faz a glória dum rei;

a falta de súbditos é a ruína do soberano.

29O que mantém a calma dá provas de inteligência;

o que é irascível mostra a sua insensatez.

30A paz de espírito favorece a saúde;

a inveja até os ossos corrompe.

31O que oprime os pobres insulta o seu Criador;

mas honra-o quem ajuda os necessitados.

32Pela sua maldade, o perverso é arruinado;

o justo mantém a confiança, até perante a morte.

33A sabedoria habita no coração do homem inteligente;

mesmo no meio dos insensatos ela manifesta-se.

34A justiça é a grandeza das nações;

o pecado é a pobreza dos povos.

35Um ministro competente goza dos favores do rei;

o indigno sentirá a sua ira.