a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
21

211O espírito do rei é como um ribeiro,

que a mão do Senhor dirige para onde quer.

2Ao homem, parece-lhe bem tudo o que faz,

mas o Senhor é quem julga as intenções.

3A prática da justiça e da retidão

é mais agradável ao Senhor do que as ofertas.

4O pecado dos perversos manifesta-se

no olhar altivo e no espírito orgulhoso.

5Os planos bem trabalhados dão bons resultados;

os que se fazem à pressa levam à miséria.

6As riquezas obtidas por meio de mentiras

são a ilusão passageira que arrasta para a morte.

7A violência dos homens maus leva-os à ruína,

porque recusam comportar-se com retidão.

8A conduta do homem perverso é tortuosa;

a do homem honrado é reta.

9Mais vale morar num canto do terraço

que viver com mulher quezilenta em casa ampla.

10O homem perverso só pensa em fazer o mal:

não tem pena do seu semelhante.

11Quando o homem insolente é castigado,

o insensato recebe uma lição de sabedoria;

mas o sábio aprende com a própria experiência.

12Deus é justo: sabe o que se passa na casa dos perversos21,12 Ou: O justo considera prudentemente a casa dos perversos.

e atira com eles para a desgraça.

13Quem é surdo aos rogos dos infelizes

também não obterá resposta ao pedir socorro.

14Um presente dado discretamente acalma a ira;

uma oferta às ocultas vence a mais forte indignação.

15É uma alegria para o justo fazer o que é reto;

para os que praticam a iniquidade é a desgraça.

16O homem que se desvia do caminho do bom senso

irá repousar na companhia dos mortos.

17Quem se entrega aos prazeres acabará na pobreza;

o que ama o vinho e os perfumes não enriquecerá.

18Castigar os maus e os traidores

é fazer justiça a favor dos justos e honestos.

19Mais vale viver num canto deserto

do que com uma mulher quezilenta e colérica.

20Na casa do sábio há ricos e preciosos tesouros;

o insensato gasta tudo o que tem.

21Há alegria para o justo quando se faz justiça;

mas terror para os que praticam a iniquidade.

22Um sábio pode atacar uma cidade defendida por heróis

e derrubar as fortificações em que eles confiavam.

23Quem tem cuidado com aquilo que diz

nunca se mete em apuros.

24O homem arrogante é presumido e trocista:

trata os outros com orgulho e desdém.

25Os desejos do preguiçoso conduzem-no à morte,

porque as suas mãos não querem trabalhar.

26Alguns passam o tempo a cobiçar mais e mais;

o homem justo dá sem guardar nada para si.

27O sacrifício do ímpio é abominável,

ainda mais quando é oferecido com más intenções.

28A falsa testemunha será destruída,

mas o homem que sabe escutar poderá sempre responder21,28 Texto hebraico de difícil compreensão..

29O homem perverso aparenta estar seguro de si;

o homem reto está certo do seu comportamento.

30Não há sabedoria, nem inteligência, nem conselho

que contrariem a vontade do Senhor.

31Prepara-se o cavalo para o dia da batalha,

mas é o Senhor quem dá a vitória.

22

221Mais vale ter bom nome do que grandes riquezas;

ter a estima dos outros é melhor que ouro e prata.

2O rico e o pobre têm algo em comum:

ambos foram criados pelo Senhor.

3O homem prudente vê o perigo e evita-o;

os insensatos seguem em frente e sofrem os danos.

4Ser humilde e respeitar o Senhor

traz prosperidade, estima e uma vida longa.

5O caminho do mal está cheio de espinhos e armadilhas

se alguém ama a sua vida deve afastar-se dele.

6Ensina ao menino o caminho que deve seguir,

e assim, mesmo quando for velho, não se afastará dele.

7O rico domina sobre os pobres;

o que pede emprestado fica escravo do credor.

8O que semeia injustiça colhe desgraças,

porque a sua violência se voltará contra ele22,8 Ou: porque o castigo de Deus cairá sobre ele..

9Aquele que é generoso será abençoado,

porque reparte o seu alimento com os pobres.

10Expulsa o insolente e acaba-se a discórdia;

será também o fim das querelas e das ofensas.

11Quem tem intenções puras e palavras agradáveis

terá a amizade do rei.

12O Senhor confirma a palavra dos sábios,

mas desmente as afirmações dos mentirosos.

13Para não sair, o preguiçoso desculpa-se:

«Anda um leão à solta; posso ser morto no meio da rua.»

14As palavras sedutoras das mulheres infiéis

são um abismo sem fundo,

onde caem aqueles que o Senhor reprova.

15A insensatez faz parte da mentalidade infantil;

mas uma educação rigorosa fá-la desaparecer.

16Oprimir o pobre para se engrandecer,

ou dar ao rico, conduz à pobreza.

Trinta sábios conselhos

17Presta toda a atenção às palavras dos sábios;

concentra o pensamento no que te ensino.

18Será agradável para ti guardá-las na memória

e tê-las sempre presentes nos teus lábios.

19Para que ponhas a tua confiança no Senhor,

quero dar-te a conhecê-las hoje a ti também.

20Escrevi para ti trinta conselhos e advertências.

21Eles te fornecerão ensinamentos dignos de confiança,

para comunicares a quem tos mandar pedir.

1

22Não roubes ao pobre pois ele é pobre,

nem oprimas o indefeso perante os juízes,

23porque o Senhor defenderá a sua causa

e dará a morte a quem os matar.

2

24Não faças amizade com o homem colérico

e foge da companhia do agressivo,

25para não aprenderes os seus maus costumes

e arruinares a tua vida.

3

26Não sejas dos que, com um aperto de mão,

ficam por fiadores das dívidas de outros,

27pois, se não tiveres com que pagar,

até a cama onde dormes te tiram.

4

28Não mudes os marcos antigos

que os teus antepassados colocaram.

5

29Repara naquele que faz bem o seu trabalho:

esse poderá estar ao serviço de reis

e não de gente insignificante.

23

6

231Quando um grande senhor te convidar,

toma cuidado com o que está diante de ti.

2Ainda que tenhas muita fome,

refreia o teu apetite;

3não cobices os seus bons manjares,

pois pode ter-te convidado com más intenções.

7

4Não corras atrás das riquezas;

evita pôr nisso a tua ambição.

5Pões nelas os olhos e já desapareceram;

até parece que elas têm asas

e fogem voando pelo céu como as águias.

8

6Não comas com um homem mal-intencionado,

nem cobices os seus bons manjares,

7pois ele é como alguém que se serve a si mesmo.

Diz-te: «Come! Bebe!»

Mas não o diz com sinceridade.

8Vomitarás aquilo que comeste

e desperdiçarás palavras amáveis.

9

9Não fales aos ouvidos do insensato,

porque desprezará a sabedoria das tuas palavras.

10

10Não mudes de lugar os marcos antigos,

nem invadas o terreno dos órfãos,

11porque eles têm em Deus um defensor poderoso,

que defenderá a sua causa contra ti.

11

12Abre o teu espírito à educação

e os teus ouvidos aos conselhos da experiência.

12

13Não deixes de castigar o jovem;

umas vergastadas não o matam.

14Castigando-o com umas vergastadas,

poderás livrá-lo de erros mortais.

13

15Meu filho, se o teu coração for sábio,

também o meu coração se alegrará;

16rejubilarei profundamente

quando te ouvir falar com retidão.

14

17Não tenhas inveja dos pecadores;

mas mantém-te sempre no respeito pelo Senhor.

18Poderás então esperar um bom futuro

e a tua esperança não sairá frustrada.

15

19Escuta bem, meu filho, para alcançares a sabedoria;

procura seguir o bom caminho.

20Não te juntes com os que se embriagam

nem com os que comem demais,

21porque bêbedos e comilões acabam na miséria;

a sua indolência cobri-los-á de andrajos.

16

22Escuta o teu pai, a quem deves a vida,

e não desprezes a tua mãe, quando for velha.

23Adquire verdade, sabedoria, educação e prudência

e não as vendas por preço nenhum.

24A maior alegria e felicidade de um pai

é ter dado a vida a um homem honesto e sábio;

25dá essa alegria ao teu pai e à tua mãe,

dá esse prazer àquela que te deu à luz.

17

26Presta-me bem atenção, meu filho,

segue com prazer o meu exemplo.

27Olha que a prostituta e a mulher leviana

são um poço estreito, um abismo sem fundo;

28elas fazem-te emboscadas, como os salteadores,

e fazem que muitos homens se tornem infiéis.

18

29Quem anda sempre em contendas e lamentos,

ferido sem motivo e de olhos avermelhados,

30são aqueles que se deixam arrastar pelo vinho

e fazem sem cessar novas misturas de álcool.

31Não te deixes tentar pela bela cor vermelha

do vinho que brilha no copo.

Ele bebe-se com agrado,

32mas depois terás a impressão de teres sido mordido

por uma cobra ou por um bicho peçonhento.

33Verás coisas estranhas

e dirás coisas absurdas.

34Julgarás que estás no fundo do mar

a dormir, ou deitado no topo dum mastro.

35E dirás: «Espancaram-me e não me doeu;

bateram-me e não senti nada!

Quando é que vou acordar?

Vou beber mais!»