a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
39

Confissão dum homem que sofre

391Ao diretor do coro. Salmo da coleção de David.

2Eu disse para comigo: «Cuidarei da minha conduta,

para não pecar com a minha língua;

refrearei a minha boca,

enquanto houver homens maus diante de mim.»

3Fiquei calado e em silêncio,

não disse sequer uma palavra39,3 Ou: não disse sequer uma boa palavra..

Mas a minha dor ia-se agravando;

4o coração ardia-me no peito!

De tanto pensar, acendeu-se um fogo dentro de mim;

e não pude deixar de dizer:

5«Senhor, dá-me a conhecer o meu fim;

diz-me quanto tempo viverei ainda,

para que eu saiba como é breve a minha vida!»

6Deste-me uma vida muito curta;

os dias da minha vida não são nada diante de ti.

O homem, mesmo que se sinta seguro

não é mais do que um sopro!

7Ele passa como uma simples sombra!

De nada lhe serve amontoar riquezas,

pois inquieta-se e não sabe quem fica com elas.

8Depois de tudo isto, Senhor, que posso eu esperar?

A minha esperança está em ti!

9Livra-me de todos os meus pecados;

não deixes que os insensatos se riam de mim.

10Fiquei calado, sem abrir a minha boca,

mas tu faz qualquer coisa.

11Retira de mim o teu castigo;

desfaleço quando me feres.

12Tu corriges o homem, castigando a sua maldade

e destróis como a traça aquilo que ele mais estima — a vida.

Na verdade, o homem é apenas um sopro!

13Senhor, ouve a minha oração,

presta ouvidos aos meus lamentos!

Não fiques insensível às minhas lágrimas.

Diante de ti sou como um estrangeiro de passagem,

tal como o foram os meus antepassados.

14Deixa-me tomar alento,

antes que eu tenha de partir e deixe de existir.

40

Cântico de louvor

(Salmos 70)

401Ao diretor do coro. Salmo da coleção de David.

2Pus a minha confiança no Senhor

e ele dignou-se ouvir o meu clamor;

3tirou-me de um poço fatal, de um charco de lodo;

pôs os meus pés sobre uma rocha

e deu firmeza aos meus passos.

4Ele pôs na minha boca um cântico novo,

um hino de louvor ao nosso Deus.

Muitos, ao ver isto, sentir-se-ão comovidos

e porão a sua confiança no Senhor.

5Feliz o homem que confia no Senhor

e não se volta para outros deuses,

que são ídolos enganadores40,5 Ou: Feliz o homem que põe a sua confiança no Senhor e que não respeita os soberbos nem os que seguem a mentira.!

6Tu fizeste tanto por nós, Senhor, meu Deus;

não há ninguém igual a ti!

Tu fizeste para nós muitos planos maravilhosos;

nunca conseguiria anunciá-los todos ou proclamá-los,

porque são incontáveis.

7Não desejas ofertas de animais ou vegetais,

nem exiges sacrifícios pela remissão dos pecados.

Mas deste-me ouvidos atentos para escutar.

8Então eu respondi: «Aqui estou!

O livro da lei diz-me o que devo fazer.»

9Agrada-me muito fazer a tua vontade, meu Deus;

a tua lei está dentro do meu coração40,9 Os v. 7–9 são citados em Hb 10,5–7, segundo a antiga tradução grega.!

10Proclamei a tua justiça na grande assembleia;

tu bem sabes, Senhor, que não fiquei calado!

11Não guardei em segredo a tua justiça;

tenho sempre apregoado a tua fidelidade e salvação.

Não escondi da grande assembleia o teu amor e lealdade!

12Senhor, não me negues a tua ternura;

que me protejam sempre o teu amor e lealdade!

13Cercam-me males sem conta;

os meus pecados caem sobre mim; não consigo fugir!

São mais que os cabelos da minha cabeça;

por isso, o meu ânimo desfalece.

14Senhor, tem compaixão! Vem-me salvar!

Vem depressa em meu socorro!

15Que sejam cobertos de ridículo

todos os que procuram tirar-me a vida.

Retrocedam e corem de vergonha

todos os que me querem mal!

16Fiquem desfeitos de vergonha

os que fazem troça de mim!

17Encham-se de alegria os que te procuram

e os que desejam a tua salvação digam constantemente:

«O Senhor é grande!»

18Senhor, cuida de mim, que sou pobre e necessitado!

Tu és o meu auxílio e o meu libertador;

não tardes, meu Deus!

41

Oração de um homem doente

411Ao diretor do coro. Salmo da coleção de David.

2Ditoso aquele que faz bem ao pobre;

o Senhor o livrará no dia da desgraça.

3O Senhor o protegerá e lhe dará vida e felicidade na terra;

e não o abandonará à mercê dos seus inimigos.

4O Senhor o ajudará, quando estiver doente,

e lhe restituirá a saúde.

5Eu disse: «Senhor, tem compaixão de mim;

cura-me, embora tenha pecado contra ti.»

6Os meus inimigos falam mal de mim e dizem:

«Quando é que ele morre e o seu nome é esquecido?»

7Se me visitam, dizem coisas sem interesse,

o seu coração está cheio de malícia.

Mal saem à rua dão-na logo a conhecer.

8Todos os que me odeiam murmuram contra mim;

pensam o pior de mim e dizem:

9«Ele tem uma doença má;

que ele não se levante mais da cama.»

10Até o meu melhor amigo, em quem eu confiava,

e que comia do meu pão, se voltou contra mim41,10 Literalmente: Levantou contra mim o calcanhar. Este versículo é parcialmente citado em Mc 14,18; Jo 13,18. Ver também Mt 26,23; Lc 22,21..

11Mas tu, Senhor, tem compaixão de mim;

restaura-me a saúde, para eu lhes dar o pago.

12Se o meu inimigo não triunfar sobre mim,

saberei então que tu me queres bem.

13Tu me ajudarás, porque vivo com sinceridade,

e me farás viver sempre na tua presença.

14Bendito seja o Senhor, Deus de Israel,

agora e para sempre! Assim seja! Ámen41,14 Cf. 106,48.!