a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
87

Louvor à cidade santa

871Salmo e cântico da coleção dos filhos de Corá.

Fundada por ele sobre um monte santo.

2O Senhor ama a cidade de Sião,

mais do que qualquer outro santuário de Jacob.

3Coisas grandiosas se dizem de ti,

ó cidade de Deus.

4«Incluirei Raab87,4 Raab. Monstro marinho que representava o caos e, por vezes, o Egito. Ver Jb 9,13. e a Babilónia

na lista das nações que me conhecem;

contarei como habitantes de Sião

o povo da Filisteia, de Tiro e da Etiópia.»

5De Sião se dirá que todas as nações nasceram dela

e que foi o Altíssimo que a fortaleceu.

6O Senhor escreverá a lista dos povos,

considerando-os todos nascidos em Sião.

7E eles dirão, dançando e cantando:

«Em ti, Sião, está a fonte de todas as minhas bênçãos.»

88

Oração de quem muito sofre

881Cântico e salmo da coleção dos filhos de Corá. Ao diretor do coro. Em forma coral. Poema de Heman, natural de Canaã.

2Senhor, meu Deus e salvador,

de dia e de noite te peço ajuda.

3Aceita a minha oração,

atende a minha súplica!

4Estou cansado de tanto sofrer,

encontro-me às portas da morte.

5Já me podem contar entre os mortos,

pois estou completamente sem forças.

6Estou abandonado entre os que morreram;

sou como aqueles que já foram enterrados,

sou como os que foram separados de ti

e dos quais já te não lembras.

7Lançaste-me no abismo mais profundo;

nas profundezas da escuridão.

8A tua indignação pesa sobre mim;

humilhas-me com tantas aflições.

9Afastaste de mim os meus amigos;

fizeste-me insuportável para eles.

Estou como um preso que não pode escapar.

10Os meus olhos apagaram-se de sofrimento.

Todos os dias te invoco, Senhor,

e levanto as mãos em oração88,10 Ver 28,2 e nota..

11Acaso farás milagres para os mortos?

Poderão os mortos levantar-se e louvar-te?

12Poderá alguém anunciar no sepulcro a tua bondade,

ou no reino da morte a tua fidelidade?

13Conhecerão as tuas maravilhas no reino das trevas

e a tua generosidade na terra do esquecimento?

14Eu, porém, Senhor, clamo por ti;

de madrugada te dirijo a minha oração.

15Por que me rejeitas, Senhor,

e desvias o teu olhar?

16Desde a mocidade que ando aflito e atribulado;

tenho suportado os terrores da tua ira.

17Por cima de mim passou a tua grande indignação;

os teus ataques aniquilaram-me.

18Rodeiam-me todo o dia, como vagas,

como uma inundação, que me afoga.

19Afastaste de mim amigos e companheiros;

a minha companhia são as trevas.

89

Promessa de Deus a David

891Poema da coleção de Etan, natural de Canaã.

2Hei de cantar para sempre o amor do Senhor;

hei de anunciar a sua fidelidade de geração em geração.

3Proclamarei que o teu amor é eterno

e que a tua fidelidade é eterna como o céu.

4Tu dizes: «Fiz um pacto com o meu escolhido,

fiz uma promessa ao meu servo David:

5Estabelecerei a tua descendência para sempre

e firmarei por muitas gerações o teu trono.»

6Os céus celebram as tuas maravilhas, Senhor,

e a assembleia sagrada louva a tua fidelidade.

7Quem poderá nos céus comparar-se ao Senhor?

Quem, entre os seres celestiais, se lhe pode igualar?

8Deus é grande na assembleia dos céus;

maior e mais temível que todos os que o rodeiam.

9Ó Senhor, Deus todo-poderoso, não há ninguém como tu!

És poderoso, e a fidelidade está em ti.

10Tu dominas o mar embravecido

e amainas as suas ondas encrespadas.

11Esmagaste o monstro marinho89,11 Literalmente: Raab. Nos relatos babilónios da criação do mundo, o monstro marinho (Raab) personificava o oceano ou o caos, vencido pelo deus criador. e mataste-o;

com o teu grande poder dispersaste os teus inimigos.

12Tu és o Senhor do céu e da terra,

formaste o mundo e tudo o que ele contém.

13Criaste o Norte e o Sul;

os montes Tabor e Hermon cantam o teu nome89,13 Tabor e Hermon. Montes sagrados da região cananeia; o primeiro, na Galileia; o segundo, no extremo norte da Palestina..

14Como o teu braço é poderoso,

como é grande a força das tuas mãos!

15O teu reino está assente na justiça e no direito;

o amor e a verdade acompanham-te em toda a parte.

16Feliz o povo que sabe aclamar-te, Senhor,

que sabe caminhar na luz da tua presença.

17Em teu nome se alegra a toda a hora

e se entusiasma com a tua generosidade.

18Na verdade, tu és a nossa força e a nossa glória;

o nosso poder aumenta pela tua boa vontade.

19O nosso protetor é o Senhor!

O nosso rei é o Deus santo de Israel!

20Outrora falaste por meio de visões

e disseste aos teus servos fiéis:

«Escolhi um jovem em vez de um herói;

fiz subir ao trono um rapaz em vez de um soldado.

21Fiz rei o meu servo David;

consagrei-o com o óleo santo89,21 Ver 1 Sm 16,13; At 13,22..

22A minha força está sempre com ele

e o meu poder torná-lo-á forte.

23Não o surpreenderão os inimigos

e os perversos não o humilharão.

24Derrubarei os seus inimigos na sua presença;

destruirei os que o odeiam!

25A minha fidelidade e o meu amor estão com ele;

pelo meu nome ele crescerá em poder.

26Estenderei o seu poder sobre os mares

e o seu domínio sobre os rios.

27Ele me invoca, dizendo: “Tu és o meu pai;

és o meu Deus, o meu rochedo de salvação.”

28Eu dar-lhe-ei os direitos de filho mais velho;

reinará acima dos reis da terra.

29Assegurar-lhe-ei para sempre o meu favor

e a minha aliança com ele manter-se-á firme.

30Estabelecerei para sempre a sua descendência,

que reinará no seu trono, enquanto houver céu.

31Mas se os seus descendentes abandonarem a minha lei,

se não andarem segundo as minhas ordens,

32se violarem os meus preceitos

e não cumprirem os meus mandamentos,

33então, hei de castigá-los severamente pelos seus pecados,

e fazê-los sofrer pelos seus erros.

34Mas não lhes retirarei o meu favor,

nem renegarei a minha fidelidade.

35Não quebrarei a minha aliança,

nem retirarei as promessas que fiz.

36Jurei uma vez por minha honra

e de forma alguma enganarei David.

37Os seus descendentes reinarão para sempre,

no seu trono, enquanto existir Sol;

38ficarão firmes para sempre, como a Lua,

ficarão firmes, enquanto existir céu.»

39No entanto, indignaste-te com o teu ungido89,39 Ou: ungido.;

aborreceste-te dele e rejeitaste-o.

40Renegaste a aliança que tinhas com o teu servo;

deitaste por terra a sua coroa.

41Derrubaste todos os muros da cidade;

deixaste em ruínas as suas fortalezas.

42Todos os que passam pelo teu servo o despojam;

os seus vizinhos escarnecem dele.

43Deste vitória aos seus inimigos,

êxito aos seus adversários.

44Embotaste o fio da sua espada

e não o sustiveste na batalha.

45Fizeste cessar o seu esplendor;

deitaste por terra o seu trono.

46Tiraste-lhe a vida em plena juventude;

encheste-o de vergonha.

47Até quando, Senhor, estarás escondido?

Será a tua ira como fogo abrasador?

48Lembra-te, Senhor, da minha vida tão curta!

Foi para isto que criaste a Humanidade.

49Haverá alguém que não tenha de morrer?

Quem se poderá livrar do poder da morte?

50Senhor, onde está o teu amor de outrora,

o amor que juraste a David pela tua fidelidade?

51Lembra-te, Senhor, das ofensas contra o teu servo;

trago no peito os ultrajes de todas as nações,

52com que os teus inimigos nos ofendem, Senhor!

Eles ofendem a cada passo o teu ungido!

53Bendito seja o Senhor para sempre.

Ámen! Ámen!