a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
2

Mensagem à igreja de Éfeso

21Ao mensageiro da igreja de Éfeso, escreve: «Assim diz o que tem as sete estrelas na mão direita, o que caminha no meio dos sete castiçais de ouro: 2Eu conheço bem as tuas obras, os teus sacrifícios e quanta paciência tens tido. Sei que não suportas os maus e que puseste à prova os que se dizem apóstolos, e sei que descobriste a sua mentira. 3Tens sido perseverante, tens sofrido por minha causa e não perdeste a coragem.

4Mas tenho uma coisa contra ti: é que já não tens amor como no princípio. 5Lembra-te pois de que alturas te deixaste cair. Arrepende-te e vive como vivias no princípio. De contrário, se não te arrependeres, virei ter contigo e hei de retirar o teu castiçal do seu lugar.

6No entanto, há uma coisa a teu favor: é que, como eu, também detestas aquilo que fazem os nicolaítas2,6 Os v. 2.6.14.15.20.24 referem-se às doutrinas e à moral da seita dos nicolaítas, que desconhecemos..

7Quem tem ouvidos para ouvir, preste atenção àquilo que o Espírito diz às igrejas. Aos que vencerem hei de dar-lhes a comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus2,7 Ver Gn 2,8–9.

Mensagem à igreja de Esmirna

8Ao mensageiro da igreja de Esmirna, escreve: «Assim fala aquele que é o Primeiro e o Último, aquele que morreu mas ressuscitou. 9Eu sei que tens sido perseguido e que és pobre, mas, na verdade, és rico. Sei que aqueles que se dizem judeus têm espalhado calúnias contra ti. Eles não são judeus, mas sim uma sinagoga de Satanás. 10Não tenhas medo do que hás de sofrer. O Diabo vai lançar alguns de vós na prisão para serem postos à prova e hão de sofrer tribulações durante dez dias2,10 Os números têm, frequentemente, uma referência simbólica no Apocalipse. Ver Gn 24,55; Dn 1,12.. Mantém-te fiel, mesmo que seja preciso morrer, que eu te darei a coroa da vida eterna em recompensa.

11Quem tem ouvidos para ouvir preste atenção àquilo que o Espírito diz às igrejas. Os que vencerem não serão castigados com a segunda morte.»

Mensagem à igreja de Pérgamo

12Ao mensageiro da igreja de Pérgamo, escreve: «Assim fala o que tem a espada de dois gumes afiada. 13Eu sei que habitas onde está o trono de Satanás, mas manténs-te firmemente ligado ao meu nome e não renegaste a fé que tens em mim, mesmo quando Antipas, minha testemunha fiel, foi morto aí onde Satanás habita. 14Contudo, mesmo assim, tenho certas coisas contra ti. Há aí alguns que defendem a doutrina de Balaão, que dava conselhos a Balac2,14 Balac. Rei de Moab, país situado a sueste do Mar Morto. sobre o modo como devia levar os israelitas ao pecado, a comer as carnes sacrificadas aos falsos deuses e a praticar imoralidades2,14 Ver Nm 22–24.. 15Além disso, há também no meio de vós alguns que seguem as ideias dos nicolaítas. 16Portanto, arrepende-te! Caso contrário, vou aparecer aí brevemente e castigar esses pecadores com a espada da minha palavra.

17Quem tem ouvidos para ouvir preste atenção àquilo que o Espírito diz às igrejas. Aos que vencerem darei como prémio o maná escondido. Também lhes darei um seixo branco, no qual está escrito um nome novo2,17 Ver Ex 16,14–15.33–34; Is 62,2; 65;15., que ninguém conhece, a não ser aquele que o recebe.»

Mensagem à igreja de Tiatira

18Ao mensageiro da igreja de Tiatira, escreve: «Assim fala o Filho de Deus, aquele que tem os olhos como uma chama ardente e os pés como bronze polido. 19Eu conheço as tuas obras: o amor, a fé, o serviço e a paciência e sei que ultimamente tens trabalhado mais do que antes. 20Mas não estou contente contigo por deixares andar Jezabel2,20 Jezabel. Ver 1 Rs 16,31; 19,1–2; 2 Rs 9,22.30. à vontade. Ela diz que é profetisa, o que é falso, pois engana os meus seguidores ensinando-os a praticar a imoralidade e a comer da carne oferecida aos falsos deuses. 21Dei-lhe tempo para ver se ela se arrependia, mas não quer deixar a vida desonesta que leva. 22Vou castigá-la, mandando-lhe uma doença grave e vou fazer com que sofram também os que cometem imoralidades com ela, a não ser que deixem essas más ações. 23Além disso, farei com que os seus filhos morram. Desta maneira, todas as igrejas vão saber que eu sou aquele que conhece os pensamentos e os corações dos homens e retribuo a cada um segundo o que fizer.

24Agora dirijo-me aos outros crentes que vivem em Tiatira, e que não seguem esta falsa doutrina, nem andam metidos naquilo que chamam “os mistérios de Satanás2,24 Mistérios de Satanás. Ritos secretos e esotéricos reservados aos iniciados na seita.”. Nada mais vos imponho como obrigação, 25pois basta que guardem bem o que têm até eu chegar! 26Àquele que vencer e seguir a minha vontade até ao fim, entregar-lhe-ei a autoridade sobre os povos: 27governá-los-á com uma vara de ferro e parti-los-á em bocados como vasilhas de barro. 28Esta é a autoridade que recebi do meu Pai e também lhe darei a estrela da manhã.

29Quem tem ouvidos para ouvir preste atenção àquilo que o Espírito diz às igrejas.»

3

Mensagem à igreja de Sardes

31Ao mensageiro da igreja de Sardes, escreve: «Assim fala aquele que tem os sete espíritos de Deus e as sete estrelas. Conheço bem as tuas obras. Tens fama de estar vivo, mas a verdade é que estás morto.

2Sê vigilante e fortifica os que estão prestes a morrer. Pois verifiquei que não és perfeito diante do meu Deus. 3Lembra-te portanto do que ouviste e recebeste! Guarda-o bem e arrepende-te! Se não estiveres atento, chegarei de repente como o ladrão, sem saber qual é a hora a que eu venho para te castigar3,3 Comparar com Mt 24,43–44; Lc 12,39–40; 1 Ts 5,2; 2 Pe 3,10.. 4Mesmo assim, tens algumas pessoas em Sardes que não mancharam as vestes. Esses são dignos de se vestir de branco e de estar comigo. 5Os que vencerem hão de vestir-se de branco, e não apagarei os seus nomes do livro da vida, mas hei de proclamar o seu nome diante do meu Pai e dos anjos.

6Quem tem ouvidos para ouvir preste atenção àquilo que o Espírito diz às igrejas.»

Mensagem à igreja de Filadélfia

7Ao mensageiro da igreja de Filadélfia, escreve: «Assim fala aquele que é santo, que é verdadeiro, que possui a chave do rei David, aquele que abre e ninguém pode fechar, aquele que fecha e ninguém pode abrir3,7 Comparar com Is 22,22; Mt 16,19.. 8Eu bem conheço as tuas obras. Abri diante de ti uma porta que ninguém pode fechar, porque embora sejas fraco, conservaste a minha doutrina e não renegaste o meu nome. 9Vou enviar-te alguns daqueles que pertencem à sinagoga de Satanás. Eles dizem que são judeus, mas não o são, pois mentem. Vou obrigá-los a ir ter contigo e a prostrar-se aos teus pés e perceberão que te amei. 10Uma vez que te mantiveste fiel ao meu pedido de perseverança, também te hei de proteger na hora da provação que brevemente vai cair sobre toda a Humanidade para pôr à prova os habitantes da Terra.

11Eu vou chegar dentro em breve. Guarda com firmeza aquilo que adquiriste para que ninguém te possa tirar a coroa da vitória. 12Aquele que vencer há de ser para mim como uma coluna no templo do meu Deus, de onde não pode sair mais. Hei de escrever nele o nome do meu Deus e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém que vai descer do Céu de junto do meu Deus. Também hei de escrever nele o nome novo3,12 Ver 2,18. que eu tenho.

13Quem tem ouvidos para ouvir preste atenção àquilo que o Espírito diz às igrejas.»

Mensagem à igreja de Laodiceia

14Ao mensageiro da igreja de Laodiceia, escreve: «Assim fala o Senhor, o Ámen, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus. 15Eu conheço bem as tuas obras: não és frio nem quente. Antes fosses uma coisa ou outra! 16Mas porque és morno, nem frio nem quente, vou vomitar-te da minha boca. 17Tu dizes: “Sou rico, fiz fortuna, não tenho necessidade de nada.” Mas não te dás conta de que és desgraçado e miserável, pobre, cego e nu. 18Aconselho-te a que compres do meu ouro fino para seres rico, roupas brancas para te vestires e não te sentires envergonhado da tua nudez, e remédio para os olhos de modo a poderes ver. 19Aqueles que eu amo, corrijo-os com rigor. Sê, portanto, aplicado e arrepende-te! 20Olha que eu estou a bater à tua porta. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entro em sua casa, janto com ele e ele comigo.

21Aqueles que vencerem hão de sentar-se comigo no meu trono, tal como eu também venci e me sentei com meu Pai no seu trono.

22Quem tem ouvidos para ouvir preste atenção àquilo que o Espírito diz às igrejas.»

4

Deus no seu trono

41Depois tive a seguinte visão: vi uma porta aberta no Céu. A primeira voz que eu tinha ouvido era como a duma trombeta, e dizia assim: «Sobe até aqui! Vou mostrar-te o que vai acontecer a seguir.»

2Imediatamente o Espírito se apoderou de mim. Vi então um trono no Céu4,2 A visão do trono está no centro do Apocalipse, do princípio (1,4) ao fim (22,3), e manifesta a grandeza de Deus e o seu domínio. Ver 1 Rs 22,19; Ez 1,26–27; 10,1; Ap 4,9; 5,1.7.13; 6,16; 7,10; 19,4; 21,5. e nele estava sentado alguém 3que tinha o aspeto brilhante duma pedra preciosa, de jaspe e de sardónica. O trono estava rodeado de um arco-íris que brilhava como uma pedra de esmeralda. 4À volta do trono havia mais vinte e quatro tronos e, nestes tronos, estavam sentados vinte e quatro anciãos4,4 Ver Ex 3,16; 24,1.9; Nm 11,16; 1 Rs 8,1., vestidos de branco e com coroas de ouro na cabeça. 5Do trono saíam relâmpagos, estrondos e trovões4,5 Relâmpagos e trovões. Ver Ex 19,16; Ez 1,13; Ap 8,5; 11,19; 16,18. Ver Archotes ardentes. Ez 1,13; Zc 4,2. Sete Espíritos. Ver 1,4.. Havia sete archotes ardentes que brilhavam diante do trono: são os sete espíritos de Deus. 6Diante do trono havia como que um mar, límpido como o cristal4,6 Mar. Comparar com 15,2 e ver Ex 24,10; Ez 1,22..

No meio do trono e à sua volta havia quatro seres vivos4,6 Ver Ez 1,5–21; 10,14; Ap 19,4. cheios de olhos, tanto por diante como por trás. 7O primeiro era semelhante a um leão, o segundo parecia-se com um touro novo, o terceiro tinha um rosto semelhante ao de um homem e o quarto era parecido a uma águia a voar. 8Cada um dos quatro tinha seis asas4,8 Seis asas. Comparar com Is 6,2. e estavam cobertos de olhos por toda a parte, tanto por dentro como de fora. Cantam de dia e de noite sem nunca parar:

«Santo, Santo, Santo

é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso,

aquele que era, que é e que há de vir4,8 Ver 1,4.

9Sempre que os quatro seres vivos cantam hinos de glória, de louvor e ação de graças àquele que está sentado sobre o trono e que vive por todo o sempre, 10os vinte e quatro anciãos caem por terra diante daquele que está sentado sobre o trono e prostram-se diante daquele que vive por todo o sempre. Lançam as suas coroas aos pés do trono e dizem:

11«Tu és digno ó Senhor e nosso Deus,

de receber a glória, a honra e o poder

pois tu criaste todas as coisas

e foi por tua vontade que elas existem e foram criadas!»