a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
13

Obediência às autoridades

131Todos se devem submeter às autoridades públicas, pois não há autoridade que não venha de Deus. As autoridades que existem foram estabelecidas por Deus. 2Deste modo, aquele que resiste à autoridade resiste à ordem de Deus e os que assim procedem receberão o castigo. 3As autoridades não metem medo a quem faz o bem, mas a quem faz o mal. Não queres ter medo da autoridade? Então faz o bem e terás a sua aprovação, 4pois a autoridade está ao serviço de Deus para teu bem. Mas se fizeres o mal, então deves ter medo, porque não é em vão que as autoridades têm poder para castigar. Como estão ao serviço de Deus, dão o castigo a quem pratica o mal. 5Portanto, é preciso obedecer, não só para evitar o castigo, mas também por um dever de consciência. 6É também por essa razão que se pagam os impostos, porque as autoridades estão ao serviço de Deus para zelarem por isso. 7Portanto, deem a cada um o que é devido: paguem impostos e contribuições a quem devem pagar; respeitem a quem devem respeitar e honrem a quem devem honrar.

Amor ao próximo

8Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns para com os outros. Quem ama o próximo cumpre a lei. 9Os mandamentos dizem: Não cometerás adultério, não matarás, não roubarás, não cobiçarás. Ora todos estes e qualquer outro mandamento resumem-se num só: Ama o teu próximo como a ti mesmo13,9 Ver Ex 20,13–17; Dt 5,17–21; Lv 19,18.. 10O que ama o seu próximo não lhe faz nenhum mal. Pois o amor é o cumprimento total da lei.

A nova vida em Cristo

11Façamos assim, tanto mais que sabemos em que tempo estamos a viver. Sabemos que já são horas de despertarmos do sono. A nossa salvação está agora mais próxima do que na altura em que recebemos a fé. 12A noite já vai longa e o dia está próximo. Abandonemos as obras que são próprias da escuridão e usemos as armas que permitem lutar à luz do dia. 13Portemo-nos honestamente como pessoas que vivem à luz do dia, não em comezainas e bebedeiras, não em imoralidades e vícios, não em rivalidades e invejas. 14Como quem se veste de novo, vistam-se do Senhor Jesus Cristo, e não se deixem arrastar pelos maus instintos da natureza humana.

14

Não julgar os outros

141Deem bom acolhimento àquele que é fraco na sua fé, sem discutir com ele sobre as suas opiniões. 2Assim, por exemplo, alguns creem que podem comer de tudo, enquanto outros, que têm uma fé mais fraca, só comem legumes14,2 Alguns evitavam comer carne, porque poderia ter sido oferecida primeiro aos ídolos ou ter sido consagrada cerimonialmente.. 3Ora aquele que come de tudo não deve desprezar o que deixa de comer certas coisas. E aquele que não come alguns alimentos não deve criticar o que come de tudo, pois também este é aceite por Deus. 4Quem és tu para julgares alguém que está ao serviço de outra pessoa? É o seu senhor que decide se ele vai vencer ou falhar. Mas há de vencer, porque o Senhor tem poder para isso.

5Ou ainda: algumas pessoas pensam que certos dias são mais importantes do que outros14,5 Referência a práticas inspiradas no judaísmo. Comparar com Gl 4,10; Cl 2,16., ao passo que outras pessoas consideram todos os dias iguais. Ora cada qual deve proceder conforme a sua convicção. 6Quem dá mais importância a certos dias faz isso para honrar o Senhor. Quem come de tudo, faz isso em honra do Senhor, pois dá graças a Deus. E quem não come, também faz isso em honra do Senhor e agradece-lhe igualmente.

7Nenhum de nós vive para si mesmo nem morre para si mesmo. 8Se vivemos, é para o Senhor que vivemos; e se morremos, é para o Senhor que morremos: pois tanto na vida como na morte pertencemos ao Senhor. 9Com efeito, Cristo morreu e voltou a viver para ser o Senhor dos mortos e dos vivos. 10Sendo assim, por que julgas tu o teu irmão ou por que o desprezas? Temos todos de nos apresentar diante de Deus para sermos julgados por ele. 11Assim diz o Senhor na Escritura:

Eu vos garanto que todos hão de dobrar os joelhos diante de mim

e todos reconhecerão publicamente que eu sou Deus14,11 Ver Is 45,23..

12Portanto, cada um de nós terá de dar contas de si mesmo diante de Deus.

Não levar os outros a pecar

13Por isso deixemos de nos criticar uns aos outros. Tomem antes a decisão de não fazer nada que leve os outros a tropeçar ou a cair no pecado. 14Como crente no Senhor Jesus, eu sei e estou convencido de que não há nada que seja impuro em si mesmo. Mas se alguém pensa que uma coisa é impura, torna-se de facto impura para ele. 15Ora, se tu causas perturbação ao teu irmão por causa daquilo que comes, já não estás a proceder com amor. Com o teu alimento não sejas causa de perdição para alguém por quem Cristo morreu. 16Que ninguém seja levado a ofender a Deus por causa de uma coisa que tenha por boa. 17Com efeito, o reino de Deus não é questão de comida e bebida, mas é questão de justiça, paz e alegria no Espírito Santo. 18Aquele que serve a Cristo dessa maneira agrada a Deus e tem a aprovação dos homens.

19Procuremos, portanto, aquelas coisas que dão a paz e que nos ajudam a fortalecer uns aos outros na fé. 20Não destruas a obra de Deus por causa da comida. Pode-se comer de tudo, mas é mau comer qualquer coisa que leve os outros a pecar. 21É melhor não comer carne nem beber vinho nem fazer nada que leve o irmão na fé a cair no pecado. 22O que tu achas pessoalmente deve ficar entre ti e Deus. Feliz aquele que não tem de se condenar a si mesmo pelo que escolhe. 23Mas se alguém tem dúvidas a respeito daquilo que come, por não saber se Deus aprova isso, esse tem culpas ao comer, porque não está a agir segundo a fé. E tudo o que se faz em desacordo com a fé é pecado.

15

Pensar mais no próximo do que em si mesmo

151Nós que somos fortes na fé devemos suportar as fraquezas dos que não são como nós, sem procurarmos o que nos é agradável. 2Cada um de nós deve agradar ao seu próximo naquilo que for bom para o fortalecer na fé. 3Pois também Cristo não procurou o que lhe era agradável. Pelo contrário, aconteceu com ele o que diz a Escritura: Os insultos daqueles que te insultavam caíram sobre mim15,3 Ver Sl 69,10.. 4E tudo o que está na Sagrada Escritura foi escrito para nosso ensinamento, a fim de termos esperança por meio da paciência e da coragem que nos vêm da mesma Escritura. 5Que Deus, de quem vêm a paciência e a coragem, vos dê harmonia de sentimentos uns para com os outros, seguindo o exemplo de Jesus Cristo. 6E isto para que todos em conjunto e a uma só voz deem louvores a Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.

Todos os povos louvarão a Deus

7Portanto, aceitem-se uns aos outros como Cristo vos aceitou para glória de Deus. 8O que eu digo é que foi por causa da fidelidade de Deus que Cristo se tornou servo dos judeus para confirmar as promessas feitas aos antepassados 9e também para que os não-judeus deem louvores a Deus por causa da sua misericórdia. É assim que está na Sagrada Escritura:

Por isso te louvarei entre as outras nações

e cantarei, ó Deus, em teu louvor15,9 Ver Sl 18,50; 2 Sm 22,50.

10Está escrito também:

Que os outros povos se alegrem juntamente com o povo de Deus15,10 Ver Dt 32,43..

11Noutro lugar, diz-se ainda:

Louvem o Senhor todas as nações,

deem-lhe louvor todos os povos15,11 Ver Sl 117,1..

12O profeta Isaías também disse:

Virá o descendente de Jessé

e levantar-se-á para governar as nações,

que hão de pôr nele a sua esperança15,12 Ver Is 11,10..

13Que Deus, de quem vem a esperança, vos encha de toda a alegria e de paz na fé, para que essa esperança seja cada vez maior, pelo poder do Espírito Santo.

Missão confiada a Paulo

14Meus irmãos, estou firmemente convencido de que estão cheios de bondade e têm bastantes conhecimentos para se aconselharem uns aos outros. 15Apesar disso, atrevi-me a escrever-vos sobre estes assuntos para os terem bem presentes. Faço isto por causa da missão que Deus me confiou, 16que é servir Jesus Cristo no meio dos não-judeus. Tenho a missão sacerdotal de anunciar a boa nova de Deus, para que os não-judeus sejam apresentados ao Senhor como oferta agradável e santificada pelo Espírito Santo.

17Como crente em Jesus Cristo, tenho pois muita honra neste serviço a Deus. 18Pois eu não me atrevo a falar senão naquilo que Cristo fez por meio de mim para levar os não-judeus a aceitarem Deus. Isso realizou-se por palavras e obras, 19por sinais milagrosos e prodígios, com o poder do Espírito de Deus. É assim que tenho dado plenamente a conhecer a boa nova de Cristo, desde Jerusalém e por toda a parte até à região da Ilíria15,19 Ilíria. Província romana situada na costa oriental do Adriático.. 20Tive, entretanto, a preocupação de só anunciar a boa nova onde Cristo não era ainda conhecido, para não estar a construir sobre fundamentos alheios. 21Segui a Sagrada Escritura que diz:

Aqueles a quem não se tinha falado dele hão de ver

e aqueles que ainda não tinham ouvido falar dele hão de compreender15,21 Ver Is 52,15..

Paulo pensa visitar os cristãos de Roma

22Por isso tenho sido impedido muitas vezes de ir aí visitar-vos. 23Mas agora, que terminei o meu trabalho nestas regiões, espero ir ter convosco, como desde há muito desejava. 24Irei visitar-vos quando for a Espanha15,24 Espanha. Hispânia ou Ibéria.. Conto ir ver-vos nessa altura e ter o prazer de estar convosco. 25Entretanto, agora sigo para Jerusalém ao serviço dos crentes em Jesus Cristo que ali estão. 26É que os crentes da Macedónia e da Acaia15,26 Macedónia. Região norte da Grécia. Acaia. Província romana correspondente à metade sul da atual Grécia. resolveram fazer um peditório a favor dos irmãos pobres da igreja de Jerusalém. 27Acharam bem fazer isso, mas na verdade deviam-lhes obrigações. Como os crentes de Jerusalém repartiram os seus bens espirituais com os não-judeus, estes, por sua vez, devem agora ajudá-los com os seus bens materiais. 28Quando eu tiver tratado deste assunto e lhes tiver entregado o produto do peditório, partirei para Espanha e irei visitar-vos nessa viagem. 29Estou certo de que quando aí for, vou cheio das bênçãos de Cristo.

30Meus irmãos, peço-vos por nosso Senhor Jesus Cristo e pelo amor que nos dá o Espírito Santo que estejam unidos comigo, orando fervorosamente a Deus por mim. 31Peçam a Deus que eu me livre daqueles que, na Judeia, não creem em Cristo e que a ajuda que eu levo aos crentes de Jerusalém tenha boa aceitação. 32Desse modo, se Deus quiser, irei visitar-vos cheio de alegria e convosco descansarei um pouco. 33Que o Deus de paz seja convosco. Ámen.