a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
1

11O mais belo dos cânticos1,1 A expressão o mais belo dos cânticos equivale em português ao superlativo hebraico., composto por Salomão.

(Ela)

2Beija-me com os teus doces lábios;

que as tuas carícias são mais deliciosas que o vinho.

3Os teus perfumes cheiram tão bem!

O som do teu nome é agradável perfume.

Por isso, as mulheres gostam de ti.

4Leva-me contigo! Vamos depressa!

Leva-me para os teus aposentos, ó meu rei.

Vamos alegrar-nos eu e tu, e ser felizes;

celebraremos o teu amor mais suave do que o vinho.

Com razão toda a gente gosta de ti!

5Mulheres de Jerusalém,

sou morena, mas formosa,

como as tendas da tribo de Quedar,

como as cortinas do palácio de Salomão.

6Não olhem para a minha pele escura com desdém,

pois foi o sol que me queimou.

Os meus irmãos1,6 Literalmente: Os filhos de minha mãe. aborreceram-se comigo

e puseram-me a guardar as vinhas.

Mas a minha própria vinha, eu não a soube guardar.

7Diz-me, amor da minha vida!

Onde apascentas o teu rebanho?

Onde o recolhes ao meio-dia?

Para não ter de andar disfarçada,

atrás dos rebanhos dos teus colegas.

(Ele)

8Se o não sabes, ó formosa entre as formosas,

segue as pisadas do rebanho

e vai apascentar os teus cabritos

junto das cabanas dos pastores.

9Tu és bela para mim, ó minha amada,

como as éguas dos carros do faraó.

10Que lindas são as tuas faces entre os brincos!

Que lindo, o teu pescoço entre os colares!

11Faremos para ti brincos de ouro

marchetados de prata.

(Ela)

12Enquanto o meu rei está em festa,

o meu perfume de nardo espalha a sua fragrância.

13O meu amado é para mim

como uma bolsinha de mirra

que repousa entre os meus seios.

14O meu amado é para mim

como um cacho florido de alfena

nas vinhas de En-Guédi1,14 En-Guédi. Oásis situado na margem ocidental do mar Morto..

(Ele)

15Como és bela, minha amada!

Como és bela! Os teus olhos são duas pombas!

(Ela)

16Como és belo, meu amor!

Como és encantador!

O nosso leito é de verdura;

17os cedros são as vigas da nossa casa;

e os ciprestes o teto que nos cobre.

2

21Eu sou um narciso do vale de Saron,

uma açucena dos vales.

(Ele)

2Sim, como uma açucena entre espinhos

assim é a minha amada

comparada com as outras raparigas.

(Ela)

3Como a macieira entre as outras árvores,

assim é o meu amado

comparado com os outros rapazes.

À sua sombra me sento com prazer;

os seus frutos são deliciosos.

4Levou-me a beber na sala de banquetes

e ergueu sobre mim o estandarte do amor.

5Reanimem-me com passas de uva,

confortem-me com maçãs,

porque morro de amor!

6Que ele ponha a mão esquerda debaixo da minha cabeça

e com a direita me abrace.

7Eu vos peço, mulheres de Jerusalém,

pelas gazelas e corças que vivem nos montes!

Não despertem o meu amado

nem o perturbem, sem que ele queira.

8Ouço a voz do meu amado!

Ele aí vem, a correr pelas montanhas

e a saltar sobre as colinas.

9O meu amado é como um gamo

e como um filhote de gazela.

Lá está ele atrás do nosso muro,

olhando pelas janelas,

espreitando pelas persianas.

10O meu amado está a falar comigo!

(Ele)

Anda, minha querida;

levanta-te e vem, meu amor!

11Olha! O inverno já passou

e com ele foram-se as chuvas.

12Já há flores pelo campo;

chegou o tempo das canções;

e ouve-se cantar a rola nos nossos campos.

13Na figueira começam a brotar os figos

e as vinhas em flor espalham o seu perfume.

Anda, minha querida;

levanta-te e vem, meu amor.

14Minha pomba, que te escondes entre as rochas,

em refúgios inacessíveis,

deixa-me ver o teu rosto;

deixa-me ouvir a tua voz,

porque a tua voz é suave

e o teu rosto é encantador.

15Apanhem as raposas, as raposas pequenas,

que devastam as nossas vinhas,

porque as nossas vinhas estão em flor.

(Ela)

16O meu amado é meu e eu sou dele.

Ele apascenta o seu rebanho

em campo de açucenas.

17Antes que rompa o dia e fujam as sombras2,17 Ou: Quando soprar a brisa da tarde e as sombras alastrarem.,

volta meu amor, volta,

como a gazela ou como um jovem veado,

correndo sobre montes e colinas.