a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
13

Decisão de levar a arca para Jerusalém

(2 Samuel 6,1–11)

131David teve uma reunião com os comandantes e chefes de unidades militares e com todos os responsáveis. 2Depois falou assim à assembleia de todos os israelitas: «Se vos parecer bem e for do agrado do Senhor, nosso Deus, vamos mandar avisar sem demora os nossos compatriotas, que ficaram nas diversas regiões de Israel, especialmente sacerdotes e levitas que se encontram nas suas cidades e respetivas aldeias, para se virem juntar a nós. 3Traremos então para o meio de nós, a arca do nosso Deus, já que, no tempo de Saul, não nos dirigíamos a ela para consultar o Senhor4Todos estiveram de acordo e acharam justa aquela proposta; e decidiram fazer isso mesmo.

5David convocou então todo o povo de Israel, desde Sior, na fronteira do Egito, até ao desvio para Hamat, a fim de se ir buscar a arca da aliança a Quiriat-Iarim. 6David subiu com todo o povo até Baalá, ou seja Quiriat-Iarim, em Judá, para tirarem de lá a arca da aliança. É sobre ela que se invoca o nome do Senhor, que tem o seu trono sobre os querubins.

7A arca foi colocada sobre um carro novo e tiraram-na da casa de Aminadab. Uzá e Aio é que conduziam o carro. 8David ia com todo o povo à frente e cantavam e dançavam com toda a alegria, ao som de harpas, liras, tamborins, címbalos e cornetins. 9Quando chegaram junto da Eira de Quidon, os bois tropeçaram e a arca inclinou-se; então Uzá estendeu a mão, para a segurar. 10Mas o Senhor irritou-se contra ele e castigou-o por ter tocado na arca. Uzá morreu ali mesmo, na presença de Deus.

11David ficou muito chocado, por o Senhor ter destruído Uzá desta forma. E chamou àquele lugar, por esta razão, Peres-Uza13,11 Peres-Uza significa destruição de Uzá., nome que ainda hoje se conserva. 12Naquele dia, ficou com muito medo de Deus e exclamou: «Como posso eu ter junto de mim a arca da aliança?» 13E não a levou para a cidade de David, mas mandou-a levar para casa dum homem chamado Obed-Edom, natural de Gat. 14A arca ficou em casa dele uns três meses e o Senhor abençoou-lhe a família e tudo o que lhe pertencia.

14

David em Jerusalém

(2 Samuel 5,1–12; 5,13–16; 1 Crónicas 3,4–9)

141Hiram, rei de Tiro, enviou mensageiros a David para lhe fazerem entrega de madeira de cedro e mandou também pedreiros e carpinteiros para lhe construírem um palácio. 2David compreendeu que o Senhor o tinha estabelecido como rei de Israel e tinha feito com que o seu reinado fosse bem sucedido, por causa de Israel, seu povo.

3Em Jerusalém, David casou com outras mulheres e teve mais filhos. 4São estes os nomes dos filhos que lhe nasceram em Jerusalém: Chamua, Chobab, Natan, Salomão, 5Jibar, Elisua, Elifelet, 6Nogá, Néfeg, Jafia, 7Elisama, Baaliadá e Elifelet.

Derrota dos filisteus

(2 Samuel 5,17–25)

8Quando os filisteus souberam que David tinha sido consagrado rei de todo o povo de Israel, levantaram-se contra ele para o apanharem, mas David soube disso e saiu-lhes ao encontro. 9Os filisteus chegaram e devastaram o vale de Refaim. 10David consultou então o Senhor e perguntou-lhe: «Devo ir atacar os filisteus? Irás tu dar-me a vitória sobre eles?» O Senhor respondeu-lhe: «Vai atacá-los que eu os entregarei nas tuas mãos.»

11Os filisteus avançaram até Baal-Peracim; David venceu-os e nessa altura exclamou: «Deus fez com que eu destruísse os meus inimigos como uma torrente de água.» Por isso, chamou-se àquele lugar Baal-Peracim14,11 Baal-Peracim significa “Baal das destruições”.. 12Quando fugiram, os filisteus deixaram abandonadas as imagens dos seus deuses e David mandou-as queimar.

13Entretanto os filisteus voltaram a devastar o vale de Refaim 14e David consultou novamente a Deus, que lhe respondeu: «Não os ataques pela retaguarda, mas faz-lhes um cerco a uma certa distância e ataca-os junto das amoreiras14,14 É incerta a identificação da espécie de árvores.. 15Quando ouvires o ruído dos passos por cima das copas das árvores, lança-te ao combate, pois eu irei à tua frente para vencer o exército dos filisteus.»

16David fez como Deus lhe mandou e os israelitas carregaram sobre os filisteus desde Guibeon até Guézer. 17A fama de David espalhou-se por toda a parte e o Senhor fez com que todas as nações tivessem medo dele.

15

Preparativos para o transporte da arca

151David construiu para si casa na cidade de David e preparou um lugar para lá levantar uma tenda, que abrigasse a arca da aliança. 2E deu a seguinte ordem: «Só os levitas devem transportar a arca do Senhor, pois foi a eles que o Senhor escolheu para transportarem a arca e para estarem sempre ao seu serviço.» 3Mandou reunir todo o povo de Israel em Jerusalém, a fim de colocar a arca no lugar que lhe tinha destinado. 4Reuniu aí os descendentes de Aarão e os grupos de levitas, cada um com o seu chefe. 5Dentre estes últimos, compareceu Uriel com cento e vinte descendentes de Queat. 6Dos descendentes de Merari, foi Assaías com duzentos e vinte levitas. 7Dos descendentes de Gerson compareceu Joel com cento e trinta. 8Dos descendentes de Eliçafan, Chemaías com duzentos. 9Dos descendentes de Hebron esteve presente Eliel com oitenta. 10Dos descendentes de Uziel foi Aminadab com cento e doze.

11David chamou os sacerdotes Sadoc e Abiatar e os levitas Uriel, Assaías, Joel, Chemaías, Eliel e Aminadab 12e disse-lhes: «Vocês são os chefes das famílias levíticas; façam a cerimónia da purificação, com todas as vossas famílias, pois vão levar a arca da aliança do Senhor, Deus de Israel, para o lugar que lhe preparei. 13Foi por não estarem presentes da outra vez que o Senhor, nosso Deus, nos castigou. De facto, não o tínhamos consultado como era nossa obrigação15,13 Referência ao episódio relatado em 13,9–11.

14Os sacerdotes e levitas celebraram a cerimónia da purificação, para poderem transportar a arca da aliança do Senhor, Deus de Israel. 15Os levitas transportaram-na com varas que colocaram aos ombros, conforme as instruções que tinha dado Moisés, por ordem do Senhor. 16David disse ainda aos chefes dos levitas que escolhessem de entre os membros da tribo alguns para cantarem em voz alta e para tocarem liras, harpas e címbalos, em sinal de grande alegria. 17Os levitas escolheram então Heman, filho de Joel, Assaf, filho de Berequias e Etan, filho de Cuchaías, da família de Merari. 18Escolheram para estarem com eles às suas ordens os seguintes porteiros: Zacarias, Jaziel, Chemiramot, Jeiel, Uni, Eliab, Benaías, Masseias, Matatias, Elifeleu, Miqueneias, Obed-Edom e Jeiel. 19Os cantores Heman, Assaf e Etan tocavam címbalos de bronze. 20Zacarias, Aziel, Chemiramot, Jeiel, Uni, Eliab, Masseias e Benaías tocavam liras de sons agudos. 21Matatias, Elifeleu, Miqueneias, Obed-Edom, Jeiel e Azazias tocavam harpas de sons graves para acompanhar o canto. 22Cananias, chefe dos levitas encarregados de transportar a arca da aliança era quem dirigia, pois era entendido nisso. 23Berequias e Elcaná eram os porteiros encarregados da arca. 24Os sacerdotes Chebanias, Josafat, Nataniel, Amassai, Zacarias, Benaías e Eliézer tocavam cornetins, diante da arca. Obed-Edom e Jeías também eram porteiros encarregados da arca.

Chegada da arca a Jerusalém

(2 Samuel 6,12–19)

25David, os anciãos de Israel e os chefes militares foram com alegria retirar a arca da casa de Obed-Edom. 26E, por Deus ter protegido os levitas que transportavam a arca, foram oferecidos em sacrifício sete touros e sete carneiros. 27David estava vestido com um manto de linho fino e estavam vestidos da mesma forma todos os levitas que transportavam a arca, os cantores e Cananias, que os dirigia. Além disso, David levava também ao peito a insígnia de oráculo, feita de linho. 28Todo o povo de Israel acompanhava a arca da aliança do Senhor entre gritos de alegria e ao som de trombetas, de cornetins, de címbalos, de liras e de harpas.

29Quando a arca da aliança do Senhor entrou na cidade de David, Mical, filha de Saul chegou à janela e viu o rei David a dançar cheio de alegria. Isso provocou-lhe um profundo desprezo por ele.