a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
9

Deus aparece de novo a Salomão

91Quando Salomão acabou de edificar o templo do Senhor, o palácio real e tudo quanto se propusera fazer, 2o Senhor apareceu-lhe pela segunda vez, como lhe tinha aparecido em Guibeon, 3e disse-lhe: «Ouvi a oração suplicante que me dirigiste e consagrei este templo que tu edificaste para dele fazer o meu santuário para sempre. Todos os dias, terei postos nele os meus olhos e o meu coração. 4Se tu me servires com toda a honestidade, como fez David, teu pai, obedecendo às minhas leis e cumprindo tudo o que te ordenei, 5estabelecerei para sempre o teu reinado em Israel, como prometi a David, teu pai, quando lhe disse que nunca faltaria um descendente seu no trono de Israel. 6Porém se tu e o teu povo ou os vossos descendentes se desviarem de mim e não cumprirem os mandamentos e as leis que vos dei e se inclinarem diante doutros deuses para os adorarem, 7então retirarei o meu povo de Israel da terra que lhe dei, abandonarei o templo que consagrei como meu santuário e Israel será motivo de sarcasmo e de troça para todos os povos. 8Este templo será transformado num montão de ruínas e todo aquele que por aqui passar ficará surpreendido e perguntará admirado: “Por que é que o Senhor fez isto a esta terra e a este templo?” 9E hão de receber a resposta: “Foi porque abandonaram o Senhor, seu Deus, que tirou do Egito os seus antepassados, e porque se apegaram a outros deuses e se inclinaram diante deles para os adorarem e servirem. Foi por isso que o Senhor lhes enviou todos estes males.”»

Outras atividades de Salomão

10Salomão levou vinte anos a construir os dois edifícios: o templo do Senhor e o palácio real. 11Hiram, rei de Tiro, tinha-lhe fornecido as madeiras de cedro e de cipreste e todo o ouro que ele quis para a sua obra. E Salomão, por sua vez, entregou ao rei Hiram vinte cidades da região da Galileia. 12Hiram foi vê-las, mas não gostou delas, 13e disse a Salomão: «Estas cidades, meu irmão, não valem nada! Por essa razão aquela área ainda hoje é designada por “Terra de Cabul9,13 Cabul tem, em hebraico, um som parecido com outra palavra que significa “sem valor”.”.» 14Hiram tinha enviado a Salomão mais de quatro toneladas de ouro.

15Aconteceu que Salomão organizou trabalhos obrigatórios para a construção do templo do Senhor, do palácio real, da terraplenagem de Milo9,15 Milo. Zona situada entre a cidade de David, a sul, e o templo, a norte, que foi terraplenada por ordem de Salomão. Milo significa, em hebraico, terraplenagem. e das muralhas de Jerusalém, além das cidades de Haçor, Meguido e Guézer. 16O faraó, rei do Egito, tinha atacado Guézer, matando todos os seus habitantes e pondo fogo à cidade. Depois deu-a como dote a sua filha, quando ela se casou com Salomão. 17O rei Salomão reconstruiu então Guézer, Bet-Horon-de-Baixo, 18Baalat, Tamar, no deserto de Judá, 19e todas as cidades onde armazenava mantimentos, e outras onde recolhia os carros e os cavalos, e tudo o mais que Salomão quis construir em Jerusalém, no Líbano e em todo o território sob o seu domínio. 20Todos os amorreus, hititas, perizeus, heveus e jebuseus, que não pertenciam ao povo de Israel, 21isto é, os descendentes que ficaram daqueles povos, no país que os israelitas não destruíram totalmente, foram utilizados por Salomão como mão de obra obrigatória para trabalhos pesados, como ainda hoje acontece. 22Mas não obrigou nenhum israelita a trabalhar como escravo; os israelitas serviam como soldados, oficiais, comandantes, capitães de carros de combate e cavaleiros do rei.

23Havia quinhentos e cinquenta inspetores dos trabalhos de Salomão, encarregados de vigiar os operários.

24Depois da filha do faraó, mulher de Salomão, se ter mudado da cidade de David para o palácio que Salomão tinha construído para ela, é que ele mandou proceder à terraplenagem de Milo.

25Salomão oferecia, três vezes por ano, holocaustos e sacrifícios de reconciliação sobre o altar que ele construiu para o Senhor e queimava incenso diante do Senhor. Assim terminou ele a construção do templo.

26O rei Salomão construiu também navios em Ecion-Guéber, perto de Elat, um porto do Mar Vermelho, no território de Edom. 27O rei Hiram enviou a Salomão marinheiros fenícios experimentados, para acompanharem os de Salomão. 28Assim navegaram até Ofir9,28 Região mal localizada, possivelmente a sul da península arábica, ou ainda mais longe, na costa africana ou na Índia., donde levaram a Salomão mais de catorze toneladas de ouro.

10

A rainha de Sabá visita Salomão

101A fama do rei Salomão, para honra do Senhor, chegou à corte da rainha de Sabá10,1 A região de Sabá corresponde mais ou menos ao atual Iémen. A rainha de Sabá é recordada em Mt 12,42; Lc 11,31.. Por isso, ela foi vê-lo para o pôr à prova com perguntas difíceis. 2Foi a Jerusalém acompanhada por um grande séquito, com camelos carregados de perfumes, grande quantidade de ouro e pedras preciosas. Quando se encontrou com Salomão, expôs-lhe tudo o que tinha pensado. 3Salomão respondeu a todas as questões, sem deixar uma única a que não soubesse dar resposta. 4A rainha de Sabá, pôde apreciar a sabedoria de Salomão, o palácio que ele tinha construído, 5os manjares da sua mesa, o modo como os seus cortesãos ocupavam os seus lugares, a maneira de vestir dos seus empregados e dos que serviam à mesa, e pôde ver o rei a subir em procissão para o templo do Senhor. Perante isto, ela ficou tão impressionada 6que disse ao rei: «É realmente verdade tudo o que eu tinha ouvido no meu país acerca de ti, a respeito das tuas obras e da tua sabedoria! 7Mas só agora é que eu posso acreditar, depois de ter vindo e de ter visto com os meus olhos. Não me tinham contado nem metade do que é a tua sabedoria e a tua prosperidade, pois é muito mais do que me tinham dito. 8Felizes os que vivem contigo e os que estão ao teu serviço, pois estão sempre junto de ti e ouvem as tuas palavras de sabedoria! 9Louvado seja o Senhor, teu Deus, que te escolheu para subires ao trono de Israel! Foi pelo seu amor a Israel que o Senhor te fez seu rei, para os governares com retidão e justiça!»

10Ofereceu depois a Salomão cerca de três toneladas e meia de ouro, uma grande quantidade de perfumes e de pedras preciosas. Nunca a Israel tinha chegado uma tal quantidade de perfumes de presente, como a que a rainha de Sabá ofereceu ao rei Salomão.

11Os navios do rei Hiram, que transportavam ouro de Ofir, traziam também uma grande quantidade de madeiras exóticas e pedras preciosas. 12Com a madeira de sândalo fez Salomão varandins para o templo do Senhor e para o palácio real e também harpas e liras para os músicos. Nunca até hoje se transportou tanta madeira daquela para Israel.

13Pela sua parte, o rei Salomão deu à rainha de Sabá tudo o que ela quis, além do que ele pessoalmente lhe ofereceu. Depois disso, a rainha regressou ao seu país, acompanhada da sua comitiva.

As riquezas do rei Salomão

14Todos os anos Salomão recebia quase vinte e três toneladas de ouro, 15sem contar com o tributo que recebia dos grandes e pequenos negociantes, dos reis da Arábia10,15 Ou: dos reis do ocidente. Ver 2 Cr 9,14. e de todos os governadores do país.

16O rei Salomão mandou fazer duzentos escudos grandes de ouro batido, empregando em cada um quase sete quilos de ouro, 17e trezentos escudos mais pequenos, empregando em cada um quase dois quilos de ouro batido, e depois mandou pô-los no salão chamado Floresta do Líbano. 18Mandou fazer também um grande trono de marfim, revestido de ouro fino. 19O trono tinha seis degraus; a parte superior do espaldar era arredondada; havia de cada lado do assento dois braços e junto dos braços dois leões de pé. 20Colocados nos degraus havia doze leões, seis de cada lado. Nunca se tinha feito obra semelhante em nenhum outro reino. 21Todas as taças do rei Salomão eram de ouro; todas as vasilhas do salão Floresta do Líbano eram de ouro puro. Não havia nada de prata, porque, no tempo de Salomão, a prata não tinha muito valor. 22O rei tinha no mar navios de longo curso10,22 A expressão em hebraico é navios de Társis. que navegavam juntamente com os de Hiram. De três em três anos, a frota de Salomão regressava carregada de ouro, prata, marfim, macacos e pavões.

23O rei Salomão tinha mais riqueza e sabedoria do que qualquer outro rei da terra. 24Por isso, toda a gente procurava visitá-lo para escutar a sabedoria que Deus lhe tinha concedido. 25Cada ano lhe levavam presentes: objetos de prata e de ouro, capas, armas, substâncias aromáticas, cavalos e mulas.

26Salomão reuniu uma força de mil e quatrocentos carros e doze mil cavalos, que mantinha nas cidades onde guardava os carros de combate e em Jerusalém, junto dele. 27O rei fez com que em Jerusalém, a prata se tornasse tão comum como as pedras e que os cedros fossem tão numerosos como as figueiras bravas na planície da Chefela. 28Os cavalos de Salomão vinham do Egito10,28 Em hebraico Mizraim significa normalmente Egito. É possível que aqui não se trate do Egito, mas sim da região de Muzri, na atual Turquia. e da Cilícia; era uma caravana de mercadores do reino que lá ia comprá-los por um determinado preço. 29Um carro importado do Egito valia seiscentas moedas de prata e um cavalo valia cento e cinquenta. Estes mesmos mercadores importavam também carros para todos os reis hititas e arameus.

11

Infidelidade de Salomão

111Além da filha do faraó, o rei Salomão amou muitas mulheres estrangeiras: moabitas, amonitas, edomitas, sidónias e hititas, 2pertencentes a nações sobre as quais o Senhor tinha dito aos israelitas: «Não procurem mulheres dessas nações, nem deixem que os seus homens casem com as vossas mulheres, porque isso vos levaria a corromper o vosso coração e a adorar os seus deuses.» Mas Salomão enamorou-se dessas mulheres e deixou-se prender por elas. 3Teve setecentas esposas de sangue real e trezentas outras esposas secundárias que o desviaram de Deus. 4Quando já era velho, as suas mulheres levaram-no a adorar outros deuses, de modo que ele deixou de amar o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, não seguindo nisso o exemplo de David, seu pai. 5Salomão prestou culto a Astarté, deusa dos sidónios, e a Milcom, ídolo repugnante dos amonitas. 6Desagradou com isso ao Senhor, porque não lhe obedeceu inteiramente, como David, seu pai. 7No monte que fica a leste de Jerusalém, Salomão construiu um santuário pagão em honra de Camós, deus repugnante dos moabitas, e outro a Moloc11,7 Moloc. Deformação depreciativa de Milcom, referido nos v. 5 e 33. A antiga tradução grega tem Milcom., deus repugnante dos amonitas. 8E fez o mesmo para agradar a cada uma das suas mulheres estrangeiras, que queriam queimar incenso e oferecer sacrifícios aos seus deuses.

9Então o Senhor, Deus de Israel, que já lhe tinha aparecido duas vezes, irritou-se com Salomão, por se ter afastado dele. 10Ora, o Senhor tinha-lhe ordenado precisamente que não prestasse culto a outros deuses, mas ele não fez caso do que o Senhor lhe tinha ordenado. 11Por isso, o Senhor disse a Salomão: «Já que procedeste assim e não cumpriste os compromissos da aliança e as leis que te ordenei, vou tirar-te o reino e dá-lo a um dos que estão ao teu serviço. 12No entanto, por amor de David, teu pai, não o farei enquanto fores vivo, mas sim durante o reinado do teu filho. 13Não lhe tirarei todo o reino; vou deixar-lhe uma tribo, por amor do meu servo David e de Jerusalém, a cidade que escolhi.»

Inimigos de Salomão

14Então o Senhor fez de Hadad, da família real de Edom, um inimigo de Salomão. 15Na altura em que David combateu o reino de Edom, quando Joab, chefe do exército israelita, foi sepultar os seus mortos, matou todos os homens de Edom, 16durante os seis meses que lá ficou com os israelitas. Ele e os seus soldados exterminaram todos os homens de Edom, 17só escapando Hadad, que era então uma criança pequena, e alguns servos de seu pai, que fugiram para o Egito, levando a criança. 18Partiram de Madiã e foram até Paran11,18 Madiã, a sueste da Palestina, constitui a parte do sul do reino de Edom. Paran é a região desértica entre a Palestina e a Península do Sinai., onde contrataram alguns homens que seguiram com eles para o Egito. Quando lá chegaram, apresentaram-se ao faraó, rei do Egito, que lhes deu casa e terras e lhes garantiu comida. 19Hadad ganhou de tal modo a amizade do faraó, que este lhe deu por esposa a sua cunhada, irmã da rainha Tapnes. 20Desta irmã da rainha teve Hadad um filho, chamado Guenubat, que a própria Tapnes criou no palácio real, juntamente com os filhos do faraó.

21Quando Hadad soube no Egito que o rei David tinha morrido e que Joab, o chefe do exército tinha morrido também, disse ao faraó: «Deixa-me voltar para a minha terra.» 22O rei perguntou-lhe: «Falta-te aqui alguma coisa, para quereres voltar para a tua terra?» Hadad respondeu: «Não me falta nada, mas deixa-me partir.»

23Deus fez também de Rezon um inimigo de Salomão. Rezon, filho de Eliadá, tinha fugido do seu soberano, Hadad-Ézer, rei de Sobá11,23 No hebraico, a segunda parte do versículo é de difícil compreensão.. 24Depois de David ter derrotado Hadad-Ézer, Rezon reuniu alguns homens e tornou-se chefe duma quadrilha. Rezon e os seus homens foram viver para Damasco e ali a quadrilha proclamou-o rei 25e tornou-se rei da Síria. Durante todo o reinado de Salomão, Rezon foi um inimigo de Israel. E, tal como Hadad, detestava Israel e causou-lhe muitos danos.

Revolta de Jeroboão

26Jeroboão, filho de Nebat, revoltou-se também contra Salomão. Jeroboão era oficial do rei, natural da cidade de Sereda11,26 Localidade a cerca de 40 km a noroeste de Jerusalém., da tribo de Efraim. Sua mãe era uma viúva chamada Serua. 27A causa da sua revolta contra o rei foi a seguinte: Salomão tinha construído o terrapleno de Milo11,27 Ver nota a 9,15., para tapar as brechas da cidade de David, seu pai. 28Jeroboão era um jovem forte e decidido. Salomão, vendo que ele era tão ativo, designou-o como capataz de todos os trabalhadores das tribos de Efraim e Manassés.

29Um dia em que Jeroboão saía de Jerusalém, encontrou-se no caminho com o profeta Aías de Silo, que levava uma capa pelas costas. Estavam os dois sozinhos no campo. 30Aías tirou a capa dos ombros, rasgou-a em doze pedaços 31e disse a Jeroboão: «Toma lá dez pedaços e escuta o que o Senhor, Deus de Israel, tem para te dizer: “Vou tirar o reino a Salomão e confiar-te-ei dez das tribos. 32Salomão ficará com uma só tribo11,32 Trata-se da tribo de Judá. Ver cap. 12—20., por amor de meu servo David e de Jerusalém, a cidade que escolhi entre todas as cidades das tribos de Israel, 33porque me abandonaram e se inclinaram diante de Astarté, deusa dos sidónios, Camós, deus dos moabitas, e Milcom, deus dos amonitas. Não seguiram pelo caminho que eu lhes indiquei, que era obedecerem às minhas leis, preceitos e decretos, como fez David, pai de Salomão. 34Contudo, não lhe tirarei todo o reino; vou deixá-lo governar enquanto viver, por amor do meu servo David, a quem escolhi, o qual cumpriu os meus mandamentos e as minha leis. 35Tirarei, por isso, o reino ao seu filho; e a ti, Jeroboão, entregarei dez tribos. 36Deixarei uma tribo ao seu filho, para que o meu servo David tenha sempre um dos seus descendentes a reinar perante mim em Jerusalém, a cidade que escolhi para dela fazer o meu santuário. 37Quanto a ti, Jeroboão, vou fazer de ti rei de Israel e reinarás sobre todo o território que quiseres. 38Se obedeceres a tudo o que eu te ordenar, se viveres segundo os meus preceitos e fizeres aquilo que me agrada, pondo em prática o que eu te mandar, como fez o meu servo David, estarei sempre contigo e prometo que os teus descendentes formarão uma dinastia firme, como os de David. Dar-te-ei as dez tribos de Israel, 39para humilhar os descendentes de David, mas não para sempre.”»

40Salomão tentou matar Jeroboão, mas ele fugiu para junto do rei Chichac, no Egito, onde permaneceu até à morte de Salomão.

Morte de Salomão

41O resto da história de Salomão, a sua sabedoria e tudo o que ele fez, está escrito no livro das Crónicas de Salomão. 42Salomão foi rei de todo o povo de Israel durante quarenta anos, em Jerusalém. 43Quando morreu, foi sepultado na cidade de David, seu pai. Seu filho Roboão sucedeu-lhe no trono.