a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
1

Saudação

11Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, pela vontade de Deus, nosso Salvador e de Cristo Jesus nossa esperança, 2a Timóteo1,2 Sobre o primeiro encontro de Timóteo com Paulo, ver At 16,1., meu verdadeiro filho na fé. Deus nosso Pai e Cristo Jesus, nosso Senhor, te deem graça misericórdia e paz.

Contra as falsas doutrinas

3Peço-te que continues em Éfeso, como já te pedi ao sair para a Macedónia1,3 Éfeso. Capital da província romana da Ásia. Ver 2 Co 1,8. A viagem a que Paulo faz aqui alusão é vários anos posterior àquela a que se refere em At 20,1.. É preciso que convenças alguns daí a não ensinarem doutrinas diferentes. 4Que eles não se deixem levar por lendas nem por listas intermináveis de antepassados1,4 Possivelmente teorias e reflexões hebraicas sobre a descendência dos patriarcas e heróis do Antigo Testamento, baseadas, por exemplo, em Gn 4—5; 9—11, e outras.. Isso serve mais para provocar discussões do que para realizar os planos1,4 Ou: a vontade. de Deus, que conhecemos pela fé. 5O objetivo desta advertência é fazer com que eles vivam no amor que é fruto de um coração sincero, de uma consciência boa e de uma fé sem fingimento. 6Alguns deles transviaram-se e perderam-se em discussões inúteis. 7Querem ser mestres na lei e nem sequer sabem o que dizem nem sobre o que estão a falar com tanta segurança.

8Sabemos que a Lei de Moisés é boa para quem se serve dela de modo legítimo. 9Note-se, porém, que a lei não é para os que cumprem a vontade de Deus, mas sim para os que a não cumprem e para os revoltosos, para os pecadores, para os que não aceitam nem respeitam a Deus nem as coisas santas, para os que são capazes de matar pai e mãe ou outra pessoa qualquer. 10É para os que praticam a imoralidade, para os homossexuais, para os que escravizam os outros, para os mentirosos, para os que juram falso e para aqueles que fazem seja o que for, contrário à verdadeira doutrina. 11Isto é que está de acordo com a boa nova gloriosa do Deus1,11 Ou: com a boa nova do Deus glorioso e bendito. bendito, a qual me foi confiada.

Reconhecimento pela bondade de Deus

12Dou graças a Cristo Jesus, Senhor nosso, que me encheu de coragem e que me tornou digno de estar ao seu serviço, 13a mim que antes o ofendia, o perseguia e que me revoltava contra ele. Mas ele foi misericordioso comigo, pois eu não sabia o que andava a fazer porque não tinha fé1,13 Ver At 8,3; 9,4–5.. 14Contudo, a graça do Senhor foi muito grande para comigo e encheu-me de fé e amor, em união com Cristo Jesus. 15É bem certa e digna de confiança aquela palavra1,15 Expressão e tema frequentes nas cartas pastorais. Ver 1 Tm 3,1; 4,9; 2 Tm 2,11; Tt 3,8. que se diz: «Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores.» E o primeiro pecador sou eu. 16Mas por isso mesmo é que fui tratado com misericórdia, para que Cristo Jesus pudesse mostrar, começando por mim, toda a sua paciência. Isto a fim de servir de exemplo para aqueles que depois haviam de acreditar nele, a fim de alcançarem a vida eterna.

17Ao rei eterno, ao Deus único, imortal e invisível, sejam dadas honra e glória para sempre. Ámen.

18Meu filho, Timóteo, quero deixar-te esta recomendação, que está de acordo com as palavras inspiradas por Deus, que te foram comunicadas. Apoia-te nelas e continua a lutar como Deus quer, 19com fé e retidão de consciência. Alguns deixaram de a seguir e naufragaram na fé. 20Himeneu e Alexandre pertencem ao número desses. Já os entreguei ao poder de Satanás1,20 Ver 1 Co 5,5 e nota. Sobre Himeneu, ver 2 Tm 2,17. Sobre Alexandre, ver 2 Tm 4,14., para que aprendam a não blasfemar contra Deus.

2

Recomendações sobre a oração

21Peço, em primeiro lugar, que todos façam a Deus orações, pedidos, súplicas e ações de graças por todos. 2Orem pelos que governam e exercem autoridade, para podermos viver em paz e sossego, louvando a Deus com dignidade e com todo o respeito. 3Assim é que deve ser e esta é a vontade de Deus, nosso Salvador. 4Ele quer que todos se salvem2,4 Comparar com Ez 18,23. e cheguem ao conhecimento da verdade.

5É que há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo, que é homem 6e deu a vida por todos2,6 Comparar com Mt 20,28.. Esta foi a mensagem que Deus revelou na altura própria. 7É disto que eu fui nomeado mensageiro, apóstolo2,7 Comparar com 2 Tm 1,11. e mestre, para ensinar a fé e a verdade aos não-judeus. Digo a verdade; não digo mentiras.

8Quero pois que os homens, ao fazerem oração em qualquer lugar, o façam erguendo as mãos2,8 Erguendo as mãos.Gesto tradicional de oração entre os hebreus. Ver Ex 9,29; 1 Rs 8,22. puras, sem ódios nem intrigas. 9Às mulheres quero pedir que se apresentem com dignidade, com modéstia, sem grandes penteados, nem ouro, nem joias nem vestidos luxuosos2,9 Comparar com 1 Pe 3,3.. 10Apresentem-se como convém a mulheres que se preocupam principalmente em agradar a Deus pelas boas ações.

11As mulheres aprendam em silêncio e com toda a humildade. 12Não lhes permito que ensinem nem deem ordens aos homens, mas devem ficar em silêncio. 13Primeiro foi criado Adão e só depois Eva, 14e quem caiu na tentação não foi Adão. A mulher é que foi tentada e cometeu a transgressão2,14 Sobre os v. 13–14, ver Gn 2,7.21–22; 3,1–6.. 15Mas, criando os seus filhos, as mulheres salvar-se-ão, se modestamente permanecerem na fé, no amor e em santidade.

3

Responsáveis da comunidade

31É bem verdade aquilo que se costuma dizer: «Se alguém aspira ao episcopado deseja uma importante missão.» 2Pois o bispo3,2 Bispo. Um responsável que guia a comunidade. Ver Tt 1,7. deve ser uma pessoa de boa reputação, marido fiel3,2 Outra tradução: casado uma só vez., sóbrio, prudente, equilibrado, acolhedor, e deve ter capacidade para ensinar. 3Não deve ser pessoa dada ao vinho, nem a levantar conflitos, mas tolerante e calmo. E não deve ser interesseiro. 4Deve ser um bom chefe da sua própria família e saber educar os filhos no respeito, com toda a dignidade. 5Pois se alguém não é capaz de ser um bom chefe da sua própria família como pode assumir responsabilidades na igreja de Deus? 6Que não seja crente de há pouco tempo, para não se envaidecer, pois receberia o mesmo castigo que recebeu o Demónio. 7Convém ser uma pessoa respeitada até pelos de fora, para não se tornar motivo de difamação nem cair na armadilha preparada pelo Demónio3,7 Sobre o modelo a que deve corresponder o responsável da comunidade, ver Tt 1,6–9..

Outras pessoas ao serviço da comunidade

8Do mesmo modo, também os diáconos3,8 Diácono. Nome que se usava no cristianismo primitivo para designar as pessoas que se encarregavam da assistência aos pobres e doentes. devem ser pessoas dignas e homens de palavra. Não devem ser dados ao vinho nem gananciosos, 9mas devem viver o mistério da fé com uma consciência sincera. 10Estes devem ser primeiro postos à prova e, só depois, se não houver nada contra eles, é que podem dedicar-se ao seu trabalho.

11As mulheres que servem na igreja3,11 Ou: as suas mulheres, isto é, dos diáconos. devem ser igualmente dignas; não devem ser murmuradoras, mas pessoas de bom senso e fiéis em tudo. 12Os diáconos devem ser maridos fiéis3,12 Ou: casados uma só vez., bons pais para os filhos e bons chefes de família. 13E aqueles que cumprirem bem a sua missão tornam-se merecedores de grande consideração e podem falar com autoridade sobre a fé em Cristo Jesus.

O mistério da fé cristã

14Escrevo-te estas coisas, mas espero ir, em breve, ter contigo. 15Entretanto, se eu demorar, ficas a saber como te deves comportar na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo. Ela é a coluna e o fundamento da verdade.

16O mistério da fé que proclamamos é realmente grande:

Cristo manifestou-se como homem,

foi proclamado justo pelo Espírito3,16 Comparar com Rm 1,4.,

foi contemplado pelos anjos,

foi anunciado entre os não-judeus,

foi aceite com fé pela Humanidade

e foi enaltecido com glória.