a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
1

Morte de Acazias

11Depois da morte do rei Acab, os moabitas revoltaram-se contra o domínio de Israel.

2Acazias1,2 Acazias era filho e sucessor de Acab (1 Rs 22,52–54)., o rei de Israel, caiu duma janela do andar de cima do seu palácio, em Samaria, e ficou muito ferido. Enviou, então, mensageiros com estas ordens: «Vão consultar Baal-Zebub, o deus da cidade de Ecron1,2 Cidade habitada por filisteus; ficava a cerca de 50 km a oeste de Jerusalém., para saber se vou sobreviver a este mal.» 3Mas o anjo do Senhor falou a Elias, o profeta de Tisbé, dizendo: «Vai! Sai ao encontro dos mensageiros do rei de Samaria e pergunta-lhes: “Por que vão consultar Baal-Zebub1,3 Baal-Zebub significa “Senhor das moscas”. É uma deformação irónica e humilhante de Baal-Zebul, que significa “Senhor, o Príncipe”. o deus de Ecron? Acham que não há Deus em Israel?” 4Pois, o Senhor manda dizer ao rei de Israel: “Já não te levantarás mais dessa cama onde estás deitado, porque vais morrer.”»

Elias fez como o Senhor lhe ordenou. 5Os mensageiros voltaram para junto do rei, que lhes perguntou: «Por que é que voltaram para trás?» 6E eles responderam: «Veio ao nosso encontro um homem, que nos fez voltar para trás e nos ordenou que te informássemos que o Senhor te manda dizer o seguinte: “Por que mandaste consultar Baal-Zebub, o deus de Ecron? Achas que não há Deus em Israel? Pois, já não te levantarás mais dessa cama onde estás deitado, porque vais morrer.”»

7O rei perguntou-lhes: «Qual era o aspeto do homem que se encontrou convosco e que vos falou desse modo?» 8Eles responderam: «Era um homem vestido com uma capa de pelo e com um cinto de couro1,8 Vestuário característico de Elias e posteriores profetas. Ver Zc 13,4; Mt 3,4. na cintura.» O rei exclamou: «É Elias, de Tisbé!»

9Em seguida, enviou um oficial com cinquenta soldados ao seu comando, para prenderem Elias. Quando chegaram junto dele, estava Elias sentado no cimo dum monte e o oficial disse-lhe: «Ó profeta, o rei ordena-te que desças daí.» 10Elias respondeu-lhe: «Se eu sou profeta, que desça fogo do céu e te consuma a ti e aos teus cinquenta soldados.» Nesse mesmo instante, desceu fogo do céu e consumiu-os a todos.

11O rei enviou outro oficial com mais cinquenta soldados e este segundo oficial disse a Elias: «Ó profeta, o rei ordena-te que desças daí imediatamente!» 12Elias respondeu-lhe: «Se eu sou profeta, que desça fogo do céu e te consuma a ti e aos teus cinquenta soldados.» Nesse mesmo instante desceu fogo do céu e consumiu-os a todos.

13O rei enviou, pela terceira vez, um oficial com outros cinquenta soldados. Este terceiro capitão subiu até ao cimo do monte, ajoelhou-se em frente de Elias e suplicou-lhe: «Profeta, peço-te que poupes a minha vida e a destes cinquenta soldados, teus servos! 14Os outros dois oficiais e os seus soldados foram consumidos pelo fogo que desceu do céu; por isso suplico-te que me poupes a vida.»

15Então o anjo do Senhor ordenou a Elias: «Vai com ele e não tenhas medo.» Elias desceu, foi com o oficial à presença do rei 16e disse-lhe: «Já que enviaste mensageiros para consultarem Baal-Zebub, o deus de Ecron, como se em Israel não houvesse Deus a quem consultar, não te levantarás mais dessa cama, porque vais morrer. Esta é a mensagem do Senhor

17Realmente, Acazias morreu, tal como o Senhor lhe tinha anunciado por meio de Elias. Não deixou filhos, por isso, sucedeu-lhe no trono o seu irmão1,17 As palavras o seu irmão não aparecem no hebraico, mas sim em versões antigas. Jorão, no segundo ano do reinado do rei de Judá, Jorão filho de Josafat.

18O resto da história de Acazias com os seus feitos, está tudo escrito no livro das Crónicas dos Reis de Israel.

2

Elias sobe ao céu

21Um dia, quando o Senhor estava para levar Elias ao céu num redemoinho, Elias e Eliseu estavam a sair de Guilgal2,1 Não confundir esta localidade com a referida em Js 4,19; 12,23.. 2Elias disse a Eliseu: «Fica aqui, porque o Senhor mandou-me a Betel.» Mas Eliseu respondeu: «Juro pelo Senhor e pela tua própria vida que não vou deixar-te ir sozinho!» Por isso, foram juntos até Betel. 3Os profetas do grupo de Betel procuraram Eliseu e disseram-lhe: «Já sabes que o Senhor vai hoje fazer subir ao céu o teu amo?» «Sim, já sei. Mas não digam nada!» — replicou Eliseu.

4Depois Elias disse a Eliseu: «Fica aqui, porque o Senhor mandou-me a Jericó.» Mas Eliseu respondeu: «Juro pelo Senhor e pela tua própria vida que não vou deixar-te ir sozinho!» Por isso, foram juntos até Jericó. 5Os profetas do grupo de Jericó procuraram Eliseu e disseram-lhe: «Já sabes que o Senhor vai hoje fazer subir ao céu o teu amo?» Eliseu respondeu: «Sim, já sei. Mas não digam nada!»

6Então Elias disse outra vez a Eliseu: «Fica aqui, porque o Senhor mandou-me ao rio Jordão.» Mas Eliseu respondeu: «Juro pelo Senhor e por ti mesmo que não vou deixar-te ir sozinho!» E foram os dois juntos; 7mas cinquenta do grupo dos profetas seguiram-nos até ao rio Jordão e ficaram a certa distância, enquanto Elias e Eliseu pararam na margem do Jordão. 8Então Elias tirou a sua capa, enrolou-a, bateu com ela na água e a água afastou-se para um e para o outro lado, de modo que eles atravessaram para a outra banda a pé enxuto. 9Quando lá chegaram, Elias disse a Eliseu: «Diz-me o que desejas que faça por ti, antes de ser levado ao céu.» Eliseu respondeu: «Desejo ser o principal herdeiro do teu espírito de profeta2,9 Em hebraico: Peço-te que haja porção dobrada do teu espírito sobre mim. Esta expressão hebraica invoca Dt 21,17, onde se determina que o filho primogénito herdará do pai uma porção dobrada em relação aos outros.10Elias disse: «Pedes-me uma coisa difícil de conceder; mas, se me vires quando for levado de junto de ti, o que pedes ser-te-á concedido; porém, se não me vires, não será.»

11Eles seguiam o seu caminho e iam a conversar, quando, de repente, apareceu um carro de fogo, puxado por cavalos de fogo, que os separou e Elias foi levado ao céu num redemoinho. 12Eliseu viu isto e exclamou: «Meu pai, meu pai! Defensor e condutor de Israel2,12 Em hebraico: Meu pai, meu pai! Carros de Israel e seus cavaleiros.

Quando deixou de ver Elias, Eliseu rasgou a sua roupa em sinal de tristeza.

Eliseu sucede a Elias

13Eliseu apanhou a capa que Elias deixou cair, regressou ao Jordão e parou junto da margem. 14Pegou então na capa que Elias tinha deixado cair, bateu com ela na água e disse: «Onde está o Senhor, Deus de Elias?» Mal bateu com a capa na água, esta afastou-se para um e para o outro lado e Eliseu atravessou.

15Os profetas do grupo de Jericó, que estavam em frente, quando viram o que aconteceu, exclamaram: «O espírito profético de Elias está agora em Eliseu!» Foram então ao seu encontro, inclinaram-se até ao chão em frente dele 16e disseram-lhe: «Tens aqui, entre estes teus servos, cinquenta homens corajosos, que podem ir à procura do teu amo. Talvez o Espírito do Senhor o tenha levado e deixado em algum monte ou vale.» Eliseu respondeu: «Não, não mandem ninguém!» 17Mas eles insistiram tanto que ele, por fim, condescendeu e deixou-os ir. Os cinquenta homens procuraram Elias2,17 Outra tradução: Enviaram então cinquenta homens, que o procuraram., durante três dias, mas não o encontraram. 18Quando voltaram para junto de Eliseu, que ficou em Jericó, ele disse-lhes: «Eu não vos disse que não fossem?»

Eliseu purifica a nascente de Jericó

19Os habitantes da cidade de Jericó foram dizer a Eliseu: «Como o senhor pode ver, esta cidade está bem situada, mas a água é má e a terra não é fértil.» 20Eliseu disse-lhes: «Tragam-me uma tigela nova com sal.» Quando eles lha levaram, 21Eliseu foi à nascente de água, deitou-lhe o sal e disse: «Assim declara o Senhor: Vou tornar esta água saudável; ela não mais causará mortes ou esterilidade.» 22E até ao dia de hoje essa água ficou boa, tal como predisse o profeta.

23Eliseu partiu dali para Betel. Pelo caminho, apareceram uns rapazitos, vindos da povoação, que se puseram a troçar dele e a dizer: «Vai-te embora, careca!» 24Eliseu voltou-se para eles, olhou-os bem e amaldiçoou-os em nome do Senhor. Nesse mesmo momento, saíram duas ursas do bosque, que despedaçaram quarenta e dois daqueles rapazes. 25Dali, Eliseu partiu para o monte Carmelo, donde voltou para Samaria.

3

Reinado de Jorão em Israel

31No décimo oitavo ano do reinado de Josafat, rei de Judá, Jorão, filho de Acab, subiu ao trono em Israel. Reinou doze anos, em Samaria. 2Procedeu mal aos olhos do Senhor, mas não tanto como o seu pai e a sua mãe, Jezabel, pois retirou o monumento que o seu pai tinha erigido para adoração a Baal. 3Contudo, imitou os pecados de Jeroboão, filho de Nebat, que levou Israel a pecar, e não soube afastar-se do mal.

Guerra entre Israel e Moab

4O rei Mecha, de Moab, tinha muitos rebanhos e pagava de tributo ao rei de Israel cem mil cordeiros e a lã de cem mil carneiros. 5Mas quando o rei Acab morreu, o rei de Moab revoltou-se contra o domínio de Israel. 6Por isso, o rei Jorão saiu de Samaria e reuniu todas as suas tropas. 7Depois mandou dizer ao rei de Judá: «O rei de Moab revoltou-se contra mim. Queres juntar-te a mim na guerra contra ele?» O rei Josafat respondeu: «Quero, sim! Eu e tu, os meus soldados e os teus, a minha cavalaria e a tua, somos o mesmo exército. 8Mas por onde iremos?» Jorão respondeu: «Pelo deserto de Edom3,8 Jorão quer contornar o mar Morto para atacar Moab pelo sul. O rei de Edom estava então sujeito ao rei de Judá.

9Assim partiram para a guerra os reis de Israel, de Judá e de Edom. Depois de terem marchado durante sete dias, acabou-se a água para o exército e para os animais que levavam. 10Então o rei de Israel exclamou: «Que desgraça! O Senhor trouxe-nos para aqui, os três, para nos entregar nas mãos dos moabitas

11O rei Josafat perguntou então: «Não haverá por aqui algum profeta do Senhor para através dele consultarmos o Senhor?» Um dos oficiais do rei de Israel informou: «Sim, está aqui Eliseu, filho de Chafat, que era colaborador do profeta Elias3,11 Em hebraico: eu deitava água sobre as mãos de Elias. Tarefa atribuída a um servo.12O rei Josafat respondeu: «Então é um verdadeiro profeta do Senhor.» Os três reis foram ter com Eliseu. 13Mas o profeta disse logo ao rei de Israel: «Que tenho eu a ver contigo? Vai consultar os profetas do teu pai e da tua mãe3,13 Referência aos profetas do deus Baal e da deusa Achera. Ver 1 Rs 18,19..» O rei de Israel insistiu: «Não, porque foi o Senhor que trouxe aqui estes três reis para os entregar nas mãos dos moabitas.»

14Eliseu respondeu: «Juro pelo Senhor todo-poderoso, a quem sirvo, que, se não fosse em atenção a Josafat, rei de Judá, não faria caso de ti, nem sequer olhava para ti. 15Agora, tragam-me um músico!»

Quando o músico começou a tocar o instrumento, o poder do Senhor veio sobre Eliseu; 16e ele disse: «Esta é a mensagem do Senhor: “Abram muitas covas neste vale! 17Não sentirão vento, nem verão chover; no entanto, este vale vai encher-se de água para beberem e darem de beber ao gado e aos restantes animais.” 18Mas isto é uma pequena amostra do que o Senhor pode fazer: ele vai também entregar os moabitas nas vossas mãos. 19Haveis de conquistar todas as suas cidades fortificadas e outras cidades importantes, derrubar todas as suas árvores de fruto, obstruir todas as nascentes de água e cobrir de pedras todos os terrenos de cultivo.»

20No dia seguinte, à hora de oferecer o sacrifício da manhã, do lado de Edom, começou a correr água, que inundou toda a região. 21Entretanto os moabitas, ao ouvirem que aqueles três reis os iam atacar, mobilizaram todos os homens jovens e adultos aptos para a guerra e tomaram posição nas fronteiras. 22De madrugada, quando o Sol rompeu e se refletiu na água, pareceu aos moabitas que ela estava vermelha como sangue. 23Por isso, exclamaram: «Isto é sangue! Deve ter acontecido que os reis e os seus exércitos lutaram uns contra os outros e destruíram-se mutuamente. Moabitas, vamos agora apoderar-nos dos despojos que ficaram.»

24Mas quando eles se aproximaram do acampamento dos israelitas, estes atacaram-nos e puseram-nos em fuga. Os israelitas invadiram o território de Moab, e devastaram-no3,24 Versículo de difícil compreensão. Seguimos a antiga tradução grega.; 25destruíram as cidades e encheram de pedras os terrenos de cultivo; lançando cada soldado uma pedra, obstruíram todas as nascentes de água e derrubaram todas as árvores de fruto. Só ficou de pé a cidade de Quir-Haresset3,25 Quir-Haresset. Capital do reino de Moab., que foi cercada e conquistada pelos soldados, armados com fundas.

26Quando o rei de Moab compreendeu que estava a perder a batalha, levou consigo setecentos soldados de espada em punho para abrir caminho até chegar ao rei de Edom, mas não conseguiu. 27Pegou então no seu filho mais velho, que deveria suceder-lhe no trono, e ofereceu-o em holocausto sobre a muralha da cidade. Isto provocou tamanha indignação entre os israelitas3,27 Ou: indignação contra os israelitas., que estes levantaram o acampamento e regressaram ao seu país.