a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
2

Vinda do Espírito Santo

21Quando chegou o dia da festa do Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. 2De repente, veio do céu um ruído semelhante ao de um vento forte que ressoou por toda a casa onde se encontravam. 3Foram então vistas por eles umas línguas como de fogo, que se espalharam e desceram sobre cada um deles. 4Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

5Encontravam-se em Jerusalém, nessa altura, judeus devotos vindos de todas as nações do mundo. 6Quando se ouviu aquele ruído, juntou-se muita gente e ficaram todos admirados, porque cada um deles os ouvia falar na sua própria língua. 7A multidão ficou deveras maravilhada, e diziam uns aos outros: «Estes homens que estão a falar não são todos da Galileia? 8Como é que cada um de nós os ouve na nossa própria língua? 9Há aqui gente que veio da Pártia, da Média, do Elam, da Mesopotâmia, da Judeia, da Capadócia, do Ponto, da Ásia, 10da Frígia, da Panfília, do Egito e das regiões da Líbia que ficam perto de Cirene. E alguns vieram de Roma. 11Uns são judeus e outros convertidos à religião judaica. Alguns, ainda, vieram de Creta e outros da Arábia. Todos nós os ouvimos nas nossas próprias línguas falar das coisas maravilhosas que Deus tem feito.» 12Estavam todos muito admirados, sem saberem o que pensar, e perguntavam-se: «Que quer isto dizer?» 13Mas outros diziam, a fazer troça: «Eles estão mas é bêbedos!»

Discurso de Pedro

14Então Pedro levantou-se com os outros onze apóstolos e disse em alta voz à multidão: «Homens da Judeia e todos os que moram em Jerusalém, prestem bem atenção e escutem o que eu vou dizer. 15Não pensem que estes homens estão bêbedos, pois ainda são nove horas da manhã. 16O que aqui se passa é aquilo que está escrito no livro do profeta Joel. Deus diz: 17Nos últimos dias, espalharei o meu Espírito sobre toda a Humanidade. Os vossos filhos e filhas profetizarão; os jovens terão visões e os velhos terão sonhos. 18Espalharei o meu Espírito também sobre os meus servos e servas, e eles hão de profetizar em meu nome, naqueles dias.

19Farei ver maravilhas lá em cima no Céu e sinais cá em baixo na Terra: sangue, fogo e nuvens de fumo. 20O Sol ficará escuro e a Lua cor de sangue, antes que chegue o grande e glorioso dia do Senhor. 21Todos aqueles que invocarem o nome do Senhor serão salvos2,21 Ver Jl 3,1–5 segundo a antiga tradução grega.

22E Pedro continuou: «Israelitas, escutem estas palavras: Jesus de Nazaré foi um homem que teve a aprovação de Deus diante de todos vós, como viram pelos milagres, maravilhas e coisas extraordinárias que Deus fez por seu intermédio, no vosso meio, como bem sabem. 23Jesus foi entregue conforme o plano previsto na sabedoria de Deus e vocês mataram-no, crucificando-o por meio de homens iníquos. 24Porém Deus o ressuscitou livrando-o do poder da morte, porque não era possível que ele fosse dominado por ela. 25Pois David disse a respeito dele: Via o Senhor constantemente diante de mim; com ele ao meu lado direito não tenho medo de nada. 26Por isso o meu coração está contente e as minhas palavras são alegres. Também o meu corpo descansará em esperança, 27porque tu não me abandonarás no mundo dos mortos, nem permitirás que o teu Santo apodreça no sepulcro. 28Mostraste-me os caminhos da vida e a tua presença me encherá de alegria2,28 Ver Sl 16,8–11 segundo a antiga tradução grega.

29Pedro disse ainda: «Irmãos, deixem-me falar-vos claramente a respeito do patriarca David, que morreu e foi sepultado. E a sua sepultura ainda hoje aqui se encontra. 30Como era profeta, sabia que Deus lhe tinha prometido e garantido que um dos seus descendentes seria rei como ele. 31Por esse motivo é que David disse, prevendo já a ressurreição do Messias: Ele não foi abandonado no mundo dos mortos, nem o seu corpo se corrompeu2,31 Ver Sl 16,10.. 32Este é Jesus a quem Deus ressuscitou, e nós somos testemunhas disso. 33Ele foi glorificado ficando à direita de Deus, que lhe deu o Espírito Santo, como tinha prometido, e enviou-o sobre nós. E isto é o que estão a ver e a ouvir. 34David não subiu ao Céu, mas foi ele próprio que afirmou: Deus disse ao meu Senhor: Senta-te à minha direita, 35até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés.2,35 Sl 110,1.

36Portanto, que todo o povo de Israel fique bem ciente que a esse mesmo Jesus, que vocês crucificaram, Deus o fez Senhor e Messias.»

37Quando ouviram isto, ficaram muito comovidos e perguntaram a Pedro e aos outros apóstolos: «Irmãos, que devemos fazer?» 38Pedro respondeu: «Arrependam-se e cada um seja batizado em nome de Jesus Cristo, para que Deus vos perdoe os pecados. E receberão o dom do Espírito Santo. 39Pois a promessa de Deus é para vós e para os vossos filhos, e para todos os que estão longe: para todos os que o Senhor, nosso Deus, quiser chamar.»

40Pedro exortava-os com estas e muitas outras palavras, e dizia-lhes: «Livrem-se desta geração perversa!»

41Muitos aceitaram as palavras de Pedro e foram batizados. Só naquele dia juntaram-se aos crentes cerca de três mil pessoas.

Vida dos primeiros crentes

42Todos participavam fielmente no ensino dos apóstolos, na união fraterna, no partir do pão e nas orações.

43Toda a gente andava impressionada com o que se estava a passar, porque Deus fazia muitos sinais milagrosos e maravilhas por meio dos apóstolos.

44Os crentes viviam unidos e punham em comum tudo o que possuíam. 45Vendiam as suas propriedades assim como outros bens e dividiam o dinheiro entre todos, de acordo com as necessidades de cada um. 46Reuniam-se diariamente no templo. Partiam o pão ora numa casa ora noutra, comendo juntos com alegria e simplicidade de coração. 47Davam louvores a Deus e tinham a simpatia de todo o povo. Cada dia que passava, o Senhor aumentava o número dos que recebiam a salvação.

3

Cura de um aleijado

31Uma vez, Pedro e João iam para o templo para a oração das três horas da tarde. 2Era ali levado todos os dias um homem, coxo de nascença, e colocado à porta do templo chamada «Formosa», para pedir esmola aos que por ali entravam. 3Quando ele viu Pedro e João a entrarem, pediu uma esmola. 4Eles fixaram os olhos nele, e Pedro disse: «Olha para nós!» 5O homem olhou para eles pensando que ia receber alguma coisa. 6Então Pedro disse-lhe: «Não tenho prata nem ouro, mas vou dar-te aquilo que tenho. Em nome de Jesus Cristo de Nazaré, eu te digo: levanta-te e anda!» 7Pedro depois pegou na mão direita do homem e ajudou-o a levantar-se. Nesse mesmo instante, os pés e os artelhos ficaram fortes 8e ele pôs-se de pé num salto e começou a andar. Entrou com eles no templo, caminhando, saltando e agradecendo a Deus. 9Toda a gente o viu a andar e a louvar a Deus. 10Reconheceram que era o mesmo que costumava estar sentado a pedir esmola à porta «Formosa» do templo e ficaram admirados e espantados com o que lhe tinha acontecido.

Discurso de Pedro no templo

11O homem que tinha sido curado não largava Pedro e João. E toda a gente, cheia de espanto, correu para onde eles estavam, na parte do templo chamada Pórtico de Salomão. 12Quando Pedro viu aquilo, falou assim ao povo: «Israelitas, por que estão assim tão admirados e por que olham para nós dessa maneira? Julgam que foi pelo nosso próprio poder ou pela nossa piedade que fizemos andar este homem? 13O Deus de Abraão, de Isaac e de Jacob, Deus dos nossos antepassados, quis assim glorificar o seu servo Jesus, aquele que vocês entregaram às autoridades. E quando Pilatos o quis soltar recusaram. 14Recusaram aquele que era o santo, o justo, e pediram a liberdade para um criminoso. 15Desse modo, mataram quem dá a vida. Mas Deus ressuscitou-o, e nós somos testemunhas disso. 16Foi a fé no poder de Jesus que deu forças a este homem que aqui veem e bem conhecem. Essa fé em Jesus curou-o completamente, como todos estão a ver. 17Eu sei, irmãos, que tanto vocês como os vossos chefes o fizeram por ignorância. 18Mas cumpriu-se desse modo aquilo que Deus já antes tinha dito pela boca de todos os profetas: que o seu Messias tinha de sofrer. 19Portanto, arrependam-se e mudem de vida, para que Deus vos perdoe os pecados. 20Desse modo, o Senhor vos dará dias de paz e vos enviará Jesus, o Messias, conforme tinha planeado a pensar em vós. 21Jesus, por agora, terá de ficar no Céu, até que chegue o tempo de renovar todas as coisas, conforme Deus mandou dizer há muito tempo pelos seus santos profetas. 22Com efeito, Moisés disse: O Senhor Deus há de fazer aparecer de entre vós um profeta semelhante a mim. Hão de prestar atenção a tudo o que ele vos disser. 23Quem não der ouvidos a esse profeta será excluído do povo de Israel3,23 Ver Dt 18,15.18–19..

24E também todos os profetas, desde Samuel em diante, anunciaram o que se ia passar nos tempos de hoje. 25As promessas que Deus fez por intermédio dos profetas são para vosso benefício e assim participam da aliança que Deus fez com os vossos antepassados, quando disse a Abraão: Todos os povos do mundo serão abençoados por meio da tua descendência3,25 Ver Gn 22,18; Gl 3,8..

26Deus, depois de ressuscitar o seu Servo, enviou-o primeiramente a vós para vos abençoar e afastar do mal que fazem.»

4

Pedro e João no tribunal

41Pedro e João estavam ainda a falar ao povo, quando chegaram os sacerdotes, o oficial dos guardas do templo e os saduceus. 2Ficaram irritados porque os apóstolos estavam a ensinar ao povo que pela união com Jesus, também os mortos ressuscitavam. 3Levaram-nos presos e meteram-nos na cadeia até ao outro dia, porque já era muito tarde. 4Porém, muitos dos que ouviram a palavra creram e o número de crentes já ia em quase cinco mil, contando apenas os homens.

5No outro dia, os chefes dos judeus, os anciãos e os doutores da lei reuniram-se4,5 Reunião do Supremo Tribunal de Israel. em Jerusalém 6com Anás, sumo sacerdote, e Caifás, João, Alexandre e todos os que eram das famílias dos chefes dos sacerdotes. 7Mandaram trazer Pedro e João à sua presença e perguntaram-lhes: «Com que poder ou em nome de quem é que fizeram isso?» 8Então Pedro, cheio do Espírito Santo, respondeu-lhes: «Chefes do povo e anciãos! 9Já que nos perguntam acerca do bem que fizemos a um homem aleijado e da maneira como foi curado, 10fiquem a saber, assim como todo o povo de Israel, que foi pelo poder de Jesus Cristo de Nazaré, o mesmo que vocês crucificaram, mas que Deus ressuscitou. 11Este Jesus, como diz a Sagrada Escritura, é a pedra que vocês, os construtores, rejeitaram, mas que veio a tornar-se a pedra principal4,11 Ver Sl 118,22.. 12E não há salvação em nenhum outro, pois em todo o mundo não há mais ninguém, dado por Deus à Humanidade, que nos possa salvar4,12 Em hebraico Jesus significa Deus salva ou o Senhor salva.

13Os membros do tribunal judaico ficaram admirados com a ousadia de Pedro e de João, pois sabiam que eram homens do povo, sem estudos, e reconheceram que tinham sido companheiros de Jesus. 14Entretanto, não puderam dizer nada contra Pedro e João, por verem de pé junto deles o homem que tinha sido curado. 15Mandaram-nos então sair da sala do tribunal e procuravam esclarecer o assunto uns com os outros. 16«Que havemos de fazer a estes homens? Qualquer habitante de Jerusalém sabe que este grande sinal milagroso foi feito por eles e nós não o podemos negar! 17Para evitarmos que a notícia se espalhe ainda mais entre o povo, vamos ameaçá-los para que daqui em diante nunca mais falem com ninguém a respeito de Jesus.»

18Mandaram-nos chamar e proibiram-nos terminantemente de falar ou ensinar acerca de Jesus. 19Mas Pedro e João responderam: «Pensem bem se é justo diante de Deus obedecer-vos, em vez de obedecer a Deus. 20Não podemos deixar de falar daquilo que vimos e ouvimos.» 21Então as autoridades ameaçaram-nos outra vez e mandaram-nos embora. Não encontraram maneira de os castigar, porque toda a gente dava glória a Deus pelo que tinha acontecido. 22Até porque o homem que tinha sido curado por este milagre tinha mais de quarenta anos de idade.

Oração dos crentes

23Quando Pedro e João foram postos em liberdade, voltaram para junto dos companheiros e contaram-lhes tudo o que os chefes dos sacerdotes e os anciãos lhes tinham dito. 24Depois de os terem ouvido, oraram todos juntos a Deus e disseram: «Senhor, tu és o Criador do Céu, da Terra, do mar e de tudo o que neles existe. 25Tu disseste, por meio do Espírito Santo, pela boca do nosso antepassado David, teu servo:

Por que é que as nações ficaram agitadas,

e os povos fizeram projetos insensatos?

26Os reis da Terra prepararam-se

e os governantes dos povos conspiraram

contra o Senhor e contra o seu Messias4,26 Messias. No grego é traduzido por Cristo e significa Ungido. Ver Sl 2,1–2..

27Na verdade, Herodes e Pôncio Pilatos aliaram-se, aqui nesta cidade, com gente de outras nações e com israelitas, contra o teu santo servo Jesus, o teu Messias. 28Desta maneira realizaram tudo aquilo que tu, pelo teu poder e sabedoria4,28 Literalmente: a tua mão e o teu conselho., já tinhas decidido que ia acontecer. 29Agora, Senhor, repara nas ameaças deles e dá confiança aos teus servos para pregarem a tua mensagem com toda a ousadia, 30para mostrarem o teu poder na cura de doentes e fazerem sinais milagrosos e maravilhas, pelo nome do teu santo servo Jesus.»

31Mal acabaram de orar, tremeu o lugar onde estavam reunidos. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a pregar a mensagem de Deus com ousadia.

Comunhão de bens

32Os crentes viviam perfeitamente unidos: eram como um só coração e uma só alma. Nenhum deles dizia que os seus bens eram apenas seus, mas punham tudo em comum. 33Os apóstolos falavam com grande autoridade acerca da ressurreição do Senhor Jesus e eram grandemente abençoados. 34Nenhum dos crentes passava necessidade, porque os que tinham campos ou casas vendiam tudo e entregavam aos apóstolos o dinheiro da venda, 35para eles repartirem por cada um conforme as suas necessidades. 36Havia entre eles um levita, nascido na ilha de Chipre. Os apóstolos chamavam-lhe Barnabé, palavra que na língua deles quer dizer «o que dá coragem». 37Este vendeu uma propriedade que possuía e entregou o dinheiro aos apóstolos.