a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
3

31Ó Senhor Todo-Poderoso, Deus de Israel! Estamos muito aflitos e abatidos, e por isso clamamos a ti. 2Ouve-nos, Senhor, e tem compaixão de nós, pois temos pecado contra ti. 3Pois tu reinas para sempre, enquanto que nós vamos morrer e desaparecer. 4Senhor Todo-Poderoso, Deus de Israel, ouve a oração dos israelitas que já morreram e dos filhos daqueles que pecaram contra ti. Eles não ouviram a voz do Senhor, seu Deus, e por isso estas desgraças caíram sobre nós. 5Não te lembres dos pecados dos nossos antepassados, num tempo como este, mas lembra-te do teu poder e do teu nome. 6Pois tu, Senhor, és o nosso Deus e nós te louvaremos. 7Porque puseste o teu temor nos nossos corações a fim de invocarmos o teu nome. E, aqui no nosso exílio, nós te louvaremos, pois já tirámos dos nossos corações toda a maldade dos nossos antepassados, que pecaram contra ti. 8Agora estamos aqui no exílio, para onde nos dispersaste. Aqui somos insultados, amaldiçoados e castigados por causa de todas as injustiças dos nossos antepassados, os quais se afastaram de ti, Senhor, nosso Deus.

A verdadeira sabedoria

9Povo de Israel,

escuta os mandamentos que nos dão vida.

Presta atenção, para conheceres a inteligência.

10Que é isto, ó Israel?

Por que é que estás a viver na terra dos teus inimigos?

Por que é que estás a envelhecer num país estrangeiro?

11Contaminaste-te com cadáveres3,11 Maneira de falar do povo pagão em cujo país os israelitas estavam a viver.,

foste contado com os que descem ao mundo dos mortos.

12Abandonaste a fonte da sabedoria;

13mas, se tivesses seguido o caminho de Deus,

viverias em paz para sempre.

14Aprende onde se encontra a inteligência e o bom senso,

onde está a capacidade de tudo conhecer,

uma vida longa e cheia de sucesso,

e onde estão a luz da vida e a paz.

15Quem já descobriu onde mora a sabedoria,

ou penetrou nos seus tesouros?

16Onde estão os chefes das nações pagãs?

Onde estão os domadores dos animais da terra?

17Onde estão os que brincam com as aves do céu,

ou armazenam ouro e prata,

coisas em que os homens confiam,

e que incessantemente procuram adquirir?

18Onde estão os que trabalham a prata com todo o cuidado,

e cujas obras não são descobertas?

19Todos desapareceram,

desceram até ao mundo dos mortos,

e outros ficaram no seu lugar.

20Uma nova geração já viu a luz do dia,

e já morou na terra,

mas também esses não conheceram

o caminho que leva ao entendimento.

21Não andaram pelas suas veredas, nem o alcançaram.

Os seus filhos também andaram longe do seu caminho3,21 De acordo com uma versão antiga. O texto grego diz: dos pais..

22Em Canaã não se ouviu, nem foi vista em Teman.

23Nem os descendentes de Agar,

que andam em busca do bom senso aqui na terra,

nem os comerciantes de Meran e Teman,

nem os contadores de histórias,

nem os pesquisadores de bom senso

conheceram o caminho que leva à sabedoria,

nem se lembraram das suas veredas.

24Ó Israel, como é grande a morada de Deus,

como é enorme o país que lhe pertence!

25É tão grande, que não tem fim;

é tão alto, que não pode ser medido.

26Lá, em tempos antigos,

nasceram os famosos gigantes;

eles eram altos e valentes nas batalhas.

27Mas Deus não os escolheu

nem lhes mostrou o caminho do entendimento.

28Todos eles morreram

porque não tinham entendimento;

pereceram por causa da sua falta de juízo.

29Quem já subiu até ao céu?

Quem se apoderou da sabedoria

e a fez descer das nuvens?

30Quem já atravessou o mar,

a encontrou e comprou a preço de ouro fino?

31Não há quem conheça o seu caminho,

nem quem medite nas suas veredas.

32Mas aquele que sabe todas as coisas,

conhece a sabedoria;

com a sua sensatez, a descobriu.

Foi ele quem fez a terra,

a fim de que dure para sempre;

foi ele quem a encheu de animais.

33É ele quem envia a luz e ela vai;

quando ele a chama, ela volta a tremer.

34As estrelas, cheias de alegria,

brilham nos lugares onde estão de guarda.

35Ele chama-as, e elas respondem:

«Presente!»

Elas brilham alegres para o seu Criador.

36Ele é o nosso Deus; ninguém se compara a ele.

37Ele descobriu o caminho que leva ao conhecimento

e deu-o a Jacó, seu servo, a quem ele ama.

38Depois o conhecimento apareceu na terra

e ficou a viver com os seres humanos.

1

Introdução e saudação

11Este livro contém a revelação de Jesus Cristo que ele recebeu de Deus, para a dar a conhecer aos seus servos. Trata-se de coisas que hão de acontecer brevemente e que Cristo deu a conhecer ao seu servo João por um anjo que lhe enviou.

2João atesta tudo quanto viu em relação à palavra e ao testemunho de Jesus Cristo. 3Feliz aquele que lê este livro e felizes os que ouvem estas palavras proféticas e guardam o que aqui está escrito1,3 O autor afirma que é preciso ler, ouvir e guardar estas palavras. A Sagrada Escritura foi escrita por causa desta triologia verbal: ler, ouvir e guardar. Quem assim fizer, será feliz., porque tudo isto há de acontecer em breve.

4Eu, João, dirijo-me às sete igrejas da província da Ásia1,4 As sete igrejas são enumeradas no v. 11.. Desejo-vos graça e paz da parte daquele que é, que era e que há de vir, e ainda da parte dos sete espíritos1,4 Sete Espíritos. O número sete simboliza a perfeição. Os sete espíritos simbolizam, portanto, a ação misteriosa de Deus na história dos homens. que estão diante do seu trono, 5e de Jesus Cristo, a testemunha fiel, o primeiro dos ressuscitados, o soberano dos reis da Terra.

Cristo ama-nos e pela sua morte libertou-nos dos nossos pecados. 6Ele fez de nós um reino de sacerdotes para Deus, seu Pai. A ele seja dada glória e o poder para todo o sempre. Ámen.

7Eis que ele vem com as nuvens.

Toda a gente o verá,

até mesmo os que o mataram.

Todos os povos da Terra se lamentarão por ele.

Assim há de ser! Ámen!

8Eu sou o Alfa e o Ómega1,8 Alfa e Ómega. Primeira e última letra do alfabeto grego (21,2; 22,13). A expressão significa: o Primeiro e o Último ou o Princípio e o Fim., diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso.

Cristo revela-se a João

9Eu sou João, vosso irmão, e participo convosco nas mesmas perseguições no reino de Deus e na perseverança por Jesus. Encontrava-me na ilha de Patmos1,9 Patmos. Pequena ilha do mar Egeu para onde os romanos exilavam as pessoas que julgavam politicamente indesejadas. por ter proclamado a palavra de Deus e o testemunho de Jesus. 10O Espírito de Deus apoderou-se de mim, no dia do Senhor, e eu ouvi atrás de mim uma voz forte que parecia a voz duma trombeta. 11Dizia assim: «Escreve num livro aquilo que vais ver, e manda-o às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia.» 12Voltei-me para ver quem é que me falava e, ao voltar-me, vi sete castiçais de ouro1,12 Sete castiçais. Representam as sete igrejas a quem o autor escreveu. Ver 1,20.. 13E no meio dos castiçais estava alguém semelhante ao Filho do Homem vestido até aos pés com uma túnica comprida e uma faixa dourada à volta do peito. 14A sua cabeça e os seus cabelos eram brancos como a lã ou como a neve e os seus olhos eram ardentes como o fogo. 15Os seus pés brilhavam como bronze fundido na fornalha e a sua voz era como o ruído das grandes cascatas1,15 Para os v. 13–15, ver Dn 7,13; 10,5; 7,9; 10,6.. 16Na sua mão direita tinha sete estrelas; da sua boca saía uma espada de dois gumes muito afiada e o seu rosto brilhava como o sol do meio-dia.

17Quando o vi, caí aos seus pés como morto. Mas ele pôs a sua mão direita em cima de mim e disse: «Não tenhas medo! Eu sou o primeiro e o último1,17 Para os v. 16–17, ver Is 49,2; Hb 4,12; Is 44,6; 48,12.. 18Eu sou aquele que está vivo! Estive morto, mas agora vivo para sempre. Eu tenho poder sobre a morte e sobre o mundo dos mortos. 19Escreve pois aquilo que viste, o que está a acontecer agora e o que vai acontecer mais tarde. 20O significado das sete estrelas que viste na minha mão direita e dos sete castiçais de ouro é o seguinte: as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete castiçais são essas sete igrejas.»