a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
31

Josué, sucessor de Moisés

311Moisés continuava ainda a falar a todo o povo de Israel, 2nestes termos: «Eu já estou com a idade de cento e vinte anos e já não me posso mover com facilidade. Além disso, o Senhor disse-me que eu não atravessaria o rio Jordão31,2 Ver Nm 20,12.. 3O Senhor, vosso Deus, é que irá convosco e fará desaparecer da vossa frente aqueles povos, para que possam tomar posse da terra, que era deles. Josué será o vosso guia, tal como o Senhor declarou.

4O Senhor fará com esses povos o mesmo que fez com Seon e Og, reis dos amorreus, que ele destruiu com os seus países31,4 Ver Nm 21,21–35.. 5O Senhor vai entregá-los ao vosso poder; não deixem de tratá-los conforme as instruções que vos transmiti. 6Sejam fortes e corajosos e não tenham medo nem se atemorizem diante deles, porque o Senhor, vosso Deus, vai convosco e não vos deixará nem vos abandonará.»

7Moisés mandou chamar Josué e disse-lhe na presença de todo o povo de Israel: «Sê forte e corajoso, pois tu é que conduzirás este povo para a terra que o Senhor prometeu dar aos vossos antepassados. Tu é que lhes vais entregar essa herança. 8O Senhor vai à tua frente, estará contigo e não te deixará nem abandonará31,8 Ver Js 1,5; Hb 13,5.. Portanto, não tenhas medo nem receio, nem percas a coragem.»

Leitura da lei, no ano do perdão das dívidas

9Moisés escreveu esta lei e entregou-a aos sacerdotes descendentes de Levi, que transportam a arca da aliança do Senhor, e aos anciãos de Israel, 10com a seguinte ordem: «No fim de cada período de sete anos, isto é, no ano em que se devem perdoar as dívidas31,10 Ver 15,1–11., durante a festa das Tendas, 11ao apresentar-se todo o povo de Israel na presença do Senhor, vosso Deus, no lugar que ele tiver escolhido, devem ler publicamente esta lei diante de todos.

12Convoquem o povo, homens, mulheres e crianças, e até os estrangeiros que vivem convosco, para assistirem à leitura e aprenderem a respeitar o Senhor, vosso Deus, pondo em prática todos os mandamentos desta lei.

13Ao ouvirem essa proclamação, os teus filhos que ainda não conheciam a lei, aprenderão a respeitar o Senhor, vosso Deus, durante todo o tempo que tiverem possibilidade de viver naquela terra, de que vão agora tomar posse, atravessando o rio Jordão.»

Últimas instruções a Moisés

14O Senhor disse então a Moisés: «Já está próximo o dia da tua morte. Manda chamar Josué e apresentem-se os dois na tenda do encontro que tenho ordens para lhe dar.» E Moisés foi apresentar-se com Josué na tenda do encontro.

15O Senhor apareceu-lhes então na tenda, sob a forma duma coluna de fumo31,15 Ver Ex 13,21., que parou à entrada da porta, 16e disse a Moisés: «Tu vais morrer, vais juntar-te aos teus antepassados. Este povo vai deixar-se corromper, seguindo deuses estranhos, os deuses daquela terra para onde se dirigem. Vai abandonar-me e renegar a aliança que fiz com ele. 17Nessa altura, vou ficar furioso contra eles e também os abandonarei. Deixarei de olhar por eles e assim serão destruídos. Mas ao passarem por tantos males e desgraças, hão de pôr-se a refletir: “Não será porque me falta a ajuda do meu Deus que eu tenho passado por todos estes males?” 18Mas eu hei de me afastar ainda mais deles, por causa do pecado que eles cometeram ao voltarem-se para outros deuses.

19Tomem nota deste cântico e ensinem-no a todo o povo de Israel31,19 Ver Cap. 32.. Façam com que eles o cantem, pois servirá para mim de testemunha de acusação contra eles. 20Quando eu os fizer entrar na terra que prometi aos seus antepassados, que é uma terra onde corre leite e mel31,20 Ver 6,3 e nota., eles hão de comer e ficar satisfeitos e hão de engordar. Mas depois hão de voltar para outros deuses, para lhes prestarem culto, desprezando-me a mim e renegando a minha aliança.

21Quando lhes acontecerem tantos males e desgraças, então este cântico, que os seus descendentes nunca mais vão esquecer, há de tornar-se como uma testemunha de acusação contra eles. Na verdade, eu conheço bem as suas intenções, mesmo antes de entrarem na terra que lhes prometi.»

22Moisés escreveu, naquele dia, o cântico e ensinou-o ao povo de Israel.

23O Senhor disse então a Josué, filho de Nun: «Sê forte e corajoso31,23 Ver Js 1,6., porque tu é que vais conduzir o povo de Israel para a terra que eu lhes prometi. Eu estarei contigo.»

24Depois de ter terminado de escrever todos os preceitos desta lei, Moisés 25deu a seguinte ordem aos levitas, encarregados de transportar a arca da aliança do Senhor: 26«Tomem este exemplar do livro da lei e coloquem-no ao lado da arca da aliança do Senhor, vosso Deus, para servir de testemunha contra vós. 27Pois sei muito bem que são rebeldes e desobedientes. Se, mesmo durante a minha vida, já se têm revoltado contra o Senhor, quanto mais depois de eu morrer! 28Mandem reunir aqui, junto de mim, os anciãos de cada uma das vossas tribos e os vossos chefes. Quero proclamar diante deles todas estas leis e colocar o céu e a terra como testemunhas contra eles. 29Pois sei muito bem que, depois da minha morte, se vão deixar corromper e desviar do caminho que vos tracei. Mas no futuro, hão de sofrer desgraças, por se comportarem mal para com o Senhor e o irritarem com o vosso comportamento.»

30Então Moisés recitou integralmente este cântico, diante de todo o povo de Israel reunido:

32

Cântico de Moisés

321«Escutem, ó céus, que eu vou falar;

ouve, ó terra, as minhas palavras.

2Que os meus ensinamentos sejam como a chuva

e desça como o orvalho a minha palavra,

como chuva miúda sobre a erva,

como gotas de água sobre as plantas,

3que eu vou proclamar a glória do Senhor!

Cantem a grandeza do nosso Deus!

4Ele é nosso refúgio e o que ele faz está perfeito,

os seus caminhos são a própria justiça.

É um Deus fiel e justo em tudo,

é honesto e reto.

5Mas vós, como filhos indignos, e geração pervertida,

comportaram-se mal com ele.

6É assim que queres retribuir ao Senhor,

ó povo louco e insensato?

Ele é o teu pai e senhor!

Foi ele que te deu o ser e a vida.

7Lembra-te dos tempos antigos,

pensa em tudo o que já passou.

Pede ao teu pai que te informe

e aos teus anciãos que te contem.

8Quando o Altíssimo distribuiu os povos

e separou a Humanidade em grupos,

fixou as fronteiras para cada um

tendo em conta o número dos israelitas32,8 Um manuscrito de Qumran e algumas versões antigas traduzem: sob a autoridade de um ser celeste..

9Pois o povo de Israel é propriedade do Senhor,

os descendentes de Jacob são sua herança pessoal.

10Foi encontrá-lo numa região deserta,

numa terra árida, cheia de gritos selvagens.

Rodeou-o de cuidados e instruiu-o,

tratou-o como a menina dos seus olhos.

11Como a águia vela pelos seus filhos, que estão no ninho

esvoaçando sobre eles e abrindo as asas,

para os recolher e transportar,

12assim o Senhor o conduziu sozinho,

sem ajuda de nenhum outro deus.

13Fê-lo conquistar as montanhas

e deu-lhe a comer os frutos do campo.

Criou-o com mel tirado da rocha

e azeite da pedra dura;

14alimentou-o com manteiga e leite de vacas e ovelhas,

com cordeiros gordos, carneiros de Basã e cabritos,

com a melhor farinha de trigo,

e com o vinho das suas videiras.

15Mas Jessurun32,15 Sobrenome dado a Jacob. Ver Is 44,2. engordou e revoltou-se.

Estavas gordo, anafado e bem nutrido!

Abandonou a Deus, seu criador

e desprezou o seu protetor e salvador.

16Provocaram os ciúmes do Senhor, seguindo outros deuses,

e irritaram-no com coisas abomináveis.

17Ofereceram sacrifícios e animais a demónios que não são deuses

e que eles anteriormente não aceitavam,

a divindades arranjadas ultimamente entre os povos vizinhos

mas que os vossos pais nunca adoraram.

18Desprezaste a rocha que te deu à luz,

esqueceste o Deus que te trouxe ao mundo.

19Ao ver isto, o Senhor ficou indignado

e irado com os seus filhos e filhas.

20Chegou a dizer: “Vou deixar de olhar por eles.

Quero ver o que lhes vai acontecer.

Realmente são gente rebelde,

são filhos em quem se não pode confiar.

21Provocaram-me ciúmes com coisas que não são Deus,

irritaram-me com ídolos sem vida.

Também eu lhes hei de provocar ciúmes,

escolhendo um povo que nem sequer é povo,

hei de irritá-los, escolhendo uma nação sem inteligência32,21 Ver Rm 10,19; 1 Co 10,22..

22A minha ira é um fogo que está a arder

e há de queimar até às profundezas da terra.

Há de consumir a terra e o que ela produziu

e abrasar as montanhas até aos fundamentos.

23Lançarei contra eles todos os males

e atirarei contra eles as minhas setas.

24Ficarão mortos de fome e consumidos por febres

e por epidemias mortais.

Enviarei contra eles animais ferozes

e serpentes venenosas.

25Na rua, os seus filhos serão mortos à espada

e, em casa, morrerão de angústia,

quer se trate de rapazes ou de raparigas,

de crianças ou de velhos.

26Eu tinha a intenção de os destruir,

de apagar da terra a sua lembrança,

27mas quis evitar os insultos do inimigo.

Pois os seus adversários diriam orgulhosos:

Foi a nossa força enorme e não o Senhor

que realizou esta façanha.”

28São um povo32,28 A falta de sujeito no hebraico faz com que esta frase se possa referir aos israelitas ou aos seus adversários. sem entendimento,

um povo sem inteligência.

29Oxalá eles conseguissem entender isto

e percebessem o futuro que os espera.

30Como é que um homem sozinho pode perseguir mil inimigos

ou como é que dois podem afugentar dez mil?

Só se o Senhor, o seu protetor, os entregar,

e os puser nas suas mãos.

31Pois sua rocha não é como a nossa rocha

e os nossos inimigos são testemunhas disso.

32São como vinhas de Sodoma,

plantadas nos campos de Gomorra32,32 Sodoma e Gomorra são cidades cujo nome lembra imediatamente imoralidade. Ver Gn 18,20–21; 19,4–11..

As suas uvas são venenosas

e os seus cachos são amargos.

33O seu vinho é veneno de víboras,

um terrível veneno de serpentes.

34É isto que eu conservo bem guardado

e selado como um tesouro.

35Eu é que hei de tirar vingança e dar a paga32,35 Ver Rm 12,19; Hb 10,30.,

na altura em que os seus pés resvalarem.

Está próximo o dia da sua ruína;

aproxima-se o fim que lhes está destinado.

36O Senhor defenderá o seu povo

e terá compaixão dos seus servos32,36 Ver Sl 135,14..

Quando ele vir que as suas forças fraquejam

e já não há fracos nem fortes,

37exclamará: “Onde estão os seus deuses,

o rochedo protetor no qual eles confiavam,

38os deuses que comiam a gordura dos animais sacrificados32,38 A gordura era a parte mais valiosa da oferta do sacrifício. Ver Lv 3,3.

e bebiam o vinho oferecido nos templos?

Que eles venham agora defender-vos

e vos ofereçam refúgio.

39Reparem bem! Eu sou o único Deus

e não há outro Deus como eu.

Tenho o poder de dar a morte e a vida,

causo uma ferida e curo-a

e ninguém me consegue escapar.

40Levanto a minha mão

e juro pela minha própria vida, que é eterna.

41Juro que hei de afiar a espada como um relâmpago

e hei de impor a minha justiça,

para me vingar dos meus inimigos,

e pagar àqueles que me odeiam.

42A minha espada há de fartar-se de carne

e as minhas setas ficarão saciadas de sangue,

sangue dos mortos e dos prisioneiros

e das cabeças desgrenhadas do inimigo.”

43Ó nações estrangeiras, alegrem-se com o seu povo!

Ele há de vingar a morte dos seus servos,

e há de tirar vingança dos seus inimigos,

mas perdoará à sua terra e ao seu povo32,43 Este versículo tem, em alguns manuscritos hebraicos antigos e na tradução grega, uma versão um pouco mais longa. As citações de Rm 15,10 e Hb 1,6 provêm deste texto mais longo.

Últimas instruções de Moisés

44Moisés tinha-se apresentado diante de todo o povo, juntamente com Josué32,44 O texto diz Oseias, nome que em hebraico é equivalente a Josué. Ver Nm 13,16 e nota., filho de Nun, para recitar diante de todos este cântico. 45Depois de ter acabado de o recitar 46disse-lhes: «Prestem bem atenção a todas as palavras que hoje vos dirigi e deem ordens aos vossos filhos para cumprirem todos os mandamentos desta lei. 47Não se trata de uma coisa sem interesse para vós, mas, trata-se da vossa própria vida. Desta maneira, terão uma longa vida na terra que vão receber em propriedade, depois de atravessarem o Jordão.»

48Naquele mesmo dia, o Senhor voltou a falar a Moisés e disse-lhe: 49«Vai às montanhas de Abarim e sobe ao monte Nebo, que está na região de Moab, em frente de Jericó, para veres a terra de Canaã, que eu vou dar aos filhos de Israel como propriedade sua. 50Sobre essa montanha, aonde vais subir, tu hás de morrer, juntando-te aos teus antepassados, da mesma maneira que morreu Aarão, teu irmão, no monte Hor, tendo ido juntar-se aos seus antepassados32,50 Ver Nm 20,22–26.. 51Isto acontece assim, porque foram ambos infiéis para comigo diante do povo de Israel, aquando dos acontecimentos de Meriba de Cadés, no deserto de Sin, e não me honraram diante dos israelitas32,51 Ver Nm 20,1–13..

52Por isso, podes ver a terra, que eu vou dar aos israelitas, mas não poderás lá entrar32,52 Pela última vez, o Deuteronómio refere o dom da terra prometida. Ver 1,25 e nota. Sobre os v. 48–52, ver Dt 3,23–27; Nm 27,12–14.

33

Moisés abençoa as tribos de Israel

331Pouco antes de morrer, Moisés, servo de Deus, abençoou os israelitas 2da seguinte maneira:

«O Senhor vem do monte Sinai,

amanhece como o Sol no monte Seir,

resplandece para o seu povo no monte Paran,

e chega a Meriba de Cadés.

À sua direita é o fogo abrasador.

3O Senhor ama as tribos de Israel

e protege aqueles que lhe pertencem.

Por isso, todos se ajoelham diante dele

e se levantam à sua ordem.

4Moisés deu-nos a lei

que é património dos descendentes de Jacob.

5E Israel teve um rei,

quando se reuniram os chefes de tribo,

o conjunto das tribos de Israel.

6Que Rúben viva para sempre

e que os seus homens sejam incontáveis!»

7A respeito de Judá disse:

«Senhor, ouve o pedido de Judá

faz com que ele volte para o seu povo,

dá-lhe força em abundância

e livra-o dos seus inimigos!»

8A respeito de Levi disse:

«Senhor, os teus dados sagrados33,8 Ver Ex 28,30 e nota.

estão nas mãos de gente da tua confiança,

que tu experimentaste em Massá

e puseste à prova junto à nascente de Meriba33,8 Ver Ex 17,1–7; Nm 20,1–13..

9Mostraram mais amor por ti

que pelos seus pais, irmãos ou filhos,

quando obedeceram à tua ordem

e assim respeitaram a tua aliança33,9 Alusão a Ex 32,25–29..

10São eles que ensinam os teus preceitos aos descendentes de Jacob,

a tua lei ao povo de Israel

e te oferecem incenso

e holocaustos no teu altar33,10 Ensinar e apresentar os sacrifícios são funções próprias dos sacerdotes..

11Senhor, faz com que eles sejam cada vez mais fortes

e olha com benevolência para o que eles fazem.

Quebra a resistência dos seus adversários

e que os seus inimigos nunca mais se levantem.»

12A respeito de Benjamim disse:

«O preferido do Senhor viverá tranquilo, junto do seu Deus.

O Altíssimo protege-o continuamente

e habita no meio deles33,12 Referência ou ao santuário de Silo, o que estaria de acordo com a unidade de culto patrocinada pelo Deuteronómio, ou ao santuário de Jerusalém, considerado como estando no território de Benjamim.

13A respeito de José disse:

«O Senhor abençoará a sua terra

com o orvalho do céu

e com a água das profundezas,

14com as melhores colheitas do ano

e os melhores frutos do mês.

15Há de abençoá-lo com as primícias das montanhas

e com o melhor das colinas eternas,

16com os produtos da terra e de tudo o que ela dá

e com a bondade daquele que apareceu no meio do arbusto em fogo33,16 Ver Ex 3,2..

Tudo isto descerá sobre José,

que foi escolhido entre os seus irmãos33,16 Sobre os v. 13–16, ver Gn 49,25–26 e ainda Gn 37,5–11; 44,14..

17É belo como o primeiro filho dum touro

e forte como um búfalo;

com a sua força atacará todos os povos,

até aos confins da terra.

Tais são as multidões da tribo de Efraim,

os milhares da tribo de Manassés33,17 Efraim e Manassés são dois filhos e duas tribos descendentes de José. Ver Gn 41,50–52.

18A respeito de Zabulão disse:

«Zabulão, tu serás feliz nas tuas viagens,

Issacar, serás feliz nas tuas tendas!

19Eles convidarão outros povos para a montanha33,19 Talvez seja alusão ao Tabor, antigo santuário no território desta tribo.

para oferecer os sacrifícios estabelecidos,

pois exploram a riqueza dos mares33,19 Alusão ao comércio marítimo com os fenícios. Ver 49,13.

e os tesouros escondidos nas praias33,19 Alusão à recolha de moluscos, donde se extraía a púrpura ou à utilização da areia para fabricar vidro.

20A respeito de Gad disse:

«Bendito seja Deus, que deu a Gad um grande território!

Ele está deitado como uma leoa

e destroça braços e cabeças.

21Ficou com a melhor parte,

pois é a que pertence ao chefe.

Ele entrou à frente do povo,

cumpriu a vontade do Senhor

e os seus compromissos com Israel33,21 Ver Nm 32,16–18.

22A respeito de Dan disse:

«Dan é como um leãozinho

que salta desde Basã33,22 Podia haver aqui alusão a expedições militares a partir da região de Basã. Comparar com Gn 49,17; Js 19,47.

23A respeito de Neftali disse:

«Neftali receberá do Senhor grandes favores,

será cheio das suas bênçãos.

Será dono da região do lago e ainda mais para o sul.»

24A respeito de Asser disse:

«Asser será abençoado entre todos os filhos

e preferido entre todos os seus irmãos.

Há de ter tanto azeite que nele poderá mergulhar os pés.

25Estará seguro com ferrolhos de bronze e de ferro

e quanto mais passam os anos mais seguro ele estará.»

26«Não há como Deus, ó povo de Jacob!

Ele corre triunfante sobre as nuvens do céu,

para vir em tua ajuda.

27Deus é desde sempre o teu refúgio

e para sempre o seu poder é o teu apoio.

Ele expulsa os inimigos da tua frente

e diz: “Destrói-os completamente33,27 Ver 2,34 e nota.!”

28Israel vive tranquilo

e ninguém incomoda os descendentes de Jacob,

na terra do trigo e do vinho,

onde o céu dá orvalho com abundância.

29Feliz de ti, povo de Israel!

Mais ninguém tem a tua sorte!

O Senhor é que te salvou.

Ele é o teu escudo de proteção

e a tua espada vitoriosa!

Os teus inimigos hão de inclinar-se diante de ti,

mas tu caminharás sobre eles vitorioso.»

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitamos a privacidade dos seus dados.[ocultar mensagem]