a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
8

Obediência, resignação

81Quem se compara com o sábio, que conhece o significado das coisas? A sabedoria ilumina o rosto do homem e modifica a dureza do seu aspeto.

2Quero dizer-te que deves obedecer às ordens do rei, tal como prometeste a Deus. 3Cumpre-as sem hesitar. Não faças resistência a uma ameaça, porque ele pode fazer o que quiser. 4De facto, palavra de rei tem autoridade. Quem lhe pode pedir contas do que faz?

5Quem cumpre ordens não sofre castigo e quem é sábio conhece quando e como deve fazer. 6Pois para tudo há o seu tempo e o seu modo. E o grande problema que o homem tem 7é não saber o que lhe vai acontecer. E quem é que lho pode dizer?

8Ninguém tem poder para segurar a vida nem para decidir do dia da morte. Ninguém escapa a este combate. O crime também não salvará os que o praticam.

9Tudo isto eu vejo, quando me ponho a refletir sobre o que se faz neste mundo, quando os homens dominam outros homens, para seu mal.

Coisas difíceis de compreender

10Observo ainda que os maus ao serem sepultados recebem elogios e, quando as pessoas regressam do cemitério, já se esquecem do mal que eles fizeram na cidade. Também isto é uma ilusão! 11Outra ilusão é que não se executa rapidamente a sentença contra os que praticam o mal e, por isso, as pessoas não pensam noutra coisa se não em fazer mal. 12Assim um malfeitor pode repetir cem vezes o seu crime, que é tolerado.

Eu bem sei que se diz que tudo correrá bem aos que honram a Deus e o servem. 13Mas nada correrá bem ao malvado; a sua vida será passageira como a sombra, pois não honra a Deus nem o serve8,13 Sobre os v. 12–13, ver Pv 10,27.. 14Entretanto há no mundo ainda uma outra ilusão: pessoas boas que sofrem, como se fossem más, e pessoas más que têm sorte, como se fossem boas. Acho que também isto é uma ilusão.

15Por isso, julgo que o melhor é divertirmo-nos. Não há melhor coisa para o homem neste mundo do que comer, beber e divertir-se. É isso que o deve acompanhar nos seus trabalhos, durante o tempo que Deus lhe conceder neste mundo8,15 Ver 2,24..

16Cada vez mais me preocupo em conhecer, compreender e observar tudo o que se faz neste mundo. Acontece por vezes que nem de dia nem de noite se consegue conciliar o sono 17nem compreender realmente aquilo que Deus faz e o que acontece neste mundo. Por mais esforço que se faça, não se consegue compreender. Mesmo que o sábio afirme que compreende, não consegue compreender.

9

Todos hão de morrer

91Tenho meditado nisto tudo e reconheço que os justos e sábios, com as suas obras, estão nas mãos de Deus. Mas o homem não consegue distinguir o que é amor e o que é ódio, se bem que tudo esteja ao seu alcance.

2Para todos existe o mesmo fim: para o inocente e para o culpado, para o bom e para o mau9,2 A expressão e para o mau, que existe nas versões antigas, falta no atual texto hebraico., para o que oferece sacrifícios e para aquele que não os oferece, para o justo e para o injusto, para o que faz juramento e para aquele que tem medo de o fazer. 3Este é o pior dos males deste mundo, que todos tenham o mesmo fim. O coração dos humanos está cheio de maldade, a ignorância domina-os completamente durante a vida e, depois de tudo, acabam por morrer.

4Quem é que está em melhor situação? Apesar de tudo, para quem está vivo há uma certeza. Vale mais cão vivo do que leão morto. 5É certo que os vivos sabem que hão de morrer. Mas os mortos não sabem nada nem têm mais nada a receber. Estão completamente esquecidos. 6Os seus amores, ódios e paixões, tudo se acabou. E nunca mais eles voltam a tomar parte naquilo que se faz neste mundo.

7Anda, come com gosto o teu pão e bebe o teu vinho com alegria, porque Deus está contente com aquilo que tu fizeste. 8Veste sempre roupa de festa e não falte nunca o perfume na tua cabeça. 9Goza a vida com a mulher que amas9,9 Ver Pv 5,18., durante os curtos dias de vida, que te são concedidos neste mundo. É aquilo que tu podes aproveitar da vida e dos trabalhos, que suportas neste mundo. 10Põe todo o teu empenho em tudo aquilo que fazes, pois lá no mundo dos mortos aonde vais parar não se fazem planos nem se executam, não há conhecimento nem sabedoria.

11Verifico uma outra coisa neste mundo. Não são os mais rápidos que ganham a corrida nem os mais fortes os que ganham a guerra; não são os sábios os que têm pão nem os entendidos os que têm riqueza; nem os instruídos são os mais estimados. Tudo vai da sorte que eles têm.

12Por outro lado, uma pessoa nunca sabe quando chega a sua hora. É como os peixes que são apanhados na rede e como os pássaros, apanhados na armadilha. Assim também são apanhados os homens no mau momento que cai sobre eles de improviso.

Vale mais a sabedoria que a força

13Uma outra coisa vejo também neste mundo, que me parece conter grande sabedoria. 14Uma cidade pequena com muito poucos habitantes é atacada por um rei forte, que a cerca e coloca contra ela dispositivos de guerra. 15Nessa cidade há um homem pobre, mas que é sábio. E, apesar de salvar a cidade com a sua sabedoria, ninguém se recorda dele porque é pobre.

16Por isso, é que eu digo que vale mais a sabedoria do que a força, ainda que a sabedoria do pobre seja desprezada e ninguém recorde as suas palavras. 17São mais ouvidas as palavras serenas dos sábios do que os gritos daquele que está à frente dos insensatos. 18Vale mais a sabedoria do que as armas de guerra, mas um só erro pode deitar a perder muitas coisas boas.

10

Pensamentos de sabedoria

101Uma mosca morta infeta e inutiliza um bom perfume; uma pequena insensatez fica mais cara do que grande sabedoria e honra.

2O pensamento do sábio pende para o bem, o pensamento do insensato pende para o mal.

3O insensato mostra, por onde quer que passe, que não tem juízo, ainda que vá sempre dizendo que os outros é que são insensatos.

4Se aquele que manda se irrita contra ti, não deixes o teu lugar, pois o remédio é enfrentar com calma as grandes dificuldades.

5Há ainda outro mal que tenho visto neste mundo e que provém dum erro praticado pelos governantes: 6colocam-se os ignorantes nos melhores lugares, enquanto as pessoas que têm valor ficam no fundo da escala. 7Veem-se escravos a cavalo e príncipes a andar a pé, como escravos.

8Quem abre um buraco cai nele, e o que arromba um muro é mordido por uma serpente10,8 Ver Pv 26,27..

9O que anda a retirar pedras magoa-se com elas e o que racha lenha corre o risco de se ferir.

10Se o machado está mal afiado e ninguém o afia, é preciso fazer muito mais esforço. Consegue-se melhor resultado quando se age com sabedoria.

11Se a serpente morde, antes de se deixar encantar, de que serve o trabalho do encantador?

12As palavras do sábio granjeiam-lhe estima, mas o palavreado do insensato só o arruína. 13Começa por dizer coisas insensatas e acaba por afirmar as maiores tolices.

14O insensato tem sempre muitas coisas para dizer. Mas a verdade é que do futuro ninguém sabe nada. Quem é que sabe informá-lo do que vai acontecer?

15O esforço dos insensatos esgota-os de tal maneira que nem sabem como se vai para a cidade.

16Ai do país em que o rei é uma criança e os ministros se banqueteiam desde manhã cedo.

17Feliz o país em que o rei é nobre de nascimento e em que os ministros comem quando devem, para recompor as suas forças e não para se embriagarem.

18O preguiçoso deixa cair a trave da casa e aquele que cruza os braços deixa-a inundar.

19Para festejar, faz-se um banquete e bebe-se vinho para dar alegria à vida. Mas para tudo isso é necessário dinheiro.

20Não critiques o rei, nem sequer em pensamento; não digas mal do rico, nem que seja no teu quarto, porque as aves podem levar a tua voz e transmitir a tua informação.