a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
2

Nascimento de Moisés

21Um homem da tribo de Levi casou-se com uma mulher da mesma tribo; 2ela ficou grávida e deu à luz um menino. Como era muito formoso, ela escondeu-o durante três meses. 3Mas não conseguindo escondê-lo por mais tempo, meteu o menino num cesto de junco que tinha betumado com pez, e foi pô-lo entre os juncos na beira do rio. 4E a irmã do menino ficou a certa distância para ver o que lhe acontecia.

5A filha do faraó desceu para ir tomar banho ao rio, enquanto as suas servas passeavam na margem. Nisto ela viu o cesto entre os juncos e mandou uma das suas escravas ir lá buscá-lo. 6Quando a princesa abriu o cesto e viu um menino a chorar, teve pena dele e disse: «Este é um dos meninos dos hebreus.»

7Então a irmã do menino perguntou à filha do faraó: «Quer que vá chamar uma ama hebreia para criar este menino para si?» 8A princesa respondeu: «Vai.» Então a rapariga foi buscar a mãe do menino 9e a princesa disse à ama: «Leva este menino e amamenta-o por mim, que eu te pagarei.» A mãe do menino levou-o e amamentou-o. 10Quando o menino já estava crescido, levou-o à filha do faraó e esta adotou-o como filho. E deu-lhe o nome de Moisés, dizendo: «É porque o retirei das águas2,10 Em hebraico há um jogo de palavras entre o nome Moisés e o verbo que significa “retirar” (machá). No entanto, o nome é provavelmente de origem egípcia.

Moisés foge para Madiã

11Quando Moisés já era homem, saiu um dia para visitar os seus irmãos hebreus e viu que os seus trabalhos eram muito pesados. Viu também um egípcio a bater num dos hebreus. 12Olhou para todos os lados, e como não viu mais ninguém, espancou o egípcio e enterrou-o na areia. 13No dia seguinte, voltou a sair e viu dois hebreus à pancada. Perguntou então ao que era culpado: «Por que bates no teu irmão de raça?» 14E o homem respondeu-lhe: «Quem te nomeou chefe e juiz entre nós? Será que me queres matar como fizeste àquele egípcio?» Moisés atemorizou-se e disse para consigo: «Não há dúvida de que o caso já é conhecido!» 15Quando o faraó soube do que se tinha passado, mandou prender Moisés para o matar, mas Moisés fugiu dele e foi viver para a região de Madiã2,15 Terras a oriente do golfo de Aqaba; as tribos madianitas tinham parentesco com os israelitas. Segundo Gn 25,2 Madiã era filho de Abraão., e sentou-se a descansar junto dum poço.

16As sete filhas de Jetro2,16 Jetro é também chamado Reuel., sacerdote de Madiã, foram tirar água a esse poço e encheram os tanques, para darem de beber ao rebanho de seu pai. 17Mas chegaram lá uns pastores, que expulsaram as filhas do sacerdote. Moisés levantou-se, defendeu-as e deu de beber ao rebanho. 18Quando elas voltaram para junto de Reuel, seu pai, ele perguntou-lhes: «Por que vieram hoje tão depressa?» 19Elas responderam: «Um egípcio defendeu-nos dos pastores, tirou-nos bastante água do poço e deu de beber ao rebanho.»

20Então o pai perguntou-lhes: «E onde está ele? Por que deixaram lá esse homem? Vão convidá-lo para vir comer connosco.»

21Moisés aceitou ficar a viver em casa de Jetro, que mais tarde lhe deu em casamento sua filha Séfora. 22Ela teve um filho a quem Moisés deu o nome de Gerson2,22 Em hebraico, Gerson e a palavra que significa “estrangeiro” têm um som parecido na primeira sílaba deste nome., porque disse ele para consigo, «eu sou um estrangeiro residente em terra estranha».

23Passado muito tempo, morreu o rei do Egito. Os filhos de Israel, contudo, continuaram a lamentar-se e a queixar-se da sua escravidão. Então Deus escutou os seus lamentos 24e atendeu às suas queixas, lembrando-se da aliança que tinha feito com Abraão, Isaac e Jacob. 25Deus viu a escravidão dos israelitas e interessou-se por eles2,25 Ou: e reconheceu-os..

3

Deus chama Moisés

31Um dia em que Moisés apascentava o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Madiã, levou o gado através do deserto, até chegar ao Horeb3,1 Monte Horeb: mais conhecido pela designação de monte Sinai., o monte de Deus. 2Ali apareceu-lhe o Senhor3,2 Em hebraico, anjo do Senhor, maneira indireta de designar o Senhor. numa labareda de fogo, no meio duma sarça3,2 Arbusto que cresce no Sinai.. Moisés viu que a sarça estava a arder sem se consumir. 3Disse então para consigo: «Vou aproximar-me, para ver melhor este espetáculo impressionante duma sarça a arder sem se queimar.»

4Quando o Senhor viu que Moisés se aproximava para observar, chamou-o do meio da sarça: «Moisés! Moisés!» E ele respondeu: «Aqui estou.» 5Deus disse-lhe: «Não te aproximes e descalça-te, porque o lugar onde estás é terra sagrada.» 6E acrescentou: «Eu sou o Deus do teu pai, o Deus de Abraão, Isaac e Jacob.» Moisés desviou o olhar porque teve medo de olhar para Deus. 7O Senhor, porém, continuou: «Tenho visto como sofre o meu povo que está no Egito. Ouvi-os queixarem-se dos seus opressores e sei bem o que eles sofrem.

8Por isso, estou decidido a ir libertá-lo do poder dos egípcios e tirá-lo dessa terra, para o levar para uma terra grande e boa, onde o leite e o mel correm como água3,8 Expressão oriental que significa “terra fértil”.. É a terra onde vivem os cananeus, os hititas, os amorreus, os perizeus, os heveus e os jebuseus. 9Ora eu ouvi as queixas dos filhos de Israel e vi também como os egípcios os maltratam. 10Portanto vai, que eu te envio ao faraó, para tirares do Egito o meu povo, os filhos de Israel.»

11Então Moisés disse a Deus: «Quem sou eu, para me apresentar diante do faraó e tirar do Egito os filhos de Israel?» 12Deus respondeu: «Eu estarei contigo. E o sinal de que sou eu quem te envia é este: quando tiveres tirado o meu povo do Egito, todos adorarão a Deus neste monte.» 13Porém Moisés respondeu: «Mas olha que, quando eu disser aos israelitas que o Deus dos seus antepassados me enviou para junto deles, eles vão perguntar-me como é que ele se chama. Que é que eu lhes digo?» 14Deus disse então a Moisés: «EU SOU AQUELE QUE É. E dirás também aos israelitas: “AQUELE QUE É foi quem me enviou a vós.”»

15Deus disse ainda a Moisés: «Dirás isto aos filhos de Israel: “O Senhor3,15 A palavra hebraica que traduzimos por Senhor é Javé, que etimologicamente se assemelha à expressão “aquele que é”., o Deus dos vossos antepassados, o Deus de Abraão, Isaac e Jacob, foi quem me enviou para vos falar.” Este é o meu nome para todo o sempre. Por ele serei lembrado de geração em geração. 16Vai e reúne os anciãos de Israel e diz-lhes: “O Senhor, o Deus dos vossos antepassados, o Deus de Abraão, Isaac e Jacob, apareceu-me e disse-me que tinha vindo para vos ajudar, porque viu como os egípcios vos têm tratado. 17Disse-me também que vos vai livrar de tudo o que têm sofrido no Egito e que vos vai conduzir à terra dos cananeus, dos hititas, dos amorreus, dos perizeus, dos heveus e dos jebuseus, uma terra onde o leite e o mel correm como água.” 18Eles escutarão a tua voz. Irás então com os anciãos de Israel à presença do rei do Egito e dir-lhe-ás3,18 Ou: Dir-lhe-eis.: “O Senhor, o Deus dos hebreus, veio ao nosso encontro. Portanto, deixa-nos ir ao deserto, a uma distância de três dias de caminho, para oferecermos sacrifícios ao Senhor, nosso Deus.” 19Eu sei muito bem que o rei do Egito não vos deixará sair, a não ser pela força. 20Mas eu usarei o meu poder e castigarei o Egito com prodígios terríveis, que realizarei nesse país. Depois disso, o faraó há de deixar-vos sair. 21Além disso, farei com que este povo consiga os favores dos egípcios, de modo que quando saírem não irão de mãos vazias. 22Cada mulher pedirá à sua vizinha, ou à dona da casa em que residir, objetos de prata e de ouro e vestuário, e com tudo isso vestirão os vossos filhos e filhas, despojando o Egito dos seus tesouros.»

4

Deus dá a Moisés poderes extraordinários

41Moisés disse ao Senhor: «Eles não vão escutar, nem sequer vão fazer caso do que eu disser. Pelo contrário, vão dizer: “O Senhor não te apareceu.”» 2Então o Senhor perguntou-lhe: «Que é isso que tens na mão?» Ele respondeu: «Uma vara.» 3E o Senhor disse: «Deita-a ao chão.» Moisés atirou-a ao chão e a vara transformou-se numa cobra. Ao vê-la, Moisés fugiu, 4mas o Senhor disse-lhe: «Estende a mão e pega-lhe pela cauda.» Ele estendeu a mão e, ao agarrá-la, a cobra transformou-se em vara outra vez. 5O Senhor disse-lhe então: «Isto é para que eles creiam que te apareceu o Senhor, o Deus dos seus antepassados, o Deus de Abraão, Isaac e Jacob.» 6O Senhor continuou: «Mete agora a tua mão no peito.» Moisés assim fez e quando a tirou estava coberta de lepra e branca como a neve. 7Deus disse-lhe ainda: «Torna a meter a mão no peito.» Moisés assim fez e, ao retirá-la, viu que estava tão sã como o resto do seu corpo. 8O Senhor acrescentou: «Se acontecer eles não acreditarem em ti e não fizerem caso do primeiro sinal, acreditarão no segundo. 9Mas se não acreditarem em ti, nem fizerem caso destes dois sinais, tiras água do rio, deita-la na terra seca e a água que tiraste do rio há de transformar-se em sangue.»

10Então Moisés disse ao Senhor: «Ó meu Senhor, eu não tenho facilidade de falar; e isto não é de ontem, nem desde que tu estás a falar com este teu servo; mas sempre que tenho de falar, trava-se-me a língua na boca.» 11O Senhor respondeu: «Quem é que deu a boca ao homem? Quem o faz ser mudo, surdo, cego ou ter vista? Não sou eu, o Senhor? 12Vai pois que eu darei força à tua palavra e te ensinarei o que deves dizer.» 13Moisés insistiu: «Por favor, ó meu Senhor, envia outra pessoa em vez de mim!» 14Então o Senhor zangou-se com Moisés e disse: «Tens o teu irmão Aarão, o levita! Eu sei que ele fala muito bem. Aliás, ele vem aí precisamente ao teu encontro e, quando te vir, vai ficar muito contente. 15Fala com ele e explica-lhe o que ele tem que dizer. Eu darei força às tuas palavras e às dele, hei de dizer-vos o que devem fazer. 16Ele falará ao povo por ti; será como um profeta que transmite a tua mensagem4,16 Literalmente: Ele será para ti como boca e tu serás para ele como Deus.. 17Leva essa vara na mão, porque é com ela que mostrarás estes prodígios.»

Moisés regressa ao Egito

18Moisés voltou a casa de Jetro, seu sogro, e disse-lhe: «Tenho que regressar ao Egito, onde estão os meus irmãos hebreus. Quero ver se ainda estão vivos.» Jetro disse a Moisés: «Vai em paz.» 19Ainda em Madiã, o Senhor disse a Moisés: «Volta ao Egito porque todos os que te queriam matar já morreram.»

20Moisés levou consigo a mulher e os filhos montados num jumento e voltou para o Egito. Levava na mão a vara prodigiosa4,20 Ou: vara de Deus.. 21Então o Senhor disse a Moisés: «Quando chegares ao Egito, não te esqueças de realizar diante do faraó todos os prodígios que te dei poder para fazeres. No entanto, eu vou fazer com que ele se mostre resistente e não deixe sair os israelitas. 22Mas tu dirás ao faraó: “Assim diz o Senhor: Israel é o meu primeiro filho. 23Já te disse que deixes sair o meu filho, para que me vá adorar; mas como tu, faraó, te recusas a deixá-lo ir, vou matar o teu primeiro filho.”»

24Durante a viagem, no lugar onde Moisés e a família passaram a noite, o Senhor foi ao encontro de Moisés e quis dar-lhe a morte. 25Então Séfora pegou numa faca de pedra e circuncidou o seu filho. Depois tocou com o prepúcio do menino no corpo de Moisés e disse: «Na verdade, tu és para mim um marido de sangue.» 26Nessa altura, o Senhor deixou ir Moisés. Séfora disse que Moisés era um marido de sangue por causa da circuncisão4,26 Os v. 24–26 são um pouco enigmáticos..

27Entretanto o Senhor disse a Aarão: «Vai ter com Moisés ao deserto.» Ele foi, encontrou-o no monte de Deus e saudou-o com um beijo. 28Moisés contou a Aarão tudo o que o Senhor lhe tinha mandado dizer e também os grandes prodígios que lhe tinha mandado realizar. 29Então os dois foram reunir todos os anciãos de Israel. 30Aarão contou-lhes tudo o que o Senhor tinha dito a Moisés e realizou aqueles prodígios diante de Israel. 31O povo acreditou; e ao saber que o Senhor tinha pensado nos israelitas e tinha visto como eles sofriam, inclinaram-se em adoração.