a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
34

Contra os pastores de Israel

341O Senhor dirigiu-me a palavra e disse-me: 2«Ezequiel, denuncia os chefes da nação de Israel, apresenta-lhes a minha mensagem e faz-lhes saber que eu, o Senhor Deus, tenho para lhes comunicar o seguinte: “Vocês estão condenados, ó pastores de Israel34,2 Na linguagem do Próximo Oriente antigo, os reis eram chamados pastores do seu povo. Ver 34,23.. Sabem cuidar bem dos vossos interesses. Mas os pastores devem cuidar das suas ovelhas. 3Vocês bebem o leite, usam roupas de lã e matam as melhores ovelhas para comer, mas não cuidam das ovelhas. 4Não protegeram as mais fracas, nem trataram das doentes; não ligaram as que estavam feridas; não trouxeram de volta as que se encontravam extraviadas; não procuraram as que se encontravam perdidas. Em vez disso, trataram-nas com dureza e crueldade. 5Como as ovelhas não tinham pastor, perderam-se; e os animais selvagens mataram-nas e comeram-nas. 6Por isso, as minhas ovelhas andam perdidas pelos montes. Espalharam-se pela terra inteira e ninguém quis saber delas, nem foi à sua procura.

7Por isso, oiçam agora, ó pastores, o que eu, o Senhor, vos declaro! 8Tão certo como eu vivo, eu, o Senhor Deus, vos garanto que só têm a ganhar se me derem ouvidos. As minhas ovelhas foram atacadas por animais selvagens que as mataram e comeram, porque não havia pastor. Os meus pastores não fizeram nenhum esforço para as encontrar. Só cuidavam de si próprios, e não das ovelhas. 9Por isso, deem-me atenção, ó pastores! 10Eu, o Senhor Deus, declaro que vou voltar-me contra vós. Vou tirar-vos as minhas ovelhas, e nunca mais permitirei que sejam os seus pastores; nunca mais vos deixarei andar a cuidar apenas dos vossos interesses. Arrancarei as minhas ovelhas da vossa boca, para não continuarem a ser devoradas por vocês.

11Eis o que tenho para vos declarar, eu, o Senhor Deus: a partir de agora, eu próprio cuidarei das minhas ovelhas. 12Da mesma maneira que um pastor segue o rasto do seu rebanho, que se extraviou, também eu seguirei o rasto das minhas ovelhas. Hei de libertá-las de todos os lugares por onde se espalharam, naquele dia negro e terrível34,12 Alusão à destruição de Jerusalém e à deportação dos seus habitantes.. 13Vou tirá-las dos países estrangeiros, juntá-las e trazê-las para a sua terra. Conduzi-las-ei de volta aos montes e vales de Israel e apascentá-las-ei em verdes pastagens. 14Deixarei que pastem em segurança, nos prados, nos montes e nos vales, bem como nas pastagens verdes da terra de Israel. 15Eu próprio serei o pastor do meu rebanho, e encontrarei para ele um lugar tranquilo. Palavra do Senhor!

16Irei em busca das que se perderam e vou trazer de volta as que se extraviaram; ligarei as que estão feridas e tratarei das doentes. Quanto às que estão gordas e fortes, a essas destruirei34,16 As antigas versões traduzem: guardarei., porque eu sou um pastor que as trata com justiça.

17Por isso, eis o que eu, o Senhor Deus vos declaro, ó meu rebanho! Vou julgar a cada um de vós e separar os bons dos maus, as ovelhas das cabras. 18Alguns dentre vós não se contentam em comer nas melhores pastagens, mas ainda espezinham o que não comem! Bebem da água limpa e deixam suja a que não bebem. 19As minhas outras ovelhas têm de comer a erva que vocês pisaram e beber a água que sujaram.

20Por isso, eu, o Senhor Deus, vos declaro, que vou fazer distinção entre vocês, as ovelhas fortes e as fracas. 21Empurram para o lado as doentes e às cabeçadas escorraçam-nas para fora do rebanho. 22Porém eu virei em socorro das minhas ovelhas; não permitirei que continuem a ser maltratadas e restabelecerei a justiça entre elas. 23Vou dar-lhes um rei como único pastor, semelhante ao meu servo David; e ele cuidará delas. 24Eu, o Senhor, serei o seu Deus, e um rei semelhante ao meu servo David será o seu chefe. Palavra do Senhor!

25Farei uma aliança com as minhas ovelhas, que garanta a sua paz e segurança. Libertarei o país dos animais ferozes, para que as minhas ovelhas vivam em segurança nos campos e possam dormir nos bosques. 26Deixarei que vivam à volta do meu monte santo34,26 Ver 20,40 e nota. e vou abençoá-las, mandando-lhes a chuva abundante, sempre que dela tenham falta. 27As árvores darão muito fruto, os campos produzirão com abundância, e cada qual viverá em segurança na sua própria terra. Quando eu despedaçar as correntes que prendem o meu povo e os libertar dos que os fizeram escravos, ficarão a saber que eu sou o Senhor. 28As nações pagãs nunca mais as assaltarão e os animais selvagens não mais as matarão nem comerão. Viverão em segurança e ninguém as há de incomodar. 29Hei de dar-lhes campos férteis e porei fim à fome existente no país. As outras nações não as voltarão a humilhar. 30Todos ficarão a saber que eu sou o Senhor que cuida de Israel e que Israel é o meu povo. Palavra do Senhor!

31Vocês são as ovelhas do meu rebanho, aqueles a quem eu guardo, e eu sou o vosso Deus. Palavra do Senhor!”»

35

Mensagem contra os edomeus

351O Senhor dirigiu-me a palavra e disse-me: 2«Homem35,2 Ver 2,1 e nota., volta-te para a região de Edom e transmite a minha mensagem35,2 Ver Ez 25,12–14 e nota de Is 34,5.! 3Comunica ao povo de Edom o seguinte: “Eu, o Senhor, vos declaro que sou vosso inimigo, ó terra de Edom! Mostrarei contra ti o meu poder e farei dessa terra um deserto. 4Deixarei as vossas cidades em ruínas e a vossa terra sem habitantes; e assim ficarão a saber que eu sou o Senhor. 5Vocês foram o inimigo permanente de Israel, e contribuíram para que o seu povo fosse dizimado à espada, quando lhe sobreveio a calamidade, quando chegou o tempo de serem castigados pelos seus pecados. 6Por isso, tão certo como eu vivo, eu, o Senhor Deus, vos garanto que estão condenados a morrer, sem apelo. A muitos causaram a morte e a morte vos há de perseguir também. 7Farei das colinas de Edom um país deserto e matarei a quem por lá passar. 8Encherei os seus montes de cadáveres; e os corpos daqueles que foram mortos na guerra cobrirão os montes, as colinas e os vales. 9Farei com que a vossa terra fique para sempre deserta e que as vossas cidades nunca mais sejam habitadas. Ficareis então a saber que eu sou o Senhor.

10Vocês disseram que as duas nações, Judá e Israel, com os seus territórios, vos pertencem, e que haviam de tomar posse delas, apesar de eu, o Senhor, ser o seu Deus. 11Por isso, tão certo como eu vivo, eu, o Senhor Deus, garanto que vos farei pagar pela vossa atitude, pela vossa inveja e ódio para com o meu povo. E o meu povo reconhecerá que vos castiguei, por causa do que lhe fizeram. 12E vocês ficarão a saber que eu, o Senhor, estava a ouvir, quando vocês diziam com insolência que os montes de Israel ficaram desertos e que estavam ao vosso alcance, para os devorarem. 13Ouvi como vocês falaram de mim com desprezo e de maneira provocante. 14Eu vos declaro que farei com que o vosso país fique num deserto, de modo que todo o mundo se regozijará da vossa queda. 15Vocês alegraram-se com a destruição de Israel, que me pertence. Pois, a região montanhosa de Seir e todo o país de Edom ficarão num deserto. Então todos ficarão a saber que eu sou o Senhor.”»

36

A bênção de Deus sobre Israel

361«Quanto a ti, homem, transmite a mensagem que eu, 2o Senhor Deus, tenho sobre os montes de Israel. Os inimigos afirmam que essas antigas montanhas lhes pertencem. 3Fala, pois, e anuncia que eu, o Senhor Deus, tenho para dizer o seguinte: “Quando as nações vizinhas se apoderaram das montanhas de Israel e as devastaram, não se fartaram de falar mal de ti, ó Israel. 4É esta agora a mensagem que eu, o Senhor Deus, tenho para vos transmitir, montes e colinas, rios e vales, lugares que ficaram destruídos e cidades desertas que foram devastadas e de quem as nações vizinhas escarneceram. 5Eu, o Senhor Deus, no auge da minha indignação, profiro ameaças contra o que resta das nações vizinhas e em especial contra Edom. Elas que se apoderaram da minha terra e pastagens, com tanta alegria e desprezo. 6Por isso, Ezequiel, transmite a minha mensagem ao país de Israel, anuncia aos montes, colinas, rios e vales, que eu, o Senhor Deus vou mostrar a minha indignação, por causa da maneira como esses países vos insultaram e humilharam. 7Eu, o Senhor Deus, vos garanto que essas nações que vos rodeiam vão, por sua vez, sofrer humilhações. 8Porém as árvores de Israel terão novas folhas verdes e darão fruto que será vosso, ó Israel, meu povo. E em breve voltareis para a vossa terra. 9Eu estou convosco, e farei com que as vossas terras sejam lavradas e semeadas de novo. 10Farei com que o vosso número aumente. Vão habitar nas cidades e reconstruir tudo o que ficou em ruínas. 11O povo e o gado aumentarão em número. Serão mais numerosos do que nunca, pois terão muitos filhos. Vou deixar que vivam como viviam no passado e farei a vossa prosperidade aumentar como nunca. Então ficareis a saber que eu sou o Senhor. 12Farei com que vocês, o meu povo de Israel, voltem de novo para a vossa terra, para lá viverem outra vez. Essa terra será vossa de novo e nunca mais deixareis que os vossos filhos morram de fome. 13É isto o que vos diz o Senhor Deus. É verdade que os inimigos desta terra dizem que ela devora as pessoas, e que mata. 14Mas daqui em diante, ordeno a esta terra que nunca mais devore as pessoas, nem lhes faça perder os seus filhos. Palavra do Senhor! 15O país nunca mais terá de ouvir o escárnio e os insultos das outras nações. E nunca mais deixará morrer os filhos do seu povo. Palavra do Senhor!”»

O Senhor vai reunir os israelitas

16O Senhor dirigiu-me a palavra e disse: 17«Homem, quando os israelitas habitavam no seu país e o profanaram com a sua maneira de viver e com os seus crimes, eu considerei tudo isso ritualmente impuro, como uma mulher durante a menstruação36,17 Sobre a impureza da mulher, ver Lv 15,19–22.. 18Deixei que sentissem todo o peso da minha indignação, por causa dos assassinatos que cometeram no país e por causa dos ídolos com que profanavam a terra. 19Condenei-os por tudo isso, e espalhei-os pelos outros países. 20Onde quer que fossem, só deixavam ficar mal o meu nome, porque os habitantes desses países comentavam: “Esta gente teve de sair da terra que lhe foi dada pelo seu próprio Deus!” 21Isso fez-me sofrer, por ver como os israelitas difamavam o meu bom nome por onde quer que fossem.

22Por isso, dirige-lhes a seguinte mensagem que eu, o Senhor Deus, tenho para eles: o que vou fazer agora não é por consideração por vocês, mas por causa do meu bom nome, que vocês difamaram em todos os países para onde foram. 23Quando mostrar a grandeza e a santidade do meu nome às nações, esse mesmo nome que vocês desonraram, então ficarão todos a saber que eu sou o Senhor, quando verificarem que eu realmente vos trato como um Deus santo. Palavra do Senhor! 24Hei de tirar-vos dessas nações e fazer-vos regressar à vossa terra. 25Farei com que, por meio de água limpa, fiquem ritualmente puros da imundície dos vossos ídolos, de tudo o que vos contaminou. 26Vou dar-vos um novo coração e um novo espírito. Em vez do vosso coração de pedra, vou dar-vos um obediente coração de carne. 27Vou pôr o meu espírito em vós e farei com que obedeçam fielmente às minhas leis e aos meus mandamentos que vos dei. 28Vivereis então no país que eu dei aos vossos antepassados. Vocês serão o meu povo e eu serei o vosso Deus. 29Vou limpar-vos de tudo o que vos deixou ritualmente impuros. 30Farei com que a vossa terra produza trigo com abundância, para que nunca mais voltem a ter fome. Farei com que as vossas árvores se carreguem de fruto e os vossos campos produzam como nunca antes, para que nunca mais a fome vos envergonhe diante das outras nações. 31Vocês hão de lembrar-se sempre dos maus caminhos e do mal que praticaram e terão vergonha de tudo isso, de todos os vossos pecados e práticas abomináveis. 32Ó Israel, quero que saibas que não faço nada disto por tua causa. Tem vergonha do que andas a fazer. Palavra do Senhor!

33Por isso, eu, o Senhor, vos declaro que quando vos limpar dos vossos pecados, vou deixar-vos viver de novo nas vossas cidades e reconstruí-las. 34Quem, ao passar, lamentava antes o estado dos vossos campos abandonados e incultos há de ver agora como voltam a ser cultivados. 35Toda a gente testemunhará como esta terra, que estava inculta, se transformou numa espécie de jardim do Éden36,35 Ver nota a 31,8. e como as cidades que foram derrubadas, devastadas e deixadas em ruínas, estão agora habitadas e fortificadas. 36Então as nações vizinhas que ainda restarem ficarão a saber que eu, o Senhor, posso reconstruir cidades em ruínas e tornar produtivos campos incultos. Eu, o Senhor, prometi que assim faria e hei de realizá-lo.

37Eu, o Senhor Deus, vos declaro que farei com que os israelitas me busquem de novo para os ajudar e farei com que sejam tão numerosos como um imenso rebanho. 38As cidades que presentemente estão em ruínas ficarão cheias de habitantes, do mesmo modo que outrora Jerusalém se enchia com os animais oferecidos em sacrifício, durante as festas. Então ficarão a saber que eu sou o Senhor