a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
15

Promessa e aliança de Deus com Abrão

151Depois disto, o Senhor apareceu a Abrão numa visão e disse-lhe:

«Não temas Abrão; eu sou o teu protetor;

e vais ter uma grande recompensa.»

2Abrão respondeu: «Ó Senhor, meu Deus, que podes tu dar-me, se eu vou partir deste mundo sem filhos e Eliézer, de Damasco, é que vai ser dono da minha casa?» 3Abrão insistiu: «Sabes bem que não me deste filhos e que um criado meu é que vai ser o meu herdeiro.»

4Mas o Senhor respondeu-lhe: «Não será esse o teu herdeiro; aquele que sair das tuas entranhas é que será o teu herdeiro.» 5Deus mandou sair Abrão para fora de casa e disse-lhe: «Olha para o céu e vê se podes contar as estrelas. Pois assim será o número dos teus descendentes15,5 Comparar com 12,2 e nota. Ver ainda Rm 4,18; Hb 11,12.

6Abrão confiou no Senhor e por isso o Senhor o aceitou como justo15,6 Ver Rm 4,3; Gl 3,6; Tg 2,23..

7Deus disse-lhe mais: «Eu sou o Senhor, que te fiz sair de Ur, na terra dos caldeus, para te dar esta terra como propriedade tua.»

8Abrão perguntou: «Ó Senhor, meu Deus, como é que eu posso estar seguro que ela será minha propriedade?»

9O Senhor respondeu: «Traz-me uma vitela, um cabrito e um carneiro, todos com três anos, e ainda uma rola e um pombo.»

10Abrão trouxe aqueles animais e cortou-os em duas metades, colocando cada uma delas frente a frente15,10 Cerimónia tradicional para celebração de alianças. Ver Jr 34,18.. Só não dividiu as aves. 11Os abutres lançavam-se sobre os corpos dos animais mortos, mas Abrão afastava-os. 12Ao entardecer, uma enorme sonolência caiu sobre Abrão e sentiu um medo enorme e terrível15,12 Comparar com Jb 4,13–14..

13Então Deus disse-lhe: «Fica a saber que os teus descendentes hão de viver como estrangeiros numa terra que não é a sua e hão de escravizá-los e humilhá-los durante quatrocentos anos15,13 Alusão à escravidão no Egito. Ver Ex 1,1–14; At 7,6. Em Ex 12,40 fala-se em quatrocentos e trinta anos.. 14Mas eu mesmo hei de castigar o povo que os vai escravizar e, no fim, poderão sair com muitas riquezas15,14 Ver Ex 12,40–41; At 7,7.. 15Quanto a ti, morrerás feliz em idade avançada e irás descansar em paz junto dos teus antepassados.

16Na quarta geração, os teus descendentes hão de voltar para aqui, pois agora as culpas dos amorreus ainda não chegaram até ao limite para receberem o castigo merecido.»

17Nisto pôs-se o Sol e veio a escuridão. Viu-se então um fogareiro fumegante e uma tocha acesa a passar entre os animais divididos. 18Naquele mesmo dia o Senhor estabeleceu uma aliança com Abrão e disse:

«Vou dar esta terra aos teus descendentes15,18 Ver 12,2 e nota.,

desde a ribeira do Egito

até ao grande rio Eufrates.

19Isto é, vou dar-lhes o território dos quenitas, dos quenizeus, dos cadmoneus, 20dos hititas, dos perizeus, dos refaítas, 21dos amorreus, dos cananeus; dos guirgaseus e dos jebuseus

16

Agar e o seu filho Ismael

161Sarai, mulher de Abrão, não lhe tinha dado nenhum filho. Ora ela tinha uma escrava egípcia, chamada Agar. 2Então Sarai disse a Abrão: «O Senhor não me deu a possibilidade de ter filhos. Mas talvez a minha escrava te possa dar algum filho por mim16,2 A proposta de Sara integra-se na prática das sociedades antigas. Comparar com 30,1–13. O mesmo costume é testemunhado no direito mesopotâmico, nomeadamente no Código de Hamurabi, rei da Babilónia..» Abrão concordou com a proposta de Sarai. 3E assim, dez anos depois de estarem já a viver em Canaã, Sarai mulher de Abrão deu a sua escrava Agar a Abrão como segunda mulher. 4Abrão teve relações com Agar e ela ficou grávida. Ora, ao saber que estava grávida, começou a olhar com desprezo a sua senhora.

5Sarai disse então a Abrão: «Eu pus a minha escrava nos teus braços e agora que viu que está grávida já me olha com desprezo. Isto é uma injustiça para comigo e tu também és responsável. Que o Senhor seja o juiz nesta questão entre mim e ti!» 6Abrão respondeu a Sarai: «Ela continua ainda a ser a tua escrava. Faz dela aquilo que melhor te parecer.» E Sarai começou a humilhá-la de tal maneira que ela teve de fugir.

7O anjo do Senhor16,7 O anjo do Senhor. Esta expressão serve por vezes para indicar uma intervenção do próprio Deus. Ver Gn 21,17; Ex 3,2.4; Mt 1,20. encontrou-a junto de uma fonte, no deserto, precisamente a fonte que está no caminho para Chur, 8e perguntou-lhe: «Agar, escrava de Sarai, de onde vens e para onde vais?» Ela respondeu: «Fugi de casa de Sarai, a minha senhora.» 9Mas o anjo do Senhor retorquiu: «Volta para a tua senhora e obedece-lhe.» 10E acrescentou ainda: «hei de tornar os teus descendentes tão numerosos que ninguém os poderá contar.» 11O anjo do Senhor declarou-lhe ainda:

«Tu estás grávida e vais dar à luz um filho;

hás de chamar-lhe Ismael,

porque o Senhor prestou atenção16,11 Ismael significa, em hebraico, “Deus escuta”. ao teu sofrimento.

12Será como um animal selvagem16,12 Os descendentes de Ismael são apresentados como nómadas, ciosos da sua vida livre e independente.,

sempre em luta com os outros e os outros em luta com ele.

Mas conseguirá viver na presença de todos os seus irmãos e vizinhos.»

13Agar exclamou: «Terei eu visto aquele que me vê a mim?» E disse ao Senhor, que tinha falado com ela: «Tu és o Deus que me vê!» 14Por isso, aquela nascente se ficou a chamar «Nascente de Lahai-Roi»16,14 Em hebraico Lahai-Roi significa “do Deus vivo que me vê”. e encontra-se entre Cadés e Béred.

15Agar deu à luz um filho e Abrão, seu pai, pôs-lhe o nome de Ismael. 16Abrão tinha oitenta e seis anos de idade, quando Agar deu à luz o seu filho Ismael.

17

A circuncisão como sinal da aliança

171Quando Abrão tinha noventa e nove anos de idade, o Senhor apareceu-lhe e disse-lhe:

«Eu sou o Deus supremo17,1 Em hebraico, “El Chadai” poderia significar “Deus da montanha”.; cumpre a minha vontade com retidão.

2Eu vou estabelecer uma aliança contigo,

vou dar-te uma descendência muito numerosa.»

3Abrão inclinou-se profundamente e o Senhor continuou a falar com ele: 4«Em virtude da aliança que faço contigo, vais tornar-te pai de uma imensidão de povos. 5O teu nome não será Abrão, mas sim Abraão, porque vou fazer com que sejas pai de uma imensidão de povos17,5 Abraão tem em hebraico um som parecido ao da expressão “pai de uma multidão”. A mudança de nome significa frequentemente na Bíblia uma profunda mudança na vida da pessoa. Ver Rm 4,17..

6Vou dar-te uma enorme descendência; de ti hão de surgir vários povos e haverá reis entre os teus descendentes. 7Hei de manter firme a minha aliança contigo e com os teus futuros descendentes, como uma aliança eterna. Serei o teu Deus e o Deus dos teus descendentes. 8Vou dar-te a ti e a eles em propriedade, para sempre, a terra17,8 Ver 12,2 e nota. onde agora vives como estrangeiro, toda a terra de Canaã. E serei realmente Deus para eles.»

9Deus acrescentou ainda: «Mas tu, Abraão, deves também ser fiel à minha aliança, tu e os teus descendentes, para sempre. 10E a obrigação da aliança entre mim e ti e todos os teus descendentes é esta: devem fazer a circuncisão a todos os vossos homens17,10 Circuncisão. Para muitos povos antigos e atuais rito de iniciação ao matrimónio, é tida pelos hebreus como sinal de pertença a Deus; por isso, é feita oito dias após o nascimento. Ver ainda Gn 17,23–27; 34,14–17; Is 4,24–26; 12,48; At 7,8; Rm 4,11.. 11A carne do prepúcio será circuncidada e a circuncisão será o sinal da aliança entre mim e vós. 12Aos oito dias de idade, façam a circuncisão a todos os descendentes do sexo masculino, quer sejam filhos da família, quer sejam escravos adquiridos por dinheiro e descendam doutras raças diferentes da vossa. 13Tanto os nascidos em tua casa, como os que foram adquiridos por dinheiro têm de ser circuncidados. Este será para sempre o sinal da minha aliança no vosso corpo. 14E aquele que não tiver sido circuncidado deve ser eliminado do vosso povo, por não ter respeitado a minha aliança.»

Sara terá um filho

15Deus disse a Abraão: «A tua mulher já não continuará a chamar-se Sarai, mas Sara17,15 Apesar da mudança de nome, ambas as formas parecem significar “princesa”. Ver 17,5 e nota.. 16Hei de abençoá-la e farei com que ela tenha um filho teu. Ainda há de ser mãe de muitos povos e há de haver reis entre os seus descendentes.»

17Abraão inclinou-se e sorriu, pensando no seu íntimo: «Será que pode nascer um filho de um pai de cem anos? Será que Sara vai mesmo ter um filho aos noventa anos?» 18Então Abraão exclamou: «Oxalá tu conserves a vida a Ismael!» 19Mas Deus disse: «Sim, mas também a tua mulher Sara vai ter um filho teu e tu hás de dar-lhe o nome de Isaac17,19 Em hebraico, o nome Isaac evoca o verbo traduzido por “sorriu” no v. 17. Ver 18,12–15.. Eu hei de fazer aliança com ele e com os seus descendentes para sempre.

20Também quero responder ao teu pedido a favor de Ismael. Hei de abençoá-lo e dar-lhe uma descendência muito numerosa. Será pai de doze chefes e os seus descendentes formarão um grande povo. 21Mas a minha aliança será feita a favor de Isaac, o filho que Sara te vai dar, no próximo ano, por esta altura.» 22Depois de ter falado com Abraão, Deus afastou-se de junto dele.

23Naquele mesmo dia, cumprindo as ordens que recebera do Senhor, Abraão fez a circuncisão a todos os homens que se encontravam em sua casa, ao seu filho Ismael e a todos os nascidos em sua casa, bem como a todos os escravos que tinha adquirido por dinheiro.

24Abraão tinha noventa e nove anos de idade 25e Ismael tinha treze anos quando foram circuncidados. 26Naquele mesmo dia, receberam a circuncisão Abraão e o seu filho Ismael 27e ainda os restantes homens da casa de Abraão, tanto os nascidos em sua casa como os escravos estrangeiros que tinham sido adquiridos por dinheiro. Todos receberam como ele a circuncisão.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitamos a privacidade dos seus dados.[ocultar mensagem]