a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
7

O dilúvio

71O Senhor disse a Noé: «Entra na arca com toda a tua família, pois tu foste a única pessoa honesta que encontrei entre todos os teus contemporâneos. 2Leva contigo sete pares, macho e fêmea, de todos os animais puros7,2 Animais puros. Animais que a Lei de Moisés permite comer ou oferecer em sacrifício. Ver Lv 11. e um só par, macho e fêmea, dos animais não puros. 3Das aves levarás igualmente sete pares, macho e fêmea, para que a vida sobre a terra possa continuar. 4Daqui a sete dias, vou fazer com que a chuva caia sobre a terra durante quarenta dias e quarenta noites e destruirei todos os seres que criei neste mundo.»

5Noé fez tudo o que o Senhor lhe tinha mandado. 6Noé tinha seiscentos anos, quando o dilúvio7,6 Comparar com Mt 24,38–39; Lc 17,27. inundou a terra. 7Entrou na arca com os seus filhos e com a sua mulher e as suas noras, para fugirem ao dilúvio. 8Dos animais puros e não puros, das aves e de todos os bichos, 9entraram aos pares, macho e fêmea, para junto de Noé, na arca, tal como Deus lhe tinha mandado. 10No fim dos sete dias, as águas do dilúvio começaram a cair sobre a terra.

11Era o dia dezassete do segundo mês7,11 Ver no Glossário a palavra Calendário. do ano e Noé estava com seiscentos anos de idade. Foi então que rebentaram as nascentes do grande mar profundo e se abriram as comportas do céu7,11 Águas que estão por cima da abóbada do firmamento. Ver 1,6–7 e nota.. 12A chuva caiu sobre a terra, durante quarenta dias e quarenta noites. 13Naquele mesmo dia, Noé entrou na arca com Sem, Cam e Jafet, seus filhos, e com a sua mulher e as três noras, 14e ainda exemplares de todas as espécies de seres vivos, animais domésticos e selvagens, de todos os bichos e das mais variadas espécies de aves. 15De todos os seres vivos entraram aos pares na arca, para junto de Noé. 16Era um macho e uma fêmea de cada espécie, tal como Deus tinha mandado. No fim, o Senhor fechou a porta.

17Durante quarenta dias, as águas do dilúvio caíram sobre a terra. Foram subindo e levantaram a arca, que ficou bastante longe do solo. 18Quando o nível das águas subiu muito acima da terra, a arca flutuava por cima das águas. 19As águas subiram tanto, que cobriram até as montanhas mais altas que existem. 20Passavam mais de sete metros para cima delas e as montanhas ficaram todas cobertas.

21Morreram todos os seres vivos, que existiam no mundo, aves, animais domésticos e selvagens, todos os bichos e todos os seres humanos. 22Tudo o que tinha vida e respiração e vivia em terra firme morreu. 23E assim o dilúvio destruiu7,23 Ou: E assim Deus destruiu. todos os seres que existiam sobre a terra, homens, animais, bichos e aves. Todos foram destruídos. Só ficou Noé e os seres que estavam com ele na arca. 24As águas cobriram a terra, durante cento e cinquenta dias.

8

Fim do dilúvio

81Deus não se esqueceu de Noé nem dos animais selvagens e domésticos, que se encontravam com ele na arca, e fez com que o vento soprasse sobre a terra e então a água começou a baixar. 2As fontes do mar profundo e as comportas do céu fecharam-se e a chuva deixou de cair. 3As águas que estavam sobre a terra foram recuando a pouco e pouco e ao fim de cento e cinquenta dias já tinham diminuído. 4A arca poisou então nas montanhas de Ararat8,4 Montanhas situadas na região da Arménia.. Era o dia dezassete do sétimo mês do ano. 5Até ao décimo mês, as águas continuaram a baixar e no primeiro dia do décimo mês já se viam os cimos dos montes.

6Quarenta dias depois, Noé abriu a janela que tinha feito na arca, 7mandou para fora um corvo e ele andou a voar dum lado para o outro, até secarem as águas que havia sobre a terra. 8Noé mandou depois uma pomba, para ver se as águas já estavam suficientemente baixas. 9Mas a pomba também não encontrou ainda lugar onde poisar e voltou de novo para junto de Noé, na arca, porque as águas ainda cobriam a terra. Noé estendeu a mão, pegou nela e levou-a de novo para dentro da arca.

10Esperou ainda sete dias e voltou a mandar a pomba. 11Pela tardinha, a pomba regressou para junto de Noé com um ramo de oliveira no bico. Noé ficou, por isso, a saber que as águas já tinham baixado bastante. 12Esperou outros sete dias e soltou de novo a pomba, mas desta vez ela já não voltou mais para a arca.

13No primeiro dia do primeiro mês do ano, quando Noé tinha seiscentos e um anos de idade, as águas já tinham desaparecido sobre a terra. Noé retirou a cobertura da barca e reparou que a terra estava a secar. 14No dia vinte e sete do segundo mês a terra já estava seca.

Um novo começo do mundo

15Deus disse então a Noé: 16«Podes sair da arca, tu e a tua mulher, os teus filhos e as tuas noras. 17Faz também sair contigo todas as espécies de seres vivos que estão contigo, aves, animais e toda a espécie de bichos da terra. Que eles se propaguem pela terra, que sejam férteis e cresçam.»

18Noé saiu com os seus filhos, a mulher e as noras. 19Saíram também da arca todos os animais, bichos, aves, tudo o que se move na terra, conforme as suas diferentes famílias.

20Noé fez um altar em honra do Senhor e ofereceu em sacrifício sobre esse altar alguns animais puros e algumas aves puras. 21Ao sentir o perfume agradável daquele sacrifício, o Senhor pensou para consigo: «Não voltarei mais a amaldiçoar a terra, por causa dos seres humanos. É certo que eles têm más inclinações desde a infância. Mas não voltarei mais a castigar todos os seres vivos como fiz desta vez.

22Enquanto o mundo existir,

nunca mais há de faltar sementeira e colheita,

frio e calor, verão e inverno, dia e noite.»

9

Aliança de Deus com a Humanidade

91Deus abençoou Noé e os seus filhos e disse-lhes: «Sejam férteis, cresçam e encham a terra9,1 Comparar com 1,22.28 e 8,17.. 2Todos os animais selvagens e as aves, tudo o que se move na terra e os peixes do mar hão de tremer de medo diante de vós. Todos eles ficam sujeitos ao vosso poder.

3Podem comer de todos os animais vivos assim como das verduras e plantas que vos dei. Tudo isso fica à vossa disposição. 4Mas não devem comer a carne sem lhe tirar primeiro o sangue, que é a base da vida9,4 Ver Lv 3,17; 7,26–27; 17,10–14; Dt 12,16.23; 15,23; At 15,20.29.. 5Pois a todo aquele que vos tiver tirado a vida, seja animal, seja homem, eu pedirei contas do vosso sangue. Pedirei contas a qualquer um que tenha tirado a vida a um seu semelhante.

6Àquele que tira a vida a um homem,

outro homem lhe tirará a vida,

pois o ser humano foi criado como imagem de Deus.

7Quanto a vocês sejam férteis e cresçam,

propaguem-se pela terra e dominem-na9,7 Texto provável. Ver 1,28. O texto tradicional diz multipliquem-se.

8Deus disse a Noé e aos seus filhos: 9«Vou fazer um pacto de aliança convosco e com os vossos descendentes, 10que se estenderá a todos os seres vivos que estão convosco, aves, animais domésticos e selvagens, os que agora saíram da arca e todos os que existirem na terra. 11Hei de manter sempre essa aliança convosco e mais nenhum ser vivo voltará a morrer pelas águas do dilúvio. Pois não haverá mais nenhum dilúvio a destruir a terra.» 12E Deus continuou: «Este será o sinal da aliança que eu vou estabelecer entre mim e vós e todos os seres vivos que estão convosco, para todo o sempre. 13Hei de colocar o meu arco-íris nas nuvens e esse será o sinal de aliança entre mim e a terra. 14Quando eu fizer aparecer nuvens sobre a terra e aparecer o arco-íris nas nuvens, 15será para me lembrar da aliança que fiz convosco e com todos os seres vivos que existem. E assim não haverá mais nenhum dilúvio a destruir os seres vivos. 16Quando o sinal aparecer nas nuvens, eu hei de olhar para ele e hei de recordar-me desta aliança eterna, que existe entre mim e todos os seres vivos, com tudo o que vive na terra.» 17E Deus concluiu dizendo a Noé: «Este é o sinal da aliança que eu estabeleço com todos os seres vivos que existem na terra.»

Separação dos filhos de Noé

18Os filhos de Noé que saíram da arca eram Sem, Cam e Jafet. Cam foi o pai de Canaã. 19Filhos de Noé são só estes três e todos os habitantes da terra são descendentes deles.

20Noé foi agricultor e o primeiro a cultivar a vinha. 21Certa ocasião bebeu vinho, ficou bêbedo e despiu-se completamente dentro da sua tenda. 22Cam, pai de Canaã, viu o pai nu e foi contar o caso aos seus dois irmãos que estavam fora da tenda. 23Mas Sem e Jafet pegaram numa peça de roupa e, levantando-a por sobre os ombros, aproximaram-se do pai, caminhando de costas viradas para ele. Assim cobriram o pai, estando sempre de costas para ele, para o não verem nu.

24Quando Noé acordou do sono provocado pelo vinho e soube o que lhe tinha feito o filho mais novo, 25disse:

«Maldito seja Canaã.

Ele será o último dos escravos dos seus irmãos!»

26E continuou:

«Bendito seja o Senhor, Deus de Sem;

e que Canaã seja escravo de Sem.

27Que Deus faça crescer Jafet9,27 O verbo hebraico traduzido por fazer crescer assemelha-se ao nome Jafet..

Que ele habite

junto dos descendentes de Sem

e que Canaã lhes sirva de escravo!»

28Depois do dilúvio, Noé viveu ainda trezentos e cinquenta anos. 29Morreu com novecentos e cinquenta anos de idade.