a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
7

71e decidira curar as feridas de Israel,

eis que se descobrem os pecados de Efraim

e as maldades de Samaria.

Cometem fraudes,

os ladrões entram nas casas,

os bandoleiros assaltam pelos caminhos.

2E nenhum deles se dá conta

de que guardo na memória todas as suas maldades.

Agora veem-se enredados nas suas próprias más ações,

e eu tenho-as a todas bem presentes.»

Conspirações palacianas

3«Lisonjeiam o rei com ações criminosas

e os príncipes com as suas mentiras7,3 Alusão a golpes políticos sucessivos. Ver, como exemplo, 1 Rs 16,9–10..

4São todos uns traidores,

assemelham-se a um forno aceso,

que o padeiro deixa de atiçar,

desde que amassa a farinha até que esta levede.

5No aniversário do rei, por causa das bebedeiras,

os chefes colaboram com os agitadores.

6Nas suas intrigas o seu coração arde como um forno.

Durante a noite o seu ardor adormece,

mas pela manhã queima como um fogo abrasador.

7Todos eles ardem como um forno

e devoram os seus governantes.

Todos os seus reis vão caindo

e nenhum deles pede a minha ajuda.»

Alianças desastrosas

8«Efraim mistura-se com os outros povos;

é como uma torta que não foi virada.

9Os estrangeiros esgotam-lhe as forças,

sem eles se darem conta;

já têm cabelos grisalhos

e não se apercebem disso.

10A arrogância do povo de Israel

testemunha contra ele mesmo.

Mas eles não se voltam para mim, o Senhor seu Deus.

Apesar de tudo isto, não me procuram.

11Efraim é como uma pomba,

ingénua e sem inteligência;

tanto pede ajuda ao Egito

como corre atrás da Assíria.

12Mas logo que partem,

lanço sobre eles a minha rede;

são apanhados como as aves do céu

e castigo-os quando vejo que estão reunidos.

13Ai deles, porque fugiram de mim!

São uns desgraçados, porque se revoltaram contra mim!

Eu bem os queria salvar,

mas eles proferem mentiras contra mim.

14Não são sinceros, quando suplicam a minha ajuda.

É certo que se lamentam nos seus leitos.

Recorrem aos deuses do trigo e do vinho,

mas a mim, desprezam-me7,14 Ver 1 Rs 18,20–29..

15E, no entanto, fui eu que os eduquei

e os tornei fortes.

Mas eles só pensaram mal de mim.

16Não é para o Deus altíssimo que se voltam;

são como um arco lançado ao acaso.

Os seus chefes morrerão na guerra,

por causa das suas palavras insolentes,

e até no Egito se hão de rir deles.»

8

Quem semeia ventos colhe tempestades

81«Toquem a trombeta, pois a desgraça,

como uma águia, vai abater-se sobre a terra do Senhor,

porque o povo violou a minha aliança

e transgrediu os meus ensinamentos.

2Eles dirigem-se a mim, suplicantes:

“Meu Deus, nós somos o povo de Israel

que te reconhece como Deus8,2 Ou: Ó Deus de Israel, nós reconhecemos que és Deus.!”

3Mas Israel rejeitou aquele que é bom;

e correu atrás do deus inimigo.

4Constituíram reis sem a minha aprovação,

estabeleceram chefes sem o meu conhecimento8,4 Ou: destituiram-nos..

Fabricaram ídolos com a sua prata e ouro

para a sua própria perdição.

5Povo de Samaria, retira o teu vitelo de ouro8,5 Provavelmente o vitelo de ouro que Jeroboão I tinha colocado no santuário de Betel, segundo 1 Rs 12,28–29. Ver Os 10,5; Ex 32,4.!

A minha cólera inflamou-se contra vós.

Quando conseguireis viver sem pecado?

6Esse vitelo é obra de Israel,

foi um dos vossos artistas que o fabricou

e não é deus nenhum.

Fiquem sabendo que o vitelo de Samaria

será feito em pedaços.

7Quem semeia ventos colhe tempestades.

Trigo que não dá espiga não faz farinha;

e mesmo que a desse

seriam os estrangeiros a devorá-la.

8Israel foi devorado.

Agora, no meio das nações

não passa dum objeto inútil.

9Decidiram aliar-se com a Assíria.

Um burro montês procura a sua independência,

mas Efraim compra os seus amantes8,9 Alusão à política de submissão que o último rei de Israel, Oseias, filho de Ela, praticou perante a Assíria (2 Rs 17,3), contrariamente ao seu predecessor Peca (2 Rs 15,27–31)..

10Apesar dos presentes que oferecem às nações,

chegou o momento de eu os reunir.

E não tarda muito que tenham de se sujeitar à Assíria,

ao imperador dos príncipes8,10 Imperador dos Príncipes. Outra designação para o rei da Assíria..

11Efraim levantou muitos altares,

mas só lhe serviram para pecarem ainda mais.

12Mesmo que lhes imponha uma multidão de leis,

consideram-nas como coisa estranha.

13Oferecem sacrifícios em minha honra

e comem a carne8,13 No tempo de Oseias, os sacrifícios eram muitas vezes seguidos de uma refeição.,

mas eu, o Senhor, não encontro nisso nenhum agrado.

Não esqueço as suas iniquidades

e castigarei os seus pecados.

E terão que regressar ao Egito.

14Israel construiu palácios

e esqueceu-se do seu Criador.

Judá, por seu lado, fortificou muitas cidades.

Mas eu lançarei fogo às suas cidades,

que devorará as suas fortificações.»

9

O castigo de Israel

91«Não te alegres, Israel,

nem exultes como os outros povos,

porque te afastaste do teu Deus pela prostituição;

vendeste o teu amor em todas as eiras de trigo9,1 A recolha de trigo é descrita como o salário que o deus Baal concede pelos ritos da fertilidade..

2Mas o trigo das eiras e o azeite dos lagares

não vos alimentarão

nem haveis de provar o vinho novo9,2 Ver 2,11; 8,7..

3Efraim não poderá ficar na terra do Senhor;

terá que regressar ao Egito

ou ir para a Assíria,

onde terá de comer alimentos impuros.

4Não farão ao Senhor ofertas de vinho,

nem lhe irão apresentar sacrifícios.

Esses alimentos serão como o pão do luto,

e todos os que o comerem ficarão impuros.

Pois o pão é para a sua própria boca

e não vai para a casa do Senhor.

5Que fareis no dia da solenidade,

no dia da festa do Senhor9,5 Provavelmente a festa de outono, também chamada festa das Tendas ou dos Tabernáculos. Ver no Glossário Festas.?

6Tereis que fugir por causa da destruição.

O Egito vos acolherá,

mas a cidade de Mênfis será o vosso túmulo.

Aqui, as urtigas cobrirão os vossos tesouros de prata

e os cardos crescerão nas vossas tendas.

7Chegou o dia do castigo,

o dia do ajuste de contas.

Israel tem que o saber.

Dizem que o profeta está louco,

que o homem inspirado delira.

Mas é por causa dos teus muitos pecados

e da tua enorme rebeldia.

8O profeta é a sentinela de Deus em Efraim.

Mas preparam-lhe ciladas em todos os caminhos.

Na casa do seu Deus só encontrou perseguição.

9Desceram até ao fundo da corrupção

como outrora em Guibeá9,9 Guibeá. Ver Jz 19—21..

Mas o Senhor não esquece os seus crimes,

e castigará os seus pecados.»

Pecados e castigo de Israel

10«Eu, o Senhor, encontrei outrora Israel

como se fossem cachos de uvas no deserto;

descobri os vossos antepassados

como se fossem os primeiros figos da figueira.

Mas logo que chegaram a Baal-Peor9,10 Ou: Bet-Peor. Ver Nm 25.

consagraram-se ao vergonhoso culto de Baal,

e tornaram-se tão abomináveis

como a estátua que adoravam.

11A glória de Efraim vai desaparecer

como pássaros em revoada;

não haverá mais nascimentos,

nem gravidez nem fecundação.

12E ainda que consigam criar alguns filhos,

vou deixá-los sem descendência9,12 O profeta refere as perdas dos israelitas do Norte, devido às guerras dos últimos anos do reino, entre 734–722 a.C..

Será uma infelicidade para eles,

quando eu lhes virar as costas.

13Quando olho para Efraim,

parece que estou a ver a cidade de Tiro

plantada em lugar verdejante;

mas agora entrega os seus filhos ao verdugo9,13 Ver nota anterior.

14Dá-lhes, Senhor o castigo! Qual castigo?

Que as suas mulheres sejam estéreis

e os seus seios não tenham leite.

15«Toda a sua maldade se manifestou em Guilgal9,15 Guilgal. Ver 1 Sm 11,15; 15,12–21; Os 4,15; Am 4,4; 5,5..

Foi lá, que eu, o Senhor, comecei a detestá-los.

Por causa das suas más ações,

vou expulsá-los para longe de mim.

Nunca mais os amarei.

Todos os seus chefes são rebeldes.

16Efraim está ferido:

as suas raízes secaram

e não produzirão mais fruto algum.

E mesmo que as mulheres voltassem a dar à luz,

eu daria a morte aos seus filhos queridos.»

17O meu Deus vai rejeitá-los,

porque não o quiseram escutar;

andarão errantes entre as outras nações.