a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
43

Resgate do povo

431E agora, assim declara o Senhor,

aquele que te criou, ó Jacob,

aquele que te formou, ó Israel:

«Não tenhas medo, porque eu resgatei-te,

chamei-te para me servires: e tu pertences-me.

2Mesmo que atravesses os mares, estarei contigo;

os rios profundos não te hão de afogar.

Quando caminhares pelo fogo, não te queimarás,

as chamas não te hão de atingir.

3Porque eu, o Senhor, sou o teu Deus;

eu, o Santo de Israel, sou o teu salvador.

Dou o Egito para pagar a tua libertação,

Cuche e Sabá43,3 Sabá. Região situada provavelmente a norte do atual Sudão. Ver 45,14. em troca de ti.

4Já que tens muito valor para mim,

que te estimo e te amo,

entrego homens em teu lugar

e povos em vez da tua pessoa.

5Não tenhas medo, que eu estou contigo.

Trarei os teus filhos desde o Oriente

e congregarei os que te pertencem desde o Ocidente.

6Digo ao Norte: “Devolve-os!”

e ao Sul: “Não os retenhas!”

Tragam-me os meus filhos lá de longe

e as minhas filhas dos confins da terra.

7São todos quantos têm o meu nome,

que eu criei, formei e fiz,

para manifestarem a minha glória.»

Vós sois minhas testemunhas

8«Façam comparecer este povo,

que tem olhos, mas não vê,

tem ouvidos, mas não ouve.

9Juntem-se todas as nações,

e reúnam-se os povos.

Qual dos seus deuses anunciou estas coisas

e nos predisse o que aconteceu?

Que apresentem testemunhas para se justificarem,

e, ouvindo-as, se possa dizer: “É verdade!”

10Vós é que sois as minhas testemunhas.

Palavra do Senhor!

Vós é que sois o meu servo, aquele que eu escolhi,

para saber, acreditar

e compreender quem sou eu.

Antes de mim, não houve nenhum deus,

e depois de mim também não haverá.

11Eu, e só eu, é que sou o Senhor.

Fora de mim, não há ninguém que salve!

12Sou eu que ofereço a salvação, a anuncio e proclamo,

e não é nenhum deus estrangeiro que esteja no meio de vós.

Eu sou Deus e vós sois testemunhas disso!

Palavra do Senhor!

13Eu sou esse Deus desde sempre,

por isso, ninguém me poderá resistir;

aquilo que eu faço ninguém o poderá desfazer.»

Salvação

14Assim declara o Senhor,

aquele que vos liberta, o Santo de Israel:

«Por vossa causa envio uma expedição à Babilónia,

para arrancar todos os ferrolhos das prisões.

Os gritos de alegria dos babilónios

vão transformar-se em lamentações.

15Eu sou o Senhor, o vosso Santo,

o criador de Israel, vosso Rei.»

Um novo caminho no deserto

16O Senhor, que outrora abriu um caminho no mar,

uma estrada nas águas impetuosas;

17que pôs em marcha carros e cavalos,

os exércitos com as suas tropas mais valentes,

que os fez cair para nunca mais se levantarem,

e extinguir-se como um pavio que se apaga,

18é ele que agora vos declara:

«Não recordem mais os acontecimentos de outrora,

nem pensem mais no passado.

19É que eu vou realizar algo de novo,

que já está a aparecer.

Será que não o notais?

Vou abrir um caminho no deserto

e rios na terra árida.

20Animais selvagens, chacais e avestruzes vão louvar-me

porque fiz brotar água no deserto

e rios em terra árida,

para dar de beber ao povo que escolhi.

21E este povo que eu formei

há de narrar as minhas glórias.»

Processo de Deus contra Israel

22«Ó povo de Jacob, não era a mim que invocavas,

não era por mim que te esforçavas, Israel.

23Não era por mim que sacrificavas cordeiros,

não era a mim que honravas com os teus sacrifícios.

Também não exigi de ti ofertas,

nem te fatiguei, pedindo-te incenso.

24Não era por mim que compravas a canela,

nem me saciavas com a gordura dos teus sacrifícios.

Tu é que fizeste de mim um escravo com os teus pecados,

cansaste-me com os teus crimes.

25Da minha parte, eu esquecia as tuas revoltas,

sem me lembrar mais dos teus pecados.

26Diz-me o que tens contra mim e discutamos

conta-me tudo para ver se tens razão.

27Já o teu primeiro antepassado43,27 Alusão a Jacob. Ver Gn 25,26; 27,36; Os 12,4. pecou

e os teus chefes revoltaram-se contra mim.

28Por isso, profanei os responsáveis do templo,

entreguei Jacob à destruição,

e Israel aos insultos.»

44

441«Mas agora ouve-me, Jacob, meu servo,

Israel, o meu escolhido.

2Eu o Senhor que te fiz e te formei,

e desde o seio materno te auxilio,

tenho a dizer-te o seguinte:

“Não tenhas medo, meu servo Jacob,

meu querido44,2 Meu querido. Tradução da palavra hebraica “yechurun” que alguns interpretam como apelido do povo de Israel, de acordo com Dt 32,15; 33,5.26., meu povo escolhido.

3Vou derramar água sobre o que tem sede

e fazer correr riachos sobre a terra árida.

Vou derramar o meu espírito sobre os teus filhos

e a minha bênção sobre os teus descendentes.

4Crescerão como erva junto das fontes,

como salgueiros junto de água corrente.

5Um dirá: Eu sou do Senhor;

um outro reclamará para si o nome de Jacob;

outro escreverá na mão: Pertenço ao Senhor,

e terá orgulho no nome de Israel.”»

Desafio aos falsos deuses

6Eis o que declara o Senhor, rei de Israel,

o seu protetor, o Senhor do Universo:

«Eu sou o primeiro e o último;

fora de mim não há outro deus.

7Quem há semelhante a mim?

Que se apresente e fale!

Terá de me dizer e explicar

quem é que, desde sempre, anunciou o futuro,

e pode revelar as coisas que estão para vir?

8Não tenham medo, nem se perturbem:

não fui eu que desde há muito o anunciei?

Vós sois testemunhas.

Haverá outro Deus além de mim?

Não conheço outra rocha de refúgio.»

Contra a idolatria

9«Os fabricantes de ídolos nada são;

as suas imagens preciosas de nada valem

e as suas testemunhas nada veem e nada sabem

e assim vão ficar dececionados.

10Quem é que fabrica um deus ou faz uma imagem

se não é para tirar algum proveito?

11Todos os seus devotos ficarão confundidos,

pois os artistas que os fabricam não passam de homens.

Que eles se reúnam e compareçam todos:

ficarão a tremer e cheios de vergonha.

12O ferreiro trabalha o metal,

leva-o à bigorna e vai-o modelando com o martelo,

trabalha-o com os braços robustos;

passa fome, cansa-se, não bebe e fica esgotado.

13Quanto ao que trabalha com a madeira,

toma as suas medidas, faz o desenho,

desbasta a madeira com o cinzel,

modela-a com a lima;

dá-lhe o aspeto duma figura humana

e depois coloca-a num templo.

14Põe de reserva um cedro para cortar,

escolhe uma azinheira ou um carvalho

que deixa crescer entre as árvores da floresta.

Ou então planta um pinheiro

que há de crescer com a chuva.

15Para as pessoas, a sua madeira serve para o lume;

apanham-na para se aquecerem ou cozerem o pão.

Ou então fazem dela um deus e adoram-no,

fabricam uma imagem e inclinam-se diante dela.

16Queimam no fogo metade da madeira,

assam a carne sobre as brasas,

comem-na e ficam satisfeitos;

ou, então, aquecem-se e dizem:

“Como é bom estar quentinho e ver o fogo a arder!”

17Com a outra metade da madeira fazem um deus,

um ídolo que adoram, inclinando-se diante dele

e dirigem-lhe esta oração:

“Salva-me, pois tu és o meu deus!”

18Esta gente não compreende nem percebe!

Têm olhos para ver e não veem,

têm mente mas não entendem.

19Não refletem, não têm o bom senso,

nem a inteligência para pensarem:

“Queimei metade no fogo,

cozi o meu pão sobre as brasas,

assei a carne para comer;

e vou fazer do resto um ídolo abominável,

e inclinar-me diante dum pedaço de madeira?”

20Esta gente alimenta a cabeça de cinzas,

o seu espírito extraviado desencaminha-os.

Não conseguem libertar-se, dizendo:

“O que eu tenho na minha mão direita

não passa de um falso deus.”»

O Senhor protege o seu povo

21Lembra-te, Jacob, destas coisas,

pois tu, Israel, és meu servo.

Formei-te para estares ao meu serviço.

Nunca te esquecerei, Israel.

22Dissipei como névoa as tuas revoltas,

como nuvem os teus pecados;

volta para mim, porque eu te resgatei.

23Alegrem-se os céus, pelo que o Senhor fez!

Gritem de júbilo, profundezas da terra!

Montanhas, árvores e florestas rompam em aclamações,

porque o Senhor resgatou Jacob,

manifesta a sua glória em Israel.

Deus criador e mestre da história

24Assim diz o Senhor, teu redentor,

que te formou desde o ventre materno:

«Eu, o Senhor, é que criei tudo;

sozinho estendi os céus.

Quando firmei a terra, quem estava comigo44,24 O tema da criação é recorrente em Isaías como afirmação teológica, pastoral e catequética. Diante da conquista de Jerusalém, os judeus exilados pensavam que o Deus de Israel tinha menos poderes do que os deuses da Babilónia, nomeadamente Marduc. O profeta responde: Só o Deus de Israel é que é criador. Ver 40,21; 45,12.13.18; 48,12–13; 51,13.?

25Reduzo a nada os presságios dos magos,

faço delirar os adivinhos,

obrigo os sábios a recuar;

e mostro que o seu saber é estupidez.

26Mas realizo as palavras dos meus servos,

faço cumprir os planos dos meus mensageiros!

Digo a Jerusalém: “Serás repovoada”,

às cidades de Judá: “Sereis reconstruídas.”

Pois hei de levantar as suas ruínas.

27Digo às profundezas do mar:

“Transformem-se em terra árida;

que as vossas torrentes fiquem secas.”

28Digo a Ciro: “És o pastor que eu escolhi!”

Ele cumprirá em tudo a minha vontade:

fará com que Jerusalém seja reedificada

e o templo reconstruído44,28 Ciro. Ver Is 41,2. Reconstrução do templo. Ver 2 Cr 36,23; Ed 1,2.

45

Investidura de Ciro

451Eis o que o Senhor declara a Ciro, seu escolhido45,1 Literalmente: seu Messias ou seu consagrado. O rei persa Ciro recebe o mesmo título que o rei de Judá. Ver Sl 2,2; 18,51.:

«Eu peguei-te pela mão:

vou fazer com que as nações se sujeitem a ti

e que os reis fiquem sem poder.

Vou fazer com que os batentes das portas das cidades

se abram de par em par diante de ti.

2Caminharei diante de ti para aplanar os obstáculos,

arrombar portas de bronze e quebrar ferrolhos de ferro.

3Dar-te-ei tesouros ocultos e riquezas escondidas.

Assim saberás que eu sou o Senhor, o Deus de Israel,

que te chama pelo teu nome.

4Por amor de Jacob, meu servo,

de Israel, meu escolhido,

chamei por ti e dei-te um nome,

sem que tu me conhecesses.

5Eu é que sou o Senhor e mais ninguém:

fora de mim não há outro deus.

Dei-te o poder, sem que me conhecesses,

6para que saibam desde o Oriente até ao Ocidente

que fora de mim não há nada.

Eu é que sou o Senhor e mais ninguém.

7Faço a luz e crio as trevas,

sou o autor do bem-estar e o criador da desgraça.

Sou eu, o Senhor que faço tudo isto.

8Que o céu, lá do alto, faça descer o orvalho,

e que as nuvens façam chover a vitória;

abra-se a terra para que floresça a salvação

e, ao mesmo tempo, germine a justiça.

Sou eu, o Senhor, que crio tudo isto.»

O barro e o oleiro

9Ai de quem, sendo simples vaso de argila como os outros,

se atreve a discutir com quem o fez!

Acaso o barro diz ao oleiro: «Que fazes?»

Ou então: «A tua bilha não tem asas45,9 Ver Is 29,16; Jr 18,6; Rm 9,20–21.

10Ai de quem se atreve a dizer ao seu pai:

«Que espécie de filho geraste?»

Ou então à sua mãe:

«O que é que tu deste à luz?»

11Assim declara o Senhor, o Santo de Israel,

que formou o seu povo:

«Pretendeis pedir-me contas acerca dos meus filhos

e dar-me ordens sobre aquilo que devo fazer?

12Eu é que fiz a terra e criei os homens para a povoar;

eu é que estendi os céus com as minhas mãos

e dou ordens ao exército das estrelas.

13Fui eu que pus esse homem em marcha para a vitória,

e aplanarei todos os seus caminhos.

Ele reconstruirá a minha cidade,

e libertará o meu povo do exílio,

sem nada exigir como recompensa.

É o Senhor do Universo quem o declara.»

Conversão dos pagãos

14Assim fala o Senhor:

«Os trabalhadores egípcios, os comerciantes etíopes,

os povos de Seba, de alta estatura,

todos passarão diante de ti e serão teus.

Estes povos irão atrás de ti com cadeias,

inclinar-se-ão diante de ti

e dir-te-ão em súplica:

“Não há outro Deus se não o teu;

todos os outros não são nada!”»

O Deus escondido

15Na verdade, tu, és um Deus escondido,

o Deus de Israel, o Salvador.

16Os fabricantes de ídolos retiram-se cheios de vergonha,

confundidos e cobertos de ignomínia.

17Mas Israel foi salvo pelo Senhor para sempre.

Nunca mais haverá para eles vergonha nem desonra.

18O Senhor que criou o céu,

o Deus que formou a terra e a fez,

que não a criou vazia, mas pronta para ser habitada,

declara o seguinte:

«Eu é que sou o Senhor e mais ninguém.

19Não falei em segredo, nem em lugar obscuro,

não pedi aos israelitas que me procurassem no vazio.

Eu, o Senhor, falo de maneira franca,

o que anuncio é bem claro.

20Reúnam-se, venham juntar-se aqui

aqueles que sobreviveram no exílio.

Nada percebem os que levam o seu ídolo de madeira

e oram a um deus que os não pode salvar.

21Digam o que têm a dizer e apresentem provas;

podem mesmo aconselhar-se em conjunto.

Quem anunciou de antemão o que está acontecendo?

Quem o revelou desde há muito?

Não fui eu, o Senhor?

Fora de mim não há nenhum outro deus.

Eu sou um Deus justo e salvador,

e não existe nenhum outro.

22Voltem-se para mim e sereis salvos,

os que habitais nos confins da terra,

pois eu sou Deus e não há nenhum outro.

23Juro por mim mesmo

e o que digo é verdadeiro,

pois a minha palavra não muda!

Toda a gente, de joelhos45,23 Ver Rm 14,11; Fp 2,10–11.,

me fará um juramento de fidelidade e dirão:

24“Só no Senhor se encontra a lealdade e a força.”»

E todos os que se tinham levantado contra o Senhor,

virão ter com ele cheios de vergonha.

25Mas todos os descendentes de Israel

hão de triunfar e receber louvores junto do Senhor.