a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
3

É preciso dominar a língua

31Meus irmãos, são poucos os que devem ser mestres. Saibam que nós, os que ensinamos, teremos um julgamento mais rigoroso. 2Todos cometemos muitos erros. E se alguém não peca por palavras, é perfeito, capaz de dominar toda a sua pessoa. 3Se pomos freios na boca dos cavalos é para os dominar e assim controlamos todos os seus movimentos! 4Olhem para os navios! Podem ser muito grandes e impelidos por grandes ventos, mas são manobrados por um leme bem pequeno e o piloto dá-lhes o rumo que quer. 5Também a língua é uma pequena parte do corpo, mas é capaz de se orgulhar de grandes coisas.

Reparem como um pequeno fogo pode incendiar uma grande floresta! 6Pois a língua é como um fogo; é um mundo de maldade. Sendo uma pequena parte do nosso corpo, pode contaminar a pessoa inteira e pode queimar a vida toda com o seu fogo infernal.

7Qualquer espécie de animais selvagens e aves, répteis ou peixes pode ser domesticada. De facto, têm-se domesticado animais de todas as espécies. 8Mas a língua, ninguém é capaz de a domesticar. É um mal incontrolável; está cheia de veneno mortal. 9Com ela bendizemos o Senhor, nosso Pai, e com ela amaldiçoamos as pessoas que foram criadas à imagem de Deus3,9 Ver Gn 1,26–27.. 10Da mesma boca saem palavras de bênção e de maldição.

Meus irmãos, isto não devia ser assim! 11Será que uma fonte pode deitar, pela mesma bica, água doce e água amarga? 12Como é possível, meus irmãos, que uma figueira dê azeitonas, ou que uma videira dê figos? Uma nascente de água salgada nunca pode dar água doce.

A verdadeira sabedoria

13Há no vosso meio alguém que seja sábio e inteligente? Então, que mostre com o seu bom procedimento obras de uma sabedoria vivida com modéstia. 14Se tiverem sentimentos de grande ciúme ou inveja, em vossos corações, não sejam presunçosos, nem usem da mentira em prejuízo da verdade. 15Essa não é a sabedoria que vem de Deus. Pelo contrário, é terrena e mundana, vem do Demónio. 16Onde existem ciúme e inveja, aparecem a desordem e toda a espécie de maldades. 17Mas a sabedoria que vem de Deus é, antes de tudo, pura; pacífica, compreensiva, dócil, cheia de misericórdia e boas ações; não faz distinção de pessoas e não é fingida. 18Aqueles que trabalham pela paz vão lançando a semente da paz, que lhes dará uma colheita de justiça.

4

Deus prefere os humildes

41Donde vêm as guerras e as lutas que experimentam? Não será das paixões conflituosas no interior de cada um? 2Desejam, mas não possuem; matam e cobiçam, mas não ficam satisfeitos. Daí vêm as vossas guerras e lutas. Não têm o que querem, porque não o pedem a Deus. 3Se pedem e não recebem, é porque pedem mal, pedindo coisas que só servem os vossos prazeres.

4Gente infiel! Não sabem que a amizade para com o mundo é inimizade para com Deus? Se alguém quer ser amigo do mundo, torna-se inimigo de Deus. 5Não é em vão que a Sagrada Escritura diz: Deus exige que o espírito que fez habitar em nós o ame a ele somente4,5 Ou: O Espírito que Deus colocou em nós deseja com ciúme. Este texto não é conhecido na Bíblia.. 6Mas ele nos mostra cada vez mais graça. Por isso diz ainda a Sagrada Escritura: Deus resiste aos orgulhosos, mas concede a sua graça aos humildes4,6 Citação de Pv 3,34. Ver Mt 23,12; 1 Pe 5,5..

7Portanto, sejam submissos a Deus e resistam ao Diabo, que ele fugirá de vós. 8Vão ao encontro de Deus e ele virá ao vosso encontro4,8 Comparar com Zc 1,3; Ml 3,7.. Os que são pecadores corrijam-se dos seus erros; os indecisos purifiquem as suas intenções. 9Reconheçam o vosso mal, arrependam-se e chorem. Que o vosso riso se transforme em luto e a vossa alegria, em tristeza. 10Humilhem-se diante do Senhor e ele vos há de engrandecer.

Não julgar os outros

11Irmãos, não falem mal uns dos outros. Aquele que julga o seu irmão ou fala mal dele está a falar mal da própria lei de Deus e a julgá-la. E, se pretendes julgar a lei, já não a estás a cumprir, mas fazes-te juiz dela. 12E só há um que tem poder para dar leis e para julgar: aquele que tem poder para salvar ou condenar. Mas tu quem és para julgares o teu semelhante?

Nada de orgulhos

13Há por aí quem diga: «Hoje ou amanhã vamos para tal terra, passamos lá um ano a fazer negócio e ganharemos bom dinheiro.» 14Mas nem sequer sabem o que vos vai acontecer amanhã4,14 Sobre os v. 13–14, ver Pv 27,1; Lc 12,18–20.! Não passam de uma nuvenzinha, que aparece uns instantes e rapidamente desaparece. 15O que deviam dizer era: «Se Deus quiser, ainda estaremos vivos e poderemos fazer isto ou aquilo.» 16Mas não! A vossa arrogância leva-vos ao orgulho. Porém, esse género de orgulho nunca é bom. 17Portanto, aquele que sabe o bem que deve praticar e não o pratica, está a cometer pecado.

5

Aviso aos ricos

51Aos ricos eu digo, chorem em altos brados pelas desgraças que vos vão acontecer. 2A vossa riqueza está podre e as vossas roupas estão roídas pela traça. 3O vosso ouro e a vossa prata desfazem-se5,3 Sobre os v. 2–3, ver Mt 6,19.. E isso há de ser a prova do vosso engano e há de ser como fogo que devora a vossa carne, pois amontoaram riquezas nos últimos dias.

4Não pagaram o salário aos trabalhadores que ceifavam as vossas searas. O seu salário roubado protesta contra vós5,4 Comparar com Lv 19,13; Dt 24,14–15. e os gritos dos ceifeiros já chegaram aos ouvidos de Deus todo-poderoso. 5Passaram a vida no luxo e nos prazeres. O que fizeram foi engordar, como animais para o dia da matança. 6Condenaram e mataram o justo, que não é capaz de vos resistir5,6 Ou: mataram o inocente e Deus não vos iria contrariar?.

Oração e coragem

7Portanto, irmãos, sejam pacientes, esperando a vinda do Senhor. Vejam como o camponês espera o precioso fruto da terra. Ele espera com paciência até que venham as chuvas do outono e as da primavera5,7 Comparar com Dt 11,14; Jr 5,24; Jl 2,23.. 8Sejam também pacientes. Ganhem coragem, porque a vinda do Senhor está próxima.

9Irmãos, não murmurem uns contra os outros para não serem julgados por Deus. Olhem que o juiz está à porta. 10Sigam o exemplo de coragem e de paciência dado pelos profetas que falaram em nome do Senhor. 11Nós louvamos aqueles que perseveraram. Já vos falaram da perseverança de Job e conhecem também a recompensa que o Senhor, por fim, lhe deu. De facto, o Senhor é cheio de misericórdia e compaixão5,11 Ver Jb 1,20–22; 2,10; Comparar com Ex 34,6; Sl 103,8; 111,4..

12Sobretudo, irmãos, não façam juramentos nem pelo Céu, nem pela Terra, nem por coisa nenhuma. Digam «sim», quando for sim, e «não», quando for não. De outro modo, ficarão sujeitos ao juízo de Deus5,12 Comparar com Mt 5,34–37..

13Quando algum dos vossos estiver em sofrimento, recorra à oração; quando estiver contente, cante louvores a Deus. 14E quando alguém estiver doente, mande chamar os responsáveis da igreja, para orarem por ele, derramando óleo sobre ele, em nome do Senhor5,14 Comparar com Mc 6,13.. 15Esta oração, feita com fé, dará a saúde ao doente e o Senhor há de restabelecê-lo. E, se cometeu algum pecado, será perdoado. 16Portanto, devem confessar uns aos outros os próprios pecados e orar uns pelos outros para serem curados. A oração atua poderosamente quando é feita por uma pessoa justa.

17Elias, que era um ser humano como nós, pediu a Deus que não chovesse e durante três anos e meio não voltou a chover. 18Depois, pediu de novo a Deus, a chuva tornou a cair e a terra produziu os seus frutos5,18 Sobre os v. 17–18, ver 1 Rs 17,1; 18,1; 18,42–45; Lc 4,25..

19Meus irmãos, se algum de vós se desviar do caminho da verdade e alguém o trouxer de novo, 20lembrem-se disto: aquele que ajuda um pecador a abandonar o seu caminho errado salva-lhe a vida e alcança o perdão de muitos pecados5,20 Ou, segundo alguns manuscritos: salva-se a si mesmo de morrer como pecador..