a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
20

Conflito entre o sacerdote Pachiur e Jeremias

201Quando o sacerdote Pachiur, filho de Imer, inspetor chefe do templo, ouviu Jeremias proclamar estas coisas, 2deu ordem para que o profeta fosse açoitado e posto no cepo perto da porta superior de Benjamim, que dá para o templo.

3Na manhã seguinte, Pachiur mandou retirar Jeremias de lá e Jeremias disse-lhe, depois de ter sido posto em liberdade: «O Senhor não te chamou Pachiur. Antes te deu o nome de “Terror em toda a parte20,3 Ver 6,25 e nota.”.» 4O Senhor disse: «Vou fazer com que te tornes um terror para ti mesmo e junto dos teus amigos. Estes serão mortos à espada pelos seus inimigos, à tua vista. Vou submeter o povo de Judá ao domínio do rei da Babilónia; este levará consigo uma parte, como prisioneiros, enquanto que os restantes serão mortos. 5Farei também com que os seus inimigos se apoderem da riqueza desta cidade e tomem posse dos seus haveres, incluindo os tesouros dos reis de Judá. Eles pilharão e roubarão tudo, para o levarem para a Babilónia. 6Quanto a ti, Pachiur, tu e a tua família serão levados cativos para a Babilónia. Ali morrerás e serás sepultado, juntamente com os teus amigos, para os quais serviste de falso profeta.»

Protesto de Jeremias

7Senhor, tu seduziste-me e fui apanhado.

És mais forte do que eu,

e o teu poder dominou-me.

Todos se riem de mim;

fazem troça todo o dia.

8Quando tenho de falar,

é para gritar: «Violência! Destruição!»

Sou ridicularizado e escarnecido a todo o momento,

só porque proclamo as tuas mensagens.

9Mas quando digo: «Não quero ser mensageiro do Senhor,

e não falarei mais do seu nome»,

então a tua mensagem é como o fogo

que me consome todo por dentro.

Esforço-me para o controlar,

mas não consigo de modo nenhum.

10Ouço muitos a murmurar:

«Há terror em toda a parte!

Vamos denunciá-lo às autoridades!»

Até os meus amigos íntimos

desejam a minha queda:

«Talvez ele se deixe apanhar e vencê-lo-emos;

então apanhá-lo-emos e tiraremos vingança.»

11Mas tu, Senhor, estás do meu lado,

e és forte e poderoso.

E os que me perseguem cairão,

profundamente envergonhados,

por nada conseguirem fazer.

A sua desgraça nunca mais será esquecida.

12Mas tu, Senhor, todo-poderoso,

sabes ver quem está inocente;

tu conheces o íntimo do seu coração.

Mostra-me como te vingas dos meus inimigos,

porque entreguei a minha causa nas tuas mãos.

13Cantai ao Senhor!

Louvai ao Senhor!

Ele vem em socorro do oprimido,

e livra-o do poder dos maus.

14Maldito seja o dia em que nasci,

em que a minha mãe me deu à luz20,14 Ver v. 14–18; comparar com Jb 3,1–19.!

Que esse dia não seja festejado!

15Maldito seja quem deu a alegre notícia

e veio dizer ao meu pai:

«Nasceu-te um rapaz!

Alegra-te por ele!»

16Que esse homem seja como as cidades

que o Senhor destruiu sem piedade20,16 Alusão à destruição das cidades de Sodoma e Gomorra. Ver Gn 19,23–25..

Que ele ouça gritos de dor, pela manhã,

e gritos de guerra, pela tarde.

17Por que não me matou antes de nascer?

A minha mãe teria sido a minha sepultura;

ficaria no seu ventre para sempre.

18Para que nasci eu afinal?

Para experimentar sofrimento e angústia

e chegar ao fim da vida desiludido?