a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
37

Sedecias faz um pedido a Jeremias

371O rei Nabucodonosor da Babilónia colocou Sedecias, filho de Josias, no trono de Judá, em vez de Jeconias37,1 Ver 22,24 e nota., filho de Joaquim. 2Porém nem Sedecias, nem os seus oficiais, nem o povo obedeceram à mensagem que o Senhor transmitira ao profeta Jeremias.

3O rei Sedecias enviou Jeucal, filho de Chelemias, e o sacerdote Sofonias, filho de Masseias, para irem pedir a Jeremias que intercedesse ao Senhor em favor deles.

4Jeremias ainda não tinha sido metido na prisão e ainda se podia movimentar em liberdade, entre o povo. 5O exército da Babilónia continuava a cercar Jerusalém. Porém quando ouviram que o exército egípcio tinha atravessado a fronteira, levantaram o cerco e bateram em retirada.

6Então o Senhor, o Deus de Israel, disse a Jeremias 7que assim falasse aos enviados de Sedecias: «Digam ao rei de Judá, que vos mandou para me consultarem, que o exército egípcio vem a caminho, para te prestar socorro, mas vai voltar para trás. 8Em seguida, os babilónios virão de novo atacar a cidade, para a conquistar e a destruir pelo fogo. 9Eu, o Senhor, previno-te! Não te deixes enganar, pensando que os babilónios não voltarão, porque vão voltar. 10Mesmo que derrotes o exército babilónio, de maneira que só fiquem os feridos, por terra, nas tendas, esses ainda se levantarão e deitarão fogo à cidade inteira.»

Jeremias é preso e posto na cadeia

11O exército da Babilónia retirou-se de Jerusalém, por causa do exército egípcio, que se aproximava. 12Jeremias ia a sair de Jerusalém em direção ao território de Benjamim, a fim de tomar posse da parte que lhe cabia da propriedade de família37,12 Ver Is 34,17; Sl 16,5–6; Mq 2,5.. 13Mal tinha chegado à porta de Benjamim37,13 Porta localizada no norte de Jerusalém., o oficial encarregado dos soldados da guarda àquela porta, um homem chamado Jerias, filho de Chelemias, e neto de Hananias, prendeu o profeta Jeremias e disse-lhe: «Tu estás a desertar para o lado dos babilónios!» 14Pelo que respondi: «Não é verdade! Não estou a desertar!»

Mas Jerias não acreditou; prendeu-o e conduziu-o aos oficiais. 15Estes ficaram furiosos contra Jeremias e mandaram-no açoitar e guardaram-no preso em casa de Jónatas, escriba da corte, cuja casa fora transformada em prisão. 16Puseram Jeremias numa cela subterrânea e mantiveram-no ali por muito tempo.

17Mais tarde, o rei Sedecias mandou buscar Jeremias, e no palácio, perguntou-lhe confidencialmente: «Tens alguma mensagem do Senhor?» Jeremias respondeu: «Tenho sim! Tu serás entregue ao rei da Babilónia.» 18E acrescentou: «Que crime cometi eu contra ti, contra os teus oficiais, ou contra este povo, para me meteres na cadeia? 19Onde estão agora os teus profetas, que te disseram que o rei da Babilónia não te atacaria, nem ao teu país?

20Por isso, ó rei, peço-te que me ouças e faças o que te vou dizer. Peço-te que não me mandes de volta para a cadeia, na casa de Jónatas. Se o fizeres, vou morrer ali.»

21Então o rei Sedecias mandou que Jeremias fosse transferido para o pátio do palácio da guarda e mandou que, cada dia, lhe mandassem um pão da padaria, até se acabar o pão em toda a cidade. E assim ficou Jeremias preso no pátio da guarda.

38

Jeremias num poço vazio

381Chefatias, filho de Matan, Godolias, filho de Pachiur, Jeucal, filho de Chelemias, e Pachiur, filho de Malquias, ouviram dizer que Jeremias estava a transmitir ao povo 2o seguinte aviso, em nome do Senhor: «Quem ficar na cidade morrerá à espada ou de fome ou de doença. Mas quem sair e se entregar aos babilónios, não será morto; conseguirá escapar com vida38,2 Ver 21,9.. 3O Senhor declara ainda que esta cidade vai ser entregue ao exército babilónio, que a conquistará.»

4Então os oficiais dirigiram-se ao rei e exclamaram: «Este homem deve ser condenado à morte. Da maneira como fala, está a fazer com que os nossos soldados percam a coragem e o mesmo vai acontecer com os outros habitantes. Ele não procura o bem do povo, mas o seu mal.»

5O rei Sedecias respondeu: «Pois bem, façam-lhe o que quiserem; mesmo sendo o rei, não vou impedir, que o façam.»

6Em seguida, pegaram em Jeremias e desceram-no por cordas, para dentro do poço do príncipe Malquias38,6 Ver 36,26 e nota., que ficava no pátio do palácio da guarda. No poço, não havia água, apenas lama, e Jeremias ficou atolado na lama.

7Todavia, Ébed-Mélec, o etíope, que era um eunuco que servia no palácio real, ouviu que tinham posto Jeremias no poço. Entretanto o rei reunia a corte junto à porta de Benjamim. 8Então Ébed-Mélec foi junto do rei e disse-lhe: 9«Majestade, o que estes vossos oficiais fizeram está errado. Puseram Jeremias no poço e ele vai lá morrer de fome, pois não há mais comida na cidade.»

10Então o rei ordenou a Ébed-Mélec que levasse consigo três homens e tirassem o profeta Jeremias do poço antes que morresse.

11Assim Ébed-Mélec foi com os homens à despensa do palácio e tirou alguma roupa velha, que atirou a Jeremias por meio de cordas. 12Ébed-Mélec disse a Jeremias que pusesse a roupa debaixo dos braços, para que as cordas não o ferissem. Jeremias assim fez 13e em seguida, os homens puxaram-no para fora do poço. Depois conservaram-no preso no pátio.

Sedecias pede conselho a Jeremias

14Noutra ocasião, o rei Sedecias mandou ir o profeta Jeremias à sua presença, à terceira entrada do templo, e disse: «Vou fazer-te uma pergunta e quero que me fales verdade.»

15Jeremias respondeu: «Se te disser a verdade, mandas-me matar, e se te der um conselho, não me ouves.»

16Então Sedecias prometeu confidencialmente a Jeremias: «Juro pelo Senhor vivo, pelo Deus que nos dá a vida, que não te farei morrer, nem te entregarei nas mãos dos que te querem matar.»

17Então Jeremias comunicou esta mensagem a Sedecias da parte do Senhor todo-poderoso, Deus de Israel: «Se te entregares aos generais do rei da Babilónia, a tua vida será poupada e esta cidade não será queimada. Tu e a tua família serão poupados. 18Mas se não te entregares, esta cidade cairá na mão dos babilónios, que lhe deitarão fogo, e tu não escaparás deles.»

19Porém o rei respondeu: «Tenho medo dos nossos compatriotas, que se entregaram aos babilónios, porque posso cair nas mãos deles e ser ridicularizado.»

20Mas Jeremias replicou: «Não serás entregue a eles. Peço-te que obedeças à mensagem do Senhor, que te transmiti; se assim fizeres, tudo te correrá bem e a tua vida será poupada. 21Mas o Senhor mostrou-me em visão o que te acontecerá se recusares entregar-te. 22Vi que todas as mulheres tinham ficado no palácio real de Judá e eram conduzidas junto dos oficiais do rei da Babilónia. Eis o que elas diziam:

“Os melhores amigos do rei

aconselharam-no mal e dominaram-no.

E agora que se atolou no lodo,

os amigos abandonaram-no.”

23Sim, as tuas mulheres e filhos serão levados para junto dos babilónios e tu próprio não escaparás. Serás levado prisioneiro pelo rei da Babilónia e esta cidade será incendiada.»

24Sedecias replicou: «Não deixes que ninguém saiba desta conversa e a tua vida não correrá perigo. 25Se os meus oficiais souberem que estive contigo, quererão saber do que falámos e prometerão que não te matarão, se confessares tudo. 26Diz-lhes apenas que me estavas a pedir que te não enviasse de novo para a prisão, pois podias morrer lá.»

27Em seguida, os oficiais acercaram-se de Jeremias e interrogaram-no. Jeremias repetiu as palavras que o rei lhe tinha sugerido. Então eles deixaram-no, porque ninguém ouvira a conversa. 28Mas mantiveram-no no pátio do palácio da guarda, até ao dia em que Jerusalém foi conquistada38,28 A conquista de Jerusalém deu-se em 587 a.C. Ver 2 Rs 25,8–11; Ez 33,21..

39

A queda de Jerusalém

391No décimo mês39,1 No final de dezembro de 589 a.C. do nono ano do reinado de Sedecias, rei de Judá, o rei Nabucodonosor da Babilónia veio com o seu exército e atacou Jerusalém. 2No nono dia do quarto mês39,2 Fim de junho de 587 a.C., do décimo primeiro ano do reinado de Sedecias, os babilónios abriram uma brecha nos muros da cidade. 3Então os generais do rei da Babilónia reuniram-se junto à Porta do Meio. Entre eles encontrava-se Nergal Sarécer, Samegar-Nebo, Sar-Sequim, chefe da sua corte, e um outro Nergal Sarécer, e os restantes oficiais do rei da Babilónia.

4Quando o rei Sedecias e os seus soldados viram o que estava a acontecer, procuraram fugir da cidade, durante a noite. Saíram pelo pomar real, passaram a porta que ligava os dois muros39,4 Na parte sudeste da cidade. e escaparam em direção ao vale do Jordão. 5Mas o exército babilónio foi-lhes no encalço e apanhou Sedecias, na planície que fica perto de Jericó. Em seguida, conduziram-no ao rei Nabucodonosor, que se encontrava na cidade de Ribla, no território de Hamat39,5 Ribla. Cidade no norte do Líbano. Hamat. Cidade ainda mais a norte, situada na atual Síria., e ali, Nabucodonosor pronunciou a sentença contra ele. 6Ali mesmo, em Ribla, mandou que os filhos de Sedecias fossem mortos, na presença do próprio pai, e executou igualmente os principais chefes de Judá. 7Em seguida, mandou tirar os olhos a Sedecias e prendeu-o com correntes, para ser levado para a Babilónia.

8Entretanto os babilónios puseram fogo ao palácio real e às casas de habitação do povo e deitaram abaixo os muros de Jerusalém. 9Finalmente Nebuzaradan, comandante da guarda, levou o povo, que saíra da cidade, cativo para a Babilónia, juntamente com os que tinham desertado e se lhe tinham entregue antes e todos os que tinham sobrevivido. 10Porém poupou alguns dos habitantes mais pobres de Judá, que não possuíam terrenos, e entregou-lhes vinhas e campos.

Jeremias é posto em liberdade

11Porém o rei Nabucodonosor ordenou a Nebuzaradan, comandante da sua guarda, que desse a seguinte ordem: 12«Vão à procura de Jeremias e cuidem bem dele. Não lhe façam mal; antes, concedam-lhe tudo o que ele pedir.» 13Então Nebuzaradan, juntamente com os generais Nebuchazeban e Nergal-Sarécer, e outros oficiais do rei da Babilónia, 14levaram Jeremias do pátio do templo e puseram-no ao cuidado de Godolias, filho de Aicam, neto de Chafan, que devia zelar para que ele voltasse para sua casa em segurança. E assim Jeremias foi viver no meio do seu povo.

Esperança para Ébed-Mélec

15Enquanto Jeremias se encontrava ainda encarcerado no pátio do palácio da guarda, o Senhor disse-lhe: 16«Vai comunicar a Ébed-Mélec39,16 Ébed-Mélec. Ver 38,7–13., o etíope, que o Senhor todo-poderoso, o Deus de Israel, lhe manda dizer o seguinte: “Tal como anteriormente anunciei, vou trazer sobre esta cidade a desgraça e não o bem-estar. Quando isso acontecer, tu estarás presente para testemunhar. 17Porém eu, o Senhor, hei de proteger-te e não te entregarei nas mãos daqueles de quem tens medo. 18Farei com que tu escapes à morte. Salvarás a tua vida, porque confiaste em mim. Palavra do Senhor!”»