a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
23

As grandes festas litúrgicas

231O Senhor disse a Moisés 2

23,2
Ex 32,5
Lv 23,437
2 Rs 10,20
Sl 81,3
que comunicasse aos israelitas as seguintes instruções: «Para as festas em honra do Senhor, devem mandar reunir toda a assembleia dos israelitas; são as minhas festas.»

O sábado

3

23,3
Ex 20,9
23,12
31,15
34,21
Lv 19,3
Dt 5,13
Lc 13,14
«Nos primeiros seis dias da semana, podes fazer qualquer espécie de trabalho, mas o sétimo dia, o sábado, é dia de descanso e de assembleia de oração. Onde quer que estiverem, devem deixar todo e qualquer trabalho, porque é um dia de descanso em honra do Senhor23,3 Ver Gn 2,1–3; Ex 16,23–30; 20,8–11; 23,12; 31,12–17; 34,21; 35,2; Dt 5,12–14.

A festa da Páscoa

(Números 28,16–25)

4

23,4
Ex 23,14
Lv 23,237
«Estas são as datas das festas em que devem convocar assembleias de oração, em honra do Senhor:

5

23,5
Ex 12,61418
13,3
23,15
34,18
Nm 9,2-3
28,16-17
Dt 16,18
Js 5,10
No dia catorze do primeiro mês do ano, ao entardecer, é a Páscoa do Senhor23,5 Ver Ex 12,1–14; Nm 28,16; Dt 16,1–2.. 6No dia quinze do mesmo mês começa a festa dos Pães sem Fermento. 7
23,7
Ex 12,16
Nm 28,1825
No primeiro dia, devem fazer uma assembleia de oração e devem evitar qualquer espécie de trabalho. 8Durante os sete dias da festa, devem queimar ofertas como odor agradável ao Senhor. No sétimo dia, é dia de assembleia de oração e não devem fazer qualquer espécie de trabalho23,8 Sobre os v. 6–8, ver Ex 12,15–20; 23,15; 34,18; Nm 28,17–25; Dt 16,3–8.

Oferta do primeiro feixe da ceifa

9O Senhor disse a Moisés 10

23,10
Ex 23,1619
34,2226
Nm 15,218
28,26
Dt 16,9
Js 3,15
Tg 1,18
Ap 14,4
que comunicasse aos israelitas o seguinte: «Quando entrarem na terra que eu vos vou dar23,10 Ver 14,34 e nota; 18,3; 20,23–24. e chegar o tempo de fazerem a ceifa, devem ir apresentar ao sacerdote o primeiro feixe23,10 A festa de entrega do primeiro feixe corresponde provavelmente ao que é mencionado em Ex 23,19; 34,26. ceifado. 11O sacerdote apresenta esse feixe ao Senhor, na manhã de sábado, fazendo diante do Senhor o gesto ritual de apresentação. 12No dia da apresentação desse feixe, devem oferecer ao Senhor em holocausto um cordeiro de um ano, sem defeito. 13
23,13
Lv 2,14-16
Para acompanhar o holocausto, façam uma oferta de oito quilos da melhor farinha amassada em azeite, para ser queimada como odor agradável ao Senhor e que será do seu agrado, e ainda um litro de vinho para oferta. 14E enquanto não forem apresentar essa oferta ao Senhor, não podem comer dessa colheita nem pão, nem grão de trigo torrado, nem espigas frescas. Esta é uma lei válida para sempre, para todos os vossos descendentes, onde quer que se encontrem.»

A festa do fim da ceifa

(Números 28,26–31)

15

23,15
Lv 25,8
Dt 16,9
«Passadas sete semanas completas, a contar do dia em que ofereceram o primeiro feixe em gesto ritual de apresentação ao Senhor 16
23,16
Nm 28,26
At 2,1
até ao dia a seguir ao sétimo sábado, isto é, passados cinquenta dias23,16 Esta indicação dos cinquenta dias está na origem de um dos nomes da festa do Pentecostes que significa “cinquenta”, em grego., devem apresentar uma nova oferta ao Senhor. 17
23,17
Ex 23,19
34,2226
Nm 15,1721
28,26
De todas as vossas povoações devem levar dois pães, para os apresentar ao Senhor: cada pão com uns quatro quilos da melhor farinha e cozidos com fermento. É a oferta dos primeiros frutos em honra do Senhor.

18Além do pão, devem oferecer sete cordeiros de um ano, sem defeito, um novilho e dois carneiros, como holocausto em honra do Senhor, juntamente com as respetivas ofertas de comida e de bebida, que serão queimadas como odor agradável ao Senhor e serão do seu agrado. 19

23,19
Lv 3,1
4,2328
Nm 28,30
Devem oferecer igualmente um bode em sacrifício pelo pecado e dois cordeiros de um ano como sacrifício de comunhão. 20
23,20
Dt 18,4
O sacerdote oferecerá tudo isso juntamente com os pães dos primeiros frutos e os cordeiros, fazendo o gesto ritual de apresentação. Essas ofertas são para o sacerdote, porque são porção sagrada do Senhor.

21Devem convocar para esse mesmo dia uma assembleia de oração e não devem fazer nenhuma espécie de trabalho. É uma lei válida para sempre, para todos os vossos descendentes, onde quer que se encontrem23,21 Sobre os v. 15–21, ver Ex 23,16; 34,22; Nm 28,26; Dt 16,9–12..

22

23,22
Lv 19,9
23,22
Dt 24,19
E quando fizerem a ceifa dos vossos campos, não devem ceifar os cantos do teu campo nem ir respigar depois da ceifa. Deixem isso para o pobre e para o estrangeiro que reside no vosso meio. Eu sou o Senhor, vosso Deus23,22 Ver Lv 19,9–10; Dt 24,19–22.

Ano Novo

(Números 29,1–6)

23O Senhor disse a Moisés 24

23,24
Nm 29,1
23,24
Lv 25,9
que comunicasse aos israelitas o seguinte «O primeiro dia do sétimo mês23,24 A contagem dos meses começa no fim do inverno. Mas a antiga festa do Ano Novo mantém-se no início do outono, coincidindo com o início do sétimo mês. No calendário judaico atual, a festa do Ano Novo continua a ser nesta mesma data. será para vós um dia especial de descanso: devem convocar uma assembleia de oração comemorativa, proclamada ao toque da trombeta. 25Nesse dia não devem fazer nenhuma espécie de trabalho. Oferecerão um sacrifício em honra do Senhor

O grande dia das expiações

(Números 29,7–11)

26O Senhor disse a Moisés:

27

23,27
Lv 16,30
Nm 29,7
«O dia dez do sétimo mês é o grande dia das expiações23,27 Ver cap. 16.. Devem convocar uma assembleia de oração, fazer penitência e apresentar um sacrifício ao Senhor. 28Nesse dia, não devem fazer nenhum trabalho, pois é o dia das expiações, destinado a alcançar para vós o perdão da parte do Senhor, vosso Deus. 29
23,29
Gn 17,14
Quem, nesse dia, não fizer penitência será excluído do seu povo. 30E quem fizer nesse dia qualquer espécie de trabalho, eu mesmo farei com que ele desapareça do meio do seu povo. 31
23,31
Lv 20,35-6
Nesse dia não devem fazer nenhum trabalho. É uma lei válida para sempre, para todos os vossos descendentes, onde quer que se encontrem. 32Esse dia deve ser para vós um dia de descanso solene, para poderem fazer penitência. Desde o dia nove, à tarde, até ao anoitecer do dia dez, devem fazer descanso completo23,32 Sobre os v. 27–32, ver Lv 16; Nm 29,7–11.

Festa das Tendas

(Números 29,12–39)

33O Senhor disse a Moisés 34

23,34
Nm 29,12
Dt 16,13
Ed 3,4
8,14
Zc 14,16
Jo 7,37
que comunicasse aos israelitas as seguintes ordens: «No dia quinze do mesmo sétimo mês23,34 Ver no Glossário Calendário. é a festa das Tendas, durante sete dias, em honra do Senhor. 35No primeiro dia, haverá uma assembleia de oração e não devem fazer nenhum trabalho. 36
23,36
Nm 29,35
Dt 16,8
Ne 8,18
2 Cr 7,9
Jl 1,14
2,15
Jo 7,37
Durante os sete dias, devem oferecer sacrifícios ao Senhor. No oitavo dia, devem convocar uma assembleia de oração e oferecer sacrifícios ao Senhor. É uma reunião de festa; não devem, por isso, fazer qualquer trabalho.

37

23,37
Lv 23,24
Estas são as festas, nas quais devem convocar assembleias de oração e oferecer ao Senhor sacrifícios, holocaustos, sacrifícios de comunhão e ofertas de comida e de bebida, seguindo as normas dadas para cada um deles. 38
23,38
Nm 29,39
Isto, para além dos que são oferecidos ao Senhor em todos os sábados ou por ocasião duma dádiva, do cumprimento duma promessa ou de qualquer oferta voluntária.

39

23,39
Ex 23,16
Dt 16,13
Mas a partir do dia quinze do sétimo mês, depois de terem acabado de recolher todos os frutos da terra, façam festa em honra do Senhor, durante sete dias. O primeiro e o oitavo dias da festa devem ser dias de descanso. 40
23,40
Ne 8,15
23,40 Hebr. tomarás o fruto de formosas árvores
23,40
Dt 16,14-15
No primeiro dia, devem cortar ramos de árvores de adorno, folhas de palmeira, ramos de árvores frondosas e de salgueiros e façam festa diante do Senhor, durante esses sete dias. 41
23,41
Nm 29,12
Ne 8,18
Todos os anos devem celebrar esta festa em honra do Senhor, durante sete dias, e deve ser celebrada no sétimo mês do ano. É uma lei válida para sempre, para todos os vossos descendentes.

42

23,42
Ne 8,14-16
Durante esses sete dias, todos os israelitas devem morar em tendas. 43
23,43
Dt 31,13
Sl 78,5-6
É para que as futuras gerações saibam que, quando tirei os israelitas do Egito, os alojei em tendas. Eu sou o Senhor, vosso Deus23,43 Sobre os v. 34–43, ver Ex 23,16; 34,22; Nm 29,12; Dt 16,13–15.

44

23,44
Lv 23,2
E assim Moisés comunicou aos israelitas as festas que devem ser celebradas em honra do Senhor.

24

O candelabro e os pães consagrados

241O Senhor disse a Moisés:

2

24,2
Ex 27,20
«Ordena aos israelitas que te tragam azeite puro de oliveira, da melhor qualidade, para o lampadário, a fim de que as lâmpadas estejam sempre acesas. 3Aarão deve colocar o lampadário na tenda do encontro, do lado de fora da cortina que esconde a arca da aliança, e deve arder continuamente diante do Senhor, desde o entardecer até de manhã. É uma lei válida para sempre, para todos os vossos descendentes. 4
24,4
Ex 31,8
39,37
Aarão deve colocar sempre as lâmpadas no candelabro de ouro puro que está diante do Senhor.

5

24,5
Ex 25,30
Coze doze pães com farinha da melhor, ficando cada pão com uns cinco quilos 6
24,6
1 Rs 7,48
2 Cr 4,19
13,11
Hb 9,2
e coloca-os em duas rimas de seis pães cada uma, sobre a mesa de ouro puro que está diante do Senhor. 7Sobre cada rima de pães põe incenso puro. Serão pães oferecidos ao Senhor, servindo de memorial24,7 Ver 2,2 e nota.. 8
24,8
Nm 4,7
2 Cr 2,4
Todos os sábados, ele os deve colocar diante do Senhor. É uma obrigação perpétua da parte dos israelitas. 9
24,9
Ex 29,33
Lv 8,31
21,22
Esses pães ficam para Aarão e seus filhos comerem. Devem comê-los em lugar sagrado, porque são das ofertas mais sagradas oferecidas ao Senhor e pertencem-lhes a eles. É uma lei válida para sempre24,9 Ver Mt 12,4; Mc 2,26; Lc 6,4.

Castigo por ofensas a Deus

10Havia entre os israelitas um homem, que era filho de mãe israelita e de pai egípcio. Um dia levantou-se um conflito entre ele e um outro israelita. 11

24,11
Lv 24,16
Jb 1,511
2,59-10
Is 8,21
Aquele que era israelita só por parte da mãe disse coisas ofensivas e pronunciou maldições contra o Senhor e foram levá-lo a Moisés. A sua mãe chamava-se Chelomite, filha de Dibri, da tribo de Dan. 12
24,12
Nm 15,34
27,5
Mantiveram-no preso até que o Senhor lhes transmitisse o que deviam fazer.

13O Senhor disse a Moisés:

14

24,14
Dt 13,9
17,7
«Leva o homem que me ofendeu para fora do acampamento; todos os presentes devem levantar as mãos sobre a sua cabeça e toda a comunidade deve apedrejá-lo até à morte. 15
24,15
Lv 5,1
20,17
Nm 9,13
Diz também aos israelitas que quem dirigir ofensas contra o seu Deus tem de sofrer as consequências do seu pecado. 16
24,16
1 Rs 21,1013
Sl 74,1018
Mt 12,31
Mc 3,28
Tg 2,7
Quem injuriar o nome do Senhor é réu de morte; toda a comunidade deve apedrejá-lo até morrer. Seja ele estrangeiro residente ou seja israelita, se ofendeu a Deus, tem de morrer.

17

24,17
Nm 35,31
Dt 19,11-12
Quem matar alguém, é réu de morte24,17 Ver Ex 21,12..

18

24,18
Lv 24,21
Quem matar um animal tem de restituir outro animal igual.

19

24,19
Ex 21,24
Dt 19,21
Mt 5,38
7,2
Se um homem causar uma ferida a outra pessoa, devem fazer-lhe o mesmo a ele24,19 Sobre os v. 19–20, ver Ex 21,23–24; 23,10.: 20fratura por fratura, olho por olho, dente por dente. O que ele fez ao outro devem fazê-lo também a ele.

21

24,21
Ex 21,23
Lv 24,18
24,21
Lv 24,17
Quem matar um animal tem de restituir outro; quem matar um homem será condenado à morte.

22

24,22
Ex 12,49
Lv 19,34
Nm 15,16
Quer o criminoso seja israelita, quer seja estrangeiro residente, a sentença é a mesma. Eu sou o Senhor, vosso Deus24,22 Ver Nm 15,15–16.

23

24,23
Lv 24,14
Moisés comunicou isto aos israelitas e eles levaram o culpado para fora do acampamento e apedrejaram-no até à morte. E assim os israelitas cumpriram aquilo que o Senhor tinha ordenado a Moisés.

25

O ano sabático e o ano do Jubileu

251No monte Sinai, o Senhor disse a Moisés 2

25,2
Ex 23,10
Lv 26,34-35
2 Cr 36,21
que comunicasse aos israelitas as seguintes ordens:

«Quando estiverem no país que eu vos vou dar25,2 Ver 14,34 e nota; 18,3; 20,23–24; 23,10., devem fazer com que também a terra possa descansar em honra do Senhor. 3Durante seis anos seguidos podes semear os teus campos e tratar das tuas vinhas e depois recolher o seu produto. 4Mas o sétimo será um ano especial de descanso em honra do Senhor; nem semearás os teus campos nem podarás as tuas vinhas. 5

25,5
2 Rs 19,29
Não deves fazer a ceifa do que tiver crescido espontaneamente nem a vindima do que a vinha espontaneamente produzir, porque é um ano de descanso para a terra, em honra do Senhor. 6Esse ano será de descanso para a terra; mas do que tiver crescido todos podem comer: tu e os teus servos e servas, os teus assalariados e empregados e os estrangeiros que vivem no teu meio. 7Os teus animais domésticos bem como os animais selvagens que existirem no país podem também comer do que as terras em descanso tiverem produzido25,7 Sobre os v. 1–7, ver Ex 23,10–11; Dt 15,1–11; Ne 10,32.

8Deixa passar sete anos sabáticos, isto é, sete períodos de sete anos, que somam quarenta e nove anos, 9

25,9
Lv 23,2427
e, no dia dez do sétimo mês, dia das expiações, mandarás pregoeiros tocando trombeta por todo o país. 10
25,10
Is 61,2
63,4
Jr 34,81517
Lc 4,19
25,10
Lv 25,13
Nm 36,4
O ano seguinte, o quinquagésimo, devem considerá-lo como ano santo e proclamar a libertação para todos os habitantes do país. É a festa do Jubileu. Todos voltarão a ser donos do que era seu e regressarão à sua família.

11

25,11
Lv 25,5
O ano cinquenta devem considerá-lo o ano do Jubileu; não devem semear os campos nem fazer a ceifa do que eles espontaneamente produzirem nem a vindima do que as vinhas derem espontaneamente. 12
25,12
Lv 25,6-7
Por ser o ano do Jubileu, devem considerar esse ano como ano santo; comam simplesmente aquilo que a terra produzir.

13

25,13
Lv 25,10
27,24
Nm 36,4
Como se disse, neste ano de Jubileu, todos voltarão a ser donos do que era seu. 14
25,14
Lv 19,13
25,17
1 Sm 12,3-4
Mq 2,2
1 Co 6,8
E assim, quando venderem ou comprarem alguma coisa a um dos vossos compatriotas, não devem prejudicá-lo em nada. 15
25,15
Lv 27,1823
Deves calcular o preço de compra conforme os anos que já passaram, desde o Jubileu anterior; e o outro deve vender-te tendo também em conta os anos de produção que faltam ainda. 16Se faltarem muitos anos, pagarás um preço maior e se faltarem poucos anos pagarás menos, porque o que ele te vende é o número de anos de produção. 17
25,17
Lv 19,1432
25,1443
Assim não causarão prejuízo a nenhum dos vossos compatriotas e respeitarão a vontade do vosso Deus. Pois eu sou o Senhor, vosso Deus!

18

25,18
Lv 19,37
25,18
Lv 26,5
Dt 12,10
Sl 3,8
Pv 1,33
Jr 23,6
Cumpram as minhas leis e pratiquem as minhas instruções, pondo-as fielmente em prática e assim poderão viver em segurança no país. 19
25,19
Lv 26,5
Ez 34,2527-28
A terra produzirá com fartura e terão o que comer em abundância e viverão em segurança nessa terra.

20

25,20
Mt 6,2531
25,20
Lv 25,4-5
Mas alguém poderia perguntar: “Que vamos comer durante o sétimo ano, uma vez que não podemos semear nem fazer a colheita daquilo que os campos produziram?” 21
25,21
Dt 28,8
Saibam que eu vou abençoar-vos no sexto ano, dando-vos colheitas em tal abundância que chegarão para três anos. 22
25,22
Js 5,11-12
2 Rs 19,29
No oitavo ano25,22 O oitavo ano é o ano que se segue imediatamente ao ano em que uma terra esteve em descanso., podem fazer a sementeira e comer ainda do que foi produzido anteriormente; e continuarão a comer da colheita antiga até que, no nono ano, tiverem recolhido a nova colheita.»

Resgate das terras

23

25,23
1 Cr 29,15
Sl 39,12
119,19
1 Pe 2,11
«Nunca devem vender uma terra em definitivo, porque a terra pertence-me e vocês são como estrangeiros residentes numa terra que é minha. 24Por isso, devem dar possibilidade de resgate para todas as terras que tiverem na vossa posse.

25

25,25
Rt 2,20
3,2912
4,46
Jr 32,7-8
Se um dos teus compatriotas cair na miséria e tiver de vender uma das suas propriedades, um dos seus parentes mais próximos deve ir resgatar aquilo que o parente vendeu. 26Se algum deles não tiver quem lhe resgate a propriedade, mas ele próprio conseguir arranjar meios suficientes, 27
25,27
Lv 25,50-52
deve calcular o valor dos anos que decorreram desde a venda e restituir o restante ao que lhe tinha feito a compra; e assim ele pode voltar à posse do que era seu.

28

25,28
Lv 25,13
Se ele não conseguir arranjar meios suficientes, o terreno vendido ficará na posse do comprador até ao ano do Jubileu. Quando chegar o ano do Jubileu, o primeiro dono recupera de novo a posse do que era seu.

29Se um homem vender uma casa de habitação, numa cidade amuralhada, ficará com o direito de resgate limitado ao prazo de um ano. 30Se ele a não conseguir resgatar até se completar um ano, a casa passa a ser propriedade plena do comprador e dos seus herdeiros. Nem no ano do Jubileu lhe será retirada. 31Mas as casas situadas em povoações não fortificadas serão tratadas como os campos. Estarão sempre sujeitas a resgate e serão recuperadas no ano do Jubileu.

32

25,32
Nm 35,2
Js 21,2
Quanto às casas dos levitas, mesmo que estejam situadas nas suas cidades amuralhadas25,32 Referência às cidades levíticas. Os membros da família de Levi não tinham território próprio, mas tinham algumas cidades. Ver Nm 35,1–8; Js 14,4; 21,1–42; Ez 48,13–14., eles conservam o direito perpétuo de resgate sobre essas casas. 33
25,33
Lv 25,28
Mesmo que a casa tenha sido comprada por um outro levita, voltará à sua posse no ano do Jubileu, pois as casas das cidades dos levitas são propriedade deles para sempre, entre os israelitas. 34
25,34
At 4,36-37
E os campos pertencentes a essas cidades não devem ser vendidos; são propriedade perpétua dos levitas.»

Emprestar aos pobres sem ganância

35

25,35
Dt 15,7-8
Sl 37,26
41,2
112,59
Pv 14,31
Lc 6,35
At 11,29
Rm 12,10
1 Jo 3,17
«Se um teu compatriota cai na miséria e não consegue satisfazer as suas obrigações para contigo, dá-lhe tu a mão e deixa-o viver contigo. O mesmo deves fazer com um estrangeiro residente no país25,35 Ver Dt 15,7–8.. 36
25,36
Ex 22,25
Dt 23,19
Ne 5,7
Sl 15,5
Pv 28,8
Ez 18,81317
22,12
25,36
Lv 25,17
Ne 5,9
Não lhe exijas juros nem qualquer lucro, por respeito para com o teu Deus, para que o teu compatriota possa viver ao teu lado. 37Se lhe emprestares dinheiro não lhe peças juros e se lhe emprestares comida não lhe exijas mais do que aquilo que lhe emprestaste25,37 Sobre os v. 36–37, ver Ex 22,24; Dt 15,7–11; 23,20–21; Is 22,24; Ez 22,12.. 38
25,38
Lv 22,32-33
Pois eu sou o Senhor, vosso Deus, que vos fiz sair do Egito, para vos dar a terra de Canaã25,38 Ver 14,34 e nota; 18,3; 20,23–24; 23,10; 25,2. e para ser o vosso Deus.»

Os escravos

39

25,39
Ex 21,2
Dt 15,12
1 Rs 9,22
2 Rs 4,1
Ne 5,5
Jr 34,14
«Se um teu compatriota cair na miséria e resolver trabalhar como teu escravo, não o deves tratar como um escravo; 40trata-o simplesmente como um assalariado ou como um empregado teu. Ficará a trabalhar em tua casa até ao ano do Jubileu. 41
25,41
Ex 21,3
Lv 25,28
Depois disso, ele e os seus filhos ficarão livres para voltarem para sua casa e voltarão a recuperar as propriedades que eram da sua família. 42
25,42
Lv 25,55
Rm 6,22
1 Co 7,23
Com efeito, eles são meus servos; eu tirei-os do Egito. Por isso, não devem ser vendidos como se vendem os escravos. 43
25,43
Ex 1,131721
Lv 25,1746
Dt 25,18
Ml 3,5
Ef 6,9
Cl 4,1
Não os trates com essa crueldade, por respeito para com o teu Deus.

44E qualquer escravo e escrava que vierem a ter, só os devem comprar aos povos vossos vizinhos. 45

25,45
Is 56,36
Podem também adquirir escravos entre os descendentes dos estrangeiros que residem no vosso meio. Esses ficarão a ser propriedade vossa. 46
25,46
Is 14,2
25,46
Lv 25,43
Podem deixá-los em herança aos vossos filhos, pois são propriedade vossa. A esses podem tratá-los como escravos. Mas a um israelita, vosso compatriota, não o devem tratar com crueldade.

47

25,47
Lv 25,2535
Se um estrangeiro residente na tua terra se tornar rico e um teu compatriota cair na miséria e se vir obrigado a vender-se a esse estrangeiro ou a um seu descendente como escravo, 48
25,48
Ne 5,5
o israelita continua a ter direito de resgate. Deve ser resgatado por algum dos seus parentes, 49
25,49
Lv 25,26
um tio ou um primo ou algum outro da sua família. Se ele conseguir arranjar os meios suficientes, pode igualmente resgatar-se a si mesmo. 50
25,50
Jo 7,1
Is 16,14
21,16
Calculará com o comprador os anos que passaram desde a data da sua compra como escravo até ao ano do Jubileu e calculará o valor desses anos segundo o ordenado dum assalariado. 51Se faltarem ainda bastantes anos até ao Jubileu, pagará como resgate a soma de dinheiro calculada segundo a quantia recebida no ato de compra. 52Se faltarem poucos anos para o ano do Jubileu, fará o cálculo em conformidade com isso e assim pagará o seu resgate. 53Durante os anos que estiver em casa dele, deve ser considerado como um assalariado; não deves permitir que se faça a crueldade de o tratarem como escravo. 54
25,54
Ex 21,2-3
Lv 25,41
Se ele não for resgatado de nenhuma destas maneiras, será posto em liberdade no ano do Jubileu, juntamente com os seus filhos.

55

25,55
Lv 25,42
Fiquem sabendo que os israelitas pertencem-me; são meus servos, pois eu tirei-os do Egito. Eu sou o Senhor, vosso Deus!»

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitamos a privacidade dos seus dados.[ocultar mensagem]