a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
25

O ano sabático e o ano do Jubileu

251No monte Sinai, o Senhor disse a Moisés 2

25,2
Ex 23,10
Lv 26,34-35
2 Cr 36,21
que comunicasse aos israelitas as seguintes ordens:

«Quando estiverem no país que eu vos vou dar25,2 Ver 14,34 e nota; 18,3; 20,23–24; 23,10., devem fazer com que também a terra possa descansar em honra do Senhor. 3Durante seis anos seguidos podes semear os teus campos e tratar das tuas vinhas e depois recolher o seu produto. 4Mas o sétimo será um ano especial de descanso em honra do Senhor; nem semearás os teus campos nem podarás as tuas vinhas. 5

25,5
2 Rs 19,29
Não deves fazer a ceifa do que tiver crescido espontaneamente nem a vindima do que a vinha espontaneamente produzir, porque é um ano de descanso para a terra, em honra do Senhor. 6Esse ano será de descanso para a terra; mas do que tiver crescido todos podem comer: tu e os teus servos e servas, os teus assalariados e empregados e os estrangeiros que vivem no teu meio. 7Os teus animais domésticos bem como os animais selvagens que existirem no país podem também comer do que as terras em descanso tiverem produzido25,7 Sobre os v. 1–7, ver Ex 23,10–11; Dt 15,1–11; Ne 10,32.

8Deixa passar sete anos sabáticos, isto é, sete períodos de sete anos, que somam quarenta e nove anos, 9

25,9
Lv 23,2427
e, no dia dez do sétimo mês, dia das expiações, mandarás pregoeiros tocando trombeta por todo o país. 10
25,10
Is 61,2
63,4
Jr 34,81517
Lc 4,19
25,10
Lv 25,13
Nm 36,4
O ano seguinte, o quinquagésimo, devem considerá-lo como ano santo e proclamar a libertação para todos os habitantes do país. É a festa do Jubileu. Todos voltarão a ser donos do que era seu e regressarão à sua família.

11

25,11
Lv 25,5
O ano cinquenta devem considerá-lo o ano do Jubileu; não devem semear os campos nem fazer a ceifa do que eles espontaneamente produzirem nem a vindima do que as vinhas derem espontaneamente. 12
25,12
Lv 25,6-7
Por ser o ano do Jubileu, devem considerar esse ano como ano santo; comam simplesmente aquilo que a terra produzir.

13

25,13
Lv 25,10
27,24
Nm 36,4
Como se disse, neste ano de Jubileu, todos voltarão a ser donos do que era seu. 14
25,14
Lv 19,13
25,17
1 Sm 12,3-4
Mq 2,2
1 Co 6,8
E assim, quando venderem ou comprarem alguma coisa a um dos vossos compatriotas, não devem prejudicá-lo em nada. 15
25,15
Lv 27,1823
Deves calcular o preço de compra conforme os anos que já passaram, desde o Jubileu anterior; e o outro deve vender-te tendo também em conta os anos de produção que faltam ainda. 16Se faltarem muitos anos, pagarás um preço maior e se faltarem poucos anos pagarás menos, porque o que ele te vende é o número de anos de produção. 17
25,17
Lv 19,1432
25,1443
Assim não causarão prejuízo a nenhum dos vossos compatriotas e respeitarão a vontade do vosso Deus. Pois eu sou o Senhor, vosso Deus!

18

25,18
Lv 19,37
25,18
Lv 26,5
Dt 12,10
Sl 3,8
Pv 1,33
Jr 23,6
Cumpram as minhas leis e pratiquem as minhas instruções, pondo-as fielmente em prática e assim poderão viver em segurança no país. 19
25,19
Lv 26,5
Ez 34,2527-28
A terra produzirá com fartura e terão o que comer em abundância e viverão em segurança nessa terra.

20

25,20
Mt 6,2531
25,20
Lv 25,4-5
Mas alguém poderia perguntar: “Que vamos comer durante o sétimo ano, uma vez que não podemos semear nem fazer a colheita daquilo que os campos produziram?” 21
25,21
Dt 28,8
Saibam que eu vou abençoar-vos no sexto ano, dando-vos colheitas em tal abundância que chegarão para três anos. 22
25,22
Js 5,11-12
2 Rs 19,29
No oitavo ano25,22 O oitavo ano é o ano que se segue imediatamente ao ano em que uma terra esteve em descanso., podem fazer a sementeira e comer ainda do que foi produzido anteriormente; e continuarão a comer da colheita antiga até que, no nono ano, tiverem recolhido a nova colheita.»

Resgate das terras

23

25,23
1 Cr 29,15
Sl 39,12
119,19
1 Pe 2,11
«Nunca devem vender uma terra em definitivo, porque a terra pertence-me e vocês são como estrangeiros residentes numa terra que é minha. 24Por isso, devem dar possibilidade de resgate para todas as terras que tiverem na vossa posse.

25

25,25
Rt 2,20
3,2912
4,46
Jr 32,7-8
Se um dos teus compatriotas cair na miséria e tiver de vender uma das suas propriedades, um dos seus parentes mais próximos deve ir resgatar aquilo que o parente vendeu. 26Se algum deles não tiver quem lhe resgate a propriedade, mas ele próprio conseguir arranjar meios suficientes, 27
25,27
Lv 25,50-52
deve calcular o valor dos anos que decorreram desde a venda e restituir o restante ao que lhe tinha feito a compra; e assim ele pode voltar à posse do que era seu.

28

25,28
Lv 25,13
Se ele não conseguir arranjar meios suficientes, o terreno vendido ficará na posse do comprador até ao ano do Jubileu. Quando chegar o ano do Jubileu, o primeiro dono recupera de novo a posse do que era seu.

29Se um homem vender uma casa de habitação, numa cidade amuralhada, ficará com o direito de resgate limitado ao prazo de um ano. 30Se ele a não conseguir resgatar até se completar um ano, a casa passa a ser propriedade plena do comprador e dos seus herdeiros. Nem no ano do Jubileu lhe será retirada. 31Mas as casas situadas em povoações não fortificadas serão tratadas como os campos. Estarão sempre sujeitas a resgate e serão recuperadas no ano do Jubileu.

32

25,32
Nm 35,2
Js 21,2
Quanto às casas dos levitas, mesmo que estejam situadas nas suas cidades amuralhadas25,32 Referência às cidades levíticas. Os membros da família de Levi não tinham território próprio, mas tinham algumas cidades. Ver Nm 35,1–8; Js 14,4; 21,1–42; Ez 48,13–14., eles conservam o direito perpétuo de resgate sobre essas casas. 33
25,33
Lv 25,28
Mesmo que a casa tenha sido comprada por um outro levita, voltará à sua posse no ano do Jubileu, pois as casas das cidades dos levitas são propriedade deles para sempre, entre os israelitas. 34
25,34
At 4,36-37
E os campos pertencentes a essas cidades não devem ser vendidos; são propriedade perpétua dos levitas.»

Emprestar aos pobres sem ganância

35

25,35
Dt 15,7-8
Sl 37,26
41,2
112,59
Pv 14,31
Lc 6,35
At 11,29
Rm 12,10
1 Jo 3,17
«Se um teu compatriota cai na miséria e não consegue satisfazer as suas obrigações para contigo, dá-lhe tu a mão e deixa-o viver contigo. O mesmo deves fazer com um estrangeiro residente no país25,35 Ver Dt 15,7–8.. 36
25,36
Ex 22,25
Dt 23,19
Ne 5,7
Sl 15,5
Pv 28,8
Ez 18,81317
22,12
25,36
Lv 25,17
Ne 5,9
Não lhe exijas juros nem qualquer lucro, por respeito para com o teu Deus, para que o teu compatriota possa viver ao teu lado. 37Se lhe emprestares dinheiro não lhe peças juros e se lhe emprestares comida não lhe exijas mais do que aquilo que lhe emprestaste25,37 Sobre os v. 36–37, ver Ex 22,24; Dt 15,7–11; 23,20–21; Is 22,24; Ez 22,12.. 38
25,38
Lv 22,32-33
Pois eu sou o Senhor, vosso Deus, que vos fiz sair do Egito, para vos dar a terra de Canaã25,38 Ver 14,34 e nota; 18,3; 20,23–24; 23,10; 25,2. e para ser o vosso Deus.»

Os escravos

39

25,39
Ex 21,2
Dt 15,12
1 Rs 9,22
2 Rs 4,1
Ne 5,5
Jr 34,14
«Se um teu compatriota cair na miséria e resolver trabalhar como teu escravo, não o deves tratar como um escravo; 40trata-o simplesmente como um assalariado ou como um empregado teu. Ficará a trabalhar em tua casa até ao ano do Jubileu. 41
25,41
Ex 21,3
Lv 25,28
Depois disso, ele e os seus filhos ficarão livres para voltarem para sua casa e voltarão a recuperar as propriedades que eram da sua família. 42
25,42
Lv 25,55
Rm 6,22
1 Co 7,23
Com efeito, eles são meus servos; eu tirei-os do Egito. Por isso, não devem ser vendidos como se vendem os escravos. 43
25,43
Ex 1,131721
Lv 25,1746
Dt 25,18
Ml 3,5
Ef 6,9
Cl 4,1
Não os trates com essa crueldade, por respeito para com o teu Deus.

44E qualquer escravo e escrava que vierem a ter, só os devem comprar aos povos vossos vizinhos. 45

25,45
Is 56,36
Podem também adquirir escravos entre os descendentes dos estrangeiros que residem no vosso meio. Esses ficarão a ser propriedade vossa. 46
25,46
Is 14,2
25,46
Lv 25,43
Podem deixá-los em herança aos vossos filhos, pois são propriedade vossa. A esses podem tratá-los como escravos. Mas a um israelita, vosso compatriota, não o devem tratar com crueldade.

47

25,47
Lv 25,2535
Se um estrangeiro residente na tua terra se tornar rico e um teu compatriota cair na miséria e se vir obrigado a vender-se a esse estrangeiro ou a um seu descendente como escravo, 48
25,48
Ne 5,5
o israelita continua a ter direito de resgate. Deve ser resgatado por algum dos seus parentes, 49
25,49
Lv 25,26
um tio ou um primo ou algum outro da sua família. Se ele conseguir arranjar os meios suficientes, pode igualmente resgatar-se a si mesmo. 50
25,50
Jo 7,1
Is 16,14
21,16
Calculará com o comprador os anos que passaram desde a data da sua compra como escravo até ao ano do Jubileu e calculará o valor desses anos segundo o ordenado dum assalariado. 51Se faltarem ainda bastantes anos até ao Jubileu, pagará como resgate a soma de dinheiro calculada segundo a quantia recebida no ato de compra. 52Se faltarem poucos anos para o ano do Jubileu, fará o cálculo em conformidade com isso e assim pagará o seu resgate. 53Durante os anos que estiver em casa dele, deve ser considerado como um assalariado; não deves permitir que se faça a crueldade de o tratarem como escravo. 54
25,54
Ex 21,2-3
Lv 25,41
Se ele não for resgatado de nenhuma destas maneiras, será posto em liberdade no ano do Jubileu, juntamente com os seus filhos.

55

25,55
Lv 25,42
Fiquem sabendo que os israelitas pertencem-me; são meus servos, pois eu tirei-os do Egito. Eu sou o Senhor, vosso Deus!»

26

Bênçãos para quem obedece

261

26,1
Ex 20,4-5
Dt 5,8
16,22
26,1 Hebr. pilar ou obelisco«Não devem fazer ídolos nem levantar estátuas, nem outros monumentos, nem colocar na vossa terra pedras votivas26,1 Pedras votivas. Ver Nm 33,52., para se inclinarem diante dessas coisas26,1 Ver 19,4 e nota.. Pois eu é que sou o Senhor, vosso Deus.

2

26,2
Lv 19,30
Observem o descanso do sábado em minha honra e respeitem o meu santuário. Eu sou o Senhor.

3

26,3
Dt 11,13
28,1-14
Se seguirem as minhas leis e puserem em prática os meus mandamentos, 4
26,4
Is 30,26
Ez 30,26
34,26
36,30
Jl 2,23
Zc 8,12
eu hei de dar-vos a chuva na altura própria, para que a terra produza boas colheitas e as árvores frutos com abundância. 5
26,5
Am 9,13
26,5
Lv 25,18-19
Dt 11,15
Jb 11,18
Ez 34,25
Jl 2,1926
Hão de ver que a debulha do trigo vai durar até à vindima e a vindima até à sementeira. Terão comida com fartura e poderão viver seguros na vossa terra26,5 Sobre os v. 3–5, ver Dt 11,13–15..

6

26,6
1 Sm 29,9
Jb 11,19
Sl 29,11
147,14
Is 35,9
45,7
Jr 30,10
Os 2,18
Sf 3,13
Ag 2,9
26,6
2 Rs 17,25
Darei a esta terra tempos de paz, de modo que possam dormir sem sobressaltos; afastarei dela as feras e as guerras não voltarão a passar pela vossa terra. 7Os vossos inimigos, perseguidos, cairão derrotados na vossa frente. 8
26,8
Dt 32,30
Js 23,10
Cinco dos vossos chegam para pôr em fuga cem inimigos e cem dos vossos bastam para pôr em fuga dez mil. Os vossos inimigos cairão derrotados à vossa frente.

9

26,9
Gn 17,6
Ex 2,25
1 Rs 13,23
Ne 9,23
Eu cuidarei de vós e farei com que cresçam e se multipliquem e manterei a aliança que fiz convosco.

10

26,10
Lv 25,22
Comerão do que têm armazenado há muito tempo e terão mesmo que deitar fora os restos, para arranjar espaço para as novas colheitas. 11
26,11
Ex 25,8
Js 22,19
Sl 76,2
Ez 37,26
Ap 21,3
26,11
Lv 20,23
Dt 32,19
Vou estabelecer a minha morada no vosso meio e não mais me hei de aborrecer convosco. 12
26,12
Ex 6,7
Jr 7,23
11,4
Ez 11,20
36,28
2 Co 6,16
Andarei convosco; serei o vosso Deus e vós sereis o meu povo26,12 Ver 2 Co 6,16; Ap 21,3..

13

26,13
Lv 25,38
26,13
Jr 2,20
Ez 34,27
Eu sou o Senhor, vosso Deus, que vos tirou do Egito, onde eram escravos; quebrei as correntes que vos subjugavam e dei-vos a possibilidade de caminharem de cabeça erguida.»

Avisos para quem desobedece

14

26,14
Dt 28,15
Lm 2,17
Ml 2,2
«Mas se não me escutarem e não cumprirem todos estes mandamentos; 15
26,15
Lv 26,43
2 Rs 17,15
se desprezarem as minhas leis e se aborrecerem dos meus decretos, não cumprindo os meus mandamentos e sendo infiéis aos compromissos da minha aliança, 16
26,16
Dt 28,2265
32,25
1 Sm 2,33
Jr 15,8
26,16
Dt 28,33
Jb 31,8
Jr 5,17
12,13
Mq 6,15
então eu vou tratar-vos da seguinte maneira: enviarei contra vós terror, a fraqueza e a febre, que vos vão tirar a vista e consumir a vida. Hão de semear inutilmente os vossos campos, pois os inimigos virão comer a colheita.

17

26,17
Lv 17,10
Dt 28,25
Jz 2,14
Jr 19,7
26,17
Sl 106,41
Pv 28,1
Hei de virar-me contra vós e sucumbirão diante dos vossos inimigos, cairão sob o domínio dos vossos adversários. Terão de fugir dum lado para o outro, mesmo sem ninguém a perseguir-vos.

18

26,18
1 Sm 2,5
Pv 24,16
E se, mesmo assim, não me quiserem escutar, hei de castigar os vossos pecados sete vezes mais duramente. 19
26,19
Dt 28,23
Is 25,511
Ez 7,24
30,6
Para quebrar o vosso orgulho e arrogância, farei com que o vosso céu se torne semelhante ao ferro e a vossa terra igual ao bronze. 20
26,20
Dt 11,17
Sl 127,1
Is 49,4
Ag 1,10
As vossas forças ficarão reduzidas a nada, porque a vossa terra deixará de produzir e as vossas árvores deixarão de dar fruto.

21Se continuarem a mostrar-se teimosos contra mim, não querendo escutar-me, dar-vos-ei um castigo sete vezes maior ainda. 22

26,22
Dt 32,24
2 Rs 17,25
Ez 5,17
14,15
26,22
Jz 5,6
2 Cr 15,5
Is 33,8
Zc 7,14
Mandarei contra vós as feras, que vos deixarão sem filhos, matarão os vossos animais e vos dizimarão, deixando desertos os vossos caminhos.

23

26,23
Jr 2,30
Am 4,6-12
Se, mesmo assim, não aprenderem e continuarem teimosos contra mim, 24
26,24
2 Sm 22,27
também eu me porei contra vós e voltarei a castigar-vos sete vezes mais pelos vossos pecados. 25
26,25
Ez 5,17
6,3
14,17
29,8
32,2
26,25
Nm 14,12
Dt 28,21
Jr 14,12
24,10
Am 4,10
Atirar-me-ei contra vós com a espada vingadora da minha aliança, de modo que terão de refugiar-se nas vossas cidades. Mandarei então a peste26,25 A guerra, a peste e a fome (v. 26) são três flagelos que resumem as desgraças duma cidade sitiada. Ver Jr 21,7; Ez 7,15. contra vós e terão que entregar-se aos vossos inimigos. 26
26,26
Sl 105,16
Is 3,1
Ez 4,16
5,16
26,26
Is 9,20
Mq 6,14
Ag 1,6
Farei com que fiquem sem pão: dez mulheres poderão fazer a sua cozedura de pão ao mesmo tempo, no mesmo forno, e tocará um bocado tão pequeno a cada um, que comerão e não conseguirão matar a fome.

27

26,27
Lv 26,2124
Se, mesmo assim, me não escutarem e continuarem teimosos contra mim, 28
26,28
Is 59,18
63,3
Jr 21,5
Ez 5,1315
então eu atiro-me contra vós com furor e castigo-vos sete vezes mais ainda pelos vossos pecados. 29
26,29
Dt 28,53
2 Rs 6,29
Lm 4,10
Ez 5,10
Terão que comer a carne dos vossos próprios filhos. 30
26,30
2 Cr 34,3-47
Is 27,9
Ez 6,3-13
26,30
Lv 20,23
2 Rs 23,20
2 Cr 34,5
Sl 78,58
Jr 14,19
Destruirei os vossos altares pagãos, quebrarei os vossos altares de incenso e amontoarei os vossos cadáveres sobre os dos vossos falsos deuses e terei nojo de vós. 31
26,31
Ne 2,3
Jr 4,7
Lm 1,10
Ez 9,6
Devastarei as vossas cidades e arrasarei os vossos santuários e os vossos sacrifícios deixarão de me agradar. 32
26,32
Dt 28,37
1 Rs 9,8
Jr 9,11
25,1118
Ez 5,15
Eu mesmo destruirei o país, de modo que os vossos inimigos, ao virem para o ocupar, ficarão espantados diante dele. 33
26,33
Dt 4,27
28,64
Sl 44,12
Jr 9,16
Ez 12,15
Zc 7,14
Correndo atrás de vós com a espada, hei de espalhar-vos por entre os outros povos; a vossa terra ficará deserta e as vossas cidades reduzidas a cinza.

34

26,34
2 Cr 36,21
Então a terra poderá gozar o seu descanso sabático. Enquanto ela se encontrar deserta e estiverem no meio dos vossos inimigos, a terra poderá gozar o descanso dos anos sabáticos26,34 Se os israelitas não respeitarem os períodos de descanso da terra (25,4–5), Deus expulsará o seu povo da terra prometida por longos anos e dará, assim, à terra um longo descanso de compensação.. 35
26,35
Lv 25,2
Poderá assim descansar por todos os anos sabáticos que não teve, enquanto estiveram instalados nela.

36

26,36
Ez 21,7
Jb 15,21
Pv 28,1
Aos que sobreviverem farei com que sintam tanta angústia no meio dos vossos inimigos que o simples barulho duma folha ao cair vos porá em fuga, pensando que alguém vos estava a perseguir com uma espada, mesmo que ninguém vos persiga. 37
26,37
Jz 7,22
1 Sm 14,15
Is 10,4
26,37
Js 7,12
Jz 2,14
Tropeçarão uns nos outros, como se estivessem a ser perseguidos, mesmo sem o serem, e nunca mais se conseguirão levantar diante dos vossos inimigos. 38Por lá hão de morrer, entre os vossos inimigos, e a sua terra vos há de devorar.»

Deus lembra-se da sua aliança

39

26,39
Dt 4,27
Ne 1,8
Jr 3,25
Ez 4,17
6,9
20,43
Os 5,15
Zc 10,9
«Os que conseguirem sobreviver na terra dos vossos inimigos irão pouco a pouco desfazendo-se, por causa das vossas culpas e também das dos vossos antepassados.

40

26,40
Nm 5,7
1 Rs 8,333547
Ne 9,2
Pv 28,13
Dn 9,3-4
Lc 15,18
1 Jo 1,9
Mas um dia, reconhecerão que tanto eles como os seus antepassados são culpados e que me foram infiéis e teimosos contra mim. 41
26,41
1 Rs 21,29
2 Cr 12
32,26
Jr 9,25
Ez 44,7
At 7,51
Rm 2,29
Cl 2,11
Por esse motivo é que eu me mostro também teimoso para com eles e os mando para a terra dos seus inimigos, para ver se o seu coração infiel se quer humilhar e aceitar o castigo do seu pecado.

42

26,42
Ex 2,24
6,5
Sl 106,45
Ez 16,60
Então hei de lembrar-me da minha aliança com Jacob, com Isaac, com Abraão. Hei de lembrar-me da terra26,42 O livro de Levítico termina recordando, mais uma vez, a promessa da terra (cf. nota a 14,34 e 25,38). Ver Gn 12,7; 17,7–8; 26,3–4; 28,13–14., 43
26,43
Lv 26,1534-35
que, deserta e abandonada pelos habitantes, estará a gozar o descanso dos anos sabáticos, enquanto eles sofrem o castigo pela sua culpa, por terem desprezado os meus decretos e aborrecido as minhas leis.

44

26,44
Dt 4,31
2 Rs 13,23
Rm 11,2
Contudo, mesmo quando eles se encontrarem exilados na terra dos seus inimigos, eu não os rejeitarei nem os aborrecerei até ao ponto de os destruir e de romper a aliança que fiz com eles, pois eu sou o Senhor, seu Deus. 45
26,45
Lv 22,33
25,38
Ez 20,9
Rm 11,28
Hei de lembrar-me que é também para eles a aliança que eu fiz com os seus antepassados, quando os tirei do Egito, à vista de todos os povos, para ser o seu Deus. Eu sou o Senhor

46

26,46
Lv 25,1
27,34
Dt 6,1
12,1
33,4
Jo 1,17
Estes são os preceitos, decretos e leis que o Senhor, no monte Sinai, estabeleceu, por meio de Moisés, como obrigações da aliança entre ele e os israelitas.

27

Normas relativas às promessas

271O Senhor disse a Moisés 2

27,2
Nm 6,2
Jz 11,30-3139
1 Sm 1,1128
que comunicasse aos israelitas as seguintes ordens:

«Se alguém tiver prometido oferecer ao Senhor o valor equivalente a uma pessoa, 3

27,3
Ex 30,13
deve usar a seguinte escala de valores27,3 Fragmentos de tarifas do mesmo género, gravadas sobre pedra pelo ano 200 a.C., foram encontrados em Marselha e em Cartago.: por um homem entre os vinte e os sessenta anos, deve pagar quinhentos gramas de prata, segundo os pesos do templo. 4Por uma mulher na mesma idade, trezentos gramas de prata. 5Por um rapaz dos cinco aos vinte anos, duzentos gramas de prata e por uma menina da mesma idade, cem gramas. 6Por alguém que tem entre um mês e cinco anos de idade deve pagar, se for menino, cinquenta gramas de prata e, se for menina, trinta gramas.

7Para cima dos sessenta anos, deve pagar, por um homem, cento e cinquenta gramas de prata, e cem gramas, por uma mulher.

8Se alguém for demasiado pobre para pagar o que está previsto, deve apresentar a pessoa sobre a qual fez a promessa diante do sacerdote e este calculará a quantia a pagar por ela, segundo as posses daquele que fez a promessa.

9Se alguém prometeu um animal dos que podem ser oferecidos ao Senhor, o animal em questão torna-se coisa sagrada. 10Não se pode trocar por um outro animal, quer seja melhor quer seja pior. E se esse animal for trocado por outro, ambos se tornam coisa sagrada.

11Se se trata dum animal impuro, que não é apto para ser oferecido ao Senhor, devem apresentar esse animal diante do sacerdote. 12Este faz uma avaliação, conforme a qualidade do animal. E o valor atribuído pelo sacerdote é que tem de ser seguido.

13

27,13
Lv 27,1519
E se quiser resgatar o animal, deve pagar o seu valor e mais vinte por cento de acréscimo.

14Se alguém prometeu consagrar a sua casa ao Senhor, o sacerdote deve calcular o valor dessa casa, segundo a sua qualidade, e esse valor é que deve ser pago por ela. 15Se aquele que fez a promessa quiser resgatar a casa, acrescentará vinte por cento ao preço em que foi avaliada e ficará com a casa.

16

27,16
Lv 27,13
Se alguém promete ao Senhor uma parte das terras da sua herança, o valor será calculado pela sementeira; por cada duzentos e vinte litros de cevada deve pagar quinhentos gramas de prata.

17Se prometeu o campo durante o ano do Jubileu, segue-se a avaliação referida. 18

27,18
Lv 25,15-16
Mas se fez a promessa depois do ano do Jubileu27,18 Ver 25,8–22., o sacerdote calcula o valor que deve ser dado pelo campo, consoante o número de anos que faltam até ao Jubileu seguinte, de modo que o preço a pagar será menor. 19
27,19
Lv 27,13
E se aquele que fez a promessa pretende resgatar o campo, deve dar o valor estabelecido e acrescentar mais vinte por cento e o campo ficará seu. 20Mas se ele não resgatar o campo e o vender a outra pessoa, esse campo já não pode mais ser resgatado. 21
27,21
Lv 25,10
27,28
27,21
Nm 14,14
Ez 44,29
Ao chegar o ano do Jubileu, esse campo será consagrado ao Senhor; ficará exclusivamente para o Senhor e o sacerdote tomará posse dele.

22

27,22
Lv 25,25
Se alguém promete um campo que comprou e não faz parte da sua herança familiar, 23
27,23
Lv 27,18
27,23 ou coisa santao sacerdote calculará o valor a pagar, conforme o tempo que falta até ao ano do Jubileu. O que fez a promessa deve pagar esse valor, naquele mesmo dia, pois é uma coisa consagrada ao Senhor. 24
27,24
Lv 25,28
No ano do Jubileu, o campo volta a ser propriedade daquele que o tinha vendido e a quem ele pertencia como herança.

25

27,25
Ex 30,13
Nm 3,47
18,16
Ez 45,12
Todas estas avaliações devem ser feitas de acordo com os pesos do templo, cujo peso-base, o siclo, equivale a dez gramas27,25 Comparar com Ex 30,13..

26

27,26
Ex 13,212
22,30
Dt 15,19
Ninguém deve prometer a Deus a primeira cria dos seus animais domésticos, porque as primeiras crias de todos esses animais já são devidas ao Senhor por lei, seja vitelo, seja cabrito, seja cordeiro.

27

27,27
Lv 27,11-13
Se se trata dum animal impuro deve ser resgatado, acrescentando-lhe vinte por cento do seu valor. E se o não resgatar, o animal será vendido pelo valor calculado.

28

27,28
Lv 27,21
Aquilo que alguém destinou exclusivamente para o Senhor, pessoas, animais, campos da sua herança, não pode ser vendido nem resgatado. Tudo o que é destinado exclusivamente ao Senhor é propriedade sagrada do Senhor27,28 Ver Nm 18,14.. 29
27,29
Nm 21,2
Mesmo que se trate duma pessoa, não pode ser resgatada; tem de morrer.

30

27,30
Gn 28,22
Nm 13,21
2 Cr 31,5-612
Ne 13,12
Ml 3,8
A décima parte do produto dos campos, tanto das sementeiras como dos frutos, será consagrada ao Senhor. 31
27,31
Lv 27,13
E se alguém quiser resgatar a décima parte dos seus bens que tinha de entregar, deve pagar mais vinte por cento por ela. 32
27,32
Jr 33,13
Ez 20,37
Mq 7,14
No tocante a bois, ovelhas e cabras, o último de cada dez animais que o pastor, ao contá-los, toca com a ponta do cajado é que deve ser consagrado ao Senhor27,32 Quando o pastor entrega os animais consagrados ao Senhor, faz passar o rebanho em fila diante de si e vai contando de um até dez, marcando a ovelha em que cai o número dez com um pau tingido de vermelho.. 33
27,33
Lv 27,10
Não se deve procurar saber se esse animal é melhor ou pior nem se deve substituir por outro. Se algum for substituído por outro, ambos os animais ficam consagrados ao Senhor, sem possibilidade de resgate27,33 Sobre os v. 30–33, ver Nm 18,21; Dt 14,22–23.

34

27,34
Lv 26,46
Estes são os mandamentos, destinados aos israelitas, que o Senhor comunicou a Moisés no monte Sinai.