a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
5

Alguns casos concretos

51

5,1
1 Rs 8,31
5,1
Lv 5,17
7,18
17,16
19,8
20,17
Nm 9,13
«Se alguém foi intimado a servir de testemunha sobre alguma coisa que viu ou de que teve conhecimento e se recusa a fazê-lo, é culpado dum pecado.

2

5,2
Lv 5,17
11,24283139
Nm 19,111316
Se alguém tocar em qualquer coisa de impuro, mesmo sem dar por isso, por exemplo, o cadáver dum animal impuro, selvagem ou doméstico, ou dum réptil impuro, essa pessoa é culpada e fica impura.

3

5,3
Lv 12—13
15
Se alguém sem se dar conta, tocar numa pessoa que está impura, manchada com qualquer espécie de impureza, se vier a saber disso, incorre igualmente em culpa.

4

5,4
Mc 6,23
At 23,12
Se alguém, sem se dar conta na altura, faz um juramento levianamente, quer seja para fazer bem quer seja para fazer mal, e depois se apercebe do que fez, também neste caso incorre em culpa.

5

5,5
Lv 26,40
Nm 5,7
Ed 10,11-12
Quem incorreu numa culpa destas deve declarar em que é que se tornou culpado 6e deve apresentar ao Senhor, como oferta pelo pecado que cometeu, uma ovelha ou uma cabra. O sacerdote fará por ele expiação pelo pecado que cometeu.

7

5,7
Lv 1,14
12,8
14,21
Se alguém não tiver possibilidades de oferecer uma cabeça de gado, pode oferecer ao Senhor, pelo seu pecado, duas rolas ou dois pombos, um como sacrifício pelo pecado e outro como holocausto. 8
5,8
Lv 1,15
Leva-os ao sacerdote e este oferece primeiramente o que é em sacrifício pelo pecado, quebrando-lhe a cabeça pela nuca, mas sem a separar. 9
5,9
Lv 4,7183034
Com o sangue da vítima salpicará a parede do altar e o restante será derramado junto ao altar. É um sacrifício pelo pecado. 10
5,10
Lv 1,14
4,26
Com o segundo fará um holocausto, de acordo com as normas. O sacerdote fará por ele expiação pelo pecado que cometeu e ser-lhe-á perdoado.

11

5,11
Nm 5,15
Se ainda não tiver possibilidades de conseguir as duas rolas ou dois pombos, pode levar simplesmente, como sacrifício pelo pecado que cometeu, quatro quilos da melhor farinha. Mas não derramará sobre ela azeite nem porá incenso, porque se trata dum sacrifício pelo pecado. 12
5,12
Lv 2,2
4,35
Leve-a ao sacerdote e este retirará dela uma mão-cheia, para ser queimada sobre o altar, servindo de memorial. É uma oferta pelo pecado. 13
5,13
Lv 4,26
O sacerdote fará por ele expiação pelo pecado que cometeu, em qualquer destes casos, e ser-lhe-á perdoado. O resto, como nas ofertas de cereais, é para o sacerdote5,13 Ou: O sacerdote deve comportar-se como no caso das ofertas de cereais.

Sacrifícios de reparação

14O Senhor disse a Moisés: 15

5,15
Lv 22,14
5,15
Ed 10,19
«Se alguém involuntariamente transgredir alguma das leis sobre as ofertas ao Senhor5,15 Ofertas devidas ao Senhor: décimas, primeiros frutos e outras coisas que tivessem sido objeto de voto ou promessa., apresentará ao Senhor, como oferta de reparação por esse engano, um carneiro sem nenhum defeito. O valor do carneiro a oferecer deve ser calculado em prata, segundo os pesos usados no templo. 16
5,16
Lv 6,5
22,14
27,13152731
Nm 5,7
5,16
Lv 4,26
Deve restituir na proporção do prejuízo que causou na oferta a Deus e deve acrescentar mais vinte por cento do seu valor, entregando tudo ao sacerdote. Depois de oferecer o carneiro, o sacerdote fará por ele expiação e ser-lhe-á perdoado.

17

5,17
Lv 4,2
5,17
Lv 4,2132227
5,1-215
Sl 19,12
Lc 12,48
Se alguém cometeu um pecado, transgredindo involuntariamente algum dos mandamentos ou proibições que o Senhor deu, é igualmente culpado e responsável. 18
5,18
Lv 5,15
5,18
Lv 5,16
Deve levar ao sacerdote um carneiro, conforme a importância da culpa. O sacerdote fará expiação pela falta involuntária, que ele cometeu e ser-lhe-á perdoado. 19
5,19
Ed 10,2
É um sacrifício de reparação, porque, diante do Senhor, ele era realmente culpado.»

20O Senhor disse a Moisés5,20 Algumas traduções numeram os v. 20–26 como 6,1–7 e, por consequência, os v. 1–23 do capítulo seguinte são numerados de 8 a 30.: 21«Se alguém cometer contra o Senhor o delito de prejudicar um seu compatriota; por exemplo, se mentir acerca dum objeto que recebeu para guardar ou que pediu emprestado ou roubou ou extorquiu; 22se encontrou um objeto perdido e nega que o encontrou; ou se faz um juramento falso para esconder qualquer dos crimes que um homem pode cometer, 23essa pessoa comete um crime e é responsável por ele. Tem de restituir aquilo que roubou ou extorquiu ou encontrou ou lhe foi confiado 24ou o objeto sobre o qual anteriormente tinha feito um juramento falso. Tem de o restituir por completo e acrescentar ainda mais vinte por cento do seu valor e entregá-lo ao dono, no dia do sacrifício de reparação.

25Como sacrifício de reparação oferecerá ao Senhor um carneiro sem nenhum defeito. Deve levá-lo ao sacerdote 26e este faz por essa pessoa expiação e ser-lhe-á perdoado qualquer dos pecados de que se tenha tornado culpada.»

6

Normas rituais

61O Senhor6,1 Ver 5,20 e nota. disse a Moisés 2

6,2
Ex 22,710
Lv 9,11
Nm 5,6
At 5,4
Cl 3,9
6,2
Pv 24,28
26,19
que comunicasse a Aarão e aos seus filhos as seguintes ordens:

«Estas são as normas para os holocaustos. O holocausto deve arder sobre o altar durante toda a noite até de manhã, sem nunca se deixar apagar o fogo.

3

6,3
Ex 22,11
Lv 19,12
Dt 22,1-3
Jr 7,9
Zc 5,4
O sacerdote, vestido de calções de linho e de túnica igualmente de linho, vai retirar as cinzas que o fogo, ao queimar o holocausto deixou sobre o altar, e deixa-as ao lado do altar. 4E depois de ter trocado de roupa, vai levar as cinzas para fora do acampamento, deitando-as num lugar ritualmente puro.

5

6,5
Lv 5,16
Nm 5,7
2 Sm 12,6
Lc 19,8
O fogo deve estar a arder continuamente sobre o altar, sem nunca se apagar. Todas as manhãs o sacerdote deve-o ir avivando, pondo-lhe mais lenha; colocará em cima os animais oferecidos em holocausto e queimará as gorduras dos que foram oferecidos em sacrifício de comunhão. 6
6,6
Lv 5,15
Este fogo deve arder continuamente sobre o altar, sem nunca se apagar.

7

6,7
Lv 4,26
Estas são as normas para as ofertas de cereais. Os descendentes de Aarão é que devem apresentar essas ofertas diante do Senhor, diante do altar, no santuário do Senhor. 8Tirando uma mão-cheia da farinha oferecida com azeite e todo o incenso que deve acompanhar a oferta, o sacerdote queima-os sobre o altar. É a parte que serve de memorial6,8 Ver 2,2 e nota. e que é do agrado do Senhor. 9O resto da oferta será para Aarão e para os seus descendentes comerem. Mas devem comê-la sem fermento e em lugar sagrado, dentro do recinto da tenda do encontro. 10
6,10
Ex 28,39-4143
Lv 16,4
Ez 44,17-18
6,10
Lv 1,16
Não a devem cozer com fermento, porque é a parte que eu lhes dou das ofertas destinadas a mim e é uma das coisas mais sagradas, como o sacrifício pelo pecado ou o sacrifício de reparação.

11

6,11
Ez 44,19
6,11
Lv 4,12
E mesmo dentre os descendentes de Aarão, só os homens é que a podem comer. É a parte que vos cabe para sempre nas ofertas destinadas ao Senhor. Qualquer outra pessoa que nelas tocar sofrerá as consequências6,11 Ou: Ficará santo. O contexto parece dar ao verbo o sentido de uma situação de exceção, em que o interessado fica impedido de participar na vida normal da comunidade, ou até mesmo ser condenado à morte. Ver Ex 29,37.

12

6,12
Lv 3,3914
O Senhor disse a Moisés:

13«No dia da sua consagração, Aarão e os seus descendentes devem fazer esta oferta: três litros da melhor farinha como oferta diária6,13 O texto original deixa na ambiguidade: o saber se é só naquele dia ou se é desde aquele dia em diante., metade pela manhã e metade à tarde. 14

6,14
Lv 2,1
Nm 15,4
Deve ser amassada em azeite e cozida sobre a chapa; e depois de partida em bocados, será apresentada ao Senhor como oferta que é do seu agrado. 15
6,15
Lv 2,29
A mesma coisa deve fazer o sacerdote que for consagrado para lhe suceder. Trata-se duma lei válida para sempre. Esta oferta deve ser inteiramente queimada sobre o altar. 16
6,16
Lv 2,3
Ez 44,29
6,16
Lv 6,26;
Qualquer oferta feita por um sacerdote tem de ser inteiramente queimada; nada pode ficar para ser comido.»

17

6,17
Lv 2,11
Nm 18,10
6,17
Ex 29,37
Lv 2,37,1
O Senhor disse a Moisés 18
6,18
Lv 3,17
6,19
Nm 18,10
6,18
Ex 29,37
Lv 22,3-7
que comunicasse a Aarão e aos seus descendentes as seguintes ordens:

«Estas são as normas para o sacrifício pelo pecado. O animal oferecido em sacrifício pelo pecado deve ser degolado no mesmo sítio em que é degolado aquele que é oferecido em holocausto. Trata-se duma das coisas mais sagradas. 19E o sacerdote que a oferece não pode comer dela senão no lugar sagrado, dentro do recinto da tenda do encontro. 20

6,20
Ex 29,2
6,20
Ex 16,36
Seja quem for que tocar na carne dessa vítima sofrerá as consequências6,20 Ver nota ao v. 11.. E se do seu sangue salpicar para a roupa de alguém, essa pessoa terá de lavar a sua roupa em lugar sagrado.

21A panela em que essa carne for cozida, se é de barro, deve ser quebrada e, se é de bronze, deve ser bem esfregada e lavada.

22

6,22
Ex 29,25
Lv 4,3
Somente os homens da família dos sacerdotes podem comer dela, porque é uma das coisas mais sagradas. 23Mas o animal, cujo sangue teve de ser levado para dentro da tenda do encontro, para se fazer no santuário expiação pelo pecado, não pode ser comido; tem de ser deitado ao fogo.»

7

71

7,1
Lv 521,22
«Estas são as normas para o sacrifício de reparação. Trata-se duma das coisas mais sagradas. 2
7,2
Lv 1,3511
4,242933
O animal deve ser degolado no lugar onde se degolam os animais destinados ao holocausto e com o seu sangue o sacerdote aspergirá a toda a volta do altar. 3
7,3
Ex 29,13
Lv 3,49-1014-16
4,8-9
Retirará dele todas as gorduras: a cauda e a gordura da barriga, 4os dois rins e a gordura que os envolve, na região lombar, a membrana do fígado com a gordura que o cobre e se retira juntamente com os rins. 5O sacerdote queimará essa gordura sobre o altar, em honra do Senhor. É um sacrifício de reparação.

6

7,6
Lv 2,3
6,16-18
Nm 18,9-10
Somente os homens da família dos sacerdotes podem comer dela. E devem comê-la em lugar sagrado, porque é uma das coisas mais sagradas.

7

7,7
Lv 6,25-26;
Tanto nos sacrifícios pelo pecado como nos de reparação, segue-se a mesma norma: é para o sacerdote que tiver feito expiação pelo pecado. 8E o sacerdote que presidir à cerimónia dum holocausto ficará com a pele da vítima. 9
7,9
Lv 2,310
Nm 18,9
Ez 44,29
Do mesmo modo, as ofertas preparadas no forno, na sertã ou na chapa serão para o sacerdote que as oferecer. 10As outras ofertas de cereais, sejam amassadas em azeite ou não, serão distribuídas em plano de igualdade por todos os descendentes de Aarão.

11

7,11
Lv 3,1
22,1821
Estas são as normas para os sacrifícios de comunhão oferecidos ao Senhor:

12

7,12
Lv 2,4
Nm 6,15
Se for um sacrifício oferecido em ação de graças, além da vítima, devem oferecer tortas sem fermento amassadas com azeite e bolos igualmente sem fermento untados com azeite, e ainda biscoitos feitos de farinha amassada em azeite. 13
7,13
Am 4,5
Além disso, devem oferecer também pão fermentado, para apresentar como oferta junto com o sacrifício de ação de graças.

14

7,14
Nm 18,81119
De cada uma destas ofertas retira-se uma parte, como tributo para o Senhor, e essa parte pertencerá ao sacerdote que fez a aspersão com o sangue do sacrifício de comunhão. 15
7,15
Lv 22,30
A carne da vítima oferecida em sacrifício de comunhão deve ser comida no dia do sacrifício, sem ficar nada para o dia seguinte.

16

7,16
Lv 19,6-8
Se se trata dum sacrifício em cumprimento duma promessa ou apresentado como oferta voluntária, a vítima pode ser comida no próprio dia da oferta; e o que sobrar terá de ser comido no dia seguinte. 17No terceiro dia, o que ainda sobrar da carne da vítima será deitado ao fogo. 18
7,18
Lv 11,10-1141
19,7
Se alguém comer da carne da vítima dum sacrifício de comunhão no terceiro dia, aquele sacrifício já não será aceite por Deus, será considerado inválido; é carne estragada e quem dela comer incorre em culpa. 19E a carne que tocar em alguma coisa impura já não se pode comer; tem que ser atirada ao fogo. E só quem está puro pode comer da carne do sacrifício.

20

7,20
Gn 17,14
Lv 15,3
Se alguém, estando impuro7,20 Ver cap. 12—15., comer da carne dum sacrifício de comunhão oferecido ao Senhor será excluído da comunidade dos israelitas. 21
7,21
Lv 7,20
11,2428
13
15
21
Ez 4,14
E todo aquele que tenha tocado em algo impuro, seja pessoa, seja animal, seja qualquer outra coisa, ou tiver comido carne dum sacrifício de comunhão que é destinado ao Senhor, será excluído da comunidade dos israelitas.»

22O Senhor disse a Moisés 23

7,23
Lv 3,17
que comunicasse aos israelitas as seguintes ordens: «Não devem comer gordura de touro, nem de cordeiro nem de cabra. 24A gordura dum animal que morreu de morte natural ou que foi morto pelas feras pode ser utilizada para qualquer outra finalidade, mas de maneira nenhuma para ser comida.

25Se alguém comer da gordura dum animal que foi apresentado como oferta ao Senhor, será excluído da comunidade do seu povo.

26

7,26
Gn 9,4
Lv 3,17
17,10-14
Onde quer que estiverem, não devem comer sangue, seja de animal seja de ave. 27Todo aquele que se atrever a comer sangue será excluído da comunidade do seu povo7,27 Ver Lv 17,10–14; Gn 9,4; Dt 12,16.23.

28O Senhor disse a Moisés 29

7,29
Lv 3,1
que comunicasse aos israelitas mais as seguintes ordens:

«Aquele que vai oferecer um sacrifício de comunhão deve entregar ao Senhor a parte que lhe toca desse sacrifício. 30

7,30
Ex 29,2427
Lv 3,3-4914
8,27
9,21
Nm 6,20
Com as suas próprias mãos deve apresentar o que pertence ao Senhor, isto é, a gordura e o peito; e o peito deve ser apresentado com o gesto ritual de apresentação7,30 O gesto ritual de apresentação consistia em agitar a oferta diante do altar, para a entregar ao Senhor, a quem pertencia. Depois era entregue ao sacerdote, que ficava com ela, como representante de Deus., na presença do Senhor.

31

7,31
Lv 3,51116
7,31
Lv 7,34
O sacerdote queimará a gordura sobre o altar e o peito será entregue a Aarão e aos seus descendentes. 32
7,32
Lv 7,34
9,21
Nm 6,20
A coxa dos animais que oferecerem em sacrifício de comunhão devem dá-la ao sacerdote como tributo. 33O sacerdote que oferecer o sangue e a gordura do sacrifício de comunhão é que tem o direito de ficar com a coxa direita. 34
7,34
Ex 29,28
Lv 10,14-15
Nm 18,18-19
Dt 18,3
De facto, o peito apresentado em gesto ritual e a coxa direita oferecida em tributo são coisas que eu reservo para mim em todos os sacrifícios oferecidos pelos israelitas, para os dar aos descendentes de Aarão. É um direito que eles têm para sempre e que os israelitas devem respeitar.»

35Das ofertas destinadas ao Senhor, esta é a parte que cabe a Aarão e aos seus descendentes, desde o dia em que eles começam a exercer as suas funções de sacerdotes no santuário. 36

7,36
Ex 40,1315
Lv 8,1230
7,36 ou um preceito perpétuoFoi o Senhor que ordenou que lhes fossem dadas, desde o dia em que eles foram consagrados pelos israelitas, e é uma lei válida para sempre, para todos os seus descendentes.

37

7,37
Lv 6,9
7,37
Lv 6,14
7,37
Lv 6,25;
7,37
Ex 29,1
Lv 6,20
7,11
Estas são as normas relativas aos holocaustos, ofertas de cereais, sacrifícios pelo pecado, sacrifícios de reparação, de consagração de sacerdotes7,37 Na cerimónia em que um novo sacerdote vestia pela primeira vez as veste litúrgicas e recebia a consagração havia um sacrifício especial (ver 8,22–30). e sacrifícios de comunhão. 38
7,38
Lv 1,2
Foi o Senhor que o ordenou a Moisés, no monte Sinai, no dia em que lhe deu instruções para que os israelitas apresentassem ao Senhor as suas ofertas, no deserto do Sinai.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitamos a privacidade dos seus dados.[ocultar mensagem]