a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
11

Incêndio no acampamento

111Certo dia o povo fez queixas amargas contra o Senhor. Ao ouvi-las, o Senhor ficou muito irado e fez com que um fogo terrível deflagrasse no acampamento e começasse a devorá-lo. 2O povo foi pedir a Moisés em altos gritos e este intercedeu a seu favor, junto do Senhor, e o fogo apagou-se. 3Deram àquele lugar o nome de Tabera11,3 A palavra hebraica Tabera é semelhante à expressão hebraica que significa “deflagrar um incêndio”., pois foi lá que deflagrou contra eles o fogo do Senhor.

Deus promete carne aos israelitas

4Um dia o grande número de estrangeiros que ia no meio dos israelitas começou a sentir vontade de comer carne e os próprios israelitas começaram a lamentar-se também desta maneira: «Quem nos dera comer carne! 5Que saudade da comida do Egito! Peixe de graça, pepinos, melões, alhos porros, cebolas e alhos! 6Agora, até perdemos o apetite, porque não vemos senão maná

7O maná era parecido com a semente de coentro com o aspeto resinoso do bdélio11,7 Sobre o maná e o coentro, ver Ex 16,31. O bdélio é um arbusto da Arábia que produz uma resina aromática muito apreciada. Comparar com Gn 2,12.. 8O povo ia pelos campos apanhá-lo; depois, moíam-no com o moinho ou amassavam-no no almofariz, coziam-no na panela ou faziam com ele uns bolos que sabiam a torta de azeite11,8 Ver Ex 16,13–15.. 9Ao cair o orvalho no campo, durante a noite, caía também com ele o maná.

10Moisés ouviu como o povo se lamentava, agrupados por famílias à porta das suas tendas. O Senhor ficou muito irado e Moisés desgostoso. 11Disse então ao Senhor: «Por que me tratas mal, Senhor? Eu sou teu servo! Por que não te mostras benevolente comigo? Por que puseste sobre mim a responsabilidade deste povo? 12Sou por acaso pai ou mãe deles, para me obrigares a levá-los ao colo, como se levam as crianças de peito, até à terra que prometeste aos seus antepassados11,12 É a primeira vez que o livro dos Números recorda a promessa da terra (ver Gn 12,7 e nota a 12,2). Como em Ex 31,12, é Moisés quem a recorda a Deus.? 13Onde é que eu tenho carne para todo este povo? Eles vêm-me pedir a chorar: “Dá-nos carne, para comer!” 14Sozinho não consigo suportar o peso de todo este povo! É demasiado pesado para mim. 15E se é para me tratares assim, então tira-me a vida. Seria um favor que me fazias, para eu não ter de passar por este sofrimento.»

16O Senhor respondeu a Moisés: «Traz-me setenta homens dentre os anciãos de Israel, que tu conheças bem como responsáveis do povo; leva-os à tenda do encontro e que esperem lá contigo. 17Eu irei lá falar contigo e darei a eles parte da missão que te tinha atribuído a ti e eles assumirão contigo a responsabilidade, para não teres de a suportar sozinho.

18Comunica ao povo a seguinte ordem: “Purifiquem-se para amanhã que vão ter carne para comer! Dirigiram-se ao Senhor, chorando: ‘Quem nos dera comer carne! Estávamos melhor no Egito’. Pois o Senhor vai dar-vos carne para comerem. 19Não somente durante um dia ou dois, cinco, dez ou vinte, 20mas durante um mês inteiro, até ficarem fartos e até vos sair pelo nariz. E isto, por terem desprezado o Senhor, que mora no vosso meio, e de se terem lamentado diante dele, dizendo: Por que é que este nos fez sair do Egito?”»

21Moisés respondeu: «Este povo, no meio do qual eu vivo, tem seiscentas mil pessoas! E tu dizes que eles vão ter carne para comerem durante um mês inteiro! 22Onde é que há tantas ovelhas e bois para dar carne que chegue para todos eles? Ainda que se apanhassem todos os peixes do mar não bastavam para eles.»

23O Senhor replicou-lhe: «Será que o poder do Senhor é assim tão limitado? Pois vais ver se o que digo te vai acontecer ou não.»

A missão de Moisés repartida com os anciãos

24Moisés saiu e foi comunicar ao povo as palavras do Senhor; reuniu setenta dos anciãos do povo e mandou-os colocar em volta da tenda. 25O Senhor desceu na nuvem11,25 Ver Ex 13,21. e falou com Moisés. Depois Deus deu parte da missão de Moisés àqueles setenta anciãos; e, ao receberem também eles o Espírito de Deus como Moisés, começaram a manifestar-se em atitudes de profetas11,25 São comportamentos que implicam manifestações características do êxtase. Ver 1 Sm 10., mas foi só daquela vez.

26Dois homens inscritos naquele grupo, chamados Eldad e Medad, tinham ficado no acampamento e não tinham ido à tenda. Também eles receberam o Espírito de Deus e começaram igualmente a manifestar-se como profetas. 27Um jovem foi a correr informar Moisés de que Eldad e Medad se estavam a comportar como os profetas. 28Josué, filho de Nun, que era auxiliar de Moisés desde a juventude, insistiu com Moisés: «Mande-os parar, meu senhor!» 29Mas Moisés respondeu: «Eu não tenho inveja deles e tu vais tê-la? Quem dera que o Senhor colocasse o seu espírito em todo este povo e que todos fossem profetas!»

30Depois disto, Moisés voltou com os anciãos para o acampamento.

As codornizes

31O Senhor fez soprar um vento forte do lado do mar, que arrastou consigo bandos de codornizes e as fez cair junto do acampamento. A toda a volta do acampamento, numa extensão de um dia de caminho, havia até um metro de altura de codornizes. 32Durante todo o dia e toda a noite e ainda no dia seguinte, o povo andou a apanhar codornizes. Aquele que apanhou menos tinha recolhido dez cargas de codornizes e estenderam-nas a secar à volta do acampamento.

33Mas ainda eles tinham a carne entre os dentes, sem terem acabado de a engolir, quando o Senhor, muito irado com eles, os castigou com uma terrível mortandade. 34Por isso, deram àquele lugar o nome de Quiberot-Tavá11,34 Quiberot-Tavá significa, em hebraico, “Covas de Avidez”., visto que foram ali enterrados os que não pensavam senão em comer carne.

35De Quiberot-Tavá os israelitas foram para Hacerot e ali assentaram o acampamento.

12

Aarão e Míriam criticam Moisés

121Moisés tinha casado com uma mulher de Cuche12,1 Cuche poderia significar a Etiópia, como muitas outras vezes, ou simplesmente uma tribo lembrada em Hc 3,7., mas Míriam e Aarão criticaram-no por ter casado com aquela mulher. 2Diziam eles: «Será que o Senhor só falou a Moisés? Não falou connosco também?» E o Senhor ouviu estas críticas.

3Ora, Moisés era um homem muito humilde, mais do que qualquer outro sobre a terra. 4E imediatamente o Senhor disse a Moisés, Aarão e Míriam: «Dirijam-se os três à tenda do encontro.» E eles foram. 5O Senhor desceu na coluna de nuvem12,5 Ver Ex 13,21. e, colocando-se à porta da tenda do encontro, chamou por Aarão e Míriam. Eles avançaram os dois. 6Então o Senhor disse-lhes:

«Ouçam bem isto que vos digo:

Quando existe no vosso meio um profeta do Senhor,

é com visões que eu me apresento a ele,

é por sonhos que eu lhe falo.

7Mas não é assim com o meu servo Moisés;

ele é o mais fiel de todos os meus servos12,7 Ver Hb 3,2..

8Com ele eu falo diretamente

e deixo-o ver sem enigmas,

pois ele próprio me contempla.

Como é que não tiveram medo

de falar contra o meu servo Moisés?»

9O Senhor mostrou-se muito irado contra eles. Em seguida, foi-se embora 10e a nuvem afastou-se de cima da tenda. Nisto Míriam apareceu toda coberta de lepra; olhando para ela, Aarão viu que a sua pele estava coberta de lepra, branca como a neve.

11Aarão disse a Moisés: «Por favor, meu senhor! Não nos faças sofrer as consequências do nosso pecado. Realmente somos culpados e fomos insensatos! 12Que Míriam se não transforme num aborto, que quando nasce, já parece meio desfeito!»

13Moisés invocou o Senhor, dizendo: «Não a deixes assim! Cura-a, por favor!»

14E o Senhor respondeu-lhe: «Se o seu pai lhe tivesse cuspido na cara, ela ficaria envergonhada durante sete dias, não é verdade? Pois, que ela seja posta fora do acampamento, durante os sete dias. Só depois poderá voltar para o acampamento12,14 Comparar com 5,2–3.

15Míriam foi deixada fora do acampamento, durante uma semana. E o povo não partiu para nova viagem, enquanto Míriam não foi reintegrada. 16Só depois disso é que os israelitas partiram de Hacerot, para irem assentar o acampamento no deserto de Paran.

13

Moisés envia exploradores a Canaã

131O Senhor disse a Moisés: 2«Envia alguns homens a explorar a terra de Canaã, que eu vou dar aos israelitas. Manda um homem de cada tribo e que todos sejam chefes do seu clã.» 3Moisés enviou-os do deserto de Paran; todos eram chefes dos israelitas, tal como o Senhor tinha ordenado.

4Os seus nomes são os seguintes: da tribo de Rúben, Chamua, filho de Zacur; 5da tribo de Simeão, Chafat, filho de Hori; 6da tribo de Judá, Caleb, filho de Jefuné; 7da tribo de Issacar, Jigal, filho de José; 8da tribo de Efraim, Oseias, filho de Nun; 9da tribo de Benjamim, Palti, filho de Rafu; 10da tribo de Zabulão, Gadiel, filho de Sodi; 11da tribo de Manassés, filho de José, Gadi, filho de Sussi; 12da tribo de Dan, Amiel, filho de Guemali; 13da tribo de Asser, Setur, filho de Micael; 14da tribo de Neftali, Nabi, filho de Vafsi; 15da tribo de Gad, Gueuel, filho de Maqui. 16Estes foram os homens que Moisés mandou para irem explorar a terra de Canaã. A Oseias, filho de Nun, Moisés mudou-lhe o nome para Josué13,16 Os nomes Oseias e Josué derivam da mesma raiz hebraica e ambos significam “o Senhor salva”..

17Ao enviá-los, para irem explorar a terra de Canaã, Moisés disse-lhes: «Subam pelo Negueve13,17 Negueve é a região a sul da terra de Canaã. e depois vão até às montanhas; 18vejam bem como é aquela terra e se o povo que lá vive é forte ou fraco, se são poucos ou muitos. 19Vejam se a terra onde eles vivem é boa ou má e se as suas povoações são acampamentos abertos ou cidades fortificadas. 20Vejam se a terra é fértil ou pouco produtiva e se tem árvores ou não. E façam todos os possíveis para trazerem dos frutos da região.»

Estava-se então no tempo em que amadurecem as primeiras uvas.

21Eles foram explorar o país, desde o deserto de Sin até Reob, que fica no caminho para Hamat13,21 Deserto de Sin. Região situada a sul da Palestina. Reob. Localidade não identificada. Caminho ou desvio para Hamat. Localidade também de difícil identificação, mas situada no extremo norte do país.. 22Entraram pelo Negueve e subiram até Hebron, onde habitavam Aiman, Chechai e Talmai, descendentes do gigante Anac13,22 Anac. Personagem que representa os antigos habitantes da Palestina.. Hebron tinha sido fundada sete anos antes da cidade de Soan13,22 Hebron. Localidade célebre a 30 km a sul de Jerusalém. Soan. Nome bíblico da cidade egípcia de Tânis, reconstruída na segunda metade do século XVIII, a.C. Ver Ex 19,21., no Egito. 23Chegados ao vale de Escol, cortaram um ramo com um enorme cacho de uvas e dependuraram-no num pau e dois homens transportavam-no ao ombro. Apanharam igualmente romãs e figos.

24Esse lugar chama-se Vale de Escol, por causa do cacho13,24 Escol significa, em hebraico, “cacho”. que os israelitas ali apanharam.

Opiniões dos exploradores de Canaã

25Quarenta dias depois, os exploradores regressaram, depois de terem dado a volta ao país, 26e foram apresentar-se a Moisés e a Aarão e a todo o povo de Israel, que estavam em Cadés13,26 Cadés ou Cadés Barneia. Oásis situado entre o deserto de Paran e o deserto de Sin., no deserto de Paran. Deram-lhes as informações recolhidas e mostraram-lhes os frutos do país. 27E assim contaram a Moisés as suas impressões: «Fomos ver o país que nos mandaste. É realmente uma terra onde corre leite e mel13,27 Expressão proverbial para indicar a fertilidade da terra. Ver Ex 3,8; 33,9; Jr 11,5.. E aqui tens uma amostra dos seus frutos. 28Só que os seus habitantes são fortes e as cidades onde habitam são grandes e bem fortificadas. Até lá vimos alguns descendentes do gigante Anac. 29Os amalecitas ocupam a região do Negueve; os hititas, jebuseus e amorreus habitam nas montanhas; e os cananeus, junto ao mar Mediterrâneo e no vale do Jordão.»

30Mas Caleb fez calar os protestos do povo contra Moisés e disse: «Nós vamos conquistar essa terra! Nós somos capazes disso!»

31Mas os que tinham ido com ele replicaram: «Não podem ir atacar essa gente, porque eles são mais fortes do que nós.» 32E começaram a dizer aos israelitas que a terra que tinham ido explorar não tinha interesse: «Percorremos e explorámos essa terra. É uma terra que devora aqueles que lá habitam13,32 Pode ser uma alusão ao clima, à pobreza ou às contínuas guerras que assolam o país.. Todos os homens que lá vimos eram muito altos. 33Até lá encontrámos gigantes, descendentes do gigante Anac. Ao pé deles, sentíamo-nos como gafanhotos e eles pensavam o mesmo de nós.»

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitamos a privacidade dos seus dados.[ocultar mensagem]